terça-feira, 6 de abril de 2010

Encontros diários com anjos

"Você já teve alguma vez na vida um encontro com um anjo? Quais foram as circunstâncias? Isso mudou sua vida?"
Por mais de vinte anos o pastor Peter Schulthess publicou uma série de anúncios em jornais suíços para descobrir se os mensageiros celestes ainda estão ativos na sociedade secular dos dias de hoje.
As respostas recebidas e suas próprias experiências o convenceram que sim. Na igreja paroquial em Pfäffikon, o pastor com o pé na terra conversou com swissinfo.ch sobre seu novo livro, cuja temática fala de pessoas comuns que acreditam terem tido contato com anjos durante suas vidas.
"Wie Engel begleiten" (Como anjos os companham) procura encontrar paralelos entre experiências pessoais de hoje e as narrativas de atividades de anjos relatadas na Bíblia.
O livro conta histórias de resgates dramáticos, palavras de alerta e conforto e visões de asas estendidas em proteção. Na entrevista a seguir, ele também fala de anjos em formas humanas: pessoas que estão no local e no momento certo para ajudar seus próximos.

swissinfo.ch: No início de março, um motorista saiu ileso depois que um deslizamento de terra jogou uma pedra de quarenta quilos em cima do pára-brisa do seu carro. Os jornais falaram que ele tinha um anjo da guarda. O que o senhor pensa disso?

Peter Schulthess: A Bíblia nos conta que cada pessoa tem seu próprio anjo. Nós o chamamos de anjos da guarda, mas existe um problema nisso já que eles não nos protegem sempre. Então, prefiro dizer que somos acompanhados na vida por anjos, que podem nos proteger, mas nem sempre, pois seguem a vontade de Deus.

swissinfo.ch: O que o senhor vê como o trabalho dos anjos poderia ser apenas uma questão do acaso
?
P.S.: Obviamente você pode ver nele apenas a obra do acaso. É uma questão de interpretação ou fé. Se alguém pensa que Deus está sempre ao seu lado, então mesmo se foi a sorte que o salvou de um acidente, ele vai agradecer a Deus.


swissinfo.ch: Da forma como o senhor descreve a atividade dos anjos no seu livro, parece que eles fazem muito mais do que apenas oferecer proteção?
P.S.: Isso é muito importante. Penso que a principal tarefa dos anjos é de nos colocar em contato com as nossas fontes, nossas origens, Deus, e que eles nos ensinam a viver através do amor.

swissinfo.ch: Por que algumas pessoas têm experiências com anjos e outras não? É necessário ter fé para que isso ocorra?
P.S.: Claro que não. Se uma pessoa tem ou não contato com anjos é, muitas vezes uma questão delas estarem abertas para interpretar suas experiências dessa maneira. Mas penso que todo mundo faz a experiência do envolvimento de anjos em suas vidas.


swissinfo.ch: As histórias coletadas pelo senhor são muito diversas. Algumas pessoas falam de anjos em formas humanas. Outras, de seres celestiais com asas. Já existem aqueles vêem anjos na forma de luz. Como se explica isso?

P.S.: Penso que o Céu tem várias formas de se comunicar conosco. É o mesmo para nós: alguns escrevem cartas, outros torpedos ou e-mails. Assim o Céu se comunica conosco de formas com que possamos melhor reconhecer e compreender.

swissinfo.ch: O senhor acredita em todas as histórias contadas?

P.S.: Confio nas pessoas que compartilham suas histórias comigo e o que elas estão contando tenha realmente ocorrido. Não necessariamente eu vou interpretar esses fatos da mesma forma que eles o fazem, mas não julgo ninguém.
O mais importante é que, na maioria dos casos, os fatos descritos mudaram suas vidas: a vida não continua mais não da mesma forma que antes. Eles marcam um ponto de transformação.

swissinfo.ch: O senhor tem uma história favorita?

P.S.: Uma das minhas favoritas é sobre um garoto de casaco azul na estação de trem de Zurique. Ele surgiu do nada e, sem dizer uma palavra, leva um cego até seu assento no trem e depois desaparece. Acho maravilhoso pensar que existam anjos no centro de Zurique no meio da estação central de trens. Se foi realmente um anjo ou não, não sei dizer. Mas existe algo de muito comovente nessa história.

swissinfo.ch.: O senhor também fala das suas próprias experiências com anjos. Como elas lhe afetaram?

P.S.:O primeiro acontecimento, que ocorreu quando acabava de ser nomeado pastor evangélico, foi decisivo para a minha vocação. Estava muito desiludido e desesperançado pelo fato de uma séria de palestras que dava sobre o tema Cristianismo não terem nenhuma ressonância. Parecia que eu estava batendo contra a parede. Estava no ponto de retornar ao meu antigo trabalho no setor de logística. Então, no meio da reza "tive" uma visão de uma igreja cercada por anjos no momento que pregava. Isso me encorajou. Essa experiência abriu meus olhos para os anjos.

swissinfo.ch.: O senhor argumenta que essa vida é uma espécie de "escolarização por anjos". O que significa essa mensagem?

P.S.: Significa que estamos aprendendo a viver como anjos, em amor, paz, alegria, tratando bem uns aos outros, sendo útil a outras pessoas e perdoando.

A escola dos anjos é uma escola de duro aprendizado, que modifica o nosso caráter. Eu costumava me perguntar como podemos ser uma coisa aqui e outra no Céu. Hoje penso que temos de aprender essa lição.

swissinfo.ch: Depois da morte nós iremos então nos transformar em anjos?

P.S.: Penso que isso é muito provável, mesmo se bastante controverso do ponto de vista teológico. Posso imaginar que somos anjos, que estavam apenas separados de Deus e que agora estão no caminho de volta. É apenas teoria, mas faz sentido para mim.

swissinfo.ch/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.