terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Aceita a ordem de transferência de menina para lésbica que não tem nenhum parentesco com ela


BEDFORD, VIRGINIA, EUA — Um tribunal do Condado de Bedford, na Virginia, aceitou uma ordem de transferência de custódia de um tribunal de Vermont, que exige que a evangélica Lisa Miller entregue sua filha para uma lésbica que não tem nenhum parentesco com a menina. Antes de se converter, Lisa tinha um relacionamento com a lésbica.

Enquanto isso, o canal de TV WCAX em Vermont está noticiando que uma audiência foi marcada no Tribunal de Família do Condado de Rutland para decidir se um mandado de prisão tem de ser decretado contra Miller. O caso será tratado em poucas semanas.

Embora Miller, de 40 anos, tenha aparentemente se escondido para proteger sua filha Isabella de 7 anos, seus advogados recorreram contra a ação na Virginia, dizendo que a ordem não é aplicável sob a lei da Virginia.

O estado da Virginia aprovou uma emenda em anos recentes que proíbe o estado de reconhecer “casamentos” homossexuais ou uniões civis de outros estados. Miller e a ex-parceira Janet Jenkins, de 43 anos, tinham sido unidas numa união civil de Vermont em 2000, e Miller deu a luz Isabella em 2003 depois de uma inseminação artificial.

Apesar da ausência de leis estaduais que garantam a condição de pai para parceiros de uniões civis com filhos concebidos por meio da inseminação artificial, ou até mesmo para parceiros de casamento, um tribunal de Vermont decretou que Jenkins obtivesse direitos de pai, e ordenou visitas sem supervisão.

Miller disse para LifeSiteNews numa entrevista de 2008 que sua filha havia relatado ter sido forçada a tomar banho nua com Jenkins, havia falado de morrer depois das visitas e mostrou outros sinais de trauma emocional. Miller também diz que foi abusada por Jenkins durante seu relacionamento e abandonou por esse motivo. Embora relatórios de abuso tenham sido apresentados aos tribunais, não houve resposta.

Traduzido por Julio Severo

Fonte: www.juliosevero.com/OVERBO

Revista IstoÉ: Marcos Pereira – O pastor dos bandidos


(Por Wilson Aquino, Revista IstoÉ) – Quem é Marcos Pereira, o polêmico líder evangélico que afirma ter recuperado cinco mil criminosos.

O púlpito da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (Adud) era o centro das atenções. Diante de 800 pessoas humildes, o líder e fundador da congregação, o pastor Marcos Pereira, esconjurava o demônio, como faz todo sacerdote evangélico, em uma quarta-feira de janeiro. Em determinado momento, o religioso deu uma pausa e conclamou, ao microfone: “Peço aos criminosos convertidos que estão aqui para vir ao palco fazer uma foto para a revista ISTOÉ”. De repente, como em uma romaria, homens começaram a se levantar de todos os lados da igreja e a andar em direção ao pastor. Na tropa de mais de 50, alguns chamavam a atenção por serem ainda adolescentes. Todos são ex-assassinos, traficantes, drogados ou ladrões transformados, hoje, em pessoas com aparência inofensiva e sempre dispostas a falar de Cristo.


O ex-pagodeiro Waguinho na fazenda onde os bandidos são recuperados

A Igreja está localizada na Baixada Fluminense, território do Rio de Janeiro marcado pela violência. O pastor encerrou a pregação puxando uma música gospel cuja letra se conecta diretamente com aqueles homens: “Eu, que era ovelha perdida, hoje tenho nova vida, caminhando com Jesus.” Pelas contas de Marcos Pereira, 53 anos, ele e seus missionários – entre os quais o ex- pagodeiro Wagner Dias Bastos, o Waguinho, exvocalista do grupo “Os Morenos” e hoje braço direito do pastor – já recuperaram mais de cinco mil bandidos e viciados nos últimos 20 anos. Alguns eram famosos e temidos chefões do tráfico, como José Amarildo da Costa, o Maílson do Dendê, que, junto com o irmão Milton Romildo Souza da Costa, o Miltinho do Dendê, chefiou o crime organizado na Ilha do Governador, nos anos 90. “O Rio de Janeiro não está pior graças a mim”, exagera o pastor, no seu estilo sensacional e sensacionalista. Mas é fato que é o único a entrar com seus obreiros em lugares tão perigosos que a própria polícia só incursiona após um planejamento prévio. Em contato com os bandidos, Pereira consegue, muitas vezes, convencê-los a trocar o fuzil pela “Bíblia”.

