terça-feira, 25 de maio de 2010

Na Seleção 'abençoada' por Deus, 'religião se discute'

Diz a velha frase: futebol, política e religião não se discutem. Mas, na seleção brasileira, futebol é religião e política. Comandados por Jorginho, jogadores evangélicos organizam rodas de orações. Kaká e Luís Fabiano, ambos em recuperação de estiramento na coxa, foram abençoados virtualmente por Estevam Hernandes, fundador da Igreja Apostólica Renascer em Cristo. Ele e a mulher, bispa Sônia, foram presos em janeiro de 2007 quando tentaram entrar na Flórida com US$ 56 mil, em dinheiro vivo, mas só declararam US$ 10 mil (quantia máxima permitida) às autoridades alfandegárias dos Estados Unidos. O casal também responde a processos por evasão de divisas e lavagem de dinheiro.
“Luiz (sic), Deus te abençoe ricamente e te dê a cura em vitória em nome de Jesus. Estamos orando por você”, disse Estevam. Como resposta, Luís Fabiano escreveu: “Amém, Apóstolo Estevam ...muito obrigado pelas orações...”. O atacante garantiu que está bem: “Graças a Deus estou muito bem”.
Para Kaká, o apóstolo mandou um recado. “Semana de demonstração do poder da fé”. Ontem pela manhã, o jogador escreveu: “Para cada manhã há um milagre de Deus. Andando com Jesus não há perdas”. Depois, usou a mesma expressão em inglês. A troca de mensagens aconteceu pelo Twitter oficial dos jogadores e de Estevam. A CBF liberou o uso da rede social, mas com restrições.
Fervoroso, Kaká, que costuma usar uma camisa com a inscrição ‘I belong to Jesus’ (‘Eu pertenço a Jesus’), é muito ligado à Igreja Renascer, onde casou e para a qual faz doações em dinheiro, além de ser amigo de Estevam Hernandes. O jogador entregou à Igreja o troféu de melhor jogador do mundo em 2007 e já admitiu que pretende virar pastor quando encerrar a carreira. Na África, ele usará uma chuteira com a inscrição ‘Jesus em primeiro lugar’.
A Seleção tem forte cunho evangélico, já que Jorginho é convertido e comanda rodas de orações na Seleção. Kléberson, inclusive, frequenta a mesma igreja do auxiliar de Dunga. Lúcio é amigo do apóstolo Estevam, com quem já fez viagens. “A Bíblia para mim é um manual. Você tem instruções ali que Deus deixou bem claras para você usar no dia a dia”, afirmou o zagueiro, recentemente. Já Felipe Melo revelou que seu maior sonho é ser diácono de sua igreja no Brasil.
Da religião para a política, a Seleção fará escala em Brasília, amanhã. Antes de desembarcar na África, todos receberão a bênção do presidente Lula. “O presidente gosta de futebol. Espero passar também depois da Copa para dar um abraço nele”, disse Thiago Silva.
Nesta terça-feira, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, será homenageado pela Câmara Municipal de Curitiba, com a honraria de Cidadão Honorário. Na Seleção, definitivamente, futebol, religião e política são assuntos que se discutem. E são discutíveis.

O Dia/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.