quinta-feira, 15 de abril de 2010

A mentira que ganhou asilo


(Por Julio Severo) – Homossexual brasileiro obtém asilo nos EUA colocando o Brasil na estranha categoria de um dos campeões mundiais em violência e assassinatos de homossexuais.

Desde 2003, o governo Lula vem promovendo e impondo a agenda gay, não só no Brasil, mas também no mundo. Sob Lula, o Brasil foi o primeiro país a apresentar, em 2003, uma resolução na ONU classificando o homossexualismo como direito humano inalienável. O mesmo tipo de resolução foi apresentado pelo governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos.

Sob o governo Lula, há crescentes mecanismos políticos e legais para amedrontar e amordaçar as pessoas que discordam do comportamento homossexual. O programa federal “Brasil sem Homofobia” exige interferência pró-homossexualismo do governo em todas as áreas da sociedade brasileira.

Mesmo assim, o homossexual brasileiro Augusto Pereira de Souza, de 27 anos, obteve asilo do governo de Barack Obama. Motivo? Perseguição. Ele alegou que não pode voltar ao Brasil porque o Brasil é um dos países mais violentos contra homossexuais. Aliás, o argumento para sua obtenção de asilo, conforme informa o blog gay “Queerty”, coloca o Brasil como um dos maiores assassinos de homossexuais do mundo, “com 180 assassinatos de LGBT registrados só em 2008”.

O maior propagandista do número de homossexuais assassinados no Brasil é o Grupo Gay da Bahia (GGB), cujo fundador é Luiz Mott, que é acusado de defender a pedofilia. O GGB, que foi a primeira grande organização homossexual militante do Brasil, afirma que entre 1980 e 2005 foram assassinados 2.511 homossexuais em todo o Brasil. O GGB não tem dúvida: o Brasil é o país mais homofóbico do mundo.

A defesa de Souza foi feita pela professora Suzanne Goldberg, da Clínica de Direito para Sexualidade e Gênero da Universidade de Columbia, juntamente com seus alunos. Goldberg usou dados do GGB para defender asilo para Souza.

De acordo com o site da Universidade de Columbia, “A concessão de asilo, decretada pelo Ministério de Segurança Nacional dos EUA, chega num tempo em que as condições para indivíduos gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros (GLBT) no Brasil estão ficando mais perigosas”. Sim, você leu direito: A Universidade de Columbia está dizendo efetivamente que sob as fortes políticas pró-homossexualismo do governo Lula, as condições para os homossexuais no Brasil estão ficando “mais perigosas”. Diante dessa paranóia vinda diretamente da Universidade de Colúmbia, ficamos tentando imaginar se as condições para os homossexuais estão ficando “mais seguras” no Irã e na Arábia Saudita.

Se o Brasil ficou “mais perigoso”, então por que Souza não pediu asilo no Irã ou Arábia Saudita?

Entre 1980 e 2005, somente homossexuais foram assassinados no Brasil? Dados oficiais mostram que nesse exato período foram assassinados mais de 800.000 homens, mulheres e crianças no Brasil. Hoje mais de 50.000 homens, mulheres e crianças são assassinados no Brasil por ano.

“Espere um minuto”, um ativista homossexual poderia dizer. “O governo diz que somos mais que 10% da população. Por isso, o número de homossexuais assassinados deveria ser 80.000!”

Se o Grupo Gay da Bahia fosse o Grupo Hetero da Bahia, aí a reação seria totalmente diferente: “2.511 é um número totalmente homofóbico, preconceituoso e discriminatório, pois não chega nem a 1% de 800.000. Exigimos no mínimo 10% da fatia desse número alto. Queremos igualdade! Se a população está sofrendo um elevado índice de assassinatos, exigimos o mesmo direito!”

E sobre os mais de 50.000 brasileiros assassinados por ano?

“Queremos 10% disso também. É nosso direito! Não aceitamos esse número homofóbico, insignificante e medíocre de apenas 180 homossexuais assassinados por ano!”

Eu também não entendo como o número de homossexuais assassinados não é muito maior, devido aos perigos a que eles se expõem. Oswaldo Braga, presidente do Movimento Gay de Minas, declarou que os travestis são a maioria dos homossexuais assassinados. Ele disse: “São homossexuais que estão mais envolvidos com a criminalidade, como prostituição e tráfico de drogas, ficando mais expostos à violência”. (Tribuna de Minas, 09/03/2007, p. 3.)

O número de 800.000 brasileiros assassinados mostra que falta segurança no Brasil. E faltam viaturas policiais. E agora, por causa do favoritismo governamental para com a agenda homossexual, as poucas viaturas disponíveis para a população terão de ser transferidas para proteger ambientes de prostituição e tráfico de drogas freqüentados por homossexuais?

Nasci em São Paulo, a cidade em que Souza alega que sofreu “perseguição”. Lembro que 25 anos atrás eu e um amigo, que éramos muito jovens, estávamos indo para a igreja. Passamos bem perto da Praça da República — um antigo ponto homossexual bem no centro de São Paulo —, e um bando de uns 6 homossexuais correu atrás de nós, gritando palavras lascivas. Foi uma experiência assustadora para dois jovens. Comportamentos homossexuais bizarros desse tipo eram comuns na Praça da República e, é claro, tinham o potencial de atrair reações violentas de quem não tivesse disposição de correr.

Eu devia temer mais que Souza. Cada vez mais, de forma descarada, shopping centers e outros lugares estão sendo usados como pontos de prostituição — bem nos banheiros masculinos. E, talvez por temor, os homens olham e ignoram. Já presenciei homossexuais que, dentro do banheiro do shopping, ficam ali como canibais do sexo anal, olhando cada homem que entra, esperando uma oportunidade de ataque. O que aconteceria se eu fosse reconhecido como Julio Severo no banheiro de um shopping?

Baseado em dados do Grupo Gay da Bahia, a Universidade de Columbia diz: “No Brasil, a polícia rotineiramente deixa de investigar a violência cometida contra indivíduos GLBT”.

A polícia brasileira tem imensa dificuldade de investigar todos os 50.000 assassinatos por ano, onde os heteros são vítimas. Se os EUA quiserem conceder asilo para todas as vítimas de crimes violentos no Brasil, os pedidos de asilo aumentarão para no mínimo 500.000 por ano. Por que achar que no Brasil somente homossexuais são vítimas de violência e assassinato num sistema socialista onde criminosos fortemente armados são livres para atacar vítimas fortemente desarmadas? A população inteira do Brasil é vítima desse cruel sistema.

Enquanto estou escrevendo este artigo, o Brasil está abalado com o desaparecimento e assassinato de seis adolescentes (Diego, de 13 anos; Paulo Victor, de 16 anos; George, de 17; Divino, de 16; Flávio, de 14; e Márcio Luiz, de 19 anos). O caso ganhou repercussão nacional nesta semana com a prisão do criminoso, Admar de Jesus, que é homossexual. Ele havia cumprido pena de quatro anos de prisão por pedofilia em Brasília, mas logo que foi solto começou a estuprar e matar rapazes. Há milhares de meninos brasileiros anualmente vítimas de estupradores homossexuais. A Universidade de Columbia lutará para que eles também obtenham asilo nos EUA?

Contudo, o pedido de asilo de Souza pode ser parte de um grande esquema político entre ativistas gays dos EUA e ativistas gays do Brasil — e a presença do Grupo Gay da Bahia é evidência do ativismo envolvido. Uma forte lei anti-homofobia já foi aprovada nos EUA e o asilo de Souza pode dar ao governo de Obama a desculpa perfeita para pressionar o Brasil a aprovar uma lei de “proteção” aos homossexuais que até agora Lula e seu governo não conseguiram passar, devido à resistência cristã.

Essa “proteção”, é claro, protegerá, promoverá e imporá ainda mais a agenda gay no Brasil.

A maioria dos 800.000 brasileiros assassinados não procurou zonas de prostituição e tráfico de drogas. Eles também não tinham direito à asilo nos EUA.

Mas muitos homossexuais preferem morrer a deixar suas Praças da República. Com a rota de asilo aberta por Souza, agora eles poderão ter uma segunda opção: as “seguras” zonas de prostituição e drogas dos EUA.

Portanto, num certo sentido, o Brasil deveria ser muito agradecido à Universidade de Colúmbia: Se todos os homossexuais brasileiros seguirem a rota de Souza, os meninos brasileiros nunca mais sofrerão desaparecimentos, estupros e assassinatos cometidos por estupradores gays, e o Brasil ficará livre dos ativistas gays, suas mentiras e tirania.

