sábado, 11 de dezembro de 2010

Vida no Altar - Elaine de Jesus Cd Celestial 2010

Crescimento da Igreja na China deve-se à unidade

A unidade entre os protestantes chineses constitui um fator importante no rápido crescimento da Igreja em China, disse o secretário-geral do Conselho Cristão da China (CCC), pastor Kan Baoping, em visita ao Centro Ecumênico em Genebra, Suíça.
Delegação integrada por sete dirigentes do Conselho Cristão de China reuniu-se na segunda-feira, 6, com o secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Olav Fykse Tveit, e com representantes de outras organizações eclesiais que têm sede no Centro Ecumênico.
O CCC congrega igrejas que somam 19 milhões de fiéis e uniu-se à comunidade do CMI em 1991. Os líderes chineses apresentaram, no encontro promovido pela Comissão de Igrejas para Assuntos Internacionais do CMI, três temas relevantes para a vida e o depoimento da igreja na China: as políticas religiosas no país, o papel da religião na promoção de uma “sociedade harmoniosa” e o papel da igreja.
Ao analisar as políticas religiosas e as relações entre Igreja e Estado, os chineses destacaram que encontram-se numa “época dourada para o desenvolvimento das religiões na China”. A igreja chinesa participa em várias iniciativas destinadas a promover uma “sociedade harmoniosa”.
Baoping explicou que na China as comunidades religiosas em geral e a igreja protestante em particular experimentaram um rápido crescimento nos últimos 30 anos. Disse que o fato de ter deixado para trás as divisões denominacionais, em parte porque a cultura chinesa prioriza os pontos comuns do que as diferenças, éi uma das causas da vitalidade da igreja no país.
Outro fator do sucesso é que cada membro da igreja assume a responsabilidade de difundir o Evangelho à família e vizinhos como uma expressão do sacerdócio geral dos crentes.
Kan destacou os métodos de evangelização que surgiram da simples difusão da palavra e deram visibilidade ao Evangelho através do serviço social, como é o caso na prevenção do HIV/Aids e o atendimento aos órfãos.
Ao saudar a delegação chinesa, Tveit expressou reconhecimento ao papel que desempenharam os cristãos chineses na criação do CMI. Disse que se alegrava de poder estabelecer uma futura colaboração com os novos dirigentes do CCC, em particular com vistas à próxima Assembléia Geral do organismo ecumênico internacional, que se celebrará em Busan, na Coréia, em outubro de 2013.
Tveit qualificou o contexto chinês como “um dos mais apaixonantes para o futuro do cristianismo”.
A pastora Zhang Shuilian, vice-presidente do Comitê Estadual de Hubei do Movimento das Três Autonomias da igreja protestante, disse que na China os cristãos gozam de uma boa imagem. Isso deve-se à resposta que oferecem às necessidades sociais do povo.
Zhang explicou que as igrejas das regiões urbanas com freqüência têm programas para acolher trabalhadores migrantes, enquanto nas áreas rurais a vida da igreja é importante porque ajuda a cobrir o esvaziamento que sentem as pessoas mais idosas e as crianças, quando familiares vão procurar emprego nas cidades.
Para o cristianismo e outras religiões, explicou Zhang, uma maneira de contribuir para a política governamental destinada a manter uma “sociedade harmoniosa” é o fomento à estabilidade da vida familiar. Outra maneira de apoiar esse objetivo dá-se mediante o estabelecimento de sólidas relações inter-religiosas.
Numa reflexão apresentada durante um serviço de oração no Centro Ecumênico em Genebra, o presidente do CCC, pastor Gao Feng, disse que a igreja é “uma comunidade de pecadores que perdoam” e “quando perdoamos, experimentamos o perdão de Deus; e quando amamos, experimentamos o amor de Deus”. 

Notícias Cristãs com informações da ALC

Link Original: http://news.noticiascristas.com/2010/12/crescimento-da-igreja-na-china-deve-se.html#ixzz17vfwBDhX

Natal do Papai Noel ajuda a dilapidar o planeta

O planeta Terra terá que suportar demandas de matéria-prima extraídas da natureza para dar conta da produção dos presentes que serão distribuídos na festa do Papai Noel deste ano. Estudo da "Worldwatch" indica que o mundo extrai da Terra, a cada dia, o equivalente a 112 edifícios Empire State, localizado em Nova Iorque.
Em 2006, mostra o estudo "Estado do Mundo 2010", a humanidade gastou 30,5 trilhões de dólares em bens e serviços, seis vezes mais do que os 4,9 trilhões gastos em 1960. "Parte desse aumento é resultante do crescimento populacional, mas o número de seres humanos cresceu apenas a uma razão de 2,2 entre 1960 e 2006", informa o documento.
Entre 1960 e 2005, a produção de metais cresceu seis vezes, a de petróleo oito e o consumo de gás natural 14 vezes. No total, 60 bilhões de toneladas de recursos são extraídos anualmente da natureza, cerca de 50% a mais do que há 30 anos. Só em 2008, pessoas adquiriram 68 milhões de veículos, 85 milhões de geladeiras, 297 milhões de computadores e 1,2 bilhão de celulares!
O Indicador de Pegada Ecológica, que compara o impacto ecológico humano com a quantidade de terra produtiva e área marítima disponíveis para o abastecimento de ecossistemas centrais, aponta que a humanidade está usando um terço a mais da capacidade da Terra do que ela efetivamente possa dispor, afetando a regeneração dos ecossistemas, fundamentais para a espécie humana.
"Apenas nós, seres humanos, produzimos resíduos que a natureza não consegue digerir", declarou o oceanógrafo Charles Moore ao se deparar com montanhas de lixo plástico vagando pelo Oceano Pacífico, em 1997. No mundo atual, com 6,8 bilhões de habitantes, os padrões de consumo moderno, mesmo em níveis básicos, não são sustentáveis.
Os 65 países de renda mais elevada foram responsáveis, em 2006, por 78% dos gastos com consumo, embora abrigassem apenas 16% da população mundial. Naquele no, cada estadunidense gastou 32,4 mil dólares, equivalente a 32% dos dispêndios globais de apenas 5% da população mundial! Se todos vivessem nesse padrão, a Terra poderia sustentar apenas 1,4 bilhão de pessoas.
O "Estado do Mundo 2010" remete à pesquisa de 2008 sobre gastos no Natal em 18 países com a aquisição de presentes e eventos sociais. Irlandeses despenderam então, em média, 942 dólares, ingleses 721 dólares e estadunidenses 581 dólares. Embora apenas 2% dos japoneses sejam cristãos, o Natal é comemorado no país com generosas entregas de presentes, onde a data é feriado, inclusive.
A mídia é uma importante instituição social de estímulo ao consumismo, uma vez que representa uma ferramenta poderosa na transmissão de símbolos, normas, costumes, mitos e histórias culturais. A cada hora adicional de televisão a que as pessoas assistem semanalmente, elas gastam 208 dólares a mais na aquisição de bens e serviços, mesmo que tivessem menos tempo diáiro para usá-las.
A indústria que produz alimentos e produtos para animais de estimação empreendeu mais de 300 milhões de dólares em publicidade, em 2005, nos Estados Unidos. Só com ração animal, essa indústria fatura 42 bilhões de dólares/ano no mundo, recorrendo à "humanização" dos animais. O fast-food movimenta 120 bilhões de dólares nos Estados Unidos, em 200 mil restaurantes. Só o McDonald's atende 58 milhões de pessoas, em 118 países.
Resultado: 1,6 bilhão de pessoas no planeta apresenta sobrepeso ou são obesas, fator responsável pela diminuição da qualidade de vida desse grupo. O estudo da organização Worldwatch defende uma mudança cultural profunda porque "neste planeta finito, definir sucesso e felicidade através de quanto uma pessoa consome não é sustentável".
O governo brasileiro concedeu incentivo à indústria automobilística no ano passado, em virtude da crise econômica global. O mesmo ocorreu nos Estados Unidos, nos anos 40 do século passado, após o término da Segunda Guerra Mundial, que mobilizara uma potente economia de guerra, mas sem mercado após o conflito.
Uma solução foi canalizar a produção voltada à guerra para outros setores. Em 1955, o economista Victor Lebow argumentava: “Nossa economia, tremendamente produtiva, exige que façamos do consumo nosso modo de vida, que convertamos a compra e o uso de produtos em rituais, que busquemos no consumo a satisfação espiritual e do ego”.
O crédito foi facilitado via prestações mensais. A introdução do cartão de crédito ampliou ainda mais esse leque de facilidades. Os produtos passaram a ser projetados para terem menor durabilidade ou sair de moda – a obsolescência física e psicológica. Os gastos globais com publicidade alcançaram 643 bilhões de dólares em 2008. Empresas destinam 1% do produto mundial bruto para vender seus artigos.
Worldwatch defende a mudança dos sistemas culturais para tentar salvar o planeta da falência e ganhar sustentabilidade. O ativista Gary Gardner, da organização, propõem que instituições religiosas se engajem nessa luta, disseminando culturas de sustentabilidade e de bloqueio do consumismo desenfreado.
Para prevenir o colapso da civilização humana, alerta o pesquisador Erik Assadourian, autor do capítulo “Ascensão e queda das culturas de consumo” no documento “Estado do Mundo 2010”, “é necessário nada menos do que uma transformação generalizada de padrões culturais dominantes”.
Essa transformação, sugere o autor, “rejeitaria o consumismo – a orientação cultural que leva as pessoas a encontrar significado, satisfação e reconhecimento através daquilo que consomem – que seria tido, então, como um tabu, e criaria em seu lugar um novo arcabouço cultural centrado na sustentabilidade”.
Assadourian sugere a recuperação ecológica como o principal mote da humanidade. No novo significado cultural construído, passaria a ser “natural” encontrar valor e sentido na vida através do quanto uma pessoa ajuda a recuperar o planeta, “e não de acordo com o que esse indivíduo ganha, o tamanho de sua casa, ou quantos utensílios ele tem.”

