terça-feira, 1 de novembro de 2011

Papa Bento XVI reconhece ter vergonha do passado violento da Igreja Católica

O papa Bento XVI, em reunião inter-religiosa global, nesta quinta-feira(27) reconheceu que o Cristianismo usou de força ao longa da história, mas disse que a violência em nome de Deus não tem lugar no mundo hoje.
Bento falou para cerca de 300 líderes religiosos escolhidos de todo o mundo – incluindo cristãos, judeus, muçulmanos, hindus, zoroastrianos, taoístas, xintoístas e budistas – em um encontro de oração inter-religiosa pela paz na cidade de São Francisco.
“Como cristão eu quero dizer neste momento: sim, é verdade, no curso da história, a força também tem sido usada em nome da fé cristã”, disse ele em seu discurso para as delegações em uma basílica de Assis .
“Reconhecemos com grande vergonha. Mas é absolutamente claro que este era um abuso da fé cristã, que evidentemente contradiz a sua verdadeira natureza”, disse ele.
Foi uma das poucas vezes em que um papa pediu desculpas em grandes eventos como nesta reunião para refletir sobre a Paz e Justiça no mundo, onde admitiu o uso da força para difundir a fé no Novo Mundo. O falecido Papa João Paulo pediu desculpas em 2000 por falhas históricas do cristianismo.
Bento XVI, que em seu discurso condenou o terrorismo, disse que a história tinha também mostrado que a negação de Deus pode trazer “um grau de violência que não conhece limites”. Ele disse que os campos de concentração da Segunda Guerra Mundial revelaram “com clareza absoluta as conseqüências da ausência de Deus”.

Fonte: O Diário

http://noticias.gospelmais.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.