sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Christina Dias - Livre Adorador (Exclusiva 2012)

Globo insere evangélicas na nova edição do Big Brother. Conheça Jakeline Leal e Kelly Medeiros

A nova edição do reality show da TV Globo contará com duas integrantes evangélicas: Jakeline Leal e Kelly Medeiros. A segunda inclusive, já foi dançarina da banda “Aviões do Forró”.

A mineira Kelly Medeiros, que atualmente trabalha como secretária executiva de uma empresa multinacional, já participou do Concurso Fitness Brasil e dançou com a banda “Aviões do Forró”. A passagem de Kelly pela banda foi interrompida devido a um problema de saúde do pai. “Ela é bem ligada a Deus. É evangélica e frequenta os cultos na Igreja. Ela dançou no Aviões do Forró, mas, teve que sair do grupo para cuidar do pai que ficou doente. O pai faleceu, e ela não conseguiu voltar para a banda e resolveu ir para São Paulo tentar a vida”, contou a amiga Millian ao site Ego.

Millian conta que essa não foi a primeira vez que Kelly tentou entrar no Big Brother Brasil: “Ela já havia tentado três vezes e tinha desistido, aí o irmão mais novo dela, que mora em Minas Gerais, pediu para ela se inscrever novamente. Ela atendeu o pedido e acabou chamada para o programa”. Kelly entrará para o confinamento do programa com um namorado do lado de fora da casa, segundo a amiga: “O namorado dela é paulista e o nome dele é Fernando Davi. Kelly é viciada em academia e é muito engraçada, espontânea e tenho certeza que vai fazer todo mundo dar risada”, afirmou.

A outra participante evangélica é a baiana Jakeline Leal, de Feira de Santana. Estudante de Zootecnia, tem 22 anos e estuda no Instituto Federal Baiano e se formará em 2016. “Ela é muito divertida, dinâmica, anima a galera e vai fazer muito sucesso. Ela é comportada, sim, por causa de sua religião, mas isso não tem nada a ver com o seu humor. Ela vai demonstrar isso logo no primeiro dia. Ela é muito louca”, contou a amiga Daniele Moraes, que afirmou que apesar de evangélica, Jakeline não tem nada de quietinha.

Apesar da intimidade, Daniele afirma que a amiga Jakelina nunca havia comentado sobre seu desejo de fazer parte do reality show, e que ficou surpresa com a notícia: “Quando me ligaram para falar, não acreditei. Mas ela vai fazer muito sucesso lá dentro”, acredita a amiga.
No Facebook, a última postagem da participante é da terça-feira, 03/01, quando escreveu:”Estou feliz para burro”. Ela também agradeceu a Deus pela oportunidade na página da rede social.

Fonte: Gospel+

Portas Abertas lista países com maior perseguição religiosa no mundo

A entidade cristã Portas Abertas, que auxilia o trabalho de igrejas perseguidas, divulgou o último relatório sobre países onde a perseguição a cristãos é mais presente.

A Coréia do Norte continua liderando a lista. O país comunista figura o topo da lista pelo 11º ano seguido. A Coréia tem uma quase religião que está baseada em seu antigo líder, Kim Il-Sung. Qualquer pessoa que adore a qualquer “outro deus” é automaticamente perseguido. O número estimado de cristão no país é de 200.000 a 400.00. Estima-se também que 50.000 a 70.000 cristãos estão presos em campos de prisioneiros no país.

A lista segue com Afeganistão (2º), Arábia Saudita (3º), Somália (4º), Irã (5º) e as Maldivas (6º) países onde os cristãos não tem quase nenhuma liberdade de culto. E fechando os 10 primeiros da lista estão Uzbequistão (7º), Iêmen (8º), Iraque (9º) e Paquistão (10º) que entrou no top 10 pelo fato de que o ministro cristão Shahbaz Bhatti foi assassinato porque tentou alterar a Lei da Blasfêmia no país.
O presidente da Portas Abertas nos EUA, Carl Modele, falou da situação dos cristão na Coréia: “Com a morte de Kim Jong-Il no mês passado e com seu filho, Kim Jong-Um, assumindo o poder, é muito difícil determinar como será a vida dos cristãos nessa nova fase”. Modele completou dizendo que “certamente, a situação permanece perigosa para os cristãos, por isso devemos orar pela Coreia do Norte, para que todos os cristãos posam ter a liberdade de adorar ao Único Deus, e não a Kim Jong-Il e Kim Il-Sung”.

Entre outras grandes mudanças que aconteceram na lista o Sudão, país que mais subiu posições na atual Classificação, subiu 19 posições assumindo o 16º lugar da lista; a Nigéria pulou 10 posições e agora está em 13º. O Egito, afetado pelas manifestações e revoluções que se iniciaram na Primavera Árabe, subiu quatro posições e agora figura o 15º lugar da lista.

O site da Portas Abertas informa também que mais de 300 cristãos foram mortos no último ano na Nigéria e que a China, apesar de ter caído da 16ª para a 21ª posição, é a maior Igreja no mundo que sofre com a perseguição, pois se estima que existam 80 milhões de cristãos no país.

