sábado, 15 de janeiro de 2011

Modelo tortura, castra e mata jornalista português para livra-lo “dos demônios da homossexualidade”


O modelo português Renato Seabra, 21, foi acusado pelo assassinato do jornalista português Carlos Castro, 65, disse um porta-voz da polícia nesta segunda-feira. Castro foi encontrado castrado e espancado até a morte em um quarto de hotel de luxo em Nova York.
A causa da morte foi traumatismo craniano e estrangulamento, segundo o escritório responsável pela perícia médica, que não confirmou se Castro tinha sido mesmo castrado.
Seabra foi indiciado por uma acusação de assassinato em segundo grau e é mantido em um hospital psiquiátrico de Bellevue, em Nova York, enquanto aguarda uma possível aparição na corte.
Segundo o jornal “Daily News”, Seabra confessou o crime depois de ter sido atendido por cortes no pulso, feitos por ele mesmo, no hospital Roosevelt, aonde foi a pé após deixar o hotel.
Já o “New York Post” informa que o jovem confessou ter torturado o jornalista por mais de uma hora e, depois, tê-lo castrado com um saca-rolhas para “livrar-se dos demônios” da homossexualidade.
Seabra participou, no ano passado, de um reality show português chamado “À Procura do Sonho”, que busca novos modelos.
Ele não foi o vencedor, mas conseguiu assinar um contrato com uma agência criada por Fatima Lopes, que criou o programa de TV e era jurada.

Crime

Funcionários do hotel InterContinental na Times Square descobriram o corpo mutilado de Carlos Castro, 65, em seu quarto por volta das 19h da sexta-feira.
Castro chegou aos EUA no final do dezembro junto com seu jovem namorado, o modelo Renato Seabra, para assistir a espetáculos da Broadway e passar o Ano-Novo na Times Square, segundo um amigo da família.
Houve desentendimentos entre os dois no final da viagem, mas nada que sugerisse que algo horrível estava prestes a acontecer, disse o amigo, Luis Pires, editor do jornal em português “Luso-Americano” em Newark, New Jersey.
“Acho que eles estavam um pouco chateados um com o outro, por motivos de ciúmes”, disse Pires.
O casal assistiu ao musical “Homem Aranha”, alugaram o filme “Cisne Negro” e tinham combinado de encontrar com a filha de Pires para jantar na sexta-feira, quando Seabra repentinamente apareceu no saguão agindo de forma estranha, segundo Pires.
“Ele disse à minha filha: ‘Carlos nunca mais deixará o hotel novamente’”, segundo Pires. Ele disse que sua filha procurou um gerente do hotel, e seguranças abriram a porta do quarto, encontrando o corpo de Castro.
Fonte: Gospel+
Com informações de Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.