quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Caetano Veloso, ateu, revela frequentar a Igreja Universal com seus filhos


Os dois filhos que Caetano Veloso teve com a produtora Paula Lavigne são fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus. Zeca, 18, e Tom, 13, foram convertidos pela babá.
Caetano, que cresceu em família católica e se aproximou do candomblé no começo de sua carreira artística e hoje afirma ser ateu, está satisfeito com a religiosidade dos filhos.
“Zeca encontrou conforto na religião. Qualquer coisa que faça bem aos meus filhos faz bem para bem”, disse.
“Minha geração [a da tropicália] teve de romper com a religiosidade imposta, e a deles [dos filhos] teve de recuperar a religiosidade perdida.”
Caetano tem ido à Igreja Universal para assistir aos filhos tocando música nos cultos.
Zeca é DJ e ganha cerca de R$ 5 mil por apresentação. Toca dance, house, electronic e funk. Para ele, não há nenhuma incompatibilidade entre esses tipos de música e a sua religião. Mas quando se converteu, em Natal de 2009, houve quem pensasse que fosse aderir à música gospel.
Caetano relativizou o poder crescente no país do bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal e dono de uma rede de TV. “A Record [do bispo] não tem mais rabo preso com o bispo do que a Globo tem com o cardeal.”
Moreno, 38, primeiro filho de Caetano, também é religioso. “[Ele] seria devoto do papa João 23, se santo fosse.”
Fonte: Paulopes/gospelmais.

Comercial cristão que incentiva leitura da Bíblia é proibido de ser exibido. Assista

Propagandas com conteúdo religioso parecem estar em alta no mercado americano. Porém, o comercial que usava uma imagem de Jesus com conotação política, o que simulava a Eucaristia e agora o de uma campanha pela leitura da Bíblia não serão vistos pelos americanos que ligarem a TV no final de semana para acompanhar o Super Bowl, a final do campeonato de futebol americano. 316logo long Comercial que incentiva leitura da Bíblia é proibido em TVs americanas
O canal Fox Sports se negou a exibir um comercial que desafia os fãs de esporte: “leia João 3:16″ [no original, Lookup 316]. Trata-se de uma referência bíblica que tem sido parte da cultura esportiva nos Estados Unidos há décadas.
Não é difícil ver cartazes e faixas com esses dizeres em estádios de futebol, quadras de basquete ou campos de baseball. Alguns jogadores inclusive já o tatuaram no corpo. O capitão do Denver Broncos, Tim Tebow, ficou famoso por escrever a passagem na pintura negra abaixo do olho, comum entre os jogadores de futebol americano.
Órgão que regulamenta o futebol, a NFL proibiu manifestações de cunho religioso por parte dos jogadores, decisão que a FIFA também tomou há alguns anos. Porém, a iniciativa de associar o esporte com a Bíblia deve-se a uma convicção dos idealizadores que o telespectador americano médio não sabe o que a referência significa.
Ao produzir este comercial, a Fundação Cristã Fixed Point espera incentivar os fãs de futebol a descobrir o que significa João 3:16 e pensar sobre o seu significado. O comercial termina divulgando um site (lookup316.com), no qual o verso aparece junto com uma explicação simples.
O site não tenta vender nada, nem pede doações, ou sequer tem uma conotação política. A ideia é simplesmente incentivar as pessoas a encontrar uma fonte de esperança e compreender o propósito da vida.
O Fox Sports rejeitou o comercial alegando que divulgava uma “doutrina religiosa”. No entanto, ao mesmo tempo veiculará anúncios publicitários com trailers de filmes violentos ou com conteúdo sexual. Ao censurar as mensagens religiosas, não permitem que os telespectadores decidam sozinhos se a mensagem é válida ou não.
Apesar da rejeição de veicular em rede nacional, a fundação Fixed Point decidiu transmitir em algumas regiões, começando com o estado do Alabama.

