terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Seguidores da “Ordem de Jedi” se espalham pela Europa

A República Tcheca divulgou os números do Censo mais recente do país. Oficialmente, o catolicismo é a religião mais popular da República Tcheca. Contudo, alguns dados chamaram atenção.

A opção “moravianos”, antiga tradição do grupo batista/menonita, embora julgada extinta por muitos, dobrou seu número de aderentes. Em 2001, eram 380.474, ou 3.8% dos moradores. Já em 2011, o total quase dobrou, chegando a 522.474 pessoas, ou 6.7% da população.

O mais surpreendente, porém, indicando ter mais de 15 mil pessoas pertencentes á “Ordem de Jedi”, sistema de fé não organizado que acredita na “força” que comanda o universo ficou famoso pela saga cinematográfica “Star Wars”.

Segundo o site CzechPosition, a maioria dos seus seguidores está na capital Praga, o site oficial do censo afirma que “um número considerável de pessoas adere aos valores ensinados pelos Cavaleiros Jedi”.

O porta-voz da empresa que fez a pesquisa explicou que a opção foi incluída nas entrevistas mesmo que sua seriedade seja discutida “Não cabe aos estatísticos dizer o que é e o que não é religião”, afirma.
Não é a primeira vez que essa religião fictícia aparece em censos oficiais. Em 2001, milhares de moradores do Canadá afirmaram seguir a “Ordem de Jedi” como religião. No mesmo ano, 53 mil moradores da Nova Zelândia disseram o mesmo.

Em alguns países, marcar a opção Jedi era uma forma de protesto dos ateus. A British Humanist Association [Associação Humanista da Grã-Bretanha] lançou no final de 2010 uma campanha para tentar dissuadir pessoas a se declararem jedis, no site YourenotaJedi.com.

Eles insistiam para que os ateus não se declarassem jedis, mas assumissem seu ateísmo. Os números mostram que muitos ainda optam por insistir na brincadeira, uma vez que os jedis não são uma forma de religião organizada, pelo menos por enquanto.

Traduzido e adaptado por Gospel Prime de CeskaPozice

Pastora se recusa a entregar dízimos a assaltante e acaba morta dentro da igreja

Uma pastora foi assassinada a tiros durante um culto por ladrão que pretendia roubar os dízimos e as ofertas. Elsa Rosa Guzman Gomez, de 50 anos foi assassinada perante os fieis da Igreja Evangélica El Shaddai Condevilla, na cidade de San Martin de Porres.

Os tiros atingiram a pastora no ombro e no abdômen, e mesmo socorrida ao hospital local, ela não resistiu aos ferimentos. Testemunhas afirmaram que o assassino chegou ao templo de moto, foi até o altar e disparou os dois tiros.

Há dúvidas se o crime foi vingança, pois um dos filhos da pastora Elsa está preso, ou se realmente trata-se de um assalto. O portal Peru Ojo afirmou que o crime aconteceu devido à relutância da pastora em entregar as ofertas ao criminoso.

Outro órgão de imprensa, a agência Orbita, relatou que segundo informações conseguidas pelos policiais, o atirador possuía uma cicatriz no lado direito do rosto, e fugiu sem levar o dinheiro.

Fonte: Gospel+

Abaixo-assinado promovido por Renê Terra Nova contra Jô Soares repercute na mídia

O site do jornal Folha de S. Paulo repercutiu na última quinta-feira, 15/12 o abaixo-assinado promovido pelo Apóstolo Renê Terra Nova, cobrando do apresentador e escritor Jô Soares uma retratação pelo episódio da entrevista com os cantores Tom Zé e Moraes Moreira, em que foram feitas piadas sobre a Bíblia.

A entrevista foi ao ar no último dia 17/11 no “Programa do Jô”, e durante a conversa foi exibido um trecho do documentário “Filhos de João – O Admirável Mundo Novo Baiano”. Nesse vídeo, um dos entrevistados relata episódios em que os músicos faziam cigarros de maconha com as páginas da Bíblia.