Fonte: www.juliosevero.com/OVERBO

Avó culpa seita por sumiço de menino

Segundo ela, adolescente teria sido castigado após praticar sexo.
A microempresária Valdete Ferreira da Silva, de 60 anos, disse que seu neto Lucas Lourenço de Almeida, de 17 anos, estaria desaparecido da comunidade evangélica “Jesus Verdade que Marca”, no Sul de Minas, onde mora há cinco anos.
Segundo ela, pessoas que participaram da seita e conseguiram voltar para o interior de São Paulo contaram que o jovem praticou sexo — o que não é admitido pelos líderes do local — e foi castigado duramente por uma semana. Depois, não foi mais visto.
Há cerca de 15 dias, a mulher teria tentado entrar em contato com suas filhas Valéria (mãe de Lucas) e Kátia, mas não obteve notícias do neto.
Desde que seus familiares foram aliciados, Valdete diz saber pouco a respeito deles. Na última vez que Valéria teria ido a Rio Preto, no fim do ano passado, para buscar R$ 55 mil referentes a uma ação trabalhista do marido, para doar ao grupo, ela não visitou a mãe ou outros parentes.
Valdete acusa a comunidade religiosa de manter os fiéis como escravos em suas propriedades. “Eles separam homens, mulheres e crianças. Os trabalhadores vivem à base de doações e são vigiados o tempo todo”, afirma. Até o fechamento desta edição, a reportagem não conseguiu falar com os responsáveis pela comunidade.

Agência Bom Dia/Notícias cristãs

Midiatização traz mudanças no campo religioso

Estudiosos da religião e dos meios de comunicação assinalaram que a midiatização da religião está gerando profundas mudanças na concepção da autoridade institucional dos movimentos e grupos religiosos no mundo.
No Congresso sobre Comunicação Religiosa, realizado em Chicago de 7 a 12 de abril, Stewart Hoover sustentou que as pessoas experimentam hoje uma intensa busca de espiritualidade coletiva e individual através de outros espaços, diferentes daqueles que a religião tradicionalmente institucionalizada oferece.
Diretor do Centro para os Meios, a Religião e a Cultura da Universidade de Colorado, Hoover afirmou que “as instituições religiosas tradicionais sentem-se ameaçadas porque os meios provêem um novo contexto no qual os crentes podem compartilhar idéias, símbolos e valores comuns”. Neste novo cenário, os fiéis recriam a fidelidade religiosa, construindo novas imagens de autoridade e pertença, acrescentou.
O presidente da Associação Mundial para a Comunicação Cristã (WACC, a sigla em inglês), Denis Smith, sustentou que em vários países do mundo se observa, por um lado, que junto com a perda de poder cultural que a religião tradicional experimenta, há uma significativa emergência de novos atores religiosos que aparecem como menos hierarquizados e marcados por uma perspectiva empresarial da fé.
Nesse contexto, os meios se converteram em plataformas públicas das tensões e negociações que o campo religioso contemporâneo dá conta, disse Smith. “Vivemos numa época em que a extraordinária efervescência da indústria tecnológica convive com ancestrais tradições culturais, e o crescente pluralismo coexiste com os neofundamentalismos”, avaliou.
Smith agregou que os grupos religiosos experimentam, simultaneamente, pressões para consolidar suas identidades particulares e ao mesmo tempo assimilam os valores da cultura dominante.
A professora universitária Heidi Campbell, do Texas, compartilhou suas recentes pesquisas sobre religião no ciberespaço. Ela detectou que as práticas religiosas virtuais que transitam no mundo da Internet contribuem para a construção de novas formas de estabelecimento da autoridade religiosa, tanto no interior das comunidades de fé como na esfera pública.
“A Internet está criando novos líderes religiosos e novas comunidades de fé. E isto afeta não só os papéis senão também as estruturas de autoridade e os padrões de organização sobre os quais tradicionalmente se afirmaram as igrejas e os grupos religiosos”, afirmou.
Campbell observou que mais do que uma simples rejeição ou aceitação sobre o uso das novas tecnologias da comunicação, as comunidades religiosas estão desenvolvendo estratégicas negociações a partir de suas histórias e crenças com as novas formas de crer que as redes sociais midiáticas propiciam.
Os estudiosos de diferentes campos concordaram que os meios não são hoje meros canais de difusão de idéias e crenças religiosas. Sua interatividade está contribuindo significativamente para moldar novas articulações da religião, nas quais os tradicionais mitos, símbolos e rituais estão sendo transformados pela midiatização da cultura.

ALC/Notícias Cristãs

Menina escapa e revela 'torturas'

Priscilinha, 17 anos, não fala com a avó há três anos
Priscilinha, 17 anos, diz que ficou desnutrida, parou de estudar na 6ª série e foi vítima de terrorismo psicológico.

As mãos grossas, que começam a descamar por conta de um distúrbio emocional revelam parte do sofrimento de Priscilinha, 17 anos, uma das cerca de dez pessoas de Rio Preto que viveu na comunidade religiosa Jesus Verdade que Marca e conseguiu voltar para a cidade.
Ela chegou há cerca de 6 meses, deixando para trás a mãe e a avó. Veio apenas com o dinheiro da passagem para morar com um namorado, que a expulsou de casa semanas depois. Hoje, vive de favor na casa de conhecidos e tem dificuldades para encontrar emprego. Ela parou de estudar na sexta série.
Desde 2001, a menina é vítima de um grupo que alicia fiéis para trabalhar em pequenas cidades do sul de Minas Gerais e na capital paulista. O grupo, liderado pelo pastor José Cícero Araújo, foi acusado na Justiça por lavagem de dinheiro e contratação de mão-de-obra escrava. Hoje, se autodenominaria associação para evitar processos judiciais de pessoas que doaram seus bens, se arrependeram e pediram o dinheiro de volta.
A mãe de Priscilinha, que passava por dificuldades na época, conheceu a seita por meio da filha de sua patroa e se iludiu com as promessas de ajuda. Logo vendeu os móveis, doou o dinheiro para a seita e passou a viver com 11 desconhecidos. Em 2005, se mudou para Caxambu (MG) com a filha. Dois ou três anos mais tarde, a avó da menina também foi embora.
Ao chegar no estado vizinho, as famílias são separadas. Há pelo menos dez fazendas com 150 pessoas em cada uma. Sem contar os estabelecimentos comerciais em nome de laranjas, que dominariam a concorrência nas regiões de São Vicente de Minas, Minduri, Andrelândia e Caxambu.
Nos primeiros dias em território mineiro, a jovem diz que as refeições eram à base de quirela, alface e miúdos. Também chegaram a preparar carne de animais selvagens como corujas e macacos.
“Fiquei desnutrida. Eu não me adaptava àquela comida.”
Ainda criança, foi obrigada a parar de estudar sem completar o ensino fundamental para trabalhar.
“Só alguns (escolhidos pelos pastores) chegam à faculdade, para dar continuidade ao sistema.”
A jovem acrescenta que aposentadorias, pensões e até mesmo valores referentes ao programa Bolsa-Família, do governo federal, são entregues para os evangelistas. Os trabalhadores não recebem salário. Têm apenas produtos básicos para higiene pessoal e roupas baratas.
“Se alguém pede dinheiro para comprar alguma coisa diferente, eles dizem que Jesus sofreu por nós e que nós devemos sofrer também.”
Há quase três anos Priscilinha não tem notícias da avó. Mesmo ao lado da mãe, admite não ter intimidade para conversas a sós. “As regras são muito severas. Não deixam a gente ter amigos fora da comunidade, namorar ou ligar para parentes. Tudo é vigiado.”
Aos 14 anos, ela conseguiu vir para Rio Preto pela primeira vez e ficou com uma tia, época em que se apaixonou. Voltou para São Paulo com a mãe, à força, mas conseguiu manter contato escondido com ele até escapar de novo.
A doutrina, segundo informações dela, prepara os seguidores para a morte. Nos cultos de sexta-feira, os pastores pregam que Jesus voltará à Terra e as pessoas devem se martirizar.
“Eles perguntam se estamos prontos para ter nossos olhos arrancados.”

‘Lucas foi humilhado em público por fazer sexo’
O adolescente Lucas Lourenço de Almeida, 17 anos, estaria desaparecido da seita Jesus Verdade que Marca, segundo denúncia publicada com exclusividade, terça-feira, pelo BOM DIA.
Priscilinha conta que há cerca de dois anos todos os jovens do grupo foram convocados para uma reunião, por que estariam rebeldes.
Lucas foi usado como exemplo aos demais. Ele teria praticado sexo com a filha do evangelista Estevão, o que é proibido pelos líderes da comunidade. Por isso, foi xingado e passou o culto de joelhos, no altar.
Depois, a família foi transferida da fazenda F-4, onde morava com o menino, e os colegas foram proibidos de falar com ele. Os trabalhos de cultivo da horta também teriam sido substituídos pela construção de tijolos.
“Cheguei a passar pelo local algum tempo depois, mas não o vi nem tive notícias”, conta a jovem.
O BOM DIA conseguiu falar por telefone com Kátia Marques Poliane, tia do menino e que também faz parte da seita. Ela disse que as acusações não têm fundamento, já que Lucas vive em uma fazenda entre Madre de Deus e São Vicente de Minas com os pais e nunca foi agredido.
Entretanto, não soube afirmar o telefone dessa fazenda ou sua localização precisa. A microempresária Valdete Ferreira da Silva, mãe de Kátia e avó de Lucas, disse ter falado com a filha há 15 dias pedindo notícias do menino e não teve retorno até agora.
Kátia disse que não passou o recado por que não falou mais com o sobrinho nem com a irmã, Valéria.
Os responsáveis pela Jesus Verdade que Marca não foram localizados pela reportagem até o fechamento.