Vídeo: Comercial cristão sobre leitura bíblica é censurado




Fonte: Pavablog/GOSPEL MAIS

Deputado Jair Bolsonaro se destaca na luta contra o Kit Gay para crianças


O Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou ontem, que uma das prioridades do início de seu mandato será combater a distribuição do kit contra a homofobia para alunos de escolas públicas.
Durante a defesa de sua candidatura, o candidato à presidência da Câmara, criticou em plenário a distribuição dos kits polêmicos que contêm vídeos com informações sobre o universo de jovens gays.
“Jovens parlamentares, este ano está sendo distribuído um ‘kit gay’ que estimula o homossexualismo e a promiscuidade. Temos de trazer esse tema aqui para dentro, votar essa questão, e não deixar que o governo leve esse tema para a garotada,” declarou.
O material foi apresentado à Câmara dos Deputados Comissão de Legislação Participativa, em dezembro do ano passado, com a alegada intenção de destruir a imagem estereotipada de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.
Entretanto, uma vez apresentados os DVDs em audiência, o material gerou polêmica entre os deputados. Um dos DVDs mostrava o desempenho de um travesti de cerca de 15 anos e provocou indignação entre os evangélicos levando a um discurso indignado feito por Bolsonaro contra os kits, o qual teve grande repercusão.
“O DVD contém duas histórias que seu filho de sete anos … Os seus filhos de 7 anos vão vê-los no próximo ano se não tomarmos medidas agora,” disse Jair Bolsonaro na época.
Em sua recente defesa, o candidato à presidência da Câmara, disse que quer “tentar mudar alguma coisa.”
“Nós queremos resgatar a credibilidade. E uma coisa muita importante. O partido que está no governo é um partido profissional, eles lutam em primeiro lugar para continuar no poder e tudo farão para permanecer no poder,” disse, em crítica ao PT, que apoia a candidatura do deputado Marco Maia (PT-RS).
Enquanto isso militantes LGBT faziam seu manifesto durante a posse dos deputados federais em Brasília. Nesse mesmo dia, foi eleito o primeiro deputado gay assumido com uma plataforma LGBT.
“É preciso combater essa proposta de várias formas, inclusive na peça orçamentária, impedindo a alocação de recursos para essa finalidade.”
“Eu não tenho nada contra eles (os LGBT). Eu tenho contra quem divulgar na escola de primeiro grau que ser homossexual é legal,” declarava à imprensa.”
A Frente Evangélica tem se mobilizado para parar a distribuição do kit proposto. Existe uma petição chamada “Somos contra o maior escândalo no país, o Kit Gay,” que está circulando para impedir a distribuição de kits para as escolas.

A Bíblia possui contradições? Conheça o livro “Derrubando Supostas Contradições da Bíblia”


Será que Deus muda Sua mente? Podem todos os pecados ser perdoados ou existem alguns que são imperdoáveis? Por que Raabe foi elogiada por ter mentido, quando a mentira é proibida nos Dez Mandamentos?
Ken Ham, fundador do Museu da Criação, e uma equipe de colaboradores respondem a estas perguntas e muito mais no novo livro, “Demolishing Supposed Bible Contradictions” (Derrubando Supostas Contradições da Bíblia), que visa defender a palavra de Deus contra os críticos da fé que afirmam que a Bíblia é contraditória.
“Quando pensamos que existem contradições presentes, nós olhamos com atenção e entendemos o que a Escritura nos está dizendo, à luz de outras passagens,” Roger Patterson, um colaborador do livro, disse ao The Christian Post. “Então, podemos resolver esses conflitos muito facilmente.”
As afirmações de supostas incoerências na Bíblia, apontadas principalmente por ateus, têm contribuído para um aumento no número de jovens que abandonam a fé. Ham e sua equipe esperam que seu livro de fácil leitura ajude os Cristãos a refutarem qualquer alegação de supostas contradições da Bíblia.
Muitas pessoas, observou Ham no livro, compram a afirmação de que a Bíblia é “cheia de contradições,” mas não se preocupam em ler a palavra para afirmar por elas mesmas. Ham, também é presidente e CEO do ministério de apologética cristã Answers in Genesis.
Ao longo do livro, muitas supostas contradições são rapidamente descartadas quando a lógica simples, o contexto, as questões de translação ou de vários outros aspectos são levados em conta.
Em um capítulo intitulado “Change of Heart” (Mude o Coração), afirma que a natureza imutável de um Deus santo e justo contradiz Seu coração que se compadece de julgamento de uma nação ou grupo que são refutadas. A Escritura notável de Jonas sugere a “mudança” de Deus quando Ele não trouxe sobre a nação de Nínive, o desastre que havia ameaçado, após o arrependimento da nação.
Isto é repreendido pela contribuição do autor Stacia McKeever, que observa que “em nenhum lugar das Escrituras indica que Deus não é emotivo, mas na verdade [Suas] ações e emoções são frequentemente descritas em termos de ações e emoções humanas.”
“O caráter de Deus não muda. Porém, Ele pode mudar a forma como escolhe responder a ação de um indivíduo ou nação.”
O que distingue este livro dos outros ministérios baseados na apologética e livros é a visão compartilhada dos escritores de uma interpretação literal do Livro do Gênesis.
“O ministério da Answers in Genesis tem o objetivo de colocar toda a Bíblia como uma autoridade e não apenas selecionar e escolher as peças certas,” disse Patterson. “Os acontecimentos do dilúvio realmente ocorreram e houve realmente um Jardim do Éden com Adão e Eva reais.”
Mais do que nunca, a sociedade está questionando a credibilidade da Sagrada Escritura e colocando a sua precisão no âmbito de aplicação. Mas Patterson acredita que suas raízes por trás das tentativas de desacreditar a Bíblia é um problema psicológico de “aceitar a verdade da palavra de Deus como superior à opinião do homem sobre as coisas.”
“Eu acho que finalmente isso é a autoridade que Deus tem sobre a vida e cada uma de Suas criaturas,” afirmou. “As pessoas querem se rebelar contra essa autoridade.”
“Eles não querem viver a vida segundo o plano de Deus… por isso tentam desacreditar a Bíblia em uma tentativa de tirar Deus de Seu trono e colocar eles mesmos no trono.”
Patterson, um membro da equipe de desenvolvimento do currículo de Answers in Genesis, está atualmente trabalhando no desenvolvimento de recursos curriculares baseados na Bíblia, incluindo cursos on-line. Ele frequentemente contribui para a revista Answers, artigos na web, livros e outros recursos apologéticos do ministério.
Ham anunciou recentemente o apoio da AIG para o Ark Encounter Project, projeto de um parque temático da Arca de Noé em tamanho real em Kentucky do Norte, previsto para estrear em 2014.

