quarta-feira, 17 de março de 2010

Vaticano admite denúncias de abuso sexual no Brasil

O porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi
CIDADE DO VATICANO — O Vaticano reconheceu, nesta terça-feira, a existência de denúncias de abuso sexual de menores no Brasil, admitindo que três sacerdotes brasileiros são suspeitos de molestar menores e, por isso, são investigados pelas autoridades e pela instituição.
"Eram padres", afirmou o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, ao se referir às informações divulgadas no programa de televisão do canal SBT "Conexão Repórter" no qual vários coroinhas relatam casos de abusos por parte de "dois monsenhores e um sacerdote".
O porta-voz do Vaticano reconheceu que dois dos três religiosos citados possuíam o título honorífico de "monsenhor", embora fossem simples padres.
"Foi confirmado que nenhum dos três envolvidos era bispo. Um deles foi afastado da paróquia e será julgado pela justiça civil", disse Lombardi.
"Os outros dois foram suspensos de suas tarefas eclesiásticas e estão sendo submetidos a um processo canônico por suspeita de pedofilia, mas até agora negam tudo", acrescentou o porta-voz do Vaticano.
Na semana passada, o programa "Conexão Repórter", da emissora SBT, mostrou imagens feitas com uma câmera escondida em que o padre Luiz Marques Barbosa, de 82 anos, aparece fazendo sexo oral com um jovem no estado nordestino de Alagoas.
Após o ato sexual, registrado nas imagens, o padre aparece olhando para a câmera e perguntando: "Quem está aí? Quem é?".
A reportagem do programa "Conexão Repórter" também exibiu declarações de três ex-coroinhas denunciando ter sofrido abusos por parte de párocos.
"Ele (pe. Marques) começou a me tocar, a me beijar, tentando me beijar na boca; eu me virava, mas ele insistia. Sentia muita vontade de vomitar. Começou a tirar a minha roupa, a camisa, a calça, e também começou a se despir", contou ao programa um jovem identificado como Fabiano, sobre seus encontros com o padre Marques Barbosa.
"Incontáveis vezes, garanto que foram muitas vezes", disse o jovem, hoje com 20 anos, sobre as ocasiões em que foi obrigado a manter relações sexuais com o sacerdote desde que se tornou coroinha, aos 12 anos.
O programa procurou o padre Marques para falar sobre o assunto. Perguntado se conhecia algum caso de pedofilia na região em que vive, respondeu: "Ah, não sei". Questionado se alguma vez abusou de algum coroinha, como alegam os denunciantes, Marques respondeu: "Não posso te dizer isso. Só ao meu confessor posso contar um pecado meu (...). Não posso dizer nada".
O pároco interrompeu repentinamente a entrevista, sem negar ou confirmar a denúncia, pedindo ao repórter que saísse de sua casa, como exibido no programa.
As imagens sem corte em que o padre Marques aparece mantendo relações com Fabiano, rodadas em janeiro de 2009, são atualmente vendidas nas ruas de Arapiraca, a 120 km da capital do estado de Alagoas, Maceió, segundo o site Alagoas 24 horas.
De acordo com a imprensa de Alagoas, o bispo Valério Brêda resolveu afastar de suas atividades eclesiásticas os padres Luiz Marques Barbosa, Edílson Duarte e Raimundo Gomes, depois da divulgação das denúncias.
Este caso se soma a uma série de denúncias de pedofilia na Igreja, o mais recente deles registrado também nesta terça-feira, no Chile, onde o religioso espanhol José Arregui, de 53 anos, da congregação dos Clérigos de San Viator, está detido por posse de pornografia infantil e por ter, supostamente, abusado de pelo menos 15 menores em colégios espanhóis.
José Arregui terá um julgamento abreviado, no dia 24 de março, com a promotoria pedindo que seja condenado à prisão.

AFP/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.