terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Após armas e violência, juiz decide por Samuel Câmara como Pastor da AD São José dos Campos


Desde o dia 17 de dezembro de 2010, os membros da Assembleia de Deus em São José dos Campos (SP) revesavam na segurança do templo para não deixar o ex-pastor Luiz Sellari e sua equipe invadirem o local. Foram oito tentativas de tomada de posse, feitas pelo antigo pastor, para cumprir a liminar que lhe foi concedida afastando o pastor Samuel Câmara por 90 dias da presidência da igreja. E ainda, instituindo uma junta presidida pelo pastor Sellari.
Na última tentativa de invasão do templo (01/01/2011), por volta das 14h, o pastor Sellari e mais oito homens armados quebraram as vidraças das portas e janelas do templo.Os membros que estavam dentro do templo foram machucados com o estilhaço dos vidros e houve agressão fisíca, psicológica e emocional. O bando fugiu com a chegada da Polícia Militar. Os fiéis fizeram boletim de ocorrência. Em unidade o ministério eclesiástico e a membresia da AD em São José dos Campos decidiram instituir uma assembleia.
Ontem (02/01), a Assembleia realizada pelos fiéis do templo sede da AD em São José dos Campos e líderes do campo eclesiástico três assuntos foram aprovados: a derrubada da junta diretora instituída pelo pastor Sellari, garantida na liminar; a aprovação de uma diretoria provisória escolhida pela igreja e a exclusão do senhor Antônio Luiz Sellari do corpo de membros da igreja. Mais de 3.500 assinaturas foram recolhidas na assembleia, o templo estava lotado e ao som de louvores o ambiente foi tomado por um clima de adoração a Deus.
Após a reunião foi feita uma junção de petição com documentos que comprovaram os atos de violência contra os membros e a ata com as assinaturas. “Aguardamos nesta segunda-feira (03/01), que o juiz do processo avaliasse a nossa causa, após entregarmos toda juntada de petições e documentos. Não aguentamos mais as perseguições e tememos atos de violências mais graves” disse a advogada Nélsy Silva acompanhada da advogada Rutemeire Lorena, ambas membros da igreja, que comentou, “viemos perante ao juiz em defesa da igreja, pois temos uma escolha, queremos o pastor Samuel Câmara como nosso pastor e não aceitamos uma tomada de posse do templo a força”.
Hoje (03/01), em manifesto pacífico na frente do Fórum da comarca em São José dos Campos os integrantes da igreja clamavam para serem ouvidos pelo juiz. Após a entrega das documentações por volta das 18h, o juiz do processo Daniel Toscano concedeu a revogação da liminar alegando que a decisão democrática dos membros da igreja está acima de qualquer vontade de bispo, pastor, padre, etc. Entendendo a vontade soberana do povo aprovaram o retorno do pastor Samuel Câmara à presidência da AD em São José dos Campos. Um fato inédito diante de todo o apoio de intervenção jurídica, financeira e ministerial que o pastor Luiz Sellari recebeu da Assembleia de Deus – Ministério Belenzinho, presidida pelo pastor José Wellington, na capital de São Paulo e em São José dos Campos. Em diversas tentativas de tomada do templo a equipe de obreiros do Belenzinho acompanhou o pastor Sellari.
Os membros comemoraram a notícia. “Essa foi a maior prova do cuidado de Deus conosco e da força da igreja quando resolve lutar pelo que é justo e não aceita ser massa de manobra. Estamos felizes pelo retorno da paz que volta a reinar no nosso meio e não vemos a hora de adorar à Deus junto com o nosso pastor Samuel Câmara”, declarou o membro e pastor auxiliar Shakespeare Carvalho.
Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.