Fonte: Gospel+

Livro afirma que satanás trabalha para Deus perseguindo os pecadores

O pesquisador americano Henry Ansgar Kelly escreveu um livro intitulado “Satã: Uma Biografia” no qual garante que a história do demônio registrada nos textos bíblicos foi deturpada ao longo dos tempos. Segundo o pesquisador o Diabo não seria assim tão ruim quanto é descrito e a “difamação” começou nos primeiros séculos do cristianismo, por obra de patriarcas da Igreja.

Para Kelly que é professor emérito da Universidade da Califórnia, a Bíblia revela que o demônio era uma espécie de “empregado de Deus”, uma entidade moralmente correta, encarregada de perseguir e acusar os pecadores. Segundo a teoria do pesquisador no século 2 os pais da Igreja, ao interpretar o episódio bíblico de Adão e Eva no jardim do Éden, associaram-no à imagem da traiçoeira serpente transformando-o em inimigo de Deus.

O jornalista Álvaro Oppermann escreveu um artigo sobre o livro para a revista Superinteressante, no qual fala que uma proposta de visão menos maniqueísta do Diabo, como a descrita por Henry Kelly e outros autores modernos, parece estar em sintonia com o conceito de “mal” observado em algumas religiões como o budismo e o hinduísmo.

Oppermann falou também da visão do diabo defendida pela crença islâmica, segundo a qual todos os recém-nascidos são tocados pelo diabo na hora do nascimento para que, mais adiante na vida, possam fazer a escolha que bem entenderem entre o certo e o errado. Segundo o jornalista na visão do diabo na crença islâmica ele não é nem de longe tão maléfico e assustador quanto seu equivalente cristão.

Fonte: Gospel + | Divulgação: Midia Gospel

Jesus Cristo Mendigo será homenagem a Joãosinho Trinta neste Carnaval

Com o enredo “São Luís - O Poema Encantado do Maranhão”, a campeã Beija-Flor de Nilópolis prepara para 2012 um desfecho para emocionar a todos na Sapucaí. A escola vai homenagear os ilustres maranhenses no desfile que vai contar as lendas e histórias da cidade brasileira que completa 400 anos de fundação. E entre estes maranhenses está Joãosinho Trinta, falecido no dia 17 de dezembro, que fez história no carnaval carioca e imprimiu sua marca também na Beija-Flor.

A agremiação pretende levar em sua última alegoria uma das mais marcantes – e polêmicas - criações do carnavalesco, o “Cristo Mendigo”. O carro abriu o desfile “Ratos e urubus - Larguem a minha fantasia”, no carnaval de 1989, quando a Beija-Flor foi vice-campeã. O título não veio, mas o desfile continua lembrado como um dos mais marcantes da história.

A convite da direção da escola, o dramaturgo Amir Haddad participará da homenagem ao carnavalesco maranhense. Haddad foi responsável pela comissão de frente e pela preparação dos componentes que desfilaram vestidos de mendigos em 1989. O mesmo grupo que desfilou há 23 anos vai voltar ao Sambódromo em fevereiro de 2012.

O samba deste ano da beija-Flor faz menção a Joãosinho. Diz a letra: “No rádio o reggae do bom / Marrom é o tom da canção / Na terra da encantaria a arte do gênio João”.

Fonte: Jornal Rio Branco | Divulgação: Midia Gospel

Ex-atirador americano que matou mais de 250 pessoas diz que seu trabalho era divertido

Chris Kyle é um atirador de elite reformado da marinha americana que ficou conhecido por ser o atirador mais letal da história da corporação. Ele agora conta sua história em um livro no qual ele relata com detalhes o seu trabalho em quatro viagens de combate ao Iraque.

Conhecido entre os colegas como “A lenda”, “o exterminador” e “o diabo de Ramadi, Kyle tem 150 mortes contabilizadas em seu nome pelo pentágono, mas afirma que sua contagem é bem maior. Ele conta que só na segunda batalha de Fallujah, no fim de 2004, diz, tirou a vida de 40 inimigos.

No livro o ex-atirador conta de maneira direta suas experiências na gera e diz: “Adorei o que fiz. Ainda adoro. Se as circunstâncias fossem diferentes, se minha família não precisasse de mim, eu voltaria em um piscar de olhos” diz, e completa: “Não estou mentindo nem exagerando quando digo que foi divertido”.

De acordo com a BBC o militar relata no livro “American Sniper” (“Atirador de elite americano”, em uma tradução livre e literal) que não se sente arrependido pelo trabalho que fez. Ele se diz também tranquilo em relação a Deus: “Posso me colocar diante de Deus com uma consciência limpa em relação ao meu trabalho”.

Ao contar sobre a primeira vez que matou uma mulher ele diz: “Era meu dever. Não me arrependo. Meus tiros salvaram vários americanos cujas vidas claramente valiam mais que o daquela mulher de alma distorcida” segundo o livro a mulher de quem ele fala levava uma granada para perto dos outros militares para quem Kyle dava cobertura.

Ele fala de Deus também ao contar orgulhosamente sobre um homem que matou a uma distância de 2.100 metros no subúrbio xiita de Sadr City, nos arredores de Bagdá, em 2008. “Deus soprou aquela bala que o atingiu”, escreve.