Mas seus métodos são polêmicos. O pastor filma a conversão de criminosos em bocas de fumo e também o resgate dos sentenciados à morte pelo tráfico, normalmente após bárbaras torturas e à beira da execução. Em seguida, vende os DVDs com essas imagens. Diz que, assim, sustenta a Igreja. “Ninguém me ajuda”, reclama Pereira, que estima em R$ 200 mil mensais as despesas com o tratamento dos regenerados. Segundo ele, o mais importante é ter salvado em torno de 700 condenados à morte pelos traficantes. Seu estilo midiático de trabalhar acaba despertando mais suspeitas do que admiração. Alguns dizem que ele ajuda a lavar dinheiro do tráfico, outros o acusam de fazer marketing de sua missão. Ele nega. Há anos, é alvo de investigação das polícias Estadual e Federal, mas nada foi provado. “É tudo safadeza. A polícia me persegue”, reage. Em meio a tantas suspeitas, ele responde a apenas duas ações por crimes ambientais por destruir parte da vegetação da reserva biológica de Tinguá, Nova Iguaçu, onde fica a fazenda Vida Renovada, usada para recuperar os bandidos arrependidos.

A doutrina de sua Igreja é arcaica. Talvez por isso, o cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, tenha desistido de se converter, apesar de ter sido presença certa em todos os cultos comandados por Pereira quando ele visitava a cadeia onde o artista cumpria pena por associação com o tráfico de drogas, em 2008. De fato, as regras são extremamente rigorosas. O pastor proíbe a leitura de jornais e revistas, assim como recomenda aos fiéis que não assistam à tevê, não usem as cores vermelha e preta, não tenham plantas e nem criem animais, nem sequer mantenham bichos de pelúcia em casa.

Segundo ele, o demônio se esconde em todas essas coisas. Tomar Coca-Cola também é proibido, pelo fato de a fórmula do refrigerante não ser conhecida. As mulheres só podem usar roupas que não marquem o corpo e, os homens, calças e camisas de manga comprida. Banhos de mar ou piscina e a prática de esportes só podem ocorrer com as pessoas vestidas. Talvez por isso tenha dificuldade de engordar o rebanho. Adud tem apenas 1,5 mil fiéis em cinco cidades. Pereira ganhou notoriedade em 2004 quando, a pedido do então governador Anthony Garotinho, negociou a rendição de detentos amotinados na Casa de Custódia de Benfica, que ameaçavam matar os reféns. “Essa intimidade com traficantes levanta dúvidas, em quem não o conhece, sobre o comprometimento dele com os bandidos”, analisa o cientista social Luiz Eduardo Soares, ex-secretário nacional de Segurança. Apesar de não concordar com a metodologia do pastor, Soares reconhece a importância e seriedade do trabalho. O pastor Marcos é uma das poucas pessoas que transitam em todas as favelas cariocas, independentemente da facção criminosa que a controla. O que é um fenômeno e tanto, pois a realidade do Rio ensina que quem frequenta área dominada por uma quadrilha não pode ingressar na favela da facção rival, nem para visitar parentes, sem correr o risco de morte. “Pensava que ele ia à favela ver as coisas e depois caguetar para os inimigos”, conta Alexandre Vieira Pacheco, 33 anos, que não gostava do pastor quando era segurança das bocas de fumo da Favela de Acari.