Notícias Cristãs com informações da ALC

Link Original: http://news.noticiascristas.com/2010/12/natal-do-papai-noel-ajuda-dilapidar-o.html#ixzz17vffuXvp

A cartada homossexualista de Lula





Como Lula e os ativistas gays passaram a perna nos opositores do PLC 122.

(Por Julio Severo) – Estratégia do PLC 122 não passou no dia 9 deste mês, porque os ativistas gays foram pegos com a “boca na botija”. Mas nenhum deles está chorando ou reclamando. Por que? No mesmo dia 9, sem que ninguém percebesse, Lula criou o Conselho Nacional de Combate à Discriminação exclusivamente para avançar a agenda gay.

O Congresso Nacional está recebendo muitos e-mails sobre a votação do PLC 122/2006 nesta semana. Devido às denúncias das manobras, o projeto anti-“homofobia” não foi avançado no dia 8 ou 9 deste mês na Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa do Senado.

No entanto, em 9 de dezembro de 2010 o presidente Lula criou, por meio de decreto presidencial, o Conselho Nacional de Combate à Discriminação. Veja aqui: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7388.htm

Em 2008, dentro do projeto de lei que criava o Ministério da Pesca, uma emenda totalmente estranha foi inserida para criar um Conselho Nacional da Comunidade LGBT, mas a Câmara dos Deputados rejeitou a emenda. Veja a cobertura completa aqui: http://juliosevero.blogspot.com/2009/03/o-peixe-e-isca-projeto-de-lei-sobre.html

Contudo, os ativistas gays novamente conseguiram uma volta por cima, pois Lula criou o mesmo conselho, mas com outro nome. Embora tenha como título genérico Conselho Nacional de Combate à Discriminação, o novo órgão federal, com burocratas engordados com nossos impostos, terá como missão prioritária combater “discriminações” contra quem está envolvido em atos homossexuais. Por exemplo, um pai ou mãe reclamou daaula pró-homossexualismo que seu filho recebeu na escola? É crime de “homofobia”!

Para Lula e os ativistas gays, não importa que a população não queira o PLC 122. Terão de engolir a força a ideologia gay, nem que para isso todos tenham de ser aterrorizados com as ações de um Conselho Nacional de Combate à Discriminação.

Valdemiro Santiago lança campanha para arrecadar R$60 milhões: “Vou dormir no altar com o nome dos contribuintes”

Famoso por campanhas polêmicas como a do Trízimo, o ApóstoloValdemiro Santiago lançou mais uma campanha em seu programa, desta vez o alvo seria o término da construção de um novo templo daIgreja Mundial do Poder de Deus em São Paulo.

Em seu programa evangelístico, Valdemiro foi até a construção já em andamento de um novo templo da Igreja Mundial. Esta, em São Paulo, seria uma espécie de catedral para a denominação. Já está construído um grande estacionamento, o templo será erguido em cima dele.

Valdemiro fez um apelo para que 100 mil pessoas doassem R$200 por mês para a igreja. Após três meses o Apóstolo pegaria o nome de cada contribuinte e colocaria no Altar onde ali dormiria com os nomes por três noite seguidas.

A campanha de Valdemiro Santigo é para arrecadar R$60 milhões para a Igreja Mundial. O templo será construído no Largo Treze, na capital paulista. A campanha começou em novembro.

Comparado com outros grandes templos neopentecostas, o valor pedido pelo Apóstolo é cerca de três vezes maior que o preço da grande catedral da Igreja Universal em Portugal, na Europa.

Fonte: Gospel+

Campanha ateísta em ônibus chega ao Brasil comparando Cristãos a Hitler: “A fé não dá respostas. Ela só impede perguntas”


A Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) veicula a partir de hoje campanha publicitária para dizer que Deus pode não existir.

As peças de propaganda, com frases como “Religião não define caráter” e “A fé não dá respostas. Ela só impede perguntas”, circularão em ônibus de Salvador e Porto Alegre por um mês.

“O prazo pode se estender, se tivermos doações”, diz Daniel Sottomaior, da Atea.

A campanha teve início no Reino Unido em 2009 e se espalhou por outros países, com resultados distintos.

Nos EUA e na Espanha, a iniciativa deu certo, provocando a esperada polêmica. Na Itália, a veiculação foi proibida. Na Austrália, a companhia responsável por anúncios em ônibus se recusou a exibi-los.

Algo parecido aconteceu em São Paulo. Depois que conheceu o conteúdo dos anúncios, já após a assinatura do contrato, a empresa que os veicularia se negou a fazê-lo, alegando que a legislação proíbe temas religiosos. A Atea avalia a possibilidade de uma ação judicial.