Agência Bom Dia/Notícias cristãs

Padre adormece durante telefonema em linha de apoio a suicidas

Potencial suicida usou linha telefónica a pedir apoio durante a madrugada, mas a única ajuda que obteve foi perceber que o padre que o atendera adormeceu por duas vezes a meio do monólogo.
Eram duas da manhã de sexta-feira quando um potencial suicida sueco ligou para uma linha telefónica de apoio a pedir ajuda, por encontrar-se "psicologicamente instável". Ao fim de cinco minutos de conversa, porém, o homem teve a sensação de estar a falar sozinho: do outro lado, o padre que o atendera tinha adormecido.
"Ainda pensei que ele poderia estar a tirar apontamentos, mas quando lhe perguntei se era isso que estava a fazer, a única resposta foi a respiração forte de quem está a dormir", conta o potencial suidida, de 44 anos. O tom de voz surpreso do homem acabou por fazer acordar o padre, que após mais cinco minutos de conversa demonstrou estar novamente a dormir.
A depressão deu lugar à raiva e o homem, fragilizado e cansado do monólogo, desligou o telefone com os pensamentos suicidas postos de lado, contou o próprio a um jornal local. "Isto nunca poderia ter acontecido. Sentia-me mal, tinha vontade de me matar, mas mesmo assim forcei-me a fazer o telefonema em busca de ajuda. O que encontrei do outro lado deixou-me muito desapontado".
De acordo com a paróquia local, não é a primeira vez que tal acontece. Após a queixa, fica a "promessa de que no futuro não será contratado ninguém que não tenha capacidade de ficar acordado até tarde".

Expresso/Notícias Cristãs

Denuncia afirma que ex bispo da Renascer estaria tentando tirar membros da denominação de Estevam Hernandes


Um mês após ter se desligado da Igreja Renascer, Blanche Bruno envia centenas de convites para fiéis de sua antiga igreja. O alvo principal são os líderes de baixo escalão, conhecidos na denominação como oficiais.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O convite que chega por e-mail convidando para os cultos de sua nova igreja, a Casa da Rocha, traz no corpo da mensagem o endereço eletrônico da mulher do Bispo Zé Bruno, como a primeira remetente.

Durante um culto, Zé Bruno chegou a dizer que não convidou ninguém a segui-lo. “Quem recebeu uma ligação minha ou um e-mail meu levante a mão”, disse na ocasião.

Nesta mesma linha, Blanche Bruno – que era bispa na Renascer Jardins – divulgou uma nota após sua saída da Renascer onde dizia: “Após o nosso desligamento liguei para os pastores do Jardins, pois após sete anos caminhando juntos expliquei a nossa saída sem nenhum tipo de ‘contaminação’. Não liguei para nenhum oficial, não chamei ninguém para nos acompanhar… acreditamos que nossa aliança não foi rompida porque ela está baseada no sangue de Cristo e continuamos sendo irmãos e não somos adversários, nosso adversário vocês sabem quem é, satanás”, dizia a nota.

Para Ricardo Mariano, estudioso de religião na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, esse efeito de “pescar no próprio aquário” é uma característica repetitiva dos evangélicos. Igrejas como Mundial, Internacional Graça, Bola de Neve, dentre outras, cresceram pescando fiéis de outras denominações e não através de evangelismo. “Poucos eram do meio católico, tradicional fornecedor de fiéis para denominações evangélicas”, segundo Mariano.

Fonte: Denuncia Gospel / Gospel+

Culto da Igreja Assembléia de Deus de Madureira vira palanque político


O que deveria ser só um culto religioso, com cerca de cinco mil evangélicos, na Assembleia de Deus de Madureira, transformou-se ontem em palanque eleitoral liderado pelo ex-governador Anthony Garotinho, pré-candidato do PR ao governo. Ao lado da mulher, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, e do pastor Manoel Ferreira, que disputará o Senado pelo PR, Garotinho, em seu discurso, pregou: “Vai ser eleito governador de tudo que é tipo e senador de tudo que é estado do Brasil. Mas só vai ser eleito um governador crente, um senador crente”. Veja em vídeo trecho do discurso de Garotinho

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O evento marcou o lançamento do “Manual Feminino da Cidadania”, que reproduz trechos polêmicos do Programa Nacional de Direitos Humanos do governo Lula – como o apoio ao projeto de lei que defende a união civil de pessoas do mesmo sexo, criticado por Garotinho.

O manual distribuído ao fiéis destaca as “22 razões para não fazer aborto”, ao lado de imagens de fetos mortos. São listadas ainda as “22 razões para orar por Garotinho”. Na contracapa, ele aparece com Rosinha e os filhos, com o título: “Quem tem família, defende família”.

Fonte: O Globo / Gospel+

Pedófilo assassino de Luziânia frequentava a Igreja Universal e afirma ouvir a voz do diabo



Admar de Jesus Santos não tem amigos. Costumava sair nos fins de semana apenas para assistir a cultos na Igreja Universal do Reino de Deus. Além de solitário, os vizinhos consideram o pedreiro de 40 anos um sujeito discreto. Poucos sabem do seu passado, tão sombrio quanto o presente. A mulher teria se matado com veneno. Os filhos do casal acabaram criados pelo avô paterno. Além de perder a mãe de forma trágica, as crianças viram o pai ser preso. A Justiça de Brasília o condenou a 14 anos de prisão, em 2005, por abusos sexuais contra dois meninos, de 8 e 11 anos. No entanto, em 23 de dezembro último, o pedófilo deixou a penitenciária da Papuda pela porta da frente. Sete dias depois, voltou a agir como criminoso. E não parou mais, até ser detido novamente pela polícia e confessar a morte dos seis adolescentes de Luziânia (GO) dados como desaparecidos.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Desde a sua segunda prisão, no último sábado, 10, Admar disse pouco. Mas o suficiente para os investigadores o apresentarem nessa terça-feira, 13, como o assassino em série que atormentou Luziânia por 101 dias e seis corpos serem encontrados enterrados num terreno ermo da área rural do município a 70km de Brasília. Sem demonstrar arrependimento ou remorso pelas execuções que admitiu ter cometido a sangue frio, ele levou os policiais aos locais onde enterrou suas vítimas mais recentes. Apontou uma a uma as covas rasas. Algumas, cavadas com as próprias mãos, segundo os policiais. Os cadávares estavam em avançado estado de decomposição. Os investigadores, porém, dizem não ter dúvidas de serem os restos mortais dos meninos de 13 a 19 anos, sumidos entre 30 de dezembro e 29 de janeiro.

Nascido em uma família pobre de nove irmãos, baiano de Serra Dourada, cidade de 18 mil habitantes onde o seu pai e os filhos residem, Admar chegou a Luziânia há 16 anos. Só deixou o município goiano de 210 mil moradores no período em que esteve preso por abusar de duas crianças no Distrito Federal. Nesse caso, ofereceu dinheiro para um menino ajudá-lo a descarregar um caminhão. Com uma faca no pescoço, o garoto acabou forçado a manter relações sexuais com ele. “O menino escapou dizendo que traria um coleguinha, mas chamou a polícia. Quando os policiais chegaram ao local, ele (Admar) já estava abusando de outro garoto. Isso prova que ele tem alto poder de convencimento”, contou o delegado Wesley Almeida, da Polícia Federal, que também investiga o mistério de Luziânia.

Em entrevista coletiva concedida na segunda-feira, 12, na Secretaria de Segurança Pública de Goiás, o pedreiro Admar Jesus confessou ter assassinado, a pauladas, seis jovens de Luziânia (GO), cidade que fica a 70 Km de Brasília.

“Estou arrependido”, disse o pedreiro, que afirmou ainda ter mantido relações homossexuais com duas das vítimas.

Psicopata

Antes de ser liberado da Papuda, Admar passou por avaliação de sanidade. Para um médico do sistema carcerário de Brasília, ele tem o perfil violento de um psicopata e deveria ter acompanhamento psiquiátrico, o que não ocorria. Dizendo ter o laudo sobre o pedreiro, o delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, Aredes Pires, não entende como ele voltou às ruas. “Seis vidas se perderam, há um sofrimento enorme das famílias e, talvez, isso poderia ter sido evitado”, ressalta.

