sábado, 3 de abril de 2010

Especialista faz balanço de A História de Ester


A minissérie A História de Ester (Record), que terminou na noite da última quarta (31), contou a trajetória da Rainha Ester, que salvou o povo judeu da morte. Com uma audiência de 12 pontos na média de todos os episódios, garantiu o segundo lugar na audiência.
O R7 conversou com o pesquisador de teledramaturgia da USP (Universidade de São Paulo) Claudino Mayer, que fez uma breve avaliação de como a emissora se saiu nessa produção.
Para o pesquisador, a minissérie teve um bom resultado na audiência por causa do ritmo em que a história é contada. Ele diz também que a trama conseguiu prendeu os telespectadores porque era boa e foi bem contada.
- A série foi bastante interessante, com um ritmo acelerado que deixava um gancho em cada capitulo e prendia o público.
Mayer também ressaltou que o clima de tensão das cenas aguçava a curiosidade do público, que esperava o desfecho do capítulo seguinte. Isso, segundo ele, é o formato que melhor funciona, "o bom e velho folhetim".
Outro ponto que acaba chamando atenção na produção é se a história foi fiel ao que está escrito na Bíblia, mas o pesquisador comenta que isso é o menos importante. Geralmente, o autor não se preocupa em fazer um retrato de uma história, mesmo que tenha sido real. A ideia é montar uma história baseando-se no que já existe.
- Não importa se foi fiel à Bíblia. A história precisa se adaptar ao veículo em que será transmitida. O autor tem plena liberdade para isso.
Por outro lado, Claudino apontou que a minissérie utilizou a linguagem teatral, um artifício muito usado na TV de vanguarda, na década de 60, por exemplo. De acordo com ele, isso foi um dos pontos negativos da trama.
Mesmo assim, ele afirma que o resultado final da produção é positivo e destaca a atuação do ator Ewerton de Castro, que interpretou o judeu Mordecai, primo de Ester.
- O grande destaque foi o Ewerton de Castro. Na minha opinião, ele vestiu mesmo o personagem bíblico e deu ritmo à história.

R7/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.