Deus é culpado pelas mortes nas tragédias ambientais? Famoso escritor diz que sim


O escritor Rubem Alves (foto), 78, está indignado com Deus, em quem, aliás, não acredita. Em recente entrevista ao jornal Valor, disse: “Se Deus amasse realmente o mundo, Ele tomaria uma providência [contra as catástrofes naturais]. Em primeiro lugar, mataria as pessoas certas. Ele está com a pontaria péssima. Se fosse meu empregado, já estaria demitido há muito tempo por incompetência administrativa.”
Há quem, depois de ter superado grave doença, torna-se mais religioso, passa a acreditar em milagres, adquire fé. O caso de Alves, um mestre em teologia, foi diferente.
Em 2010, ele teve de extrair o estômago por causa de um câncer, trocou uma válvula coração e a coluna lhe deu sofrimento. E agora Alves parece estar mais convicto do ateísmo, com um discurso mais veemente, conforme verificaram os leitores de seu artigo mais recente na Folha de S. Paulo.
Sobre as mortes por causa de deslizamento de encostas na serra fluminense, escreveu: “Se é onipotente, onisciente e onipresente, por que Deus nada fez? Estava dormindo?”
Ao jornal Valor, disse: “Fé para curar o câncer eu não tenho. Sabe o que é fé? É estar no avião com um paraquedas nas costas e de repente dar um salto no abismo, acreditando que o paraquedas vai abrir.”
Criticar Deus tem sido, nestes dias, a forma que Alves tem usado para criticar uma sociedade excessivamente impregnada pelo cristianismo. Observa, nesse sentido, que muitos cristãos, por exemplo, renegam o erotismo do tato, do olfato e da contemplação estética.
“Os cristãos têm um problema com o prazer. Você não vê ninguém fazendo uma promessa dizendo assim: ‘Oh, Deus, se tu me deres esta bênção, prometo tocar toda manhã um CD de Bach, ou tomar toda noite uma taça de bom vinho’”, disse ele à jornalista Marília de Camargo César.
“As pessoas oferecem a Deus cascas de ferida porque elas acham que Deus fica feliz quando a gente está sofrendo. Elas têm uma ideia sádica de Deus.”
Além de teólogo formado em Princeton (EUA), Alves é filósofo, psicanalista e autor de mais de cem livros — alguns deles, escritos em outras épocas, continuam inspirando seminaristas e pastores progressistas.
Fonte: Paulopes/GOSPEL +