O responsável pelos inquéritos, delegado Juracy José Pereira, não tem dúvidas de que se trata de um serial killer, pelo jeito metódico com que Admar agia e a motivação do crime. O perfil das vítimas é o mesmo. Meninos adolescentes — o único maior de idade tinha rosto de menino. Segundo Juracy Pereira, a pouca idade facilitaria o aliciamento. A abordagem era feita sempre à luz do dia, sem violência, com motivação sexual e desfecho já premeditado: a morte da vítima para eliminar provas contra ele.

As investigações revelaram ainda que, com exceção de uma das abordagens, as demais obedeceram a uma sequência lógica dos dias da semana. “Os desaparecimentos ocorreram, respectivamente, na quarta, segunda, domingo, quarta, segunda, sexta e domingo”, pontuou o delegado. “Para mim, esses fatos caracterizam ação de um assassino em série.”

Agentes também desconfiam que Admar teve ajuda de outras pessoas nos crimes de Luziânia. Ele nega. A Justiça do estado vizinho do DF mandou prender o acusado por ao menos cinco dias. O tempo pode ser renovado quantas vezes o juiz achar necessário para os investigadores levantarem provas.

No primeiro depoimento informal, na manhã de sábado, 10, Admar não deu muitos detalhes, mas disse ter oferecido R$ 200 a cada um dos seis jovens, em troca de relações sexuais. Alegou ter matado todos a paulada para não ser denunciado, como ocorreu há cinco anos, em Brasília. “Quatro dos seis jovens tinham relacionamento homossexual e em função disso prendemos dois pedófilos que, em princípio, acreditávamos ter envolvimento com os desaparecimentos. Eles continuam presos por crimes cometidos em Niquelândia, mas não são os responsáveis pelos sumiços de Luziânia”, afirmou Aredes Pires.

Acima da média

A polícia goiana relutou para abrir investigação sobre os sumiços em série de garotos em Luziânia. A delegacia da cidade só começou a dar atenção ao caso após pressões geradas por uma série de reportagens do Correio — o primeiro a denunciar os desaparecimentos, ainda em 16 de janeiro — e o quinto desaparecimento, ocorrido em 20 de janeiro. Insatisfeitas, as mães dos meninos procuraram o Ministério da Justiça, que em 9 de fevereiro mandou a Polícia Federal dar apoio à Polícia Civil de Goiás. Para o delegado Wesley Almeida, da Divisão de Combate ao Crime Organizado da PF, o pedreiro tem “alto poder de persuasão e provavelmente inteligência acima da média”.

Admar passou a madrugada de sábado para domingo preso na delegacia de Luziânia. Revoltada, a população ameaçava invadir o prédio e linchar o acusado. Por questões de segurança, os agentes levaram o assassino confesso dos seis adolescentes de Luziânia para Goiânia. Ele deixou o município do Entorno do DF por volta das 10h30, logo depois de ter apontado os locais onde enterrou os corpos. No início da noite, seguiu para o um presídio de Aparecida de Goiânia, nos arredores da capital do estado. Enquanto isso, em Luziânia, policiais militares tentavam conter a raiva de moradores de Luziânia, que cercavam a casa onde o pedreiro morava com a irmã, o cunhado e dois sobrinhos.

Ouvia vozes

Ele disse que ouvia vozes que o mandavam transar com os jovens, mas que depois sentia raiva e por isso os matava com pauladas e a golpes de enxada.

“Eu ouvia vozes que me mandavam transar com os garotos”, disse o pedófilo que ainda afirmou acreditar serem a voz do diabo.

Inicialmente, o pedreiro afirmou que só havia tido relações homossexuais com dois dos garotos. As declarações dadas na Secretaria de Segurança Pública de Goiás foram acompanhadas pela CPI da Pedofilia, em andamento no Senado, e tomadas a portas fechadas.

Ele também chegou a dizer que recebia dinheiro para matar os adolescentes e que estaria cobrando deles uma dívida de drogas. A versão apresentada ao final do depoimento, no entanto, parece ser, na opinião do relator da CPI, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), a que mais faz sentido. Todos os corpos foram encontrados nus, enterrados próximos uns dos outros.

A CPI quer convocar o juiz Luiz Carlos de Miranda, da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, para questionar por que o magistrado resolveu soltar Admar, embora houvesse um laudo médico assinado por cinco psicólogos atestando que ele era um psicopata. A CPI considerou a soltura como desastrosa.

Fonte: Creio / Gospel+

RockBand agora com bandas internacionais cristãs


Agora qum tem o jogo RockBand para XBox 360 e PlayStation 3 poderá jogar com músicas de bandas internacionais cristãs.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online

A novidade apareceu recentemente no site da loja virtual – uma leva de músicas novas adicionadas ao jogo que contém bandas cristãs. No dia 6 de abril elas apareceram para atualização do jogo para XBox 360 e no dia 9 para PlayStation 3.

As músicas são “Feel Good Drag”, do Anberlin; “Fire It Up”, do Thousand Foot Krutch; “Live Life Loud”, do Hawk Nelson, “Meant To Live”, do Switchfoot; “Monster”, do Skillet; e “Stand In The Rain”, do Superchick.

Fonte: Gospel+
Com informações do site it.sounds..like…

Catedral x MK: banda ganha processo contra a gravadora


A banda Catedral ganhou um proceso que tramitava há quase 10 anos contra a gravadora MK Music, antiga MK Publicitá.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online

Conheça a história:

A banda foi contratada pela MK, onde lançou seus CDs “Contra Todo o Mal” (1994), “O Sentido” (1995), “Eterno” (1996), “Catedral en Español” (1998) e “A Revolução” (1998). O grupo liderado por Kim estava em alta em 1998 e ganhou boas posições no Disk MTV – antigo programa que mostrava os clipes mais pedidos da semana por telefone.

Diante do sucesso, a banda Catedral foi convidada para assinar um contrato com uma das maiores gravadoras seculares: Warner Music. O contrato com a MK Music foi rescindido por acordo mútuo.

Para iniciar a divulgação com a nova gravadora, a banda concedeu uma entrevista ao site “Usina do Som”. Contudo, na entrevista, foram publicadas diversas frases que supostamente ditas pela banda com conteúdo ofensivo à igreja e ao mercado evangélico. Os membros do Catedral negaram veementemente terem afirmado aquilo, acusando o site de ter distorcido o que fora falado.

A gravadora MK publicou em diversos meios de comunicação que a rescisão do contrato havia acontecido exatamente porque a gravadora não queria uma banda sem compromisso cristão (com base na entrevista para o “Usina do Som”). Afirmava em diversos pontos que a banda não estava mais na MK como uma espécie de punição.

A imagem da banda Catedral e de seus componentes foi severamente abalada, uma vez que até mesmo na mala dirta da gravadora MK existiam “alertas” quanto à banda e sua “falta de compromisso”.

Diante de toda esta confusão, a banda Catedral decidiu processar a MK. A gravadora, por sua vez, tentou virar o processo através de uma “Reconvenção” – onde o autor vira réu e vice-versa – o qual não logrou êxito.

Sentença

Após quase 10 anos de briga judicial, o juiz Werson Franco Pereira Rêgo proferiu sentença nos processos, condenando a gravadora a pagar uma indeização no valor de 300 mil reais a título de danos morais em cada um dos dois processos ajuizados pela banda e por seus componentes que também viram seus trabalhos solos afetados. O prazo para a gravadora recorrer da decisão já terminou e o site do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro não aponta a interposição de apelação, recurso cabível no caso.

Fonte: Gospel+
Com informações do site do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e NT Gospel

André Valadão com problemas sérios de saúde


O cantor cristão André Valadão divulgou ontem, 13/04, no seu Twitter oficial (http://twitter.com/andrevaladao) que tem desde a infância uma séria doença nos rins que causa a diminuição da função de filtragem que o órgão tem.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online

André fez ontem uma biópsia nos rins – um exame de urgência solicitado pelos médicos. André não esclarece se a doença já foi diagnosticada ou não, mas informou que seus rins já sofreram uma perda de 50%.

O cantor pede aos fãs orações para que seja feito um milagre na sua vida.

