sexta-feira, 9 de abril de 2010

Assista a entrevista de Guilherme de Pádua no programa do Ratinho


Rio – Condenado por assassinar a atriz Daniella Perez, em 1992, Guilherme de Pádua reapareceu nesta quarta-feira na televisão após um longo período de reclusão. Entrevistado pelo apresentador Ratinho, no SBT, Guilherme relembrou o episódio e reclamou do comportamento da opinião pública, que até hoje, segundo ele, não lhe deu uma segunda chance. O bate-papo foi marcado pelo constrangimento, já que Ratinho e Guilherme divergiram em diversos momentos.

“Era um grito na minha garganta. Quem me processou foi o povo. No mundo natural, não sou ninguém. No mundo sobrenatural, sou uma pessoa abençoada. As pessoas adoram chutar cachorro morto e pisar em quem está caíndo. As pessoas precisam de Jesus em suas vidas”, disse o ator, que hoje é evangélico.

Perguntado por Ratinho sobre o verdadeiro motivo do assassinato da atriz, Guilherme de Pádua se recusou a responder às perguntas, alegando que estava sofrendo ameaças via Twitter. “A Justiça não errou. Uma vida foi perdida”, disse ao opinar sobre a decisão do júri.

No fim do programa, Ratinho perguntou se ator já havia pensado em pedir perdão à mãe de Daniella, a autora de novelas Glória Perez. “Acho que ela não quer me ouvir”, respondeu. Nesse momento, Ratinho surpreendeu e disse que se estivesse no local de Glória não perdoaria Guilherme.

Famosos criticam programa do Ratinho

Durante a polêmica entrevista várias celebridades criticaram, via twitter, o apresentador Ratinho pelo espaço cedido para Guilherme de Pádua.

Bruno Gagliasso, Ana Lima e Glória Perez twitaram sobre a entrevista e consideraram a postura do apresentador apelativa.

“Divulgar “versões fantasiosas” de assassinos julgados é crime. Passível de processos criminais e civeis!” – escreveu a autora de novelas Gloria Perez, mãe da vítima Daniela Perez.

Relembre o caso

A atriz Daniella Perez, de 22 anos, foi assassinada com 18 golpes de tesoura, no dia 28 de dezembro de 1992. Na época, ela vivia a personagem Yasmin em ‘De Corpo e Alma’, trama escrita por sua mãe, Glória Perez. A atriz foi assassinada na noite do dia 28 de dezembro de 1992, por volta das 21h30, logo após ter deixado os estúdios da Globo, depois de mais um dia de gravação. Seu corpo foi encontrado em um matagal da Barra da Tijuca.

Logo após a confissão dos assassinos, começaram a circular várias versões que tentavam explicar o ocorrido. Entre elas, a de que Guilherme de Pádua estaria confundindo a ficção com a vida real e que estaria apaixonado por Daniella Perez. Foi cogitado, inclusive, que os dois estariam vivendo um romance fora das telas, história totalmente negada por todos os colegas de elenco.

Em janeiro de 1997, o juiz José Geraldo Antônio condenou Guilherme a 19 anos de prisão pela morte da atriz. No dia 16 de maio daquele ano, após 44 horas de julgamento, o mesmo juiz condenou também Paula a 18 anos e meio, pela sua participação no assassinato. A decisão foi comemorada pelo público presente com uma salva de palmas.

Assista, na íntegra, a entrevista de Ratinho com Guilherme de Pádua:







Fonte: O Dia / YouTube / O Verbo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.