Televangelista é censurado e expulso de TV Cristã por falar sobre homossexualismo


Uma importante emissora cristã de televisão do Canadá cancelou de forma permanente o programa Word TV (TV da Palavra), apresentado pelo proeminente pastor evangélico Charles McVety, depois que um órgão de inspeção da indústria de televisão anunciou em dezembro seu parecer de que o programa descriminava os homossexuais.
Os espectadores que sintonizaram na emissora Crossroads Television System (CTS TV) para assistir ao programa de domingo de noite viram em vez disso um aviso de cancelamento. A emissora evangélica havia tirado temporariamente do ar o programa de McVety em dezembro depois da decisão do Conselho de Padrões de Transmissão do Canadá (CPTC), mas o restabeleceu uma semana mais tarde com episódios previamente filtrados.
McVety alegou num comunicado à imprensa nesta semana que a CTS “se prostrou aos censores” no CPTC. “O conselho ameaçou a emissora de televisão”, ele disse para o jornal Postmedia News. “Por isso, a fim de proteger seus próprios interesses, a emissora censurou de forma pesada, e em seguida simplesmente se livrou de nós sumariamente”.
O pastor, que estava inalcançável para fazer um comentário, disse que antes de cancelar o programa a emissora havia rejeitado três episódios por “razões fúteis”. “Não sei como queriam que eu falasse”, disse ele. “Eu achava que vivia num país democrático e que a censura política era reservada aos regimes totalitários”.
Mas a CTS, conhecida por tais programas cristãos populares como “100 Huntley Street” e “The Michael Coren Show”, fez vista grossa à acusação numa declaração de domingo. “O fato é que o programa Word TV não manteve seus acordo de acatar o Código de Ética da CTS e indicou uma recusa de acatar no futuro”, disse a declaração. “Infelizmente, as numerosas tentativas da CTS de trabalhar com o Dr. McVety não tiveram êxito”.
Perguntada de que modo o programa de McVety violou o código de ética da emissora, a porta-voz da CTS Carolyn Innis disse para LifeSiteNews/NotíciasPró-Família que esse era “um assunto particular entre a emissora e o produtor do programa”.
Pressionada sobre se o código de ética da emissora permite que as pessoas expressem a polêmica opinião cristã sobre a homossexualidade, Innis disse que a emissora “não dita conteúdo”, mas tem “normas envolvendo como o conteúdo é apresentado”.
“O diálogo nessas questões é importante, e a CTS certamente transmitirá conteúdo que seja considerado polêmico, mas tem de ser apresentado dentro de diretrizes justas, factuais e equilibradas”, explicou ela.
A comissão do CPTC havia repreendido McVety por afirmar que o movimento homossexual é movido por uma agenda “conspiratória”, sugerindo que os homossexuais são predadores de crianças, e rotulando os eventos gays anuais de “paradas de sexo”.
Eles disseram que McVety estava “totalmente errado” ao afirmar que o fracassado currículo de educação sexual de Ontário, que foi removido em abril passado depois de um protesto indignado dos pais, tinha o objetivo de “ensinar” a homossexualidade. Pelo contrário, disseram eles, “as propostas revisões curriculares têm a intenção de ensinar tolerância”.
Eles também fizeram objeção à declaração dele em pleno programa de que os ativistas homossexuais querem doutrinar as crianças “porque infelizmente eles têm um apetite insaciável por sexo, principalmente com jovens”.
McVety chamou a decisão de “grosseira violação da democracia”, insistindo em que ele não havia sido incluído na investigação da comissão e não teve nenhuma oportunidade de recorrer.
Fonte: Notícias Pró-Família/GOSPEL+

Vídeo de Pastor pregando contra o homossexualismo vira polêmica e recebe críticas. Assista na íntegra

Utilizando o Youtube como ferramenta, o Pastor Luiz Lourença de Sousa, conhecido como Poroca, foi chamado de homofóbico por ter publicado um vídeo com uma pregação contra o homossexualismo.
O vídeo foi taxado de homofóbico por parte da imprensa, nele o Pastor Poroca conta suas primeiras conclusões sobre um estudo que está fazendo sobre o homossexualismo de acordo com a Bíblia e afirmou que “os gays são abominações e queimarão no inferno” e que “Se tu é ladrão é perdoado, se é sapatona é perdoado, se é homossexual é perdoado. Mas se tu morrer assim será condenado”.
O Pastor também aproveitou para criticar a Igreja Contemporânea, conhecida como a Igreja Evangélica para gays e seus Pastores, Marcos Gladstone e Pablo Inácio. As declarações ganharam destaque nacional, milhares de pessoas já assistiram o vídeo.
O Poroca é da Igreja Assembléia de Deus da cidade de Marizópolis na Paraíba, onde é conhecido por suas pregações polêmicas e como “o homem que falou com Deus”.