Fonte: Gospel+
Com informações do Twitter Oficial de André Valadão

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Casal é preso na Índia por decapitar filho de vizinho em ritual religioso

A polícia indiana deteve nesta terça-feira um casal acusado de ter sacrificado em um templo um menino de três anos, filho de seus vizinhos, durante uma cerimônia de bruxaria com a qual supostamente esperavam ter um filho, informou hoje uma fonte policial.
O fato ocorreu em um templo do distrito de Kanshiram Nagar, situado no Estado de Uttar, norte do país, segundo informou a fonte à agência indiana "Ians".
"É um ato truculento de sacrifício. Ompal (o nome do menino) foi encontrado decapitado em um templo com uma de suas mãos cortadas em pedaços", disse à imprensa indiana o inspetor de polícia M. C. Gangwar.
Segundo a polícia, o casal de detidos admitiu ter sacrificado o menino, seguindo instruções de um homem "autoproclamado deus", que lhes assegurou que teriam um bebê se sacrificassem uma criança.
Nas zonas rurais indianas, milhares de curandeiros, bruxos e xamãs aproveitam as superstições de uma população empobrecida e sem acesso à educação para ganhar a vida.
Os Estados mais pobres registram, além disso, frequentes casos de acusações de magia negra e caças de bruxas, que ocasionam em alguns casos de humilhantes desfiles públicos ou até assassinato das vítimas.
Embora a polícia já tenha iniciado a busca do homem que influenciou o casal a realizar a decapitação da criança, em muitos casos os "doutores em bruxaria" conseguem escapar, pois convencem os aldeões a não os denunciar, sob ameaça de praticar magia negra.

US/Notícias Cristãs

Pastor da Igreja homossexual afirma sofrer preconceito de pastores heterossexuais


Fundada em 2007 no Rio de Janeiro, a Igreja Cristã Contemporânea já possui mais de 500 membros. Em março, a igreja pastoreada pelos pastores homossexuais Marcos Gladstone, 34, e Fábio Inácio, 29, foi inaugurada em Belo Horizonte (MG). Na capital mineira, a pastora responsável é Márcia Santos, que também é homossexual.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

No primeiro culto, realizado em um hotel da cidade, estavam presentes 20 pessoas. No último domingo, dia 11/04, 80 pessoas já estavam freqüentando a igreja. Mas o crescimento do número de membros e a disseminação da igreja não tem agradado outros evangélicos.

O pastor Marcos Gladstone disse sofrer preconceito de outros pastores, que afirmam que a igreja não é aceita por Deus. “Todos os dias recebemos mensagens homofóbicas que dizem que estamos possuídos pelo diabo. O que as pessoas não entendem é que nós, homossexuais, não fizemos uma escolha. Nascemos assim. É como ter a pele branca ou negra. Não é uma opção. Mas essas pessoas podem dizer o que for, pois somos blindados contra o preconceito e vamos seguir em frente”, disse Gladstone.

O pastor contou que ele e seu companheiro, o também pastor, Fábio Inácio, recebem e-mails diariamente condenando a iniciativa de fazer uma igreja destinada ao público homossexual.

De acordo com os pastores, que desde criança tiveram formação evangélica, o preconceito sempre foi muito grande. Por isso, segundo ele, a igreja Contemporânea nasceu de um sonho e do amor que sentem por Jesus. “Durante anos convivemos com os preconceitos contra homossexuais. Enfrentamos conflitos pessoais, mas hoje sabemos que Deus nos aceita como somos”, disse Gladstone.

O objetivo da igreja é receber os homossexuais convertidos ao cristianismo, mas que sofrem preconceito dentro da própria igreja, como é o caso do cabeleireiro Guilherme Medeiros Fraga, 25, que foi o principal incentivador da instalação da igreja em Belo Horizonte. “Sempre fui evangélico, mas não era aceito na minha igreja. Queria participar mais dos cultos, mas não podia”, disse.

Para os pastores Deus ama a todas as pessoas e não condena a opção sexual. Eles ensinam que Deus reprova a libertinagem, por isso uma união tem que ser monogâmica.

Embora seja frequentada por homossexuais também há a presença de heterossexuais. De acordo com o pastor Fábio Inácio, o formato dos cultos segue o mesmo padrão de outras igrejas evangélicas. Há momentos de louvor, pregação e oração. O diferencial é a mensagem de aceitação aos homossexuais. “Estamos levando a palavra de Deus para aquelas pessoas que desejam fazer parte de uma congregação, mas não são aceitas devido a sua orientação sexual”, falou.

Evangelização

Os membros da Igreja Cristã Contemporânea evangelizam em boates, praças e locais onde há prostituição. Quando abordam as pessoas falam sobre o amor de Deus. “Tentamos mostrar para as pessoas que Deus as aceita como elas são e a receptividade tem sido muito boa. As pessoas param e nos escutam. Os homossexuais estão sedentos desse tipo de igreja”, disse Gladstone.

Casamento homossexual

No dia 19 de abril, na sede do Rio de Janeiro, será realizado o casamento Bruno Bállico, 18, e João Neto, 27. Os companheiros, que se conheceram pela internet têm uma união estável há mais de um ano, por isso decidiram oficializar a união na Igreja Cristã Contemporânea.

Fonte: Gospel+

Retratação – Davi Silva

PARTE 01


PARTE 02

Davi Silva, do Ministério Casa de Davi, assume que mentiu em seus testemunhos


O pastor e cantor Davi Silva confessou em um vídeo postado ontem, 12/04, no site Casa de Davi que seu testemunho é falso e que desde criança tem problemas com a mentira. Amparado pelo pastor Mike Shea, o pastor fundador da Casa de Davi em Londrina disse que se apropriou do testemunho de outra pessoa e contou como sendo seu.
“Desde agosto de 1999 tenho ministrado junto com Mike pela nação brasileira e em outras nações também. Durante esses anos tenho compartilhado vários testemunhos, a começar com minha cura da Síndrome de Down, passando por sonhos, visões e arrebatamentos e diversas experiências sobrenaturais”, disse no vídeo.
Davi Silva disse que está arrependido por sua escolha de mentir. “Me preocupo com o ‘escândalo’ que eu tenho trazido para o corpo de Cristo. Entendo que mais cedo ou mais tarde tudo isso viria à luz, pois a palavra de Deus afirma que todo oculto e escondido será revelado”, falou.
Após confessar suas mentiras o pastor disse que se afastará das atividades ministeriais até o final deste ano, mas pede que as pessoas orem por ele. “Estou no início do processo de minha restauração. O primeiro passo é pedir perdão para você, pois menti para ti. Ainda estou apurando todos os testemunhos que contei. Peço sua paciência enquanto eu apuro toda a verdade durante esse período”.
Ele ainda não tem dimensão de todos os testemunhos mentirosos que contou, pois suas mensagens foram espalhadas para vários outros países, por isso está fazendo um levantamento para descobrir as mentiras contadas. Nos próximos meses ele escreverá um documento relatando esses testemunhos.
O pastor Mike Shea, companheiro de ministério disse que todos já perdoaram Davi e que os CDs e DVDs são fruto de experiências espirituais coletivas. “As mentiras do Davi não anulam a realidade do sobrenatural de Deus. As mentiras do Davi não anulam as verdades da Palavra de Deus. Tampouco as mentiras anulam as experiências que você teve com Deus em nossos seminários”, falou.
Mike Shea também falou do amor que sente por Davi e disse que irá compartilhar a ministração de Deus na vida de Davi nos próximos meses.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online

Para ver os vídeos, clique AQUI.

Confira o texto na íntegra

Olá, eu sou o Mike.
Há quase 40 anos que prego a mensagem do Evangelho: Arrependei-vos, pois é chegado o Reino dos céus. Nos últimos 10 anos tenho pregado essa mensagem intensamente, declarando que nossa libertação, a nossa cura, a nossa liberdade, em fim, a nossa salvação depende do nosso arrependimento.
A nossa salvação é vivida e fundada na obra de Jesus Cristo, mas a apropriação dela depende de nosso arrependimento, pois a mensagem do reino é: Arrependei-vos, pois é chegado o Reino do Céus.
Os que entendem esta pregação compreendem que o Reino de Deus nunca virá sobre a terra sem que haja arrependimento. Há quase 11 anos que prego junto com Davi essa mensagem.
Nós queremos o Reino /Governo de Deus na terra, custe o que custar. Tenho pregado a palavra: produzi frutos dignos de arrependimento; e hoje, nós nos encontramos como alvo desta pregação.

