quinta-feira, 17 de maio de 2012

JESUS!


Obstáculo nos amadurece e capacita!!!!


Revista CartaCapital publica editorial criticando pastor Silas Malafaia: “Ao hospício o que é do hospício”. Leia na íntegra

A revista Carta Capital divulgou editorial revelando comunicado enviado pelo pastor Silas Malafaia à editoria da revista e comentando a postura dele em relação ao ativismo homossexual.

No comunicado enviado à revista, Silas Malafaia questiona a motivação da matéria de Carta Capital que divulgou a pressão de ativistas gays contra a Avon para retirarem os livros do pastor de seu catálogo.
O editorial de Carta Capital afirma que Malafaia chamou a repórter Beatriz Mendes, autora da matéria, de “’preconceituosa’, ‘ridícula’ e ‘tola’” por causa da forma como ela inseriu as palavras dele em sua reportagem.

O tom adotado pela revista é de ironia: “O pastor chama Beatriz de ‘preconceituosa’, ‘ridícula’ e ‘tola’, somatizando na repórter questões profundas que ele precisaria discutir com seu próprio terapeuta.  De quebra, sugere que ela seja gay, o que faz dele, além de tudo, um futriqueiro”.

Em seu editorial, a revista ataca também o jornalista católico e colunista da revista Veja, Reinaldo Azevedo, que saiu em defesa de Malafaia no processo movido pelo Ministério Público contra o pastor: “E para encerrar em grande estilo, o pastor Silas Malafaia termina o programa elogiando o blogueiro da revista da Veja, Reinaldo Azevedo. Embora considere que ambos se mereçam,  CartaCapital se recusa a tecer comentários. Ao hospício o que é do hospício”.