Metade dos cerca de R$ 10 mil utilizados na campanha brasileira vem de pequenas doações e de recursos da própria instituição. A outra metade vem de um único doador paulista que prefere permanecer anônimo.

Polêmico pastor que pediu para que os cristãos não votassem no PT lança livro


Poucos dias antes do primeiro turno das eleições de 2010, Paschoal Piragine Júnior, pastor da Primeira Igreja Batista de Curitiba, durante um culto de celebração, fez uma pausa nas mensagens. Ele orientou os membros da igreja sob a sua liderança a respeito de algumas posições políticas favoráveis à legalização do aborto e outros assuntos considerados polêmicos e diretamente contrários às diretrizes e princípios bíblicos. Este posicionamento, por meio da filmagem do culto, foi postado no Youtube e foi visto por cerca de 5 milhões e 900 mil pessoas. O fato ressaltou ainda mais seu compromisso com a defesa da fé cristã e principalmente da saúde espiritual das famílias. E este é o tema de seu novo livro: DOENÇAS DA FAMÍLIA MODERNA, que será lançado pela Editora AD Santos, no dia 10 de dezembro, na Livraria Evangélica de Curitiba (PR).

Na obra o doutor em Ministérios pela Faculdade Teológica Sul Americana de Londrina e pastor da Primeira Igreja Batista de Curitiba, analisa de forma prática e contextualizada sobre as pequenas atitudes que destroem a convivência entre as pessoas que verdadeiramente se amam. Ele mostra como a falta de amor, comunicação e perdão, além do egoísmo, podem desencadear inúmeras doenças não só da alma, mas também para o corpo.

Pensado em 2008 e retomado apenas em 2010, o livro é uma resposta a pesquisas que revelam o aumento de 200% no número de divórcios entre os anos de 1984 e 2007. E mais: 71,7% dos pedidos de separação partiram das mulheres. “A convivência diária com famílias doentes, desesperançadas e se desfazendo, porque os componentes da família não se conhecem, levou-me a pensar sobre o tema.Quando temos um diagnóstico é mais fácil corrermos atrás de solução, buscarmos a cura”, analisa Piragine.

Em um texto leve, o autor descreve sete tipos distintos e confirma que todos eles começam com a falta de amor. No final de cada capítulo pastor Paschoal Piragine Júnior traz ferramentas para serem colocadas em prática entre as famílias. “A desnutrição afetiva, talvez, seja a mais óbvia delas, uma vez que nós, seres humanos, nos alimentamos de amor, afeto e atenção. A privação contínua do amor nos torna secos, irritadiços, mal humorados, frustrados, tristes, decepcionados e decepcionantes e essa situação se reflete na família. É como costumam dizer: quando um membro da família se corta, todos sangram”.

Fonte: Creio / Gospel+

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Brasileiros rejeitam em maioria esmagadora agenda abortista e homossexualista do partido do governo




(Por Matthew Cullinan Hoffman) — A população do Brasil rejeita de forma esmagadora a agenda homossexualista e abortista do partido do governo, de acordo com um recente estudo conduzido pela agência de pesquisas de opinião pública Vox Populi.

A pesquisa de opinião pública revelou que 82% dos brasileiros desejam manter o aborto como crime, e 72% são contra sua descriminalização. As diferenças religiosas só mudaram no último item de resultado marginalmente, com 75% dos evangélicos, 73% dos católicos e 69% das outras religiões se opondo à descriminalização.

Além disso, sessenta por cento dos brasileiros são contra a criação de “uniões civis” homossexuais, enquanto só 35% são a favor.

A pesquisa indica que os evangélicos do Brasil estão tendo mais sucesso do que os católicos em comunicar a condenação de suas igrejas às uniões homossexuais. Embora apenas 19% dos evangélicos tivessem apoiado tais uniões, 37% dos católicos praticantes as apoiaram.

Até mesmo uma maioria de brasileiros não religiosos, 56%, se opõe às “uniões civis” homossexuais de acordo com a pesquisa. Contudo, membros de religiões não cristãs, que geralmente estão ligados às religiões afro-brasileiras, têm a maior probabilidade de apoiar as uniões civis, com 59% a favor.

Os resultados são uma bofetada na cara do partido socialista governista PT e seus aliados no Congresso Nacional, os quais têm feito todo o possível para eliminar as penalidades criminais para o aborto e promover direitos especiais para os homossexuais. Livros, programas de televisão e outras formas de expressão que condenam a conduta homossexual estão sujeitos a multas e outras penalidades no Brasil, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem tentando aprovar uma lei para tornar crime a “homofobia”.

Nas recentes eleições do Brasil, a presidenta eleita Dilma Rousseff foi forçada a fazer uma promessa escrita de não promover uma agenda abortista ou homossexualista se eleita, depois de ver seus números nas pesquisas de opinião pública caírem em face de críticas em massa às posições que ela havia declarado no passado sobre essas questões.

As estatísticas também minam a imagem do Brasil como uma sociedade sexualmente libertina, uma ideia popularizada pelos excessos das celebrações realizadas em suas grandes cidades no Carnaval, período imediatamente antes da estação de penitências da Quaresma. O Brasil tem também sido o local das maiores paradas homossexuais do mundo em anos recentes, as quais têm sido parcialmente financiadas e promovidas pelo governo federal.

Além dos resultados sobre o aborto e a homossexualidade, a pesquisa indicou que uma grande maioria dos brasileiros, 87%, também se opõe à descriminalização das drogas ilegais.

Contra outdoors de ateus, Cristãos contra-atacam com amor


Uma semana depois que os ateus lançaram os seus anúncios “Bom Sem Deus” de ônibus em Fort Worth, um caminhão de outdoor móvelazul apareceu na cidade declarando uma mensagem totalmente diferente.

“Eu ainda te amo. – Deus,” diz o outdoor. Em um tamanho de fonte menor, o anúncio também afirma, “2,1 bilhões de pessoas são boas com Deus.”

O caminhão azul foi patrocinado por um grupo anônimo de indivíduos, segundo Heath Hill, presidente do Lime Media, que possui uma frota de caminhões outdoor móveis.

“Estes são donos de empresas e indivíduos que realmente só querem que os ateus saibam que Deus não desiste deles e ainda os ama,” disse Hill ao Fox 4 News.

O anúncio do caminhão é em resposta à campanha publicitária Dallas-Fort Worth Coalition of Reason, lançado na semana passada. Os anúncios, rebocados nas laterais dos ônibus “T” do Fort Worth, declaram: “Milhões de americanos são bons sem Deus.” O plano de fundo dos anúncios é uma imagem de uma bandeira americana composta pelos rostos dos ateus atuais e as pessoas agnósticas.

A coalizão disse que a campanha visa trazer sensibilização sobre as pessoas que não acreditam em Deus e guiar àqueles interessados para os grupos não-teístas da área 15 que compõem a coligação DFW.

O grupo de ateus também tinha planejado colocar os anúncios em ônibus de Dallas, mas a Dallas Area Rapid Transit rejeitou a campanha.

“Eles optaram por interromper a execução de todos os anúncios relacionados à religião incluir em vez de a nossa,” disse o coordenador da coalizão DFW Terry McDonald em um comunicado.

Ainda, anúncios similares foram aparecendo em várias cidades do país como parte de um esforçonacional “pela United Coalition of Reason.

McDonald disse que eles não estão apenas tentando alcançar os americanos de espírito, mas também enviando uma mensagem às pessoas religiosas.