Palavras de Davi Silva
Desde agosto de 1999 tenho ministrado junto com Mike pela nação brasileira e em outras nações também. Durante esses anos tenho compartilhado vários testemunhos, a começar com minha cura da Síndrome de Down, passando por sonhos, visões e arrebatamentos, e diversas experiências sobrenaturais.
Pois bem, em quase todos esses testemunhos eu acrescentei mentiras. Alguns deles são totalmente mentirosos. Inclusive um deles, eu roubei de um irmão em Cristo que teve a experiência que conto como sendo minha. Outros testemunhos são meus e em parte verdadeiros.
Menti para minha família, meu ministério, a igreja do Senhor e outros na sociedade que ainda não conhecem a Jesus. Estou escrevendo este texto e também fazendo um vídeo, porque eu contava esses testemunhos desde 1999, tanto em solo brasileiro, como em viagens para os Estado Unidos, Nova Zelândia, Austrália, Argentina, Paraguay e Uruguay. Eu contava em nossos seminários, em clínicas pastorais, conferências proféticas e apostólicas que reuniam pessoas do mundo inteiro. Esses testemunhos foram gravados em CDs e DVDs, comprados e espalhados para lugares onde só Deus sabe. Pessoas ouviram os meus testemunhos e não sabendo que continham mentiras, escreveram em blogs, revistas, e livros. Deram entrevistas, como eu também tenho dado, em rádio e televisão, repassando verdades e, infelizmente, as mentiras contidas em meus testemunhos.
Estou profundamente arrependido. Tremendamente envergonhado. Triste ao extremo pelos meus atos. Eu escolhi mentir, enganar. Eu escolhi decepcionar.
Como disse o Mike, eu também tenho pregado essa mensagem de arrependimento pelas nações.
Estou fazendo esta confissão dessa forma porque é coerente com o que tenho pregado, e estou procurando agir com verdade, arrependimento e confissão na medida do meu pecado.
Se alguém mentir para uma pessoa, é necessário pedir perdão a Deus e à pessoa para qual se mentiu, e além disso, desmentir a mentira. Pois eu menti para centenas de milhares de pessoas espalhadas pelo mundo, e por isso torno pública minha confissão.
Nesses 10 anos, eu tive momentos para me arrepender quando as consequências não teriam sido tão graves. Na verdade, eu lido com esse pecado de mentira desde minha infância. Por isso eu sei que, o passo que dou hoje é necessário para que haja a verdadeira conversão e transformação na minha vida. Tanto agora, como na infância, fui flagrado nesse pecado, mas até hoje não havia produzido frutos de um arrependimento digno.
Eu continuo no ministério Casa de Davi. Vou permanecer em Londrina, sem ministrar, durante o restante deste ano de 2010.
Preciso passar por um processo de restauração. Preciso reconstruir o que destruí com as mentiras e preciso de transformação nessa área da minha vida antes de voltar a ministrar.
Peço perdão a você, para quem menti e envolvi na minha mentira. Peço que o Senhor Jesus purifique a Igreja da minha injustiça.
Me preocupo com o “escândalo” que eu tenho trazido para o corpo de Cristo. Entendo que mais cedo ou mais tarde tudo isso viria à luz, pois a palavra de Deus afirma que todo oculto e escondido será revelado.
Peço que façam distinção entre a minha pessoa, meu pecado, e os princípios que o ministério Casa de Davi tem pregado e ensinado. Todas as mensagens que o ministério Casa de Davi tem ministrado nos seminários pelo Brasil e outros países permanecem intactas. A minha mentira não abala a integridade das palavras e mensagens proféticas do ministério.
Peço que não percam as experiências sobrenaturais, pois minhas mentiras não anulam a realidade do sobrenatural de Deus.
Peço sua orações, enquanto eu oro para que o Senhor cure a igreja das feridas causadas por mim e pelas minhas mentiras.
Estou no início do processo de minha restauração. O primeiro passo é pedir perdão para você, pois menti para ti.
Ainda estou apurando todos os testemunhos que contei. Peço sua paciência enquanto eu apuro toda a verdade durante esse período.
Nos próximos meses escreverei um documento onde serão relatadas as verdades e mentiras dos testemunhos que tenho contado.
Conto com o amor, a graça e misericórdia do Senhor, de minha família, de meus irmãos em Cristo e amigos. Conto também com suas orações. Sei que minha confissão é muito decepcionante para todos. Como me arrependo!
Sinto gratidão em meu coração por poder contar com o amor e perdão da minha mãe, meus irmãos, minha esposa e meus filhos e de todos meus irmãos no ministério Casa de Davi, para os quais eu já me confessei.
Quero expressar aqui que sinto gratidão e alegria de ter a liderança do Mike, que de forma graciosa, com muito amor e cheio de sabedoria tem me acompanhado e ajudado nesse difícil processo de confissão, cura e restauração.
Mais uma vez, perdoe-me pelas mentiras e as decepções que causei na tua vida e no Corpo de Cristo.
Eu os amo.
Espero poder voltar e ministrar novamente, totalmente restaurado e transformado pelo mesmo poder que ressuscitou Jesus dentre os mortos.

Mike Shea

Antes de mais nada eu quero expressar o meu amor e admiração pelo Davi nesse momento. Entendo como esse momento é difícil para ele, sua mãe e irmãos bem como para esposa e filhos, para nós do Ministério e todo o Corpo de Cristo.
Nesses anos todos, temos pregado que a igreja precisa ser um confessionário, onde as pessoas vindo para a família de Deus, e membros da família de Deus possam confessar os seus pecados na certeza de encontrar o mesmo perdão, misericórdia e amor que todos nós temos recebido do próprio Senhor Jesus.
Todos nós somos passivos de correção e da necessidade de confessar os nossos pecados.
Aqui no ministério eu tenho falado de um “campo de misericórdia e amor” que quero criar, para que todos do ministério possam trazer a luz o que for necessário, para que haja transformação das nossas vidas.
Quero afirmar que nós do ministério ouvimos as confissões do Davi e o perdoamos.
Reconhecemos a unção de Deus sobre a vida do Davi. Há muitos anos que prego que Deus não nos usa por causa de nossa perfeição, mas sim pela Sua misericórdia. Por isso, eu não posso desacreditar das coisas que tenho visto e experimentado, acompanhado o Davi ao longo de quase 11 anos. Eu sei que todos os trabalhos que nós fizemos nesses anos vem da parte do Senhor e tem a unção do Senhor.
Todos os nossos Cds e Dvds permanecem inabalados, apesar dos pecados do Davi, pois vieram de experiências coletivas que eu e outras pessoas podemos testificar. As partes mentirosas dos testemunhos do Davi se restringem a experiências pessoais ou experiências com poucas testemunhas. Testifico também e afirmo que as mensagens que Deus tem dado para o Davi realmente vêm do Senhor pois, tirando as partes dos testemunhos pessoais, o restante se baseia na Palavra do Senhor. Por essa razão encorajo os irmãos a não perderem o que receberam através de nossas ministrações e, especificamente, das ministrações do Davi.
As mentiras do Davi não anulam a realidade do sobrenatural de Deus. As mentiras do Davi não anulam as verdades da Palavra de Deus. Tampouco as mentiras anulam as experiências que você teve com Deus em nossos seminários.
Quanto aos escândalos sabemos que a palavra do Senhor traz um ‘Ai’ para as pessoas pelas quais vem um escândalo para os pequeninos. Se estudarmos todo o texto, veremos que está implícito que o Senhor pede uma ação radical para pôr fim no pecado que traz tal escândalo (Mateus 18:7-10).
Hoje o que seria um escândalo na vida do Davi para o pequeninos, ele traz a luz de forma radical.
Sentimos a mesma tristeza que muitos sentirão, mas é importante a confissão que Davi nos faz hoje. Ao invés de ser uma pedra de tropeço, hoje Davi semeia frutos de arrependimento para que os demais sigam seu exemplo de confissão, e não seu exemplo de mentira que, mais cedo ou mais tarde, teria vindo a luz. Nos firmamos na palavra: “Se porém andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus, Seu filho, nos purifica de todo o pecado (1 Jo 1:7).
Com muito temor do Senhor, todos nós do ministério Casa de Davi passamos por um momento de reflexão para ver se há trevas ou sombra em nossas vidas. Quero encorajar a todos os irmãos da família de Deus a fazerem o mesmo.
Nesse momento nós contamos com a tua paciência. Como Davi já disse, esse momento requer que ele passe por um acompanhamento que o ajudará a relembrar precisamente cada testemunho.
Em tempo oportuno, cada um deles serão publicados em nosso site.
Desejo ressaltar algo que Davi já mencionou: nenhuma das palavras, ou ministrações, do ministério Casa de Davi se fundamentam nos testemunhos do Davi e sim na palavra do Senhor.
Por isso, afirmo que os nossos seminários, gravações e outros ensinamentos permanecem intactos, bem como a experiência que Gary Oates registra no seu livro: Abra os Meus Olhos, Senhor.
Convicto disso, o Ministério Casa de Davi continua a atender convites para ministrar aquilo que temos recebido do Senhor. Temos equipes preparadas e ungidas para continuar o trabalho e o bom combate ao qual Deus nos chama. Contamos com as tuas orações.
Eu amo o Davi e sei que ele é um valente no Reino de Deus. Tenho certeza que uma vez tratado, o Senhor há de usá-lo novamente.
Gravados na minha memória estão os muitos momentos em que nós experimentamos a presença e a glória do Senhor, manifestas no meio de dezenas e até milhares de irmãos em Cristo. Anseio por vivê-los novamente.
Por isso te peço que ore pelo Davi para que a boa obra que Deus começou nele se complete (Filipenses 1:6). Peço o mesmo não somente pelo Davi, como por toda a família de Deus no Brasil.
Durante os próximos meses iremos compartilhar o que Deus tem ministrado a nós, na esperança de que aquilo que nós recebemos possa “apascentar” também a tua vida.
Quero expressar em nome de todos nós do ministério Casa de Davi, que amamos e perdoamos o Davi! O Davi é nossa família!
Também é nosso, tudo aquilo que Deus confiou a ele e o que temos recebido de Deus através dele.
Queremos caminhar com o Davi na luz até que o Senhor complete a boa obra que começou em todos nós.
Como disse no início, queremos o Reino de Deus, custe o que custar. Entendendo que arrependimento traz o Reino de Deus, com essa confissão, declaramos:
Venha, Senhor,o Teu Reino!