Pacheco foi convertido há cinco anos. Para militantes da ONG Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, Pereira poderia, graças a seu trânsito livre em favelas, ter ações mais humanitárias, como denunciar as condições subumanas em que vivem os presos ou as arbitrariedades praticadas pela polícia. “Para nós, que temos como foco principal a questão dos direitos humanos, o trabalho do pastor Marcos Pereira não soma nada”, afirma o engenheiro Maurício Campos, 47 anos, militante da Rede. “A melhor forma de recuperar um preso é se esforçar para que a Lei de Execuções Penais seja cumprida”, diz. Representantes da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa também reclamam dos métodos do pastor, explicando que quando Pereira prega que não foi o homem que roubou, traficou ou matou, mas põe a culpa no Exu ou no Zé Pilintra (entidades espirituais), os bandidos convertidos tornam- se uma ameaça. “Todo traficante evangélico quer fechar os terreiros na comunidade que domina”, revela uma vítima de preconceito religioso num morro do Rio, que pede para não ser identificada por medo de represália. Entretanto, o padre Elias Wolff, assessor da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), vê com bons olhos o trabalho do pastor “desde que por trás dessas ações não haja interesses que não sejam a defesa e a promoção da vida.”

Fonte: IstoÉ/OVERBO

Claudia Leitte grava CD gospel da mulher do jogador Kaká


Sempre voltada para os hits baianos que levantam a galera nos trios elétricos, Claudia Leitte decidiu diversificar. Segundo a coluna de Mônica Bergamo, do Jornal de S. Paulo, a cantora vai gravar uma participação no que a pastora da Igreja Renascer, Caroline Celico, mulher do jogador Kaká, está preparando. Claudia vai cantar uma música de Caroline sobre a amizade das duas.
"Ela assistiu a um meu na de Dida, o goleiro, e disse: 'Tô apaixonada por Claudinha'! e foi me procurar. Viramos confidentes", contou Claudia.
Além da intérprete de axé, outros famosos devem participar do CD gospel.

O Fuxico/Notícias Cristãs

Denzel Washington conta seu testemunho e fala sobre seu novo filme, onde é o guardião da última Bíblia


Denzel Washington é muito mais do que apenas um superstar, ganhador de Oscar. Ele é um cristão que leva a sério o seu papel … mesmo que isto signifique um pouco de sangue, como em seu novo filme: Book of Eli.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Denzel Washington é um dos mais bem sucedidos e respeitados atores de Hollywood. Mas o vencedor de duas estatuetas do Oscar (em 1989 e 2001 de Glória de Dia de Treinamento) é também um dos mais atuantes cristãos de Hollywood.

Filho de um pastor pentecostal de Mount Vernon, Nova York, Denzel, aos 55 anos, há mais de 30, tem participado ativamente da igreja West Angeles Church of God in Christ, lê sua Bíblia todas as manhãs, e sempre escolhe papéis em que pode “passar” uma mensagem positiva ou o reflexo de sua profunda fé pessoal.

A fé está em todo lugar no novo filme pós-apocaliptico de Denzel: The Book of Eli, que estreou sexta-feira e está sendo promovido com outdoors com os trocadilhos “B-ELI-EVE” (Acredite) e “D-ELI-VER US.” (Salve-nos). No filme, Denzel assume o papel de um viajante misterioso que tem um facão como arma, chamado Eli, dirigido por Deus para proteger a última cópia da Bíblia existente na Terra – isso mesmo, a Bíblia – e levá-la para o ocidente, para protegê-la de bandidos que procuram usá-la como uma “arma” de controle.

O personagem de Denzel no filme utiliza a violência intensamente – esquartejando os bandidos em cada esquina -, mas que começa a se sensibilizar quando conhece uma garota inocente (Mila Kunis), que o lembra que podemos ficar tão presos em proteger a Palavra de Deus que, por vezes esquecemos-nos de vivenciá-la.

Para Denzel, “vivenciá-la” é essencialmente caracterizado pelo amor e sacrifício. A mensagem final de Eli, diz ele, é “faça mais pelos outros do que você faria para si mesmo”. Esta uma mensagem que Denzel sempre ouviu desde criança.