“Queremos que as pessoas entendam que os não-crentes são basicamente o mesmo que todos os outros,” disse ele. “Somos tão bons, tão morais, como qualquer outro grupo. Se você prestar atenção, vai encontrar-nos entre os seus amigos, vizinhos, colegas e familiares. Existem cerca de 50 milhões de pessoas não-religiosas nos Estados Unidos. É tempo de sermos reconhecidos e recebermos o nosso legítimo lugar na sociedade.”

A Coligação DFW da Razão começou publicidade no ano passado, com outdoors informando o público secular que eles não estão sozinhos em sua incredulidade.

Enquanto o grupo ateu tenta espalhar esta mensagem nesta temporada de férias de DST, o grupo anônimo atrás do caminhão azul está proclamando mensagem pró-cristã, de perto. O caminhão azul foi contratado para tapar um ônibus “T” da Fort Worth Transporte carregando o anúncio ateu, começando na segunda.

Fonte: Christian Post / Gospel+ Via: Creio

Pastor Batista lança livro sobre “Espiritismo segundo Jesus”

Visando esclarecer os pontos controversos à Bíblia, o pastor Israel Belo Azevedo lançou pela Editora Vida Nova o livro Espiritismo segundo Jesus Cristo. Em 144 páginas, o pastor da Igreja Batista em Itacuruçá, faz uma leitura cristã e analisa à luz da Bíblia temas como fontes dessas duas confissões. Confira a sinopse:

Sinopse:

Com um número expressivo de adeptos e simpatizantes no Brasil, a doutrina espírita tem como ponto fundamental o fato de se identificar como uma crença cristã, ou seja, uma crença que se baseia nos ensinamentos de Jesus Cristo. Segundo a ótica espírita, Jesus é visto como mestre e modelo a ser seguido. À primeira vista parecem existir pontos de contato entre cristianismo e espiritismo, como, por exemplo, a aceitação da figura de Jesus Cristo como ideal e dos Evangelhos como norma.

Buscando aprofundar-se mais nessa questão, o autor faz uma leitura cristã do espiritismo e analisa à luz da Bíblia temas como as fontes dessas duas confissões, o papel de Jesus Cristo em cada uma delas, a mediunidade e a comunicação com os mortos, tudo isso com o objetivo de mostrar a verdade da mensagem do Evangelho de acordo com a Bíblia.

Sobre o autor

Israel Belo de Azevedo, graduado emcomunicação, pós-graduado em história e em teologia e doutor em filosofia. Jornalista desde 1970 e pastor da Igreja Batista Itacuruçá, na Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. A convite da Rede Globo e TV Futura, participa do programa “Sagrado”, em que pensadores de diferentes religiões comentam temas diversos propostos por essas emissoras.

Fonte: Creio / Gospel+

Sociedade Bíblica do Brasil lança livro explicando as variações textuais da Bíblia

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) investe mais uma vez no segmento de obras acadêmicas, com o lançamento da obra Variantes textuais do NT Grego, de Roger L. Omanson. Baseado no texto grego das Sociedades Bíblicas Unidas, 4ª edição, este livro acompanha O Novo Testamento Grego (SBB, 2009), explicando os cerca de 1400 pontos do texto em que há variantes textuais, listadas no aparato crítico, ao pé da página. Trata-se de uma ampliação, atualização e simplificação do livro Comentário Textual, escrito há mais tempo pelo renomado biblista Bruce Metzger, e que apenas pode ser lido em inglês ou em sua tradução ao espanhol. O autor deste trabalho é Roger Omanson, um dos consultores de tradução das Sociedades Bíblicas Unidas, à qual está ligada a SBB.

Nesta obra, Omanson inseriu também uma série de notas que tratam da segmentação, isto é, lugares em que diferenças da acentuação (paroxítona ou oxítona, por exemplo) ou de pontuação (ponto ou ponto de interrogação, por exemplo) resultam em diferenças de tradução. Um dos méritos de Omanson foi adaptar o comentário de Metzger às necessidades dos tradutores do Novo Testamento, que muitas vezes não são especialistas em crítica textual. O autor procura apresentar um assunto altamente técnico numa linguagem o menos técnica possível.

Por dirigir-se a tradutores, Omanson mostra como as diferenças entre o texto e as variantes se refletem em diferentes traduções no Novo Testamento. O livro foi traduzido ao português e, nesse processo, foram introduzidas referências a traduções para este idioma, como as edições de João Ferreira de Almeida, Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), Nova Bíblia de Jerusalém e a tradução da CNBB, entre outras. Para ler e estudar esta obra com real proveito é indispensável ter em mãos O Novo Testamento Grego.

Pastores, que se valem do texto grego para preparar seus sermões e estudos bíblicos, e estudantes de Teologia e da Bíblia, que querem aprofundar seu conhecimento dos originais bíblicos, têm nesta obra um material auxiliar para seus estudos.

Fonte: SBB / Gospel+
Via: Gospel Prime

Pastor brasileiro participa de conferência internacional da ONU

O diretor da Divisão de Liberdade e Justiça da Aliança Batista Mundial (BWA, sigla em inglês), o pastor brasileiro Raimundo César Barreto Júnior, participou da 63ª Conferência Anual de Organizações Não Governamentais (ONGs) do Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (ONU) em Melbourne, Austrália.

O tema da conferência, que contou com 1.600 delegados de mais de 350 ONGs de mais de 70 países, foi “Promova a Saúde Global: Alcance as Metas de Desenvolvimento do Milênio”.

Os participantes deste evento reafirmaram que as Metas de Desenvolvimento do Milênio são básicas para o desenvolvimento humano, para a garantia dos direitos humanos e para garantia da equidade.

“A conferência foi uma oportunidade única para interagir em rede e para aprofundar o conhecimento da BWA sobre os intrincados caminhos por meio dos quais a ONU se relaciona com ONGs e Organizações de Sociedade Civil, e vice-versa. Quanto mais a BWA for hábil em participar, mais oportunidades surgirão para desempenhar papéis mais ativos naquele cenário, e para ganhar mais respeito como uma organização seriamente comprometida em defender direitos humanos para todos os povos na cena internacional”, afirmou o pastor Raimundo César Barreto.

Pastor da Igreja Batista Esperança em Salvador, Bahia, o Pastor Barreto trabalhou como coordenador geral para o Centro de Ética Social de Martin Luther King Jr. no Brasil, entre outras responsabilidades em organizações comunitárias e eclesiásticas.

A divisão de Liberdade e Justiça trata de questões de direitos humanos e liberdade religiosa e vai coordenar o relacionamento entre a ABM e as Nações Unidas, com a qual a ABM mantém membresia em várias agências das Nações Unidas.

Barreto é casado com Eliã, enfermeira do sistema público de saúde, e é pai de dois filhos, Caio, 14 anos, e Cauã, 2 anos.

Fonte: Rádio Itaperuna e Gospel FM/ Gospel+
Via: O Galileo

Esposa de televangelista desabafa sobre o caso homossexual que marido-pastor teve


Desde 1988, quando o então célebre televangelista Jimmy Swaggart admitiu seu envolvimento com uma prostituta, nenhum escândalo ministerial teve tamanha repercussão quanto o do pastor Ted Haggard. Presidente da poderosa Associação Nacional de Evangélicos dos Estados Unidos, entidade que representa mais de 30 milhões de crentes, e pastor da Igreja New Life, em Colorado Springs, o pregador levantava sua voz conservadora contra a imoralidade e, principalmente, a homossexualidade. Por isso, quando veio a público, em 2006, que Haggard tivera relações sexuais com um garoto de programa e ainda consumira drogas com ele, seu mundo – e o de muita gente que acreditava nele – ruiu.