Fonte: Gospel+
Com informações do site oficial do Ministério Casa de Davi

Vaticano faz as pazes com os Beatles nos 40 anos do fim do grupo

Artigo em jornal elogia banda e perdoa deslizes como ‘uso de drogas’.
John Lennon disse que Beatles seriam mais famosos que Cristo em 1966.
Nesta foto de 1966, os Beatles pedem desculpas pela afirmação de Lennon de que a banda seria 'mais famosa que Jesus Cristo'.

O Vaticano finalmente fez as pazes com os Beatles, dizendo que problemas como o uso de drogas, seu estilo de vida “dissoluto” e que até a afirmação de Lennon de que a banda seria mais famosa que Jesus Cristo ficaram no passado.
O jornal do Vaticano, “L’Osservatore Romano” fez um tributo aos Fab Four na sua edição deste fim de semana, publicando dois artigos e um cartum na primeira página reproduzindo a faixa de pedestres imortalizada pelo grupo na capa do disco “Abbey Road”. O tributo marcou os 40 anos do fim da banda.
“É verdade, eles usaram drogas; levados pelo sucesso, tiveram vidas dissolutas”, diz um artigo do jornal. “Até mesmo chegaram a dizer que eram maiores que Jesus”, recorda o texto, lembrando da declaração de John Lennon em 1966 que enfureceu os católicos de todo o mundo.
“Mas, ao ouvir as suas músicas, tudo isso parece distante e sem sentido”, completa o jornal. “Suas belas melodias, que mudaram a música pop para sempre e seguem nos despertando diferentes emoções, seguem intactas, como pequenas pedras preciosas”.
Não é a primeira vez que o Vaticano elogia o quarteto de Liverpool. Em 2008, a imprensa oficial do país celebrou o legado dos Beatles durante o anversário de 40 anos do “Álbum branco”. E em março o “L’Osservatore Romano” incluiu “Revolver”, de 1966, em uma lista de 10 melhores discos de todos os tempos.
Agora o jornal afirma que as músicas dos Beatles sobreviveram ao teste do tempo, e que a banda permanece “o fenômeno mais duradouro, consistente e representativo da história da música pop”.
Giovanni Maria Vian, editor chefe do “L’Osservatore”, disse nesta segunda-feira (12) que ama os Beatles. Ele afirmou que na época da declaração de Lennon, o jornal “comentou que na verdade não era um escândalo, porque o fascínio por Jesus é tão grande que atraiu aqueles novos heróis da época”.

AP/Notícias Cristãs

Mistério em SP: santa chora mel

Igreja investiga se é verdade de beata, que alegou o mesmo sobre estátua de Jesus.
Depois de Jesus Cristo, mais uma imagem estaria apresentando o fenômeno de chorar mel, na casa de uma beata em São Paulo. O novo fato envolve uma imagem de gesso de Nossa Senhora de Fátima, que teria começado a chorar mel na semana passada. Em fevereiro, na mesma casa, uma imagem de Jesus Cristo já havia apresentado o fenômeno.
O caso será investigado pela Arquidiocese de São Paulo. A casa fica no bairro Sapopemba, na Zona Leste da capital paulista. Segundo Doralice da Silva Carvalho, 67 anos, é a terceira vez que o fenômeno ocorre com imagens religiosas em sua casa. Antes, uma outra imagem de Jesus Cristo também já teria chorado mel.
Fiéis de vários pontos de São Paulo têm feito romarias até a casa para orar perto das imagens da santa e de Jesus Cristo. Um fato que também vem chamando atenção é o envolvimento do missionário Anderson Freitas, 22 anos, no caso. Ele foi a primeira pessoa a ver a imagem de Jesus Cristo chorando mel em fevereiro. O missionário já esteve presente em pelo menos outros dois fenômenos do mesmo tipo, um em Cuiabá (MT), em 2005, e o outro em Sorocaba (SP), em 2009. Em Cuiabá uma escultura de Nossa Senhora da Rosa Mística supostamente chorou azeite de oliva.
Em Sorocaba, imagens de Nossa Senhora de Lurdes e de Nossa Senhora de Fátima teriam chorado mel, óleo e água.

O Dia/Notícias Cristãs

Após 10 anos, pastor que chutou santa volta à TV

Cerca de 10 anos atrás, o pastor Ronaldo Didini era uma espécie de celebridade da Igreja Universal. Ele se tornou conhecido como âncora de um polêmico programa exibido nas madrugadas, o “25ª Hora”. Didini esteve no olho do furacão durante o episódio do “chute na santa”, em 1995, quando um bispo da Universal chutou uma imagem de Nossa Senhora na madrugada do dia 12 de outubro, ao vivo. O fato desencadeou uma das mais graves crises religiosas no Brasil.
Hoje pastor da Igreja Mundial do Poder de Deus, Ronaldo Didini, 50, voltou à TV: foi contratado pela Band para ser o gestor do canal 21, transmitido em UHF e que acaba de fechar um contrato de cinco anos com a Igreja Mundial do Poder de Deus. Não foram divulgados valores do contrato ou mais detalhes sobre a parceria.
Pastor evangélico, Didini será, na prática, o diretor-geral e artístico do novo canal, que chamará “21 – Vem Pra Cá, Brasil”. Entra no ar no próximo domingo, dia 10.
O canal vai estrear com 22 horas de programação exclusivamente religiosa e duas horas de jornalismo da Band (das 22h à 0h). Mas, segundo Didini, até o final do ano a grade de programação também terá atrações “laicas”.
O pastor também fará as vezes de apresentador: vai ressuscitar, com outro nome, o “25ª Hora” único programa da Igreja Universal que discutia assuntos não-religiosos e chegava a registrar 5 pontos de média (mais do que a Record registra hoje no mesmo horário).


Igreja Mundial
A Igreja Mundial foi fundada em 1998 por Valdemiro Santiago, intitulado apóstolo. Conhecido por sua oratória incisiva, Santiago foi bispo da Igreja Universal. Se tornou dissidente em 97, por discordar de preceitos de Edir Macedo.
O número de fiéis da Igreja Mundial é mantido sob sigilo, mas, segundo estudiosos, é uma das igrejas evangélicas que mais cresce: tem 500 templos no Brasil e já se expande para Europa e África.
Didini deixou a Universal no final dos 90 e migrou para a Assembléia de Deus, braço pentecostal com o qual mantém amizade com os líderes até hoje. O pastor também deixou a Universal de forma pacífica: Edir Macedo lhe deu uma espécie de “certidão” na qual atesta por escrito que, enquanto pertenceu à igreja, Didini “foi um homem de Deus”.
Em 99 ele virou missionário da Igreja Internacional, de R.R.Soares (cunhado de Edir Macedo), para quem montou sedes em Portugal, Londres e Holanda, entre outros países.

Ipiaui/Notícias Cristãs

terça-feira, 13 de abril de 2010

Com metade do corpo, homem de 35 anos pratica esportes e está noivo

Vida de Kenny Easterday é tema de documentário na TV americana.
Ele sofre de agenesia sacral, uma grave atrofia congênita da coluna.

Foto: TLC reprodução

Kenny rejeitou uso de próteres quando ainda era criança. Hoje, joga boliche e bilhar (Ao fundo, sua noiva Nikki) (crédito: TLC - reprodução)


Kenny Easterday tem 35 anos de idade e metade do corpo. Portador de uma rara condição, chamada agenesia sacral, sua expectativa de vida, diziam os médicos, era de 21 anos.

O documentário “The Man with Half a Body”, no canal TLC (do grupo Discovery) há uma semana, conta a história do menino de West Virginia que teve as pernas amputadas ainda aos 6 meses de idade porque sua coluna não havia se formado plenamente. Ainda garoto, ele se acostumou a usar um skate para se locomover – porque havia detestado usar próteses para substituir suas pernas.

Ele tem uma noiva, Nikki, e joga boliche e bilhar.

Foto: TLC reprodução

Kenny rejeitou o uso de próteses quando ainda era criança (Foto: TLC reprodução - programa Inside Edition CBS)

G1

‘Não existe ex-estuprador’, diz MP em documento pedindo vigilância de Adimar

Pedreiro confessou ter matado seis jovens em Luziânia, em Goiás.
Promotora queria maior fiscalização para ‘salvar dignidade de crianças’.