Comentando o depoimento, o apresentador Jô Soares afirmou que “sabia que a Bíblia possuía mil e uma utilidades”. O abaixo-assinado promovido por Terra Nova já recolheu as assinaturas de mais de treze mil pessoas, que cobram de Jô Soares e dos músicos uma retratação formal.

Em comunicado enviado pela Central Globo de Comunicação ao jornal Folha de S. Paulo, a direção da emissora afirma que “evidentemente, não foi um comentário ofensivo, mas é assustadora toda iniciativa contra a liberdade de expressão”.

Segundo o jornal, o Apóstolo Terra Nova não atendeu as ligações para se pronunciar a respeito da posição da emissora. O músico Tom Zé afirmou em seu blog que é “inveterado leitor [da Bíblia]” e que “converso sobre ela com amigos, ouço o que os doutores têm a dizer. E divulgo”.

Fonte: Gospel+

Silas Malafaia afirma que Lei da Palmada é “palhaçada de deputado que não tem o que fazer” e promete campanha contra

Citando princípios bíblicos, o pastor Silas Malafaia criticou veementemente a aprovação da Lei da Palmada na Câmara dos Deputados, e afirmou que quando a lei for votada no Senado, fará uma campanha para que ela não seja aprovada.

Para Malafaia, “essa lei da palmada ė mais uma palhaçada de deputado que não tem o que fazer e não entende nada de educação de filho”. A polêmica declaração foi feita através do Twitter, onde Malafaia acrescentou: “Quantos de nós já levamos uma boa chinelada, e nem por isso morremos, pelo contrário aprendemos a respeitar limites. O que estamos vendo ė uma geração indisciplinada que não respeita ninguém, e ainda querem piorar as coisas. Isto está me cheirando a ideologia de governo. Querem se intrometer e determinar sobre a educação de nossos filhos. Não aceitamos!”

A Lei da Palmada é polêmica por permitir interferência do Estado no pátrio poder, ou poder paternal. Ela foi aprovada na última semana após acordo da relatora do projeto com a bancada evangélica, que cobrava alterações no texto da lei. As alterações pretendidas inicialmente pela bancada evangélica não foram conseguidas, mas ainda assim houveram alterações, que forçaram a troca de termos. A principal alteração foi a troca do termo “castigo corporal” por “castigo físico”.

Silas Malafaia prometeu fazer barulho contra a Lei da Palmada, usando também seu programa de televisão: “No meu programa de tv Sábado 24 de Dezembro vou ‘descer o bambu’ nesta lei da palmada. Quando o assunto entrar em pauta no Senado, faremos uma campanha para impedir a aprovação dessa lei”.

Fonte: Gospel+

Pastor sargento é condenado a prisão por intolerância religiosa pela Justiça Militar




O terceiro-sargento José Ricardo Mitidieri, que também é pastor evangélico, foi condenado a dois meses de prisão pelo Superior Tribunal Militar por intolerância religiosa.

Mitidieri foi denunciado pelo Ministério Público Militar por ter apontado uma arma para a cabeça de um soldado adepto do candomblé. Dhiego Cardoso Fernandes dos Santos teria afirmado possuir o “corpo fechado”, ou seja, livre de qualquer ameaça.

Ao saber da declaração do soldado, o terceiro-sargento apontou uma pistola 9 milímetros e perguntou ao subordinado por duas vezes se ele realmente tinha o “corpo fechado”. Com as respostas afirmativas do soldado, Mitidieri o obrigou a contar até três, porém, antes que ele terminasse a contagem, ele abaixou a arma e afirmou: “Não é para você brincar com coisa séria. Você tem que aceitar Jesus!”.