Casado, pai de cinco filhos e considerado pela revista Time como um dos 25 evangélicos mais influentes de seu país, Ted Haggard renunciou a todos os cargos e recolheu-se em seu abismo. Mas ao seu lado ficou sua mulher, Gayle. “O amor encobre uma multidão de pecados”, explica. Agora, passados quase cinco anos do escândalo, ela deixa claro que resolveu perdoar. A história está contada em seu livro Why I stayed (“Porque eu fiquei – As escolhas que fiz na hora mais escura”). Ela contou uma pequena parte a Christianity Today:

CRISTIANISMO HOJE – O que aconteceu depois que seu marido lhe confessou tudo?

GAYLE HAGGARD – No início, fiquei arrasada. Vi que tudo aquilo em que nós investimos e acreditávamos estava desmoronando. Eu chorava muito. Naquela primeira noite, deitada na cama, pensando no que estava acontecendo conosco, eu só me perguntava: “O que será de mim nesta história toda?”

Por que a senhora não seguiu o conselho de seu próprio marido, que sugeriu o divórcio?

Fiquei ao lado de meu esposo porque ele merece. Claro, fiquei ferida. Senti-me traída, com o coração aos pedaços. Mas era preciso acreditar que, apesar da dor, Ted me amava e nosso relacionamento era real. Achei que ele merecia que eu lutasse ao lado dele; que nosso casamento deveria ser salvo e que nossos filhos precisavam ser honrados.

No livro, a senhora diz que tinha uma boa vida sexual. Por que, então, acha que o pastor Ted tinha atração por pessoas do mesmo sexo?

Ele havia me dito que lutas em seus pensamentos surgiam de tempos em tempos. Eu apenas pensei que era uma tentação; não entendia a força disso em sua vida. Nosso casamento era forte. Houve quem dissesse que ele deveria aceitar que aquilo [a homossexualidade] era de fato a sua identidade. Mas creio que nossas identidades são constituídas por aquilo em que acreditamos e como escolhemos viver nossas vidas.

A senhora fala que teve medo até de que seu marido tivesse contraído doenças sexualmente transmissíveis e as transmitido à senhora. Como foi capaz de perdoá-lo após admitir isso?

Eu tive que lidar com o fato de que Ted estava passando por essa luta e que tinha caído nela. Havia todos os tipos de implicações. Sim, tive medo de que ele tivesse contraído alguma doença e a pudesse passar para mim. Claro que foi terrível lidar com essa situação, foi doloroso saber que ele havia me colocado nela. Perdoá-lo fazia parte de todo o processo. Eu precisava entender o que o tinha levado àquilo. Quando entendi, ficou mais fácil perdoá-lo por todas as dificuldades.

O que sentiu quando vocês foram desligados da igreja?

Fomos cortados por pessoas que não eram representantes do corpo como um todo. Fiquei desapontada, porque eu acreditava muito na igreja. Isso foi tão devastador para mim quanto o colapso em meu casamento. Eu havia investido muito, tanto no casamento quanto em minha igreja. Foi um período duro para mim. Mas Deus, o gentil restaurador, me fez caminhar através de toda essa situação. Eu não perdi a minha paixão pela igreja – mas eu quero que a igreja seja igreja, e pare de negar o poder do Evangelho na vida das pessoas. A Escritura diz que, quando um irmão peca, aqueles que são espirituais devem restaurá-lo. Nós existimos para trazer prazer e cura às pessoas, e não aumentar sua dor com julgamentos.

O que a senhora diz às mulheres que a procuram para aconselhamento?

Eu diria a todas as mulheres que perdoem e amem. Incentivo todas a definir a sua trajetória na direção do perdão. É um processo que deve ser encarado com a cabeça erguida. Eu não posso dizer que outras histórias serão como a minha, porque o Ted decidiu lutar por nosso casamento, após arrepender-se e agarrar-se na sua fé em Deus, e passar por tudo ao meu lado. Nem todos os maridos fazem isso.

Em poucas palavras, por que ficar?

Eu fiquei porque acredito nos ensinamentos de Jesus. Se nós escolhermos o perdão e o amor, nossos relacionamentos podem ser curados. Eu fiquei porque meu marido é digno. Eu não iria deixar que a luta que ele estava passando o desqualificasse ou anulasse os 30 anos de vida que construímos juntos, o lindo casamento que temos, a família e a igreja que construímos. Eu não iria deixar isso negar tudo o que gastamos ou investimos em nossas vidas. Se eu fosse embora, eu seria a negação de tudo isso.

Fonte: Cristianismo Hoje / Gospel+ Via: Guia-me

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Feira de Música Gospel representa mercado que movimenta R$ 1,5 bilhão


