sexta-feira, 13 de julho de 2012

Tablet voltado a família cristã é lançado


Depois do sucesso do iPad, que mudou a história da tecnologia, muitas empresas lançaram equipamentos similares, mas nenhuma teve tanto sucesso quanto a Apple.

Agora, surgiu uma tentativa de apelar para as convicções religiosas dos usuários. A empresa Family Christian lançou o Edifi, um tablet para a edificação do povo de Deus.

A criação do primeiro tablet cristão do mundo surgiu do inevitável cruzamento entre tecnologia e espiritualidade, explica Brian Honrosa, supervisor de tecnologia da empresa.

“Queríamos ser capazes de oferecer aos nossos clientes uma maneira eficiente de usar o nosso aplicativo da Bíblia, que oferece 27 traduções bíblicas diferentes em inglês. Queríamos apenas espalhar a palavra de Deus através de um tablet. Ele irá contribuir com a nossa missão: tentar aproximar as pessoas de Deus”, explicou Brian.

O tablet usa o sistema Android e é fabricado pela empresa Cydle, da Coréia do Sul. Possui uma tela sensível ao toque (resolução 480×800), 512MB de RAM e 8GB de HD, que pode ser expandido com um cartão de memória. Segundo Brian Honrosa, sua empresa se inspirou no Kindle Fire, leitor eletrônico fabricado pela livraria online Amazon.

A diferença principal entre os equipamentos? “O deles custa US$ 199,99. O nosso apenas US$ 149,99. E a bateria é realmente a mais duradoura do mercado”.

Mas o tablet cristão não serve apenas para ler livros eletrônicos (e-books) como o Kindle. O Edifi também reproduz filmes, pode sintonizar estações de rádio cristãs e possui um navegador com um filtro que possibilitas “buscas seguras” para toda a família.

“Nós colocamos esse filtro caso o tablet seja dado de presente para uma criança, assim elas não podem ter acesso a conteúdo impróprio para sua idade”, explica o representante da Family Christian. “Nós tivemos de adequá-lo às necessidade de nossos clientes”.

O Edifi foi lançado mês passado e vem com fones de ouvido, um carregador, uma base removível, uma capa protetora, uma caneta ótica e uma bolsa para guardar tablet.

A empresa já tem planos para futuras versões. “Quando a próxima versão sair, vamos fazer algumas mudanças. Estamos planejando outras coisas, provavelmente um novo tablet, com uma resolução melhor de tela”, disse ele.

Embora não divulgue o número de tablets vendidos, a Family Christian classifica a procura até o momento como “forte”. O tablet pode ser comprado através do site da Famíly Christian ou em uma das 300 lojas da empresa em todos os EUA.

Esta não é a primeira tentativa de aliar tecnologia e encontro com Deus. Na semana passada, o jornal inglês Telegraph reportou que o Hotel Índigo, na Grã-Bretanha, substitui as Bíblias de cabeceira por leitores eletrônicos Kindle contendo uma cópia digital das Escrituras.