“Oramos a respeito de tudo, todos os dias”, disse Denzel a membros da mídia religiosa na semana passada, em Los Angeles. “E sempre terminamos com ‘Amém. Deus é amor’. Eu imaginava que ‘Deus é amor’ era apenas uma expressão. Levei muito tempo para aprender o que realmente significava. Eu não me importo com o livro que você lê ou no que você acredita, se você não tiver amor, se você não amar o seu próximo, então você não tem nada”.

Embora Denzel não seja um grande fã da palavra “religião”, e se abstenha de qualquer posicionamento do tipo “Eu estou certo, você está errado”, ele não se envergonha de falar, sem rodeios, sobre sua fé cristã.

“Eu creio que Jesus é o Filho de Deus”, diz ele. “Eu fui batizado no Espírito Santo. Eu sei que isso é real. Eu estava numa sala. Meu rosto ‘explodiu’, chorei como um bebê, e aquilo quase me ‘matou de susto’. Um tipo de medo que chacoalhou minha vida. Vou ser honesto com você, levantei-me e segui na direção oposta daquela que deveria. Eu não sabia o que estava acontecendo. Foi muito forte. Levei muitos anos para dar meia-volta”.

Recentemente, sentado em sua casa lendo a Bíblia (esta é a terceira vez que ele está lendo-a do início ao fim), Denzel se deparou com uma passagem sobre a sabedoria e entendimento em Provérbios 4, que o fez refletir sobre sua vida.

“Estou nesta enorme casa cheia de todas essas coisas”, observou. “Eu ouvi a Bíblia me dizendo: ‘Você nunca vê um caminhão de mudanças atrás de um carro funerário. Você não pode levar todas essas coisas consigo. Os egípcios tentaram, mas foram roubado. Eu disse: ‘O que você quer, Denzel?’ E uma das palavras da devocional daquele dia era sabedoria. Então comecei a orar ‘Deus, me dê uma porção daquilo’. Eu já consegui todo o sucesso possível na minha carreira. Mas eu posso ficar melhor. Eu posso aprender a amar mais. Eu posso aprender a ser mais compreensivo. Eu posso ganhar mais sabedoria”.

Assim como seu personagem em The Book of Eli, Denzel acredita na vocação profética e, por isso, tenta aproveitar ao máximo do trabalho que ele acredita ter sido lhe dado pelo próprio Deus: no seu caso, a fama mundial e uma das carreiras cinematográficas mais profícuas de sua geração. Denzel se lembra de uma história de quando ele tinha 20 anos, que demonstra como ele relaciona intimamente a sua fé com sua carreira.

Era 27 de março de 1975 e Denzel – que acabara de ser expulso da escola – estava sentado no salão de beleza de sua mãe. Uma senhora que, enquanto secava os cabelos e olhava fixamente para ele, de repente, pediu-lhe um pedaço de papel e, de forma trêmula, escreveu a palavra “profecia”. Aquela mulher era Ruth Green, uma das mais antigas mulheres da igreja mais antiga da cidade, conhecida por ter um dom da profecia. Naquele dia, ela disse a Denzel: “Rapaz, você irá viajar pelo mundo e falar para milhões de pessoas.”

Naquele verão, Washington era um equipante em um acampamento da YMCA (Associação Cristã de Moços) em Connecticut. Os equipantes faziam esquetes para os acampantes, e alguém sugeriu a Denzel que ele tinha um talento natural para aquilo e deveria prosseguir atuando. Naquele outono, Denzel voltou a estudar no campus da Universidade Fordham, de Lincoln Center, onde iniciou sua formação em teatro. “Anos mais tarde”, lembra-se Denzel”, perguntei ao meu pastor, se ele achava que eu tinha um chamado para ser pregador, e ele disse: ‘Bem, você não está falando para milhões de pessoas? Você não viajou o mundo?”

Reconhecendo que ele havia sido colocado em uma posição privilegiada, Denzel se sentiu obrigado a usar aquilo da melhor forma possível, “pregando” mensagens positivas sempre que estivesse atuando.