Confira abaixo a íntegra do editorial “Resposta ao pastor Silas Malafaia”, da revista “Carta Capital”:
Imagine o pastor Silas Malafaia acusando alguém de ser preconceituoso. Soa tão irreal quanto o senador Demóstenes Torres reclamar da corrupção no País. Mas, convenhamos, o Brasil é uma terra peculiar e os dois casos acontecem, e muito. Malafaia parou por alguns minutos a sua contínua pregação contra homossexuais (uma de suas principais estratégias para arrebanhar fiéis, frisa-se) para enviar um e-mail à redação. Os endereçados eram a repórter Beatriz Mendes, do site de CartaCapital, e os editores da revista.
O All Out, site que divulga abaixo-assinados do mundo todo, divulgou a causa de Sérgio Viúla e definiu Malafaia como ‘extremista anti-gay’
O motivo: a repórter assina matéria em que relata a pressão dos movimentos LGBT sobre a Avon, empresa de cosméticos que disponibiliza catálogos de livros aos clientes – entre estes, obras de Malafaia, o homem em plena cruzada para eliminar a homossexualidade da humanidade.
O pastor chama Beatriz de “preconceituosa”, “ridícula” e “tola”, somatizando na repórter questões profundas que ele precisaria discutir com seu próprio terapeuta.  De quebra, sugere que ela seja gay, o que faz dele, além de tudo, um futriqueiro.
Diz Malafaia: “A jornalista é tão preconceituosa e ridícula nos seus comentários que ela diz: ‘Em 2006, foi ele [Silas Malafaia] o responsável por uma manifestação diante do Congresso Nacional contra a lei criminalizadora da homofobia. Na ocasião o pastor afirmou que relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são a porta de entrada para a pedofilia’. Que absurdo a deturpação dessa preconceituosa jornalista que escamoteia a verdade! O que eu disse foi: ‘O PLC 122 é a porta de entrada para a pedofilia, pois no seu preâmbulo está escrito a livre expressão sexual’.
Como pode-se perceber, o pastor reclama que a repórter interpretou corretamente a visão de Malafaia sobre a PLC 122, justamente a que criminaliza a homofobia. Nesse caso, a livre associação de uma relação entre homossexuais e pedófilos seria tão errado quanto dizer que todo pastor neopentecostal é um canalha que só pensa em tirar dinheiro dos fiéis. Há pastores bons e há pastores corruptos,  assim como há pedófilos heterossexuais e homossexuais. Falta conhecer melhor o assunto sobre o qual tanto se manifesta e tanto odeia.
Prossegue o pastor:
“A segunda mentira, deslavada e preconceituosa, prova que a jornalista não lê noticiários e outros jornais, o que faz dela uma tola. Ela escreveu que eu havia falado em meu programa: ‘Deveriam descer o porrete nesses homossexuais’. Sua atitude foi pior do que a da Polícia Federal durante a ditadura, que isolava palavras para incriminar os desafetos”. E conclui contando ter sido absolvido no processo, o que é verdade.
O vídeo editado a que Malafaia se refere é este aqui. Resolvemos, então, ir atrás do contexto total do vídeo. Malafaia diz que a igreja católica “deveria descer o porrete nesses homossexuais”. Ele alega que usou o termo no sentido figurado. Pode até ser verdade, mas isso não tira a agressividade do termo nem o ódio desferido aos gays.
O restante desse vídeo, como o leitor pode ver, mostra um pastor absolutamente comprometido com a intolerância sobre quem gosta de pessoas do mesmo sexo em uma tevê. Por volta do minuto 5:50, chama os homossexuais de doentes:
“Aí eu pergunto pra você (hãhãhã): quem são verdadeiros os doentes? É isso que eu não me calo. Os caras querem com essa pseudolei de homofobia (que a homofobia já tem lei, pra quem bate e mata homossexual vai pra cadeia), eles querem uma lei do privilégio pra falarem o que quiserem e ninguém diz nada. E sabe por que ninguém diz nada? Eu vou soltar o verbo aqui: porque lá dentro das editorias estão cheios de gays! É isso aqui! E eles manipulam a informação! Tá lotado de gays  nas editorias de tevês e jornais”.
Bem, até onde se sabe felizmente ninguém apanha nas ruas pelo simples fato de ser e parecer evangélico. Infelizmente essas coisas acontecem com gays e lésbicas.
Saiba também o pastor que uma das mais interessantes qualidades do jornalismo como profissão é justamente a tolerância com homossexuais. As redações estão repletas deles por um motivo muito simples: se o jornalista homem vai para a cama com outro homem, seja este um engenheiro ou um pastor evangélico, isso só diz respeito a ele mesmo e a seu parceiro.
Preferência sexual não é um pré-requisito dessa profissão nem de nenhuma outra. É bom que seja assim.
Neste mesmo programa, Malafaia achincalha pastores que não se posicionam contra a existência de homossexuais (a partir do 10º minuto). E, para tal, cita um trecho da Bíblia, desconsiderando totalmente o fato de que só os beócios interpretam o livro sagrado ao pé da letra:
“Como tem gente medíocre no nosso meio… alguns pastores vão pro púlpito: ‘pastor não é pra se meter nisso’(…) Queridô, (…) para com essa falsa espiritualidade. É isso que o diabo e os ímpios querem: que a gente fique calado. Mas eu vou mostrar uma coisa na Bíblia pra vocês até pra alguns do nosso meio. Olha a sua covardia: ‘Acho que não deveríamos falar nada contra o homossexualismo, nós temos que amá-los”’, e cita um trecho bíblico.
E para encerrar em grande estilo, o pastor Silas Malafaia termina o programa elogiando o blogueiro da revista da Veja, Reinaldo Azevedo. Embora considere que ambos se mereçam,  CartaCapital se recusa a tecer comentários. Ao hospício o que é do hospício.
Fonte: Gospel+

Igreja criada por homem que diz conversar com o Arcanjo Miguel mistura elementos de diversas religiões e já tem mais de 10 mil seguidores

Walter Sandro Pereira da Silva afirma conversar com o Arcanjo Miguel desde os 2 anos de idade, e criou uma igreja que mistura elementos de diversas religiões, que já tem cerca de 10 mil seguidores no Brasil.
De acordo com a revista Carta Capital, Silva conta que seu primeiro contato com o arcanjo se deu quanto tinha 2 anos e meio e procurava, desesperado, sua chupeta perdida. “Foi quando apareceu este ser dizendo que ela estava debaixo da cama e que eu devia procurar o Salmo 91”, explica.

Filho mais velho de uma família pobre da cidade pernambucana de Gravatá, Walter Silva se mudou ainda bebê para São Paulo, com seus pais. Criado em um lar católico, ele conta que sua trajetória mudou quando, aos 13 anos, entrou em uma igreja evangélica e ouviu do arcanjo que deveria pregar e se tornou evangélico. Anos depois, quando trabalhava como vendedor de seguros, o agora líder religioso passou a usar as técnicas de retórica aprendidas em sua profissão para dar palestras motivacionais, e criou seu próprio método de autoajuda.

