quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Ex-ateu cria organização para acabar com os esteriótipos de que Cristãos são “intolerantes, julgadores, hipócritas e homofóbicos”


A organização sem fins lucrativos Changing The Face of Christianity (Mudando a Face do Cristianismo) com sede no Texas, é uma resposta direta aos não-crentes que acreditam que todos os Cristãos são intolerantes, julgadores, hipócritas e homofóbicos, explicou o fundador R. Brad White.
White disse que ele quando fala com os não-crentes, céticos e agnósticos, eles constantemente rotulam os Cristãos com uma dessas quatro palavras. E esses quatro rótulos estão impedindo os apóstatas de retornar à Igreja, acrescentou.
“Para onde 75 por cento das pessoas retornaram no passado, agora apenas 35 por cento das pessoas estão retornando,” ressaltou.
Com isso, White a Changing the Face of Christianity será um recurso para reformar as propagação do estereótipo negativo e educar os jovens Cristãos a seguirem os seus passos.
As idéias de White não são novas. Dan Kimball opina no início de seu livro, “They Like Jesus, But Not the Church” (Eles Gostam de Jesus, Mas Não da Igreja), que a geração emergente é espiritualmente aberta para falar de Jesus, mas são muito desinteressados em participar ou estar associado com a Igreja.
Kimball argumenta que os pastores e os ministros perderam o contato com a nova geração fechando todos outros pontos de vista e opiniões, mas aqueles de colegas Cristãos.
O argumento de White vai mais além e afirma que os membros e líderes da Igreja claramente os desanimam ao “odiar o pecado e o pecador.” Ele disse que isso é mais evidente com a homossexualidade. Os líderes da Igreja misturaram a Bíblia com a política de condenar os homossexuais pelos seus estilos de vida,” lamentou.
Embora o sentimento possa ser baseado na Bíblia, ele observou: “As coisas que dizemos e o modo como dizemos os desanimam.”
De acordo com uma pesquisa de 2008 da LifeWay Research, 72 por cento dos americanos sem Igreja acreditam que a Igreja está cheia de hipócritas. Uma pesquisa anterior da LifeWay também revelou que 17 por cento daqueles que antes frequentavam a Igreja, saíram porque se sentiam membros da Igreja “parecia hipócrita” e “estavam julgando os outros.”
White acredita que o Cristianismo está sob o ataque interno, com muitos crentes, adorando ou vivendo a vida cristã da boca para fora.
“Desertores,” disse ele, “veja o rótulo superficial dos Cristãos que falam por falar, mas não andam no caminho. Os não-cristãos não os levam a sério, porque muitas vezes eles não seguem o seu ensino e pregação, o que põe em risco a eficácia do evangelismo e dos esforços Cristãos.”
Os não-crentes desprezam o Cristianismo por todas as razões erradas,” lamentou. “Se os não-crentes nos odiassem por realmente vivermos a nossa fé e por sermos os melhores amantes das pessoas que o mundo já conheceu, então a nossa campanha acabaria. Gostaríamos de aceitar alegremente as críticas.”
A Changing the Face of Christianity está focada no lançamento de uma campanha de sensibilização e educação para ajudar os Cristãos a inverterem os estereótipos negativos. A organização sem fins lucrativos foi projetada para “salvar a religião cristã da autodestruição, ajudando os Cristãos a se tornarem mais parecidos com Jesus Cristo.”
Atualmente, a organização tem uma série de estudos bíblicos que abordam temas como “ser crítico,” “ser político em demasia” e de “ter uma fé superficial” durante um período de sete a oito semanas.
“Nossa abordagem é ensinar o que a Bíblia diz sobre como se relacionar com os não-crentes,” explicou White.
Cada lição começa com uma definição explicativa do porque cada título é negativo e cita o material de ateus e outros não-crentes. Há várias passagens da Bíblia para expressar a visão de Deus e/ou exibição de Jesus e as questões para discussão.
Várias Igrejas na região de Dallas começaram a utilizar o estudo com jovens adultos e têm dado os pontos positivos para o currículo, de acordo com White.
Em quatro a cinco meses, White espera ampliar os esforços da organização sem fins lucrativos no sentido de incluir discussões abertas, onde os estudantes universitários cristãos podem vir com os seus amigos não crentes para falar abertamente sobre a fé.
Ele também pretende manter um centro de treinamento para se aprofundar em temas que repelem os não-crentes da Igreja.
Fonte: Christian Post / Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.