“Eu tentei direcionar meus papéis”, diz ele, “mesmo nos piores papéis como em Dia de Treinamento. A primeira coisa que eu escrevi no meu script (de Dia de Treinamento) foi ‘o salário do pecado é a morte’. No roteiro original, você descobria que meu personagem havia morrido pela televisão. E eu disse, ‘Não, não. Para que eu pudesse justificar que ele havia vivido da pior maneira possível, ele teria de morrer da pior maneira, também. Eu fui arrancado do carro pelo Ethan [Hawke], rastejei como uma cobra… O bairro inteiro virou suas costas para mim e então eu fui feito em pedaços”.

Foi mais fácil “direcionar” o personagem de Eli em uma direção positiva, “quer dizer, quase fácil”, brinca Denzel, porque “esse cara é mais violento que o personagem de Dia de Treinamento. Ele é mais violento do que Malcolm X”.
No entanto, da mesma forma que o personagem de Denzel em Chamas da Vingança, a violência de Eli é usada como forma de proteger os inocentes.

“Quando eu fiz Dia de Treinamento”, diz ele, “havia um policial que disse que a Bíblia afirmava existirem aqueles cujo encargo é proteger os inocentes, e que para isso lhe é dado o direito de ser violento. Aquele policial disse: ‘Baseado nisso é que eu e meu parceiro vivemos. Isso é o que fazemos’. Talvez ele precisasse daquele versículo para justificar o que estava fazendo”.

Embora ele tenha encenado personagens violentos em filmes como Dia de Treinamento, American Gangster e, agora, Eli, Denzel é, na vida real, um homem de família calmo e gentil. Casado com Pauletta por mais de 26 anos e pai de quatro filhos, John David, Katia e os gêmeos Malcom e Olivia-Washington, Denzel está longe do estereótipo do ator de Hollywood.

Além de seu envolvimento com a igreja (ele doou US$ 2,5 milhões em 1995 para o West Angeles COGIC para construírem uma nova instalação), Denzel – que sempre inclui em seus autógrafos um “Deus te abençoe” – é um colaborador, há muito tempo, do Boys & Girls Clubs of America (que ele participou quando criança), entre outras caridades.

Denzel, que está indo para à Broadway, nesta primavera, para aparecer junto com Viola Davis na peça Fences, de August Wilson, sabe que ele tem sido abençoado com muito, mas rapidamente minimiza sua fama e sucesso dizendo que são apenas um presente de Deus.
“Não é sobre mim”, disse Denzel em uma entrevista de 2007 na revista Reader’s Digest. “Recebi certas habilidades, e olho para elas da seguinte forma: o que vou fazer com o que tenho? Quem é que vai ser engrandecido com isso?” Perto do final de Eli, o personagem de Denzel cita a famosa passagem de 2 Timóteo 4:7: “Combati o bom combate … guardei a fé”.

É uma linha condizente com o próprio Denzel. Ele é um superstar de Hollywood que, embora não seja perfeito, oferece um raro exemplo de um cristão em um lugar de extrema aclamação e sucesso e que não deixou isso subir à sua cabeça, em vez disso continua fundamentando sua vida na Bíblia e na confiança em Deus.

Em seus mais de 30 anos como ator, Denzel Washington tem lutado o bom combate e feito o que muitos não conseguiram. Ele manteve a fé.

Fonte: Christianity Today / Gospel+
Tradução: Cristianismo Criativo

Pessoas estariam usando o Haiti como desculpa para ganhar dinheiro, afirma Pastor


“Pastores e líderes evangélicos no Brasil devem ficar atentos a alguns mercenários que se apresentam como ovelhas, mas que por dentro são lobos devoradores que podem querer se aproveitar da tragédia no Haiti, a fim de levantar doações, claro que em dinheiro, para socorrer as vítimas do terremoto, mas que nunca pisaram os pés no Haiti”. As afirmações são do pastor Ivens, líder do Projeto Sol Nascente, da igreja Bola de Neve. O projeto, que surgiu há aproximadamente cinco anos, partiu para o Haiti em abril de 2009 e desde então vem acompanhando a situação econômica e social daquele país.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Neste ano, após o terremoto em 12 de janeiro, o pastor conta que foi notificado de que falsos missionários brasileiros e igrejas com objetivos fraudulentos estariam angariando fundos que supostamente iriam auxiliar as vítimas da tragédia no Haiti.