O método de autoajuda começou a se tornar uma religião quanto Silva conheceu pessoas que, assim como ele, sentiam vir de algo maior, no caso da reencarnação dos Cavaleiros Templários, braço militar da Igreja Católica na época das Cruzadas.

Silva conta que no dia 11 de novembro de 2011, quando estava prestes a entrar no ar pelo canal UHF 58, ele vivenciou o milagre que culminou no nascimento oficial da Igreja Templária de Cristo na Terra: “O Arcanjo Miguel materializou-se e disse para eu abrir a igreja. Foi tão forte que tive uma crise de cálculo renal. Fui ao banheiro e ele veio e disse pra botar a mão na urina. Eu pus. E saiu uma pedra do tamanho de meio grão de feijão”. À meia-noite o programa foi ao ar já com o nome de Igreja Templária, igreja descrita pela Carta Capital como uma seita-símbolo do sincretismo religioso nacional: compósito da lógica de bufê livre, da tolerância e da espiritualidade sem limites do brasileiro.

Com o tempo surgiu a hierarquia da igreja, que é composta por um apóstolo (ele), cujo cargo é vitalício e só pode ser transmitido após um conclave. Há também um primeiro-ministro, quatro bispos, 20 ministros e 560 mestres, cada qual encarregado de cuidar de 70 fiéis.

A Igreja Templária ocupa um prédio no número 643 da Rua Leais Paulistanos, e tem outras sedes no Rio de Janeiro, no Espírito Santo e em Minas Gerais. Inicialmente, a estrutura da igreja começou a ser erguida com auxílio de doações, e hoje já é mantida pelo “Carnê da Gratidão”, um boleto com depósito de 33 reais em uma conta do Banco do Brasil. Silva explica que os fiéis não fazem um pagamento, e sim doações, em troca das quais recebem o número de telefone de um dos mestres, para o qual podem ligar todos os dias, até às 2 da manhã.

O atendimento aos fiéis é feito por um sistema de telemarketing, onde 20 pessoas se revezem em três turnos para atender cerca de mil fiéis todos os dias.

O prédio da Igreja Templária tem 44 salas da igreja, nas quais a cruz pátea, também conhecida como cruz templária, pode ser vista entre desenhos de Buda, faraós e santos católicos. Há dois auditórios e salas. Uma das salas de reunião é repleta de cristais que dividem espaço com uma armadura medieval, um sarcófago, uma imagem de São Jorge e outra da Virgem Maria. Ao lado fica o hospital de cura, onde macas se enfileiram a espera dos pacientes. “Teve uma mulher que chegou com a bexiga podre. Em um mês aqui, a bexiga dela se refez inteirinha”, explica o líder religioso, que afirma ainda que milagres mesmo se dão durante o “Vale de Sal”, evento que atrai 5 mil pessoas uma vez por mês.

O apóstolo afirma levar uma vida exemplar: “Templário não ingere café, carne ou açúcar (só mascavo). Ioga e tai chi chuan são obrigatórios. Se bem que a minha ioga é na tevê”, afirma. Porém ele conta que recebe constantes ameaças de morte por causa de seu trabalho religioso. “Já cansei de sofrer ameaça de morte, pelo telefone, pela internet”.

Fonte: Gospel+

Record proíbe crianças de cantarem música gospel no reality show “Ídolos Kids”

A Rede Record vai estrear em agosto a versão infantil do reality show “Ídolos”. Segundo a emissora, o Ídolos Kids será uma competição mirim, onde crianças de 5 a 12 anos podem participar, com o aval dos pais ou responsável legal.

O programa, que será apresentado por Cássio Reis, está em fase de pré-produção, e está recebendo inscrições das crianças, que serão avaliadas pelo trio de jurados Afonso Nigro, Kelly Key e João Gordo.
Segundo o jornalista Alberto Pereira Jr, da coluna F5 da Folha, as crianças que estão se inscrevendo para participar do reality, estão proibidas de cantar canções religiosas. O jornalista afirma ainda que o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal e proprietário da Record, possa ser o responsável pela proibição.

A Record afirma que ainda está na fase de inscrição e que não sabe o que as crianças cantarão.

No ano passado, Macedo se envolveu em polêmica ao chamar os cantores gospel de “endemoniados”. Na época ele chamou os cantores gospel de endemoniados que propagam a palavra do Satanás e afirmou: “Eu não vou errar se falar 99% desse pessoal (cantores gospel) que canta por aí, tudo endemoniado, tudo perturbado”.