Morte de Yasser Arafat por envenenamento pode gerar guerra em Israel


Nasser al-Qidwa, é presidente da Fundação Yasser Arafat e sobrinho do falecido presidente palestino que dá nome à fundação. Nesta quinta-feira, ele acusou Israel de ter “envenenado” o ex-líder palestino com polônio e exigiu que os responsáveis sejam julgados.
O Instituto de Radiação Física de Lausanne, na Suíça, analisou amostras biológicas dos objetos pessoais de Arafat entregues à sua viúva Suha pelo hospital militar onde o líder palestino morreu em dia 11 de novembro de 2004 aos 75 anos. A conclusão é que havia “uma quantidade anormal de polônio”, segundo o documentário da rede de televisão Al-Jazeera que foi ao ar dia 3 de julho.
“Os médicos egípcios que foram a Ramallah para vê-lo antes de mudarmos para a França disseram-me na época que ele poderia ter sido envenenado”, diz Suha Arafat, a estrela da cadeia.
“A fundação Arafat entrou em contato com o laboratório suíço para informar que não tinha objeções à análise de amostras do corpo de Arafat, caso fosse necessário. Desde o martírio do falecido presidente Yasser Arafat, dissemos que havia sido assassinado por envenenamento, mas não tínhamos nenhuma prova tangível. Mas, depois do documentário da Al-Jazeera afirmando seu envenenamento com polônio, já não resta dúvida”, acrescentou o sobrinho.
Ainda nesta quinta-feira, Abdullah al-Bashir, diretor do comitê médico que investiga as causas da morte denunciadas pela Al-Jazeera, disse que Arafat morreu envenenado por uma substância tóxica desconhecida. O médico, no entanto, não foi capaz de apresentar provas que confirmem sua afirmação.
A Al Jazeera afirma que os médicos franceses se recusaram a cooperar com a investigação, alegando que se tratava de “sigilo médico”. Omar Dakka, o médico que tratou de Arafat e que hoje vive na Tunísia, também se recusou a ser entrevistado. Segundo a emissora, as conversas “não oficiais” dão a entender que “não é um problema médico, mas sim político”.
O ex-presidente da Autoridade Nacional Palestina teve como causa oficial de morte uma gastroenterite. Mas agora a família considera pedir uma exumação que provaria o envenenamento radioativo por Polônio 210. Dez anos atrás, em resposta aos ataques palestinos a Israel durante a Intifada, o governo israelense ordenou o cerco da Muqata, onde Arafat estava confinado e isolado desde 2002.
Os tanques destruíram grande parte do complexo presidencial e soldados permaneceram poucos metros do quarto de Arafat, mas ele sobreviveu. Sua saúde deteriorou-se rapidamente em 2004 e após ser examinado por especialistas egípcios e jordanianos, um Arafat já doente foi levado para tratamento na França.
O porta-voz presidencial palestino, Nabil Abu Rudeina, afirmou em coletiva que “não haverá obstáculos” na “busca pela verdade” sobre a morte de Arafat, cujos restos estão em Muqata de Ramallah, sede do governo da ANP (Autoridade Nacional Palestina).
Israel, por sua vez, disse que as alegações de morte por envenenamento são “ridículas”.
Especialistas temem que esse fato, se comprovado, pode levar a uma nova guerra entre palestinos e israelenses.
Traduzido de Huffington Post e Elespectador
Fonte: Gospel Prime

domingo, 8 de julho de 2012

Completo - Elaine de Jesus|Que Ele Cresça|CD Escolhidos|2012

Mulher vende sua alma em site de leilões


Bíblia diz que uma alma vale mais do que o mundo inteiro, mas para a escritora Lori N, parece que dois mil dólares são o suficiente.
Há cinco anos, Lori tinha uma vida normal e trabalhava como escritora freelancer. Porém,  um grave acidente de carro mudou completamente sua vida. Ela estava no banco do passageiro de um carro atingido por um motorista bêbado. As consequências foram terríveis. Ficou em coma por três semanas até acordar para descobrir que sofrera um acidente vascular cerebral, fraturas no quadril, pélvis, perna, clavícula, esterno, algumas costelas quebradas e uma perfuração pulmonar. Além de tudo isso, também perdeu um de seus seios.
Com todas essas dificuldades físicas, Lori, que mora em Albuquerque, Novo México, disse ter grande dificuldade para trabalhar por horas e passou a se questionar se ela não podia mais usar o seu corpo, por que não tentar ganhar algo com a sua alma?
Ela explica sua decisão: ‘Eu acho que você poderia dizer [que é um grito de socorro]. Eu estou   pronta agora, estou cansada. Eu não me sinto bem. Estou perto do fundo do poço…  O que eu vou entregar é a oportunidade de alguém salvar a minha alma. Eles podem salvá-la através da oração, ou podem tentar salvá-la através da conversão. Quem comprar também vai receber um certificado, detalhando as áreas claras e escuras de minha alma”.
Para Lori, essa é uma garantia que o comprador terá, como os contratos que se assina quando   alguém  decide comprar um carro novo.
O lance inicial para esta “alma seminova” é de dois mil dólares. Apesar de ainda não ter recebido nenhuma proposta no site de leilões eBay, ela disse que se sente encorajada pelo grande número de visitas
Mesmo sabendo que  seu anúncio singular pode ofender as crenças de algumas pessoas religiosas, ela quer deixar claro que está realmente esperando que alguém faça uma oferta.
Não é a primeira vez que o eBay vê pessoas tentando vender suas almas pelo melhor preço. Na maioria das vezes o site tira a oferta do ar por causa das reclamações de que trata-se de um golpe. O caso mais famoso é do blogueiro e militante ateu Hemant Mehta, que em 2006, vendeu a sua por 504 dólares. O comprador foi o pastor Jim Henderson, de Seattle.
Mehta doou o dinheiro à  Secular Student Alliance e o pastor teve a oportunidade de levar a alma do ateu (acompanhada do corpo) para participar de uma série de cultos em diferentes igrejas evangélicas americanas durante algumas semanas. Depois de receber sua alma “de volta”, Mehta escreveu um livro sobre a experiência chamado “I Sold My Soul on eBay”, cujo prefácio é assinado pelo pastor Rob Bell.
Fonte: Gospel Prime - Traduzido e adaptado de Daily Mail