quinta-feira, 18 de março de 2010

Líder católico da Irlanda pede perdão por proteger padre pedófilo

Cardeal pediu a meninos que mantivessem silêncio em relação a crimes.
O líder da Igreja Católica da Irlanda, cardeal Sean Brady, pediu desculpas nesta quarta-feira por seu envolvimento em eventos ocorridos 35 anos atrás e que beneficiaram um padre acusado de abusar de crianças.
"Quero dizer a todos que tenham sido feridos por qualquer falha de minha parte que peço perdão a vocês, do fundo do meu coração", disse o cardeal.
Em 1975, Brady participou de reuniões nas quais crianças assinaram votos de silêncio em relação a acusações contra o padre Brendan Smyth, um dos sacerdotes pedófilos mais conhecidos da Irlanda, segundo o correspondente da BBC em Belfast Mark Simpson.
Na terça-feira, a Igreja Católica da Irlanda divulgou mais detalhes sobre como Brady pediu a dois meninos vítimas de abuso, de dez e 14 anos, para assinar os acordos.
A Igreja informou que o pedido foi feito para "evitar um potencial conluio" no levantamento de provas para um inquérito interno.
A declaração da igreja não explicou a razão de o cardeal Brady ou seus superiores na época não terem dividido suas informações com a polícia. O padre Brendan Smyth continuou a abusar de crianças nos anos seguintes.

Lidando com a dor
O cardeal disse que a Igreja "deve, humildemente, continuar a lidar com a enormidade de dor causada pelo abuso de crianças por parte do clero e devido à resposta inadequada àquele abuso no passado".
No ano passado, a Igreja da Irlanda admitiu acobertar casos de abuso sexual de crianças por décadas.
Duas investigações feitas por ordem do governo irlandês revelaram a ocorrência de muitos casos de abuso em várias instituições assistenciais para crianças administradas pela Igreja Católica no país, e como padres acusados de abuso eram simplesmente transferidos por bispos para outras paróquias.
Os investigadores descobriram que autoridades eclesiásticas compilaram informações confidenciais sobre mais de cem padres acusados de abuso sexual, mas mantiveram estes documentos em segredo.
O escândalo de abuso sexual na Irlanda não é o único a abalar a Igreja Católica recentemente.
De acordo com o correspondente da BBC em Roma David Willey, uma autoridade do Vaticano afirmou que ocorreram 3 mil casos de comportamento sexual inapropriado de padres católicos na última década, a maioria nos Estados Unidos.
Destes 3 mil casos, 300 são relativos a pedofilia.

Papa
Também nesta quarta-feira, o papa Bento 16 afirmou que vai assinar e enviar uma carta pastoral para os católicos da Irlanda em resposta ao escândalo de abuso sexual no país.
Em uma audiência semanal no Vaticano, Bento 16 falou sobre a carta e suas preocupações a respeito da crise gerada pelo escândalo no país.
"Nos últimos meses a Igreja na Irlanda foi abalada, resultado de uma crise relativa a abuso de crianças. Como sinal de minha profunda preocupação, escrevi uma carta pastoral para lidar com esta situação dolorosa. Vou assiná-la no dia de São José (sexta-feira), o guardião da Sagrada Família e patrono da igreja universal, e enviá-la em seguida."
"Peço que todos vocês leiam de coração aberto e com espírito de fé. Minha esperança é que (a carta) ajude no processo de arrependimento, cura e renovação", afirmou o papa.
Em fevereiro, o papa Bento 16 convocou os 24 bispos da Irlanda ao Vaticano para discutir a resposta a um escândalo de pedofilia na Igreja local.

BBC Brasil/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.