Fonte: Gospel+

Pastor voyeur instalou câmeras no banheiro feminino de igreja.

Um pastor voyeur de uma igreja evangélica de Lafayette (Indiana, EUA) foi preso sob acusação de ter instalado câmeras escondidas no banheiro feminino do templo. Robert Lyzenga (foto ao lado), de 55 anos, comanda a Sunrise Christian Reform Church há uma década.

A armação foi descoberta quando uma fiel deixou cair um purificador de ar de uma das cabines do banheiro. A câmera estava dentro do dispositivo de higiene. Logo, outra câmera foi descoberta no local, também escondida em purificador de ar, noticiou o site "The Smoking Gun".

O cartão de memória de uma das câmeras continha imagens de duas mulheres adultas e uma adolescente usando a cabine.


Notícias Cristãs com informações do PNF/Globo

Ex-goleiro Bruno teria se convertido evangélico e estaria participando dos cultos na prisão, revela advogado

O goleiro Bruno, preso por envolvimento no sequestro e morte de Eliza Samúdio estaria participando de cultos evangélicos na prisão.

De acordo com o advogado do ex-goleiro do Flamengo, Francisco Simin, Bruno tem trabalhado na faxina do presídio e a participação nos cultos evangélicos “tem mexido com a parte sentimental dele”.

De acordo com o site SRZD, o advogado menciona a atitude de reconhecer a paternidade do filho de Eliza Samúdio como mudança de comportamento e afirma que a decisão de Bruno evidencia a preocupação de assegurar direitos à criança.

Bruno já havia afirmado ser evangélico durante a fase de investigações iniciais do crime que culminou com a morte da ex-amante do goleiro. Na ocasião, Bruno foi questionado por uma policial sobre sua religião: “Sou evangélico”, afirmou. Perguntado sobre um versículo da Bíblia e um cântico de louvor, Bruno não soube responder e ouviu da policial que ele era um “evangélico desviado”.

Logo que o jogador foi preso, o pastor Jorge Linhares, da Igreja Batista Getsemani afirmou que recebeu um pedido de Bruno para visitá-lo na prisão. Linhares afirmou que por muito tempo, enquanto o goleiro frequentava a igreja, tentou convencê-lo de se batizar, porém o jogador se recusava. “Não pense que eu vou abandoná-lo. Assim que eu for autorizado eu vou lá, sabe por quê? Deus odeia o pecado, mas ama o pecador”, afirmou Linhares à época.

Um pastor que visitou Bruno na prisão e realizou uma oração a seu lado foi Marcos Pereira, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias. Nessa ocasião, participaram do culto diversos outros detentos e alguns ministros de louvor da denominação, incluindo Tonzão, ex-funkeiro dos Hawaianos, que dançou o “passinho do abençoado” no presídio.

Fonte: Gospel+

Judeus indianos mudam-se para Israel, retorno seria cumprimento de profecia

O governo de Israel, através do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, concedeu autorização para que judeus que vivem atualmente na índia mudem para Israel. A iniciativa foi tomada por acreditarem ser este grupo uma das “tribos perdidas de Israel” e o cumprimento de uma profecia bíblica.

Michael Freund, presidente da Shavei Israel, fundação que está por coordenando a iniciativa, disse acreditar que em breve, já no mês de agosto, um grupo de 50 famílias, aproximadamente 300 pessoas estarão mudando para o estado judeu. A instiruição pretende trazer por volta de 7 mil indianos que eles acreditam ser descendentes de Manassés, os Bnei Menashe. Com apoio do governo israelense, a Shavei já conseguiu trazer em torno de 1700 imigrantes Bnei Manashe à Israel, porém o processo fora interrompido em 2007 pelo então primeiro-ministro de Israel, só agora eles conseguiram retomar o plano.

Os judeus indianos vivem nos estados indianos de Manipur e Mizoram, eles afirmam ter sido exilados há mais de 2700 anos pelo império assírio, o que condiz com a versão concebida pela tradição judaica, que diz que a tribo de Manasses foi exilada de Israel para o extremo Oriente. O mais impressionante é que mesmo depois de tanto tempo a tribo mantém vivos algumas tradições da lei judaica, como o guardar o sábado, a proibição de determinados alimentos, a circuncisão e as leis da “pureza familiar”.