Anhembi recebe a primeira Expo Music Gospel do Brasil.
Que a Música Gospel fatura bilhões e chama atenção de mídias, gravadoras, políticos e investidores dispostos a mergulhar nesse mar de ritmos, cheio de oportunidades e grandes peixes, é fato. Pesquisas recentes revelam que esse mercado é um dos mais rentáveis no país. Segundo dados da Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD), o estilo está presente entre os 20 CDs mais vendidos no Brasil. A Música Gospel que tinha espaço apenas dentro das igrejas no início do século XIX, hoje é executada em todos os cantos do mundo. No Brasil, espalhada em hipermercados, lojas de conveniência e lojas de discos, ela é um sucesso! Acha se tratar de um exagero na hora dos cálculos? Nada disso! A verdade é que atualmente esse mercado não pára de crescer e se multiplicar, movimenta R$ 1,5 bilhão por ano e é o único segmento fonográfico que cresce em venda de discos no País. O termômetro de tudo isso é a popularização do estilo, notado nos últimos anos nas grandes mídias: em 2007, na novela \"Duas Caras\", da Rede Globo, a cantora evangélica Aline Barros teve sua música \"Recomeçar\" incluída na trilha sonora da novela. Em 2009, o sucesso \"Faz um milagre em mim\", do cantor Regis Danese, virou tema até dos gols do \"Fantástico\". Em 2010, anúncios do Ministério Diante do Trono, Irmão Lázaro, participações de Fernanda Brum, Aline Barros e Ana Paula Valadão no \"Domingão do Faustão\" e muitas premiações como o prêmio Hutúz onde Dj Alpiste, rapper gospel, foi um dos premiados e até o Grammy Latino, que em anos passados premiou a cantora Soraya Moraes e esse ano Marina de Oliveira na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa, confirmam que o mercado do Senhor tem a força.
É fato que o destaque para a Música Gospel não está apenas nos números. Não faz muito tempo que foi discutido pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) o Projeto de Lei PLC 29/09, que garante à Música Gospel os benefícios previstos na Lei Federal de Incentivo à Cultura, também conhecida como Lei Roaunet (Lei 8.313/91). Contudo, para que eventos de Música Gospel recebam os benefícios de tal lei, não podem ser promovidos por igrejas. Em contraposição, pessoas físicas e jurídicas poderiam aplicar parte do Imposto de Renda devido em ações culturais de Música Gospel. No Estado do Rio de Janeiro, a Música Gospel já é reconhecida como manifestação cultural e está inclusa na Lei 5.826, de 20 de Setembro de 2010, de autoria do Deputado Edson Albertassi, sansionada pelo Governador Sérgio Cabral. A lei cria facilidades na obtenção de patrocínios de empresas privadas para os eventos, ampliando ações e estimulando o crescimento do segmento. A iniciativa, que foi comemorada por profissionais e interessados no mercado, não deixa dúvidas que o estilo musical chegou para ficar.
Tal realidade vem atraindo diversos empresários dispostos a investir no setor. As gravadoras Som Livre e a Sony Music são exemplos desses investidores, que vêm se fixando no mercado e, com sua chegada, trazem um grande acréscimo em qualidade de gravação, produção e distribuição ao mercado Gospel. Outra questão, que não deve ser esquecida, é que com a popularização da Música Gospel, começa a se formar um novo tipo de público consumidor: aquele que compra porque aprecia o estilo, sem maiores comprometimentos religiosos. Um relatório da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês), revelou que a venda de música digital cresceu 12% no mundo em 2009, representando 27% da receita do setor. Em 2008, esse patamar era de 21%. No site Sonora, um dos principais portais de download legalizado da América Latina, que pertence ao grupo Terra, cantores evangélicos se mantêm na lista dos favoritos do site, destacando-se por várias semanas consecutivas.
Só no Brasil, segundo uma matéria publicada recentemente no site do Uol, o mercado evangélico, num todo, cresce 8% ao ano, sendo mais de 45 milhões de evangélicos e anualmente são abertos 14 mil templos, sendo que a expectativa é que, até 2011, este número atinja a casa das 55 milhões de pessoas, incrementando ainda mais os negócios Gospel, o que certamente também reflete no segmento da Música Gospel. Estamos diante de uma revolução musical!
De um outro lado, os cantores do universo Gospel estão se profissionalizando mais e aprendendo a usar as mídias a seu favor, para divulgação dos seus trabalhos, explorando muito bem, por exemplo, a internet, com sites e espaços em redes sociais. O crescimento dos programas de tevê, jornais, revistas, portais e sites especializados, além de um grande número de rádios apenas tocando o segmento, somam a essa expansão do mercado de Música Gospel. Outro aspecto é a demanda pela procura de assessores de imprensa e de marketing para trabalho de imagem com escritórios especializados. Essas iniciativas tornam o artista conhecido em outros segmentos. Tudo isso reverte em vendas.
Além disso, a diversidade cultural do nosso país propicia o crescimento de muitos estilos, como Rap, Funk, Pagode, Sertanejo, entre outros. O mais consumido continua sendo o estilo “Adoração”, mais ligado à pregação ou ao próprio culto. Também é muito forte o estilo “Pentecostal”, mais carregado de palavras proféticas. O \"Pop Gospel\" aparece em terceiro lugar e agrada muito ao público mais jovem.
Junto com esse mercado em expansão, chamado \"Gospel\", onde o céu parece ser o limite, outros crescimentos também são notados, como, por exemplo, o crescimento do mercado de instrumentos musicais. O Brasil importou, em 2009, cerca de US$ 170 milhões em instrumentos musicais e exportou US$ 10 milhões, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Grande parte desse crescimento é consequência da demanda gerada pela expansão do mercado musical Gospel nas últimas duas décadas.
Em recente entrevista para uma revista do segmento musical, o especialista e professor de produção de som e coordenador de audiovisual da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Luiz Cláudio, relatou que \"antes dos anos 90, o mercado de instrumentos e equipamentos musicais brasileiro era muito fraco. Na mesma época que a indústria automobilística se aqueceu no Brasil, no fim do século XX, também observamos a entrada de produtos musicais\" – comenta Luiz Claudio. Ele lembra que o crescimento da competitividade interna influenciou o nascimento de fortes marcas brasileiras, que hoje são reconhecidas mundialmente. Além disso, o professor acredita que está havendo um maior interesse dos jovens por música. Segundo recente pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Música - entidade que reúne os principais fabricantes, importadores e distribuidores do segmento - em cada dez consumidores de instrumentos musicais e acessórios, quatro são evangélicos. A entidade estima que 40% da indústria musical seja absorvida pelos evangélicos, transformando o meio cristão no principal representante e comprador destes produtos.
De olho neste filão de mercado e atentos ao potencial consumidor dos evangélicos, empresas buscam se aproximar deste público e movimentar ainda mais um mercado que vai de vento em popa.
Diversas empresas do setor de instrumentos musicais, áudio, iluminação e acessórios afirmam que o poder de compra dos evangélicos vem aumentando de forma representativa a cada ano.
Em recente entrevista ao Portal Guia-me, a Diretora de Marketing Simone Sturino, da empresa Izzo, marca que investe pesado no segmento evangélico e que atua no mercado há 92 anos, sendo bem conhecida por sua excelência na fabricação e distribuição de grandes marcas de instrumentos e acessórios musicais, declarou: “Estimamos hoje que 60% dos compradores dos produtos da Izzo são evangélicos e a perspectiva de crescimento e aquecimento deste mercado é muito grande”. Outra estratégia usada pela Izzo para conquistar o público evangélico é apostar no endorsement de artistas cristãos. Atualmente, a empresa patrocina artistas como: David Fantazzini, Adilson Santos, Luis Fernando (baterista do Oficina G3) e o ministério Trazendo a Arca.
Diante desse universo de possibilidades, e como todo segmento tem uma feira que o representa, nasce no coração financeiro e cultural do país, em São Paulo, a primeira edição da \"EXPO MUSIC GOSPEL - Feira Internacional de Artistas, Ministérios e Produtos Musicais Cristãos\", organizada pela empresa MR1 Comunicação & Marketing, que vai acontecer dos dias 12 à 16 de Abril de 2011, no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo. O evento terá duração de cinco dias, todos eles abertos ao público. Nos 3 primeiros dias, a feira terá dois momentos distintos: entre as 09:00 e 13:00 horas, o acesso será restrito a lojistas, músicos, pastores, mídia e profissionais ligados ao setor musical. Das 13:00 até as 21:00, o público em geral vai poder conhecer a feira e desfrutar do que ela tem de melhor. Nos dias 15 e 16 (sexta e sábado), vai ser antecipado a entrada do público, podendo a feira ser visitada por todos das 10:00 às 22:00 horas. Segundo a agência MR1 Comunicação & Marketing, o nome escolhido é atual, já que o crescimento da Música Gospel no Brasil é uma realidade dos dias atuais; inovador, pois é o único em sua categoria; direto, pois insinua que o participante terá grandes chances de sair do evento com um alto índice de venda e de institucionalização, gerando negócios e relacionamento direto com o público e com as mídias; e segmentado, já que despertará interesse quase que exclusivo dos interessados em Música Gospel.
Entrevistado na última semana, o Diretor de Marketing e Vendas do Anhembi, Milton Longobardi, faz coro junto à agencia e fala sobre o evento: \"É com muito orgulho que o Anhembi Parque recebe a primeira edição da Expo Music Gospel. Um dos maiores espaços destinado a eventos da América Latina não poderia deixar de abrigar o segmento de Música Gospel, que hoje já ocupa o 2º lugar de gênero musical mais vendido no Brasil e movimenta mais de R$ 1 bilhão por ano. Nosso Palácio tem toda a infra-estrutura e conta com a mais qualificada e dedicada equipe para fazer do evento Expo Music Gospel um grande sucesso. É com muita honra que o Anhembi Parque receberá a EXPO MUSIC GOSPEL como parte dos seus 40 anos de sucesso.\"
Outra novidade já confirmada é o chamado \"Prêmio MR1 de Música Gospel\", que vai acontecer em paralelo à feira, no dia 12 de Abril de 2011, às 20:00 horas, no Teatro Elis Regina, no Anhembi. Um evento de gala, segundo seus idealizadores à altura dos grandes nomes que existem no circuito da Música Gospel. Julgado por um júri seleto de entendidos do assunto, nomes de destaque da música brasileira. Serão premiados, homenageados e reconhecidos os melhores profissionais e personalidades do ano que têm ligação direta e indireta com o mercado da Música Gospel, bem como por meio de uma categoria especial \"Projeto Social\", onde é destacada a importância da responsabilidade que este segmento tem com a sociedade. Além disso, serão premiados também: melhor CD, DVD, Video Clipe, Site, Blog, Mídia, Performance de Palco, Banda, Cantor, Produtor, entre outros.
Na Expo Music Gospel, o espiritual e o social também são assuntos importantes. Será doado o dízimo do lucro líquido, distribuído em 100 igrejas que mais levarem membros para a feira. Doação de oferta missionária para auxiliar estas igrejas a cumprir seu papel de ajuda à sociedade por meio das obras sociais e filantrópicas. Sobre o social, o evento servirá como ponte para pontos de arrecadação de alimentos, brinquedos e agasalhos, que serão doados para 10 entidades beneficentes.
Segundo seus idealizadores, o publicitário Marcelo Rebello e a jornalista Luciana Mazza, ambos profissionais reconhecidos dentro e fora do Gospel, que têm em seu currículo passagem por outras feiras, o objetivo da Expo Music Gospel é presentear o mercado com mais uma oportunidade de fomentar relacionamentos, gerar negócios, aproximar o público dos artistas que gostam, unir gravadoras e seus artistas, cantores independentes, atrair mídias, comerciantes e público. Outro fator de interesse é a reunião, em um único local, de todos os profissionais que participam das etapas de concepção, produção, divulgação e articulação de estratégias do mercado musical Gospel. Será um local democrático, onde cada expositor terá total liberdade para definir o formato, estratégias e atrações para seu estande, sem restrições limitadoras, sendo os únicos fatores de limitação a criatividade, o bom-senso e a ética no relacionamento com o mercado, o público e demais expositores. O desejo é que a feira seja um grande palco de oportunidades para todos, sem preconceitos sociais ou raciais, pois a música é universal e não permite isso. São de Mazza as palavras: \"Esperamos que a quilômetros de distância possamos ouvir o barulho dessa grande festa!\"

