sexta-feira, 28 de maio de 2010

Religiosos zelam por eleição de políticos éticos

Líderes religiosos, integrantes da curadoria do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), esperam que os políticos que forem eleitos em outubro “prezem pela ética como um valor inalienável” para evitar a desmoralização e o descrédito nas instituições democráticas do país.
“De nossas igrejas chegam-nos expressões de preocupação e muitas vezes espanto, acompanhadas de insatisfação e desilusão em relação à classe política de nosso país”, diz declaração do Conic sobre ética na política e eleições 2010, emitida ontem.
Os religiosos que assinam a declaração entendem como um dever orientar a sociedade brasileira, ainda mais em ano eleitoral, para que eleja políticos comprometidos com a ética e com os interesses da população.
É preciso que os menos favorecidos sejam contemplados em seus direitos e necessidades básicas, expressam as lideranças religiosas, que defendem “uma profunda reforma na educação” para que o país possa atender as demandas da economia “sem, contudo, transformar pessoas em meras peças de reposição do sistema econômico”.
Além de conclamar o eleitorado às urnas, os religiosos parabenizaram o povo brasileiro pela aprovação, sob pressão popular, do projeto de lei denominado “Ficha Limpa”, que exclui da disputa eleitoral candidatos que tenham sido condenados pela Justiça.
Assinam a declaração o secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Dimas Lara Barbosa; o bispo primaz da Igreja Anglicana, dom Maurício de Andrade; o presidente da Igreja Evangélica Luterana, pastor Walter Altmann; o moderador da Igreja Presbiteriana Unida, reverendo Enoc Wenceslau; o representante da Igreja Siriana, padre Joanilson Pires do Carmo; o presidente e o secretário-geral do Conic, respectivamente, pastor Carlos Möller e reverendo Luiz Alberto Barbosa.

ALC/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.