Em entrevista exclusiva ao Portal Guia-me, o missionário fala sobre a atuação do Projeto Sol Nascente, como falsas missões brasileiras estão juntando recursos para atuar no Haiti. O pastor dá orientações de como a Igreja brasileira deve se posicionar diante desses apelos e aponta: “Tenho vindo ao Haiti ha algum tempo e, aqui não há informações de missões evangélicas brasileiras, com algumas raras exceções”.

Confira a entrevista:

Guia-me: Como atua a missão?

Pr. Ivens: A missão é fazer a “ponte”entre a Igreja no Brasil e a Igreja no Haiti. O Projeto tem como objetivo principal ajudar a igreja evangélica do Haiti que se encontra enferma espiritualmente e precisa urgente de cura. Deus escolheu a igreja do Brasil para trazer essa cura e libertação para a igreja do Haiti. O texto bíblico que essa missão está embasada é Atos 3:1-9, onde Pedro e João representam a Igreja do Brasil e o coxo a igreja do Haiti.

A missão desenvolve várias frentes de atuação, visando completar essa obra de “levantar” a Igreja no Haiti.

Guia-me: Como o senhor tomou conhecimento de igrejas brasileiras que estão levantando falsamente fundos para o Haiti?

Pr. Ivens: Não seria ético dizer de que maneira fiquei sabendo de atitudes de alguns aproveitadores no meio da igreja evangélica, diante da tragédia no Haiti, mas posso lhe assegurar que isso já vem acontecendo e, não é só no Brasil não. Tenho informações que, principalmente nos EUA, alguns estão se aproveitando da situação para angariar fundos para missões que nem existem no Haiti.

Para terem uma ideia, fotos que eu tirei no Haiti, já foram vistas sendo usadas por pessoas que nunca vieram ao Haiti, mas que estão dizendo por aí que agora vão fazer missões no Haiti.

Estou há uma semana aqui no Haiti, acampado no lugar onde todas as ajudas humanitárias do mundo inteiro chegam, que é a Base de Operações da Minustah-Onu e tenho conversado com muita gente aqui dentro bem informada. Até agora só vi alguns voluntários da CientologiA, uma seita americana, alguns missionários católicos e até um hare krishna, mas não há informação sobre trabalhos de missionários vindos do Brasil, com exceção de alguns grupos de batistas americanos e um grupo da Jocum que parece que está chegando agora.

Guia-me: Como a Igreja brasileira deve se posicionar diante desses apelos?

Pr. Ivens: A recomendação que dou é de que os pastores que receberem alguém falando do Haiti, verifiquem bem se essa pessoa realmente tem um histórico de atuação no país. Alguns estão dizendo que nunca estiveram no Haiti, mas que pretendem iniciar um trabalho no aqui, mas isso tem que ser muito bem analisado, pois fazer missão no Haiti não é a mesma coisa que fazer missão na periferia de uma grande cidade no Brasil.

Guia-me: O senhor comentou que poucas igrejas têm se atentado no mundo para os problemas do Haiti. O que falta para esse despertar social e missionário?

Pr. Ivens: O Projeto Sol Nascente, como poderão verificar no site, tem como objetivo principal promover a união entre Igreja no Brasil e Haiti. Hoje mesmo, estive reunido com um pastor daqui do Haiti que estará sendo nosso principal colaborador no sentido de receber e distribuir donativos à população em geral, mas principalmente aos da família da fé, segundo Gal. 6:10.

Também tenho ótimo relacionamento com os militares brasileiros da BRABATT-MINUSTAH aqui em Porto Príncipe e posso dizer que o Senhor nos abriu portas para podermos trabalhar junto com as forças armadas, em uma parceria para desenvolvermos uma série de atividades aqui no Haiti que só seria possível com o apoio deles.

