sexta-feira, 22 de junho de 2012

Acordo entre países do Brics lembra Nova Ordem Mundial


Um acordo firmado entre os cinco principais países emergentes para criar um fundo anticrise tem chamado atenção por causa de profecia apocalíptica. Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que fazem parte do Brics, se comprometeram em aportar 75 bilhões de dólares ao Fundo Monetário Internacional (FMI) durante reunião do G20 no México esta semana.


O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o objetivo é criar “uma solidariedade financeira” entre os emergentes e aumentar a confiança não só nos cinco mercados, mas internacionalmente.


“Está claro que os países do Brics entraram num estágio em que podem exigir ser reconhecidos (no processo de reforma do FMI)”, disse o vice-ministro das Finanças russo, Sergei Storchak, a repórteres.


Os cinco países do Brics representam 43% da população mundial e cerca de 18% da produção econômica global. Juntos, eles têm cerca de 4 trilhões de dólares em reservas, com a maior parte nas mãos da potência exportadora China.


O acontecimento lembra a profecia sobre o surgimento do anticristo, já que na profecia ele terá uma “influência mundial” (Apocalipse 13.8). Além disso de acordo com interpretação ele surgirá de uma das 10 nações mais poderosas ou influentes. Além disso este líder político será capaz de organizar a Nova Ordem Mundial e firmar um acordo político e financeiro.


A Rússia e seus parceiros ex-soviéticos Cazaquistão e Belarus já compartilham um fundo anticrise, que emprestou dinheiro a Belarus para enfrentar a crise.
As nações emergentes querem ampliar sua força dentro do FMI através do seu poder de voto, as chamadas cotas. A Rússia quer que as cotas sejam recalculadas com base no PIB e nas reservas externas de cada país.


Fonte: O verbo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.