domingo, 15 de janeiro de 2012

Corpo de mulher que teve rosto desfigurado é enterrado

Vítima de 54 anos foi encontrada sem os olhos em estrada da cidade


O corpo da mulher de 54 anos encontrada desfigurada na estrada Santa Inês foi enterrado neste domingo (15), no Cemitério Parque da Cantareira, zona norte de São Paulo. De acordo com a polícia, o corpo da vítima foi encontrado com o rosto desfigurado e sem os olhos.



O corpo foi encontrado na madrugada deste sábado (14). A delegada titular do Distrito Policial de Mairiporã, Claudia Patrícia Dálvia, diz acreditar que a mulher foi vítima de algum ritual macabro.


- Pelas características do corpo, a polícia acredita que se trata de um crime de magia. Foi muita crueldade. Aquele lugar [estrada Santa Inês] é usado para trabalhos religiosos.

Mesmo estando com o rosto desfigurado, a vítima teve o corpo reconhecido pelo marido, que é executivo do Grupo Estado, e pelo único filho. Os dois prestaram depoimento à polícia na tarde deste sábado.


Segundo eles, Geralda era uma mulher muito religiosa – usava um escapulário no pescoço quando foi morta - e sem inimigos.

Durante depoimento, os familiares afirmaram que ela sofria de depressão e tinha parado de tomar os medicamentos. Além disso, a vítima, que era dona de casa, ultimamente passava boa parte de seu tempo navegando na internet.

- A Polícia Civil já pediu o computador da vítima para encaminhar para a perícia, que vai checar quais sites ela estava consultando.

Imagens de segurança

As imagens do circuito de segurança do condomínio onde ela morava, em Lauzane Paulista, na zona norte de São Paulo, também foram solicitadas. A titular da delegacia de Mairiporã diz que a mulher pode ter saído de casa por volta das 23h30 de sexta-feira (13).

- O marido não viu o momento exato em que a esposa saiu porque ele toma um medicamento pra dormir e já estava dormindo. O filho também não viu nada.

No domingo (15), a polícia pretende ir até o prédio da vítima para, além de examinar as imagens, colher depoimentos do porteiro.




A polícia diz que, no carro da vítima, foram encontradas substâncias e uma garrafa.

Os investigadores trabalham com a hipótese de que ela pode ter sido dopada antes de ser morta.

A delegada Claudia Patrícia Dálvia diz que vai esperar o posicionamento dos familiares, com a indicação de pessoas que conheciam a vítima, para convocar novos depoimentos.

Morte

-O corpo da vítima está no IML (Instituto Médico Legal) de Franco da Rocha onde será realizada a autópsia, procedimento médico que deve determinar a causa da morte.

Na madrugada deste sábado, policiais militares da 2ª Cia do 26° Batalhão foram acionados para atender uma ocorrência de encontro de cadáver. No local, além do corpo, o carro da vítima - um Chevrolet Tracker de cor cinza - foi encontrado, sem nenhum sinal aparente de roubo.


De acordo com as primeiras informações da Polícia Civil, a última vez que a mulher foi vista foi em sua residência, no Lauzane Paulista, zona norte da capital, por volta das 23h de sexta-feira (13). O marido da vítima ainda não prestou o depoimento à polícia. O caso foi registrado na Delegacia de Mairiporã, na rua Odorico Pereira da Silva, centro da cidade.

R7.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.