O retorno da “tribo perdida” é descrito por Michael Freund como o cumprimento de uma profecia Bíblia, descrita em Isaias 43:5-7, que diz: “Não tenha medo, pois eu estou com você, do oriente trarei seus filhos e do ocidente ajuntarei você. Direi ao norte ‘Entregue-os!’ e ao sul ‘não os retenha; trazei meus filhos de longe e minhas filhas das extremidades da terra.”.

“É o fechamento de um círculo na história. É o retorno de uma tribo perdida de Israel depois de 27 séculos de exílio. É um cumprimento da profecia bíblica diante de nossos olhos”, completou Freund.

Fonte: Gospel+

Pastor comenta estatística que mostra ter quase dobrado o número de divórcios na última década

O pastor Josué Gonçalves comentou os dados do último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano de 2010. O levantamento revelou que na última década quase que dobrou o número de pessoas divorciadas no Brasil, a pesquisa ainda apontou que estados como Rio de Janeiro, Mato Grosso e Distrito Federal encabeçam a lista dos estados com maior percentual de divórcios.

Um dos elementos que estaria influenciando esse crescimento seria a mudança na legislação. Rogério Bacellar, presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg-BR), disse que, “Desde 2007 os divórcios podem ser requeridos nos cartórios, nos casos onde há consenso e inexiste filhos menores de idade. Outro exemplo de mudança na legislação é a emenda constitucional nº 66/2010, que tornou possível requerer a dissolução do casamento civil pelo divórcio a qualquer tempo, suprimindo o requisito de prévia separação judicial por mais de um ano ou de comprovada separação de fato por mais de dois anos.”.

Para o Pastor Josué Gonçalves, o motivo para tal crescimento no índice de divórcios possui várias causas, entretanto, devem ser sempre analisados sob a luz da Palavra de Deus. A banalização do casamento como instituição divina; o hedonismo; a falta de modelos dignos para seguir, a apologia do adultério; a falta de orientação pré-conjugal; a falta de espírito de perdão, dentre outros fatores, contribuem para os divórcios, afirma o pastor.

Ele ainda argumentou que “A solução para diminuir essa taxa de divórcio e mudar o quadro que está tanto fora como dentro dos portões da igreja, é continuarmos fazendo todo investimento possível na estruturação e fortalecimento da família (Salmo 127), a orientação dos nossos filhos (Deuteronômio 6) e um trabalho preventivo com os jovens que estão para se casar.”, e concluiu, “O papel da igreja com os seus conselheiros é fundamental para que os casamentos sejam fortalecidos e os doentes sejam curados. Não existe outra saída que exclua a igreja da sua responsabilidade como portadora da mensagem transformadora do Evangelho”.

Fonte: Gospel+

Jovem evangélica sobrevive a acidente de avião nos Estados Unidos

Uma jovem evangélica foi a única sobrevivente de um acidente de avião que aconteceu na última sexta-feira, 11, no Kansas, Estados Unidos. Hanna Luce, de 22 anos, foi internada em estado grave no hospital da Universidade do Kansas e ainda não há notícias sobre seu atual estado de saúde.

Luce viajava para um encontro de jovens cristãos, juntamente com os amigos Luke Sheets, 23, piloto da aeronave, Austin Anderson, 27, Garret Coble, 29 e Stephen Luth, de 22 anos, os quais morreram no acidente.

De acordo com um amigo, que falou ao canal Fox, o encontro aconteceria em Council Blufs, Iowa. O evento estava sendo patrocinado pelo Teen Moania Ministeries, ministério fundado pelo pai de Hanna.
Peter Knudson, porta-voz do órgão de aviação dos Estados Unidos, informou que “O avião perdeu contato com o controle de tráfego aéreo após ter recebido permissão para diminuir a altitude”. Ele ainda informou que o avião explodiu com a queda, isso teria acontecido por volta das 4h30 da manhã a nordeste da cidade de Chanute, Kansas.

Fonte: Gospel+

No Twitter, pastor Marco Feliciano afirma que prática homossexual é “bizarra” e critica PL 122: “cria uma ‘casta’ privilegiada”

O pastor Marco Feliciano publicou em seu Twitter críticas ao PL 122 e ao modo de vida dos homossexuais.

Segundo Feliciano, os ativistas gays desejam convencer a população de que a homofobia é algo que é praticado por toda a sociedade: “Os ativistas gays conseguem enganar, mentindo, como se fosse verdade de que o Brasil é o país mais homofóbico do mundo. Houve 260 assassinatos de gays em 2010 a maioria eram homens. O assassinato de lésbicas é raro Os assassinos 90% eram michês que também são gays. Muitos dos crimes atribuídos à chamada homofobia são praticados por… homossexuais”, afirmou Feliciano, citando informação do colunista da revista Veja, Reinaldo Azevedo.

