quinta-feira, 22 de abril de 2010

Pichador do Cristo Redentor vai se entregar à polícia, diz pastor


Ele confessou o crime a um pastor de igreja evangélica. Delegada da PF já foi comunicada por advogado.

O pintor de paredes Paulo Souza dos Santos, de 28 anos, confessou ter pichado a estátua do Cristo Redentor, na noite de 14 de abril, e afirmou que vai se entregar à polícia na próxima segunda-feira (26).

A confirmação foi feita nesta quarta-feira (21) pelo pastor Marcos Pereira da Silva, que realiza trabalhos de evangelização em favelas, e a quem o pintor procurou para pedir apoio.

Segundo o dirigente da Igreja Assembléia de Deus dos Últimos Dias, seu advogado, Alexandre Magalhães, procurou a titular da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e Patrimônio Histórico da Polícia Federal e ficou acertado que Paulo se apresentará na segunda-feira (26).

“Ele está arrependido e isso deve ser levado em consideração”, acredita o pastor. Paulo está escondido na casa de um amigo, temendo sofrer algum tipo de hostilidade.

Além de Paulo, a polícia apontou Edmar Batista de Carvalho, de 26 anos, como o outro pichador do monumento. Os responsáveis pelo vandalismo serão acusados por crime ambiental e injúria discriminatória e, se condenados, podem pegar até quatro anos de prisão.

Visitação reaberta

Depois de 15 dias interditado por causa das fortes chuvas que caíram no Rio, a visitação ao Cristo Redentor foi finalmente reaberta nesta quarta-feira (21).

O acesso, no entanto, está restrito a veículos cadastrados, das 8h às 17h, e, se chover, local pode voltar a ser fechado.

Fotos divulgadas

A polícia do Rio divulgou, na terça-feira (20), a foto de dois suspeitos de terem pichado a estátua.

A estátua do Cristo Redentor amanheceu pichada na quinta-feira (15) em parte dos braços e na face. As pichações diziam “Onde está a engenheira Patrícia?” e “Quando os gatos saem os ratos fazem a festa”.

Fonte: G1/overbo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.