Críticas e ataques

O site gay “Cena G” classificou a pregação como “circense” e “engraçado”. Outro comentário chamou o pastor de “podre” e pediu para que “aprenda a falar primeiro e depois venha dar sermão nas pessoas. Podre! Quem vai para o inferno é você que é mentiroso e usa o nome de Deus em vão. Deus é amor e toda forma de amor é válida! Melhor amor do que a guerra!”
No Youtube os comentários no vídeo são em grande maioria de ataques ao Pastor: “Decadente, iludido, ignorante e dono da verdade. Esse não é nada mais do que o estereótipo do Evangélico no Brasil… Pessoas burras que trocam as salas de aula pelas igrejas…que trocam os livros pela Biblía e se acham no direito de julgar a todos. Como ouvi um dia de um amigo. Esse povo cobra tanto respeito da sociedade mas eles mesmo não conseguem, querem e nem ao menos tentam respeitar ninguem… Por isso acredito em Deus e pronto….nada mais”, diz o comentário mais elogiado na página.

Vídeo: Pastor Poroca fala sobre o homossexualismo


Fonte: Gospel+

“Delegacia Cristã Musical” é criada para fiscalizar e punir igrejas e ministros de louvor que não cumprirem suas resoluções


Na quinta feira 12 de Março de 2009, às 15hs, foi realizada no Conselho Regional do Estado de São Paulo da Ordem dos Músicos do Brasil, uma sessão solene para nomear o novo Delegado e os novos fiscais que farão parte da primeira Delegacia Cristã Musical.
Na sessão estiveram presentes o Presidente da OMB do Estado de São Paulo, Roberto Bueno (foto), o coordenador geral de fiscalização da OMB-SP, Álvaro Souza, Dra. Eulália, Chefe do Departamento Financeiro da OMB-SP, Dra. Jatyr, Chefe do Departamento Jurídico da OMB-SP e também o Dr. Milton José de Souza (foto abaixo), que foi nomeado primeiro Delegado da Delegacia Cristã Musical da OMB-SP.
Fundada no dia 22 de Dezembro de 1960, A OMB cria pela primeira vez um orgão voltado para a música cristã, a Delegacia Cristã Musical que vem com o objetivo de ordenar o trabalho dos músicos profissionais nas comunidades religiosas, nos estúdios, gravadoras e eventos de todo o segmento da música cristã.
Em processo inicial, a Delegacia irá fazer um trabalho de conscientização com os músicos atuantes no cenário da música cristã, passando a eles informações de como legalizar sua atividade profissional, e também sobre a infração penal que pode lhe ocorrer ao trabalhar sem a carteira.
O exercício ilegal da profissão está sob pena no Artigo 47 do código penal, e a pena para o profissional que comete essa infração é de multa no valor de mil reais ou 1 a 3 anos de reclusão. Em caso de reincidência o valor da multa é de dois mil reais.
A Ordem dos Músicos do Brasil é um Órgão Federal e tem poder tanto para legalizar como para fiscalizar músico profissional em seu exercício.
Segundo o presidente Roberto Bueno, o desejo de criar uma Delegacia Cristã Musical Cristã que pudesse legalizar o músico e dar a ele todo o conhecimento legal da profissão que lhe é incumbida, é um sonho antigo.
-A idéia de criar a Delegacia Cristã é antiga, surgiu há cerca de uns trinta anos atrás, mas sem ter o poder da caneta na mão, tudo se torna complicado e difícil. Mas essa semana foi plantada e regada durante todo esse tempo e agora ela brotou. – disse Roberto Bueno Presidente da OMB.
O mandato é anual e o ocupante do cargo pode ser reeleito sem nenhuma restrição no ano seguinte e vale tanto para o Delegado como para todos os fiscais.
Dr. Milton José de Souza tem 58 anos e está presente no meio musical há cerca de 35 anos, é compositor e já gravou com grandes nomes da música secular como a dupla Milionário e José Rico, o cantor Bebeto entre outros. Hoje ele se dedica a compor somente canções gospel e já possui 140 obras cristãs e está para lançar seu primeiro cd de música gospel. Possui três formações acadêmicas como, Ciências Contábeis, Ciências Jurídicas e Jornalismo. Foi Presidente do Ecade por cinco mandatos e atualmente também é vice-presidente do Sindicato dos Compositores e Intérpretes do Estado de São Paulo.
- Meu trabalho sempre foi em favor do repasse do direito autoral ao autor, que até hoje é lesado pelos técnocratas envolvidos no meio. Por isso criei a Associação Cristã Musical de Direitos Autorais que recolhe, arrecada, recebe e distribui esses direitos e repassa para o autor. Estou somando os Direitos Autorais, as Atividades Profissionais e a Ordem dos Músicos, para que o músico, o compositor cristão o tenha todas as facilidades e seja reconhecido no mercado como um profissional normal. A Ordem dos Músicos do Brasil- Conselho Regional do Estado de São Paulo está de portas abertas para receber os músicos que estejam passando por necessidades financeiras, e isso venha a se tornar uma dificuldade de tirar a carteira, nós estamos criando condições, facilitando o pagamento em três vezes, e tudo o que for possível fazermos para ajudar o músico a conquistar uma colocação profissional e viver da música a Ordem estará de portas abertas.- disse Dr. Milton Delegado da Delegacia Cristã Musical da OMB-SP.
A sessão solene além de ter nomeado Dr. Milton José de Souza Delegado da Primeira Delegacia Cristã Musica da OMB-SPl e seus trezes fiscais, também prestou uma homenagem a personalidades da músca, política e comunicação entre eles, a cantora Adriana Cabral, o pastor Geromilton da IIGD, Carlinhos Gerd da banda Gerd, Wagner Gimenez, diretor comercial da Nossa Rádio Fm.
Os pagodeiros Salgadinho e Netinho de Paula, o Deputado Federal Bispo Gê, também foram homenageados pela OMB-SP, porém não estiveram presentes e enviaram seus assessores para representá-los na sessão.