Marco Feliciano ainda mencionou que o número de homossexuais mortos em todo o Brasil em 2010 foi de 260, enquanto que o número geral de assassinatos foi muito superior: “Em 2010 mais de 50 mil assassinatos ocorreram no Brasil. Portanto devemos lutar contra a violência em um todo e não tornar um grupo especial. O PL 122 cria uma ‘casta’ privilegiada, concede direitos especiais há um grupo que quer impor com mão de ferro seu estilo (perigoso) de vida. Sinto muito, muito mesmo pelos 260 assassinatos de gays nesse país. Mas me angustio também pelos outros 49.740 assassinatos”, opinou Feliciano.


O deputado e pastor também criticou o estilo de vida dos homossexuais, e afirmou que a excentricidade deles camufla um vazio: “O cristianismo confronta e revela que esse estilo de vida com luzes, sexo bizarro, plumas e paetês, esconde um grito de socorro que não sai… E [o cristianismo] abre os braços para ama-los aceita-los como seres que precisam de ajuda. O cristianismo ama o homossexual, mas não ama a pratica homo”.

Feliciano ressaltou que a mensagem cristã incomoda os ativistas gays pois “expõe a verdade, toca em suas vidas promiscuas, grita contra suas sodomias e como espelho mostra suas falácias”.
Para o pastor da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento, “existe uma conspiração global para desestabilizar a família, desmerecer os valores e criar uma nova ordem mundial onde o moral deve ser abolido. Os ativistas gays encabeçam essa trama”.

Fonte: Gospel+

Seminário pró-PL 122: pastor diz que “evangélicos não são inimigos da causa LGBT” e Marta Suplicy diz que são “minoria barulhenta”

O seminário “Diferentes mas iguais” promovido pela senadora Marta Suplicy (PT-SP) e pelo deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) ontem, 15/05, no Senado reuniu militantes homossexuais e políticos para debater o PL 122.

Durante o seminário, o deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF) afirmou que é errado que os evangélicos sejam taxados de “inimigos número um da causa LGBT”, por discordarem de termos do PL 122.
Fonseca, que também é pastor, afirmou que “o evangélico não concorda com a prática homossexual, mas isso não significa homofobia. Ser evangélico é respeitar e promover a tolerância”. O deputado também reclamou que não foi concedido a ele o direito de resposta quando um dos participantes afirmou que os evangélicos são “todos homofóbicos”.

De acordo com informações do jornal “O Estado de S. Paulo”, a senadora Marta Suplicy afirmou que as dificuldades em aprovar o projeto se devem a “uma minoria que é muito barulhenta e se posiciona”, referindo-se aos evangélicos.

Suplicy ainda ressaltou que há no Senado políticos favoráveis ao projeto, mas que não se posicionam por medo da reação dos eleitores: “Essa maioria silenciosa vai se posicionar se a população civil se posicionar a favor do projeto”.
Sobre essa declaração de Marta, o jornalista Reinaldo Azevedo afirmou que a senadora pretende aprovar a lei através de pressão: “A senadora Marta Suplicy (PT-SP) decidiu que é preciso aprovar a tal lei anti-homofobia no berro”.

Marta Suplicy declarou que “esse projeto pode não ser suficiente para acabar com o preconceito imediatamente”, porém em seu entender se faz necessário: “Não podemos viver em um país onde os homossexuais são vítimas de bullying nas escolas ou são espancados em plena Avenida Paulista, o que às vezes resulta em suicídios e assassinatos”.

Entre os participantes, o presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais), Toni Reis, afirmou que aguarda a aprovação do PL 122 e citou os exemplos de Chile e Argentina, que recentemente aprovaram leis semelhantes à discutida no Brasil.

Reinaldo Azevedo afirmou em artigo publicado em seu blog no site da revista Veja que “a dita lei anti-homofobia, mesmo na versão amenizada que está no Senado, é um coquetel de inconstitucionalidades”.

Há por parte dos ativistas gays um pedido para que a senadora Marta Suplicy apresente novamente a versão original do PL 122, para votação nas comissões pelas quais ainda tem que tramitar, antes da votação em Plenário.

Fonte: Gospel+