Maiores informações no site oficial do evento:
www.expomusicgospel.com.br.

Notícias Cristãs com informações da INCorporativa

Link Original: http://news.noticiascristas.com/2010/12/feira-de-musica-gospel-representa.html#ixzz17dzu5Ihe

Campanha espanhola cria polêmica ao relacionar preservativo a hóstia

Iniciativa do setor jovem do partido socialista diz 'Bendita camisinha que tira a aids do mundo'.

MADRI - Uma campanha do governo espanhol para incentivar o uso de preservativos vem causando polêmica ao relacionar a imagem de uma camisinha com a de uma hóstia.

Divulgada em cartazes, vídeos e outdoors, peça publicitária repete uma foto de um sacerdote segurando primeiro uma hóstia, depois um preservativo.
A iniciativa, do setor jovem do partido socialista que governa o país, foi lançada durante a semana internacional de luta contra a aids. "Bendita camisinha que tira a aids do mundo" é o título oficial da ação.


Blasfêmia
Diversas associações religiosas consideraram a campanha uma "blasfêmia". A propaganda vai de encontro às recomendações do Vaticano, que não aprova o uso de camisinhas, apesar de uma maior abertura do papa Bento XVI recentemente.
Segundo o vídeo, "a Igreja nos diz que os preservativos, em vez de combater a doença, ajudam a expandi-la". O anúncio cita que mais de 25 milhões de pessoas já morreram vítimas da doença até 2009 em todo o mundo.
A iniciativa confronta as orientações da Igreja Católica ao fazer a pergunta: "São esses realmente os que dizem que nos amam? Que não te enganem", prossegue o áudio da peça publicitária.
Para Rafael Lozano, porta-voz do grupo católico Forum da Família, o objetivo "é aproveitar a ocasião para atacar toda a comunidade cristã". "É uma grande ofensa aos sentimentos religiosos de quem professa essa fé", afirmou.
O porta-voz das Juventudes Socialistas, Juan Carlos Ruiz, explicou no site do partido que "a Igreja insiste em confundir os cidadãos" e "que a campanha pretende apenas reafirmar o compromisso da luta contra a aids".

Notícias Cristãs com informações da BBCBrasil/AE

Link Original: http://news.noticiascristas.com/2010/12/campanha-espanhola-cria-polemica-ao.html#ixzz17dzNaRDe

Sogra de Kaká quer convertê-lo ao catolicismo, segundo jornal


O jogador acaba de confirmar seu afastamento da Igreja evangélica Renascer.

Kaká acaba de confirmar seu afastamento da igreja evangélica Renascer e, segundo a coluna Diário da Fama, do jornal "Diário de SP", sua sogra, Rosangela Lyra, quer aproveitar a oportunidade para convertê-lo.
A empresária teria confessado a amigos que vai tentar fazer com que o genro adote o catolicismo.

Notícias Cristãs com informações do EGO
Link Original: http://news.noticiascristas.com/2010/12/sogra-de-kaka-quer-converte-lo-ao.html#ixzz17dz612zX

Ana Paula Valadão escreve depoimento sobre o Cruzeiro Diante do Trono


A cantora gospel Ana Paula Valadão escreveu em seu blog um longo depoimento e testemunho sobre o Cruzeiro Diante do Trono “Adoração em Alto Mar”. Ana já havia divulgado que recebera uma profecia sobre o Cruzeiro (leia a notícia clicando AQUI).

Ana falou sore os momentos de adoração, sobre pessoas que aceitaram a Cristo lá, da homenagem que fizeram ao autor da música “Segura Na Mão de Deus”, Pr. Nelson e da consolação de um casal que recentemente perdeu sua filha por causa de uma leucemia – o que enconrajou a todos no Cruzeiro a doarem para o Hospital do Câncer de Barretos, além de se tornarem doadores de medula óssea cadastrados.

Confira abaixo o texto na íntegra:

Olá queridos do Blog,

Acabamos de chegar do I Cruzeiro Dt, “Adoração em Alto Mar”. Confesso que estou muito cansada, mas muito feliz ao mesmo tempo! Há tantas coisas para compartilhar, mas escrevo um pouco para dar a vocês uma porção do que vivemos ali!

Antes de viajarmos tivemos uma reunião com os integrantes do grupo que participariam do Cruzeiro. Foi um encontro muito alegre e a expectativa por vivermos algo novo, que só Deus poderia ter preparado para nós, enchia os nossos corações. Partimos para o Cruzeiro cientes de que estávamos indo para uma missão, de estar mais perto das pessoas, de servi-las, de ministrar nos cultos debaixo da direção e unção do Espírito Santo, e de clamarmos pelo nosso Brasil ungindo os mares, as praias, o litoral.