Documentos anexados ao processo que devolveu às ruas o pedreiro Adimar Jesus, assassino confesso de seis jovens de Luziânia (GO), revelam que a Justiça tinha laudos psicológicos que identificaram “sinais de sadismo” e “de transtornos psicopatológicos” em um exame criminológico realizado um ano e sete meses antes da sua libertação.

A Justiça também foi alertada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) a implementar “fiscalização sistemática” sobre Adimar no dia 14 de janeiro deste ano, quando três dos seis jovens já haviam desaparecido.

No pedido ao que o G1 teve acesso, a promotora Maria José Miranda Pereira sustentou que a vigilância constante da Justiça sobre Adimar poderia “salvar a dignidade sexual de muitas crianças”. A promotora ainda utilizou um argumento direto para justificar sua preocupação sobre a conduta do pedreiro: “Não existe ex-estuprador. Considerando-se que não existe ex-estuprador e, diante da extrema gravidade dos ignóbeis crimes pelo sentenciado cometidos, requeiro seja expedido mandados para fiscalização sistemática e reiterada”, solicitou Maria José.

  • Aspas

    Considerando-se que não existe ex-estuprador e, diante da extrema gravidade dos ignóbeis crimes pelo sentenciado cometidos, requeiro seja expedido mandados para fiscalização sistemática e reiterada"

O pedido da promotora foi escrito de próprio punho atrás de um dos “Mandados de Constatação na Residência” ordenados pela Justiça em 7 de janeiro deste ano, para que um oficial fosse até a residência de Adimar para constatar se ele cumpria as determinações judiciais “de recolher-se à sua residência diariamente, até 21h, e nos dias de folga e feriados”.

Crimes anteriores
Ao mencionar a “extrema gravidade dos ignóbeis crimes” cometidos por Adimar, a promotora chamava a atenção do juiz para o relato feito pelo MP das barbáries cometidas pelo pedreiro, em novembro de 2005, com dois jovens de Águas Claras, cidade próxima a Brasília.

Na ocasião, depois de convencer um menino de 11 anos a acompanhá-lo até sua casa para auxiliar em uma suposta mudança, Adimar o redeu com uma faca e o abusou sexualmente. O menino conseguiu convencer Adimar a parar, sob a condição de que voltaria mais tarde com outro amigo. “No mesmo dia e logo após a prática do crime anterior, Adimar voltou às ruas e encontrou um adolescente de 13 anos.

"Utilizando-se do mesmo artifício, conseguiu levar o adolescente até a residência”, relata o MP na denúncia. A exemplo do que fez com o primeiro menino, com a resistência do adolescente ao avanços sexuais o pedreiro lançou mão novamente da faca, mas foi interrompido pelos agentes da polícia que chegaram na companhia do primeiro garoto violentado.

Insegurança e agressividade
O laudo criminológico realizado pelos psicólogos da Subsecretaria do Sistema Penitenciário do DF registrou que Adimar apresentava traços de personalidade predominantes e que poderiam ser vistos com preocupação pela Justiça como: “Imaturidade, dependência, insegurança, agressividade, barreiras nos contatos sociais, perturbação identificação sexual, dificuldade de ajustamento sexual”.

Ao falar de sua vida familiar, Adimar foi incapaz de lembrar até mesmo a data de seu nascimento: “O periciando não sabe a data do seu nascimento, que ocorreu em sua casa na zona rural de Morrinhos (BA).” Os psicólogos levantam diferentes fatores que teriam contribuído para a formação da personalidade problemática do pedreiro: “O analfabetismo, aliado ao precoce trabalho infantil e ao tênue relacionamento social podem ter colaborado para que sua personalidade não se desenvolvesse de modo harmônico.”

G1

Estrela da música cristã anuncia que é lésbica

Jennifer Knapp, de 36 anos, 'sai do armário' com novo álbum.
Cantora diz estar preparada para reação negativa dos fãs.
Foto: Reuters
A cantora cristã Jennifer Knapp. (Foto: Reuters)

Uma estrela ascendente no cenário da música cristã está retornando à atenção pública com uma nova identidade após uma ausência misteriosa de sete anos passada em sua maior parte do outro lado do mundo.


Jennifer Knapp não apenas está lançando um novo álbum como está "saindo do armário", um termo que a cantora e compositora indicada ao Grammy considera "muito bizarro" neste momento em que ela relança sua carreira musical, com certo nervosismo.


A cantora de 36 anos, natural do Kansas e que saía com homens em sua época de faculdade, está preparada para uma reação negativa por parte de fãs religiosos que, ao longo dos anos, sempre fizeram questão de desmentir rumores sobre sua sexualidade. Por outro lado, disse ela em entrevista recente à Reuters, "ando ganhando muito mais piscadelas de garotas (nos shows) do que no passado!".

Caso inédito

Nenhuma outra cantora tão famosa quanto Knapp no gênero da música cristã é abertamente homossexual. No passado, a indústria musical cristã desaprovava os artistas que se desviavam do padrão. Rádios e lojas no varejo se apressaram a abandonar Sandi Patty e Michael English nos anos 1990, quando ambos admitiram terem tido casos extraconjugais (separados). Amy Grant também foi parar na lista negra quando se divorciou, mais tarde na mesma década. Todos foram perdoados desde então, em maior ou menor grau.


Jennifer Knapp está adotando postura preventiva. Ela gravou um álbum para o grande público e não está tentando promovê-lo especificamente junto a rádios e varejistas cristãos.


"Eu acharia uma falta de respeito dizer 'ei, isto é algo que você vai querer colocar na sua loja ao lado da estatueta de Jesus'", disse ela. "Seria falsa ingenuidade tentar convencer alguém de que precisa fazer isso".


Renascida pela segunda vez?

Mas Knapp se considera "uma pessoa de fé" e rejeita a sugestão de que esteja dando as costas à igreja, acusação que prejudicou artistas como Sam Cooke e Aretha Franklin quando eles deixaram o gospel para trás para buscar o estrelato pop.


Como artista para o grande público que quer se promover no nicho de álbuns adultos alternativos - ao lado de gente como o U2 e a também lésbica Melissa Etheridge -, foi sugerido a Knapp que, depois de "renascer em Cristo", ela tenha renascido mais uma vez.


"Talvez eu devesse ter dado esse título ao álbum", disse ela. Em vez disso, porém, ela optou por "Letting go". O álbum será lançado em 11 de maio através da distribuidora independente RED, pertencente à Sony Music.


Será seu quarto álbum, e o primeiro desde "The way I am", de 2001, que recebeu uma indicação ao Grammy de melhor álbum de rock gospel.


Desde seu álbum de estreia, "Kansas", de 1998, Knapp já vendeu cerca de 1 milhão de álbuns. Ela viajava constantemente em turnê e fez parte da turnê Lilith Fair 1999. Recebeu quatro Dove Awards, os prêmios mais importantes da música gospel.

Austrália

Mas, cada vez mais exausta e desanimada, Knapp foi viver a fantasia de muitas pessoas que trabalham demais: abandonou tudo e foi viajar pelo mundo. Ela terminou na Austrália, tornou-se cidadã desse país e agora pretende passar a maior parte de seu tempo pessoal ali.


Durante o período que passou longe dos holofotes, Knapp passou por uma espécie de crise da meia-idade precoce que a levou a reavaliar sua fé, sua sexualidade e seu trabalho. Fazer música era a última de suas preocupações.


Antes de conhecer sua namorada, nos Estados Unidos, ela foi celibatária durante dez anos. Knapp disse que isso condiz com a expectativa geral em relação aos membros não casados da comunidade evangélica.


Embora diga que ainda respeita as pessoas que se abstêm do sexo não conjugal, ela brincou: "Qualquer pessoa que tenha passado uma década celibatária tem 'perdedor completo' estampado em suas costas".

Privacidade

Sua nova identidade sexual é evidentemente um assunto muito comentado, mas Knapp não se vê como ativista na comunidade gay. Ela protege com firmeza sua privacidade e a de sua namorada, "que não quer ser famosa de nenhuma maneira".


Embora seja inevitável que os fãs estudem as canções em busca de pistas sobre sua nova vida amorosa, Knapp disse que nunca compõe canções sobre pessoas específicas. Mesmo assim, ela fala com franqueza no primeiro verso da faixa "Inside": "Sei que vão me enterrar antes de ouvirem a história inteira".


"Espero que essa contestação seja vista como humildade", ela explicou. "Se existe alguma frustração, é por tentar romper com cortesia o jugo de ter que ser algo que não consigo, dizendo com toda humildade: 'Por favor sejam gentis comigo quando descobrirem a verdade'. É tudo o que você pode fazer."

G1