quarta-feira, 31 de março de 2010

DPU: saiu edital para 311 vagas. 2º e 3º graus


Saiu o edital do primeiro concurso para a área administrativa da Defensoria Pública da União (DPU). A seleção visa ao preenchimento inicial de 311 vagas em cargos dos níveis médio e superior. Ainda de acordo com a assessoria, haverá formação de cadastro de reserva, que poderá ser utilizado durante a validade da seleção.

Será admitida a inscrição somente via Internet, no endereço eletrônico www.cespe.unb.br, solicitada no período entre 10 horas do dia 6 de abril e 23 horas e 59 minutos do dia 25 do mesmo mês, observado o horário oficial de Brasília/DF.

Poderá pedir isenção da taxa de inscrição quem estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), de que trata o Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007; e for membro de família de baixa renda, nos termos do Decreto nº 6.135, de 2007. A isenção deverá ser solicitada mediante requerimento do candidato, disponível por meio do aplicativo para a solicitação de inscrição, no mesmo período das inscrições.

Quem tem nível médio pode concorrer a uma das 70 vagas oferecidas para o cargo de agente administrativo, que proporciona vencimentos iniciais de R$2.299,42, de acordo com a tabela do PGPE para 2010. A jornada de trabalho prevista é de 40 horas semanais.

Já no nível superior, as chances são para os cargos de analista técnico administrativo (88), arquivista (10), assistente social (20), bibliotecário (10), contador (18), economista (20), psicólogo (5), sociólogo (20), técnico em assuntos educacionais (30) e técnico em Comunicação Social (20).

Para essas funções, o salário deverá ser de R$3.532,95. O concurso visa à substituição dos cerca de 280 terceirizados, atendendo a recomendação do Ministério Público. Os aprovados serão lotados nas unidades da DPU, mas vão pertencer legalmente ao quadro de servidores do Plano Geral do Poder Executivo (PGPE).

Distribuição - As maiores ofertas serão destinadas a Brasília (77 vagas) – onde está localizada a sede da defensoria, São Paulo (27), Rio de Janeiro (16) e Rio Grande do Sul (16). Até a divulgação do edital, a tabela de distribuição das vagas (por cargo e localidade) poderá sofrer alteração.

Etapa - O concurso constará de prova objetiva que será realizada no dia 30 de maio, composta por 80 questões sobre as disciplinas de Português, Informática, Raciocínio Lógico, Conhecimentos Básicos de Administração, Finanças e Orçamento, Conhecimentos Específicos, Lei Complementar nº 80/1994 com as alterações introduzidas da Lei Complementar nº 132/2009, Noções de Direito Constitucional, Administrativo, Penal e Civil, e Redação Oficial, de acordo com o cargo pretendido.

Criação de vagas - Segundo o defensor público-geral, José Rômulo Sales, tramita no Ministério do Planejamento o projeto que visa à criação do quadro próprio da defensoria. Foram solicitadas 1.500 vagas, sendo mil para analista de assistência jurídica (nível superior) e 500 para técnico de assistência jurídica (médio). Sendo aprovado, o projeto terá que seguir para o Congresso. “Tenho feito pleitos nos encontros com o ministro Paulo Bernardo. Ainda não recebi nenhuma resposta objetiva. Não houve um compromisso com relação à quantidade de cargos e aos prazos”, ressalta.

Fonte: Folha Dirigida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.