Em depoimento, Mitidieri admitiu ter apontado a arma para o soldado, mas afirmou que não tinha a intenção de humilhá-lo e que se desculpou pelo ocorrido. Segundo o jornal Extra, ele argumentou que queria “defendê-lo de brincadeiras posteriores”, e que a arma não estava carregada com munição letal.
Porém, o Ministério Público Militar entende que o soldado foi obrigado a se submeter a “um verdadeiro teste de fé religiosa”. Para o MPM, o soldado “apostou sua vida ao responder afirmativamente à pergunta que lhe foi feita pelo réu, sendo certo que não há previsão legal no sentido de que alguém seja obrigado a testar ou provar sua fé religiosa, independentemente da crença que possui ou da doutrina que segue. Ao contrário, a Carta Magna assegura a inviolabilidade da liberdade de consciência e crença”.
Fonte: Gospel+

Pastor da Assembleia de Deus é assassinado a facadas enquanto dormia

O pastor da Assembleia de Deus, João Miguel do Nascimento, de 46 anos, foi assassinado a facadas enquanto dormia em sua residência, na cidade de Malta, Paraíba

O crime foi cometido no último Sábado, dia 17/12 e segundo informações do portal Patos Online, João Miguel estava dormindo ao lado de sua esposa.

Em depoimento, a esposa do pastor afirmou ter visto um homem encapuzado sair correndo de dentro do quarto, logo após ter matado seu marido.

A polícia informou que algumas testemunhas viram uma motocicleta em alta velocidade saindo da rua onde fica a residência do pastor. Porém a polícia não divulgou maiores informações sobre o caso.

Fonte: Gospel+

Após ser interrogado por 50 líderes islâmicos, missionário é liberado para fazer seu trabalho

Um missionário ligado à Junta de Missões Mundiais, JMM, mantida pela Convenção Batista Brasileira, foi interrogado por mais de 50 líderes e autoridades islâmicas em uma mesquita.

Segundo informações do site da JMM, o missionário foi convocado a prestar depoimento no último dia 14/12, e esclarecer sua atuação no país em que está servindo, pois a pregação do evangelho no país é proibida. A JMM não divulgou o nome do missionário nem a localização dele.

Relatos do próprio missionário para a JMM dão conta de que os muçulmanos estavam irritados com a situação, porém no interrogatório a que foi submetido, ele pode esclarecer todas as dúvidas a respeito de seu trabalho, e enfim provou que sua atuação ajuda a população local.

A JMM afirma que todo o grupo de missionários da região está sob intensa vigilância dos muçulmanos, e que a região possui grande número de fundamentalistas islâmicos. Ao final do longo interrogatório, os líderes liberaram o missionário: “Que Deus faça o bem para você!”, teria dito um dos líderes.

Fonte: Gospel+

Festival Promessas colocou Globo na liderança do horário; Pastor Silas Malafaia comentou no Twitter

O Festival Promessas, transmitido ontem pela TV Globo, alcançou média de 13 pontos no Ibope em São Paulo, segundo informações do colunista Lauro Jardim, da Revista Veja. No Rio de Janeiro, local onde o evento foi gravado, a audiência chegou a 19 pontos.

A audiência do programa em São Paulo, maior mercado publicitário do país, foi quase o dobro da TV Record, emissora tradicionalmente ligada aos evangélicos por sua proximidade com a Igreja Universal do Reino de Deus e que alcançou 7 pontos no Ibope durante o programa.


No Twitter, o Pastor Silas Malafaia “narrou” a transmissão do evento, incentivando que seus seguidores assistissem ao programa, e rebateu críticas de que a emissora estaria veiculando o programa apenas por interesse comercial. “Enquanto uns criticam olha o que a Folha de São Paulo diz: ‘hoje ė um novo dia, de um novo tempo que começou para a globo e os evangélicos’”, postou Malafaia.

Relembrando as polêmicas que envolveram a TV Record por causa da reportagem sobre o “cair no espírito” e as declarações do Bispo Edir Macedo que afirmou que os cantores gospel são todos “endemoniados”, o Pastor Silas Malafaia exaltou a iniciativa da TV Globo: “Enquanto a Rede Record fala mal dos cantores e da igreja, a Globo abre espaço para o louvor e adoração a Deus. A Record não acreditou nos evangélicos, a Globo acreditou e arrebentou na audiência!”.

Fonte: Gospel+