sábado, 27 de novembro de 2010

Governador reeleito que usou evento da Igreja Quadrangula como palanque pode ter mandato cassado

O Ministério Público Eleitoral pediu, na noite de ontem, a cassação dos mandatos do governador reeleito Silval Barbosa (PMDB) e de seu vice, Chico Daltro (PP), por compra de votos nas eleições.

O advogado João Bosco Ribeiro Barros Junior, representante da coligação Mato Grosso Melhor Pra Você, classificou o entendimento da Procuradoria da República, em opinar pela cassação do governador reeleito Silval Barbosa (PMDB), como “uma verdadeira demonstração de coragem, independência e conhecimento da legislação”.

Para ele, a propaganda em massa, realizada pela Igreja Quadrangular, em Cuiabá, na presença de milhares de fiéis, é um ilícito passível de cassação, grave e explícito. Silval é acusado de usar a entidade em benefício eleitoral. Por isso, a ação que tramita na Justiça Eleitoral. “A peça inicial exemplifica, de forma clara e evidente, a utilização do evento evangélico ‘Labaredas de Fogo’ em prol do candidato Silval Barbosa e de seu vice, Chico Daltro. Se outro for o entendimento, estaríamos abrindo a porteira para que nas próximas eleições fossem permitidas atitudes como essa”, disse o advogado.

Ambos teriam pedido votos no evento para a eleição, conforme consta da denúncia.

Além disso, o procurador apontou que “houve captação ilícita por recebimento de propaganda paga por fonte vedada”.

Nesse caso, o procurador explica que não houve recebimento de dinheiro, e sim, de publicidade garantida pela igreja, que, ao falar dos candidatos, teria feito propaganda aos mesmos.

Tiago Lemos acrescenta ainda ser inegável o papel da igreja neste processo. “Não vejo como escapar. Negar isso é liberar a igreja para fazer propaganda de candidatos”, frisou ao conceder seu parecer.

Fonte: Mídia News e Último Segundo – iG/ Gospel+
Via: O Galileo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.