Também conto com apoio do embaixador do Brasil no Haiti, Sr. Igor Kipman, com o qual tenho mantido constantes diálogos pessoalmente. Nosso embaixador, assim como a embaixatriz, são pessoas de uma humildade e sensibilidade incríveis e estão sempre dispostos a ajudar aqueles que vierem ao Haiti com propósitos sérios.

Fonte: Guia-me / Gospel+

Cassiane foi a escolhida como trilha sonora para a nova goleada de Dodô


O jogador do Vasco da Gama Dodô realizou um feito inédito neste domingo (31/01). Ele foi o primeiro artilheiro a pedir música dois domingos seguidos no quadro do Fantástico (Rede Globo) ‘Gols do Fantástico’, em que o autor de três gols em um mesmo jogo pede uma música para que os telespectadores assistam às jogadas.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online

No domingo anterior (24), Dodô pediu uma canção de Aline Barros. Neste domingo o jogador fez três gols no Friburguense e escolheu uma música de Cassiane. O louvor tocado foi ‘Com muito louvor’, um dos grandes sucesso da cantora. A canção dá nome a um dos CDs de Cassiane pela MK Music, disco de diamante pela venda de cerca de um milhão de cópias.

Clique AQUI para ver o vídeo.

Fonte: MK Music / Gospel+

Evangélico que matou médico que fazia abortos pode ser condenado a prisão perpétua


cott Roeder, de 51 anos, se declarou inocente da acusação de assassinato, alegando que havia cometido homicídio para prevenir males maiores.Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Ele baleou o médico George Tiller, um dos poucos que praticava abortos em estágios avançados da gravidez no Kansas, em uma igreja na cidade de Wichita, em 31 de maio de 2009.

Roeder pode pegar prisão perpétua com possibilidade de liberdade condicional somente após 25 anos. Ele deve receber a sentença no dia 9 de março.

Os juizes levaram apenas 37 minutos para declará-lo culpado de assassinato em primeiro grau.

Ele foi acusado ainda de agressão grave por ter apontado uma arma contra dois funcionários da igreja após balear Tiller.

Crime

Tiller praticava abortos após as 21 semanas de gravidez

Os advogados de Roeder esperavam que ele pudesse ser condenado por uma crime menor, de homicídio voluntário.

Mas o juiz Warren Wilbert decidiu que essa acusação não poderia ser considerada porque o aborto, inclusive em estágio avançado, é permitido por lei no Kansas.

O juiz descartou ainda a possibilidade de acusá-lo por assassinato de segundo grau, que não envolve premeditação.

Na quinta-feira, Roeder disse ao Tribunal em Wichita que fez o que achava que era “necessário para proteger as crianças”.

“Eu atirei nele”, disse Roeder. “Se eu não fizesse, os bebês morreriam no dia seguinte”.

O correspondente da BBC em Washington Adam Brookes disse que Tiller vinha sendo alvo de muitos ativistas contra o aborto por muitos anos porque praticava abortos, especialmente em estágios avançados.

A clínica do médico era uma das três nos EUA que praticavam o aborto nesse estágio, ou seja, depois de 21 semanas de gravidez.

A segurança do estabelecimento foi reforçada após um ataque a bomba em 1986. O médico já havia sobrevivido a um ataque contra sua vida em 1993.

Fonte: BBC Brasil / Gospel+

Solange deixa Aviões do Forró logo após o carnaval


Saiu mais uma boato de que a vocalista Solange Almeida, símbolo da Banda Aviões do Forró, deve deixar a Banda depois do carnaval de Luis Correia (PI). A informação foi dada no blog de Péricles Mendel.
Solange deverá seguir carreira solo, segundo a nota. Esta não é a primeira vez que saíram boatos sobre a cantora deixar a Banda. Há algum surgiram comentários que Solange estaria deixando a Banda para cantar músicas Gospel, boato que não se confirmou. No site oficial da cantora não tem nenhuma nota a respeito e uma entrevista da cantora durante o festival de verão de Salvador, a cantora fala de projetos futuros e não cita sua saída.
Ainda segundo a nota, Solange Almeida seguiria carreira solo, tendo como empresária e madrinha ninguém menos que a cantora baiana, , que também é sua amiga.
A assessoria da cantora, procurada pelo Vooz, não confirmou a informação, e que essa é uma decisão só dela, mas que a idéia vinnha sendo amadrurecida. Solange deveria deixar a Banda Aviões do Forró logo depois do Carnaval que irá fazer no Barramares em Luis Correia (PI)

