terça-feira, 31 de julho de 2012

Oração diária é um hábito que pode prevenir ao mal de Alzheimer, afirmam pesquisadores

Um estudo feito pelo U.S. National Institutes of Health (em tradução livre, Instituto Nacional Americano de Saúde) em uma parceria com cientistas israelenses chegou à conclusão que a prática diária da oração pode prevenir o mal de Alzheimer.

A pesquisa, segundo informações do Ha’aretz, tinha como objetivo identificar fatores que aumentam o risco de desenvolver a doença, e de acordo com o blog brasileiro “O Contorno da Sombra”, na metodologia da pesquisa os cientistas avaliaram diversos aspectos da vida dos voluntários.

Um dos itens avaliados com mais atenção era como os voluntários aproveitavam o tempo livre entre os 20 e 30 anos de idade. A partir do cruzamento de dados, chegou-se à conclusão de que mulheres que oravam regularmente apresentavam fatores que as colocavam com 50% menos chance de desenvolver a doença.

Porém, a ligação entre a prática diária da oração e o menor risco de desenvolvimento do mal de Alzheimer ainda não pode ser estabelecida de forma exata em relação aos homens, pois 90% dos homens analisados oravam diariamente. No caso das mulheres, a porcentagem entre as que oravam, 60%, e as que não praticavam a oração, 40%, era mais equilibrada, o que permitiu uma comparação.

Uma das envolvidas com a pesquisa, professora Inzelberg, declarou que o exercício feito pelo cérebro durante a oração, que envolve a memória, ajuda na prevenção: “A oração é uma prática na qual se investe o pensamento, e a atividade intelectual envolvida na oração, além do seu próprio conteúdo, pode constituir um fator preventivo contra o Alzheimer”, observou.

Redação Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.