domingo, 18 de abril de 2010

Para presidente da CPI da Pedofilia, Igreja precisa ser separada do 'lobo com pele de cordeiro'

MACEIÓ - Integrantes da CPI da Pedofilia estão nesta sexta-feira na cidade de Arapiraca, em Alagoas, onde os padres Luiz Marques, Edílson Duarte e Raimundo Gomes são acusados de pedofilia. Os três foram afastados pelo bispo dom Valério Breda. O presidente da CPI, Magno Malta, e os outros integrantes vão ouvir os denunciados. Ao todo, cerca de 25 pessoas prestarão depoimento.
- Trata-se de uma CPI pedagógica, cujos casos emblemáticos se somarão aos relatórios que vão ser utilizados na elaboração de novas leis que nos ajudarão a fechar um ciclo de impunidade - garante o senador Malta.
A história dos sacerdotes de Arapiraca que teriam envolvimento sexual com coroinhas de suas paróquias chocou não somente Alagoas, mas repercutiu negativamente a imagem da Igreja Católica em todo o Brasil. Ciente do escândalo, o Vaticano se posicionou e garantiu que as denúncias serão apuradas. O objetivo é o de reconquistar os fiéis evitando que a imagem da Igreja fique maculada.

" A instituição Igreja precisa ser separada do abusador, daquele que se diz representante de Deus e se transforma em um 'lobo com pele de cordeiro' para se aproximar de crianças e adolescentes. "

A Igreja não deve ser conivente. Dei um voto de aplauso ao papa Bento XVI que se posicionou, assumiu os erros e pediu perdão às vítimas e famílias - diz o presidente da CPI, que também investiga casos de pedofilia no budismo e em igrejas evangélicas.
A comunidade está dividida: parte acredita que os rapazes tentam chantagear os padres. Outros estão chocados com as informações. Várias igrejas estão fechadas por falta de fiéis. Casamentos foram adiados a pedido dos noivos. De acordo com o presidente da CPI, todos os atuais e ex-coroinhas de Arapiraca serão ouvidos por psicólogas que ajudam nos trabalhos.
Um dos ex-coroinhas, Fabiano Ferreira, de 20 anos, diz que foi abusado desde os 9 anos e que, 10 anos atrás, tentou denunciar o caso, mas nada foi feito pela polícia. Cícero Flávio, 22 anos, outro que acusa os padres, diz que o padre fazia constantes declarações e diz que perdeu a infância.
Os padres Luiz Marques, Edílson Duarte e Raimundo Gomes foram afastados das atividades religiosas pelo bispo Dom Valério Brêda, responsável pela diocese. O religioso se deslocou de Penedo até Arapiraca, onde leu uma carta durante a missa do dia 13 de março, na igreja Nossa Senhora do Carmo, determinando a suspensão dos párocos.
Um vídeo que mostrou imagens do monsenhor Luiz Marques Barbosa, de 82 anos, mantendo relações sexuais com Fabiano Ferreira foi divulgado em um programa de TV. As imagens mostram padres durante atos sexuais. O monsenhor Luís Marques aparece sem roupas com Fabiano na cama. Além dos três ex-coroinhas, um menino de 11 anos denunciou o assédio dentro da igreja.
Mais recentemente, no dia 8 de abril, o padre alemão Benedikt Lennartz, de 41 anos, pároco de Craíbas, município vizinho de Arapiraca, também foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por crime de pedofilia na internet. Ele foi afastado pela Igreja Católica.

Globo/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.