Veja o que escreveu Péricles Mendel

"Solo
Circulam boatos de que depois do carnaval, a cantora Solange Almeida, vocalista da banda Aviões do Forró, deverá seguir carreira solo.
Ela terá como empresária e madrinha ninguém menos que a cantora baiana, Ivete Sangalo, que também é sua amiga."

Vooz/Notícias Cristãs

Na Rússia, 360 passam mal ao beber água benta poluída

SÃO PAULO - A cidade de Irkutsk, na Sibéria, é palco de um incidente curioso. Um grupo de 360 pessoas sofreu intoxicação por terem bebido água benta poluída, segundo o Serviço Federal de Proteção ao Consumidor da Rússia. "Até o momento já foram registrados 360 casos. Mas, graças ao tratamento, todos os intoxicados apresentam uma nítida melhora e estão recebendo alta. Nesta segunda, 142 pessoas receberam alta", informou a entidade ontem, em comunicado. A água foi retirada de um lago.
A maioria dos afetados apresenta sintomas de infecções gastrointestinais (gastroenterite rotaviral) - como diarreia, vômitos, dores de cabeça e febre alta. A investigação epidemiológica revelou que a intoxicação ocorreu no dia 19 de janeiro, durante as celebrações da festividade religiosa da Epifania. Segundo a tradição ortodoxa, a água recolhida nos rios e lagos durante essa festividade, quando se celebra o batismo de Jesus Cristo por João Batista no Rio Jordão, apresenta determinadas propriedades curativas e fortificantes.
O Serviço Federal de Proteção ao Consumidor afirmou que a água corrente da igreja local satisfaz a todas as normas higiênicas da Rússia. No entanto, a água do lago local - que foi recolhida por alguns crentes ortodoxos e bebida após ser benzida pelo padre da igreja local - estava parada e poluída, explicou o departamento sanitário de Irkutsk ao saber do caso de intoxicação em massa. As informações são do Jornal da Tarde.

AE/Notícias cristãs

Papa critica projeto de lei britânico contra a discriminação de homossexuais

O papa Bento 16 criticou, nesta segunda-feira, um projeto de lei do governo britânico que pode, entre outras medidas, tornar ilegal a descriminação de homossexuais.
A legislação, chamada de Equality Bill, está sendo discutida por parlamentares britânicos e pode impedir, por exemplo, que igrejas rejeitem empregar pessoas que se declarem homossexuais ou transsexuais.
"Seu país é conhecido pelo forte compromisso com a igualdade de oportunidades para todos os membros da sociedade", disse Bento 16 um grupo de bispos britânicos que visitaram o Vaticano.
"Ainda assim, o efeito de algumas leis criadas para atingir esses objetivos tem sido impor limites injustos à liberdade das comunidades religiosas para agir de acordo com suas crenças", disse ele.
Bento 16 estimulou os bispos a defender "convincentemente" os ensinamentos morais católicos.
"Continuem a defender seu direito de participar no debate nacional por meio de um diálogo respeitoso com outros elementos da sociedade", disse ele.
Um -voz do governo britânico disse que as declarações do Papa sugerem que ele reconheceu "o compromisso firme com a igualdade para todos os membros da sociedade" exercido pelo governo britânico.
"Acreditamos que todos devem ter chances justos na vida e não sofrer discriminação. A Equality Bill tornará a Grã-Bretanha um país mais justo e igualitário", disse um porta-voz do governo.
A Igreja Anglicana britânica mostrou-se preocupada com a legislação, argumentando que seus padres podem se ver forçados a celebrar casamentos nos quais um dos noivos sofreu uma mudança de .
Bento 16 anunciou ainda que deve visitar a Grã-Bretanha neste ano, na primeira visita de um papa ao país desde 1982.

BBC//Notícias cristãs