terça-feira, 6 de abril de 2010

Magno Malta: “Sou evangélico e já prendemos 4 pastores”

Senador apura denúncias de abuso sexual por monsenhores a ex-coroinhas. O parlamentar afirma que o fato de ser evangélico não influencia as investigações da CPI.
Em Maceió (AL) para apurar de perto as denúncias de abuso sexual cometidos pelos monsenhores de Arapiraca, Raimundo Gomes, e Luiz Marques Barbosa a ex-coroinhas, o senador Magno Malta (PR), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura crimes de pedofilia no Brasil, reuniu-se na tarde de quarta-feira, dia 31 de março, com as delegadas Lucy Mônica, Bárbara Arraes e Maria Angelita - designadas pela direção-geral da Polícia Civil de Alagoas para presidir o inquérito que investiga as denúncias.
Durante entrevista à imprensa o senador adiantou que dentro de 15 dias voltará ao Estado para ouvir os religiosos e as supostas vítimas dos párocos. Magno Malta, que veio acompanhado do procurador da CPI da Pedofilia, André Ubaldino, e do secretário, André Panisset, confessou que foi pego de surpresa com o escândalo que teve repercussão internacional. “Esse é um caso que chocou o país e que fez com que o Vaticano se pronunciasse sobre o tema. Mas já pude perceber que a Polícia Civil de Alagoas está desempenhando um bom trabalho”, disse.
Magno Malta, ainda, teceu comentários sobre o fato de certas críticas relacionados ao fato dele ser evangélico e participar das investigações. “Sou evangélico e já prendemos 4 pastores. O que acho que a Igreja deveria fazer em casos como esse é de afastar os padres e não, apenas, transferi-los de paróquia”, disparou.
Ainda nesta tarde, o senador e a comitiva da CPI da Pedofilia serão recebidos pelo procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares, para discutir sobre as investigações. O encontro acontece na sede do Ministério Público Estadual, no Poço.

Afastados
Os três párocos envolvidos no escândalo foram afastados das atividades eclesiásticas do município de Arapiraca, por determinação do bispo de Penedo, Dom Valério Brêda, no último dia 13.

Vídeo
O escândalo sexual veio a tona no último dia 11, quando o programa ?Conexão Repórter” do SBT, apresentou reportagem sobre casos de pedofilia em Arapiraca. Na matéria jornalística foi exibido um vídeo caseiro onde o monsenhor Luiz Marques foi flagrado supostamente tendo relações com um menor de idade.

JC/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.