Carregando o apelido que recebeu dos insurgentes iraquianos, “Shaitan”; (“diabo”), o militar afirma que sua fama não é importante e fala que queria ter matado mais: “O número não é importante para mim. Apenas queria ter matado mais gente. Não para poder me gabar, mas porque acho que o mundo é um lugar melhor sem selvagens à solta tirando vidas americanas”.

Kyle é hoje um militar reformado da marinha norte-americano e trabalha como diretor em uma empresa que presta serviços para as Forças Armadas dando treinamento para atiradores de elite.

Fonte: Gospel + | Divulgação: Midia Gospel

Michele Nascimento - Louve e Adore (Exclusiva) 2012

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Fiéis ficam surpresos com prisão de pastor acusado de estelionato

Os fiéis da Igreja Batista Central de Brasília, na 603 Sul, ficaram  surpresos na manhã de ontem com a notícia da prisão de Rubens Ferreira de Moraes, 51 anos, um dos pastores mais influentes da congregação. O líder religioso acabou detido por agentes da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), na noite da véspera do ano-novo, em casa, na Asa Norte, acusado de integrar uma quadrilha de estelionatários (leia O que diz a lei). Os golpes praticados por ele não foram divulgados pela polícia, mas trata-se do cumprimento de um mandado de prisão expedido por conta de um processo aberto em 2001, após investigação da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).

O pastor também tem passagens pela polícia por 16 crimes, entre eles estelionato, receptação de produtos roubados e falsificação de documentos. Informações preliminares apontam que existem cinco mandados de prisão em aberto contra ele e outros seis estariam prescritos.

No primeiro culto de 2012, realizado na manhã de ontem, os frequentadores não acreditavam na detenção. “Ele parecia bem sério. Inclusive, quando o meu pai ficou doente, deu um grande suporte espiritual. É difícil crer que ele tenha feito mal a alguém”, disse a aposentada Iara Queiroz, 60 anos. A mesma impressão tinha a jornalista Lúcia Matos, 56 anos, que o considerava radical em suas pregações. “Ele chegava a chorar quando via algo errado. Falava que as pessoas fora da igreja eram bandidas, entre outras coisas que defendia com firmeza. Agora, ele tem a obrigação de provar que o que pesa contra ele são acusações falsas, porque, se for verdade, ele só pode sofrer de algum transtorno de personalidade”, comentou.

Ao tomar conhecimento do episódio, o Conselho Eclesiástico da Igreja Batista afastou o pastor de suas funções sacerdotais. Por meio de nota, a direção do templo informou que a decisão foi tomada com base nas “investigações da Polícia Civil e do Ministério Público do DF e Territórios”. O presidente da igreja, Ricardo Espíndola, informou que Rubens foi ordenado pastor no início de 2011 e não apresentava nenhum desvio de comportamento.

Os candidatos a pastor, destacou Ricardo, devem cumprir uma série de pré-requisitos, inclusive apresentar documentos que comprovem um passado limpo. Ele suspeita que Rubens tenha adulterado as declarações. “Nós pedimos os antecedentes criminais dele. Não podemos julgar antes, mas, pelo grau de exigência da igreja, é possível acreditar que ele tenha falsificado os papéis”, disse o presidente, ao acrescentar estar “extremamente decepcionado” com a conduta do membro da igreja. “Ele era muito bem-visto pela comunidade, tinha sempre uma palavra confortante, além de ser muito inteligente. Estou extremamente decepcionado por se tratar de uma pessoa em quem acreditávamos”, lamentou.

Rubens é paranaense e passou a frequentar a Igreja Batista em 2000. Considerado prestativo e sempre envolvido com os trabalhos da igreja, conquistou a confiança de pastores mais antigos. Passou a ministrar aulas na escola dominical, em que crianças e adolescentes aprendem as diretrizes da religião evangélica. Destacou-se como um dos melhores alunos do curso de teologia da Faculdade Batista Central e estava no último semestre da faculdade de direito. Ele também ajudou na fundação das igrejas Batistas do Guará 2 e de Ceilândia Norte.

O Correio procurou a 1ª DP, mas os policiais de plantão não passaram detalhes da ocorrência. A reportagem entrou em contato com a Divisão de Comunicação da Polícia Civil do DF, que também não conseguiu reunir dados sobre o caso.

Abusos

Na última sexta-feira, a Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA) prendeu Evangelista Moisés de Figueiredo, 49 anos, padre da Igreja São Francisco de Assis, situada na região de Tororó, no Jardim Botânico. Pesa contra ele a acusação de abuso contra seis crianças, entre 5 e 14 anos, por pelo menos um ano. A investigação durou três semanas. As vítimas, de origem pobre, são filhas de fiéis da igreja.

Colaborou Guilherme Goulart


O que diz a lei
» O crime de estelionato é previsto no artigo 171 do Código Penal Brasileiro como aquele em que o autor “obtém, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento”. Pode render até cinco anos de cadeia, além de multa.

CORREIO WEB

Eyshila - Sonhos Não Têm Fim - Clipe oficial HD MK Music