E foi tudo isso e muito mais que experimentamos nesses intensos dias a bordo do Navio Grand Mistral. Parecia um sonho estar em um lugar tão lindo, e ter, em todos os ambientes, louvores tocando. Às vezes eu pensava que o céu deve ser mais ou menos assim! Adoração por toda parte! Nas telas de tv, nas cabines e restaurantes, era só louvor. Na área de lazer, das piscinas, playgrounds, música que levanta o nome de Jesus e uma alegria que não precisava de bebida alcoólica para animar as pessoas e os relacionamentos. As crianças se divertiram muito também! E aprenderam sobre o Deus grandão, que fez o céu, a terra, e o mar!

Ouvi dizer que muitas vezes outros tipos de Cruzeiros são impraticáveis para quem deseja um passeio familiar, saudável. Ouvi histórias de muita sujeira por toda parte. Desta vez, a tripulação foi surpreendida por um povo diferente. O Navio foi tomado por muita paz, harmonia, diversão, e ao mesmo tempo, uma busca por Deus, o único que pode satisfazer o vazio do coração humano. Os seguranças do Navio receberam mais horas de folga a partir do segundo dia, pois éramos mais de mil e duzentas pessoas, mas o “trabalho” que dávamos era como se houvesse apenas trezentas pessoas a bordo! Eles não precisavam separar brigas de bêbados, de pessoas no cassino, pois ninguém entrava lá, e os bares ficavam desertos!

À noite os cultos eram marcados por um anseio por mais de Deus. Os passageiros foram divididos em três equipes, branca, verde e azul, pois não cabíamos todos em um só auditório. Vi nisso uma mensagem de Deus, pois tivemos, simultaneamente, reunião de oração com a Pra Ezenete, da Palavra com o Pastor Márcio Valadão, e de adoração com o DT. Três disciplinas essenciais para a vida de um cristão. E a cada culto a Presença do Senhor foi real entre nós. Houve salvação em todas as noites. Aliás, em momentos inusitados também.

Estávamos voltando da primeira noite do ato profético em que ungimos os mares. (Após os cultos subíamos para o deck mais alto do navio e de lá orávamos pelo Brasil, consagrando o litoral pelo derramar do óleo, e proclamação da Palavra. Um dos textos que li a cada noite foi o Salmo 24. “Abram-se ó portas antigas, para que entre o Rei da Glória”. Percebi os mares, as praias, as cidades costeiras, como um portal antigo, de entrada para o país e para o Continente. Ali clamamos ao Senhor.) Depois desse momento fui maravilhosamente surpreendida por uma mulher que me disse, na porta do elevador: “Quero Jesus.” Eu perguntei: “O que?” Ela repetiu: “Quero aceitar a Jesus”. E assim, em diversas ocasiões inesperadas percebíamos o Espírito Santo agindo e tocando corações.

Tive a oportunidade de conversar (e tirar muuuuitas fotos) com muitas pessoas. Pude ouvir tantos testemunhos e frutos de nosso ministério. Também ouvi de vidas quebradas e que estavam ali para receber de Deus um renovo, uma restauração. Houve muita cura, da alma, e do corpo também. Na primeira noite de culto com o DT cantamos “Solta o cabo da nau”, música antiga que nos fez contextualizar o louvor com a realidade que estávamos vivendo. De repente senti o impulso de cantar “Segura na mão de Deus”, e foi muito especial. Para minha surpresa Helena me contou no dia seguinte, que o autor desta canção, o Pr Nelson, estava no Cruzeiro, e que se emocionou ao nos ouvir cantando sua canção.

Na última noite senti que o Espírito Santo queria que honrássemos esse irmão. Ele já está bem velhinho. Teve vários derrames, ataques cardíacos, e está em uma cadeira de rodas. Lá da frente preparei a surpresa e outra vez cantamos “Se as águas do mar da vida quiserem te afogar, segura na mão de Deus e vai!”. João Lúcio contou sobre o encontro com o Pr Nelson e sua esposa e fui até ele na platéia. Cantamos juntos, ele compartilhou a história dessa música, que compôs em 1965 em um momento em que estava decidido a abandonar o ministério. Foi um testemunho que trouxe ânimo, esperança e fé a todos nós. Ele orou e nós também oramos por ele.

Continuamos cantando essa música e chamei a irmã Ângela Abreu. Ela compartilhou e nos encorajou muito, pois é viúva e teve um casamento maravilhoso de mais de trinta anos servindo ao Senhor ao lado do seu marido. Como o Ap Paulo nos diz, as mulheres mais velhas devem ensinar as mais jovens. Ela orou pelas famílias, pelos solteiros, e nos fortaleceu. Também chamei a família Dias. Luciana, Eluízio e Danielzinho, pais e irmão e avós da Amanda, querida menina de Curitiba que marcou minha vida na luta contra a leucemia. Por quatro anos ela viveu lutando contra o câncer, mas aprouve ao Senhor que ela descansasse. Há pouco menos de dois meses ela partiu para o céu. E no meio de tanta dor da saudade, eles puderam consolar outros com a mesma consolação com que têm sido consolados. Senti que ali estavam recomeçando. E muitos como eles sairiam do Cruzeiro para um novo tempo em suas vidas.

Isaías 61 foi a tônica destes dias: “enviou-me a curar os quebrantados de coração… a consolar todos os que choram… e a por sobre os que em Sião estão de luto, uma coroa em vez cinzas; óleo de alegria ao invés de pranto; vestes de louvor ao invés de espírito angustiado…”

A parceria com o Hospital de Câncer de Barretos continua. Os passageiros foram incentivados a continuar doando, até o dia 12/12, através dos telefones:

0500 504 12 07 para doar R$7,00.

0500 504 12 15 para doar R$15,00.

0500 504 12 20 para doar R$20,00.

Doações maiores podem ser feitas pelo site www.cliquecontraocancer.com.br (que continua mesmo depois do dia 12/12). O Hospital também tem um programa de incentivo à doação de parte de nosso imposto de renda, tanto para pessoa física quanto jurídica. E um cofrinho, que você pode encher de moedinhas e mandar pelo correio, com envio já pago por eles.

Foi muito lindo o pedido do Eluízio, pai da Amanda, que em seu testemunho, encorajou a todos para que procuremos o Hemocentro de nossas cidades. Podemos fazer a doação, que é praticamente indolor, de 10ml de sangue. Assim nos cadastramos como doadores de medula óssea. (Eu já fiz isso e sou doadora!) Ele contou sobre a angústia de, por dois anos, não terem encontrado um doador compatível para a Amanda. Explicou também que se formos compatíveis, a doação não exige cirurgia, mas simplesmente um pouco mais de sangue que é retirado da bacia. A internação é pela manhã, e à tarde o doador já está em casa. Sem dúvida, o Espírito Santo fez todas as coisas cooperarem, e vimos que esta parceria com o HC de Barretos é do coração de Deus.

Saímos com o sentimento de que valeu à pena. Saímos com o desejo de que haja mais. Saímos sonhando com outras oportunidades, e esperamos em Deus que nos conduza em Seu tempo e em Sua vontade perfeita para continuarmos abençoando os mares e as vidas, com outros Cruzeiros DT, “Adoração em Alto Mar”.

Fonte: Gospel+ Com informações e texto do Blog Oficial de Ana Paula Valadão