Trilha Sonora

O saxofonista André Paganelli esteve presente na ocasião e tocou ao vivo a canção congregacional “Grandioso és Tu” e emocionou a todos.
Após o encerramento da solenidade, o Conselho Regional do Estado de São Paulo ofereceu ao público presente um lanche, com direito a música ao vivo executada pelo saxofonista Paulo Roberto Lima, o pianista Zuza e o trompetista João Vicente da Silva.
Dos vinte e sete Conselhos Regionais da Ordem dos Músicos do Brasi, somente o Conselho Regional do Estado São Paulo criou a Delegacia Cristã Musical.
Fonte: Galileo/GOSPEL +

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Frei é preso ao sair de motel com adolescente em MT


Um frei foi preso, na noite de segunda-feira (31), em Várzea Grande (MT), quando saía de um motel acompanhado de uma adolescente de 16 anos. De acordo com a Polícia Civil, ele deve responder por estupro.
“Nós recebemos uma denúncia, no ano passado, de que ele teria um relacionamento com essa adolescente. Começamos a investigação e em janeiro tivemos a confirmação. Ele frequentava motéis com a menor e usava o carro da paróquia para ir aos locais com ela”, diz ao G1 a delegada Juliana Palhares, da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Várzea Grande.
O frei é de uma paróquia em Cuiabá e, segundo Juliana, tinha um relacionamento próximo com a família da adolescente. “A família está em choque, porque eles frequentavam a paróquia e mantinham uma certa amizade com o frei. Eu entendo que essa proximidade é suficiente para viciar o consentimento da menor, por isso ela é considerada vulnerável, não tem condições de impedir o abuso”, afirma.
Após a prisão, o frei foi levado para a delegacia, mas ficou em silêncio durante o interrogatório, segundo a delegada. Ele foi então encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá para exames e, em seguida, levado para o sistema prisional.
A menor também foi encaminhada à delegacia e foi ouvida pela polícia, acompanhada da mãe. A adolescente passou por exames no IML e deve receber atendimento psicológico.
Fonte: G1 / O Verbo