domingo, 21 de março de 2010

Anúncio de pena de morte cria polêmica

Cidade do Panamá - O presidente da República, Ricardo Martinelli, disse que a aplicação da pena capital, hoje proibida pela Constituição do país, poderia ser um dos temas submetidos a consulta pública com vistas à reforma da Constituição. A afirmação levantou polêmica e deixou setores organizados da sociedade preocupados.
A diretora executiva da Comissão de Justiça e Paz da Igreja Católica, Maribel Jaén, refutou energicamente a pena capital como alternativa para combater a delinquência. Esse tipo de medida é sintoma de que “nossas políticas repressivas e nosso sistema de justiça estão fracassando”, disse.
Jaén citou que nos países onde existe pena capital os índices de criminalidade não caíram. “Ainda que este tema seja levado a uma consulta pública, a população precisaria de mais informação a respeito, o que hoje não existe. Essa é uma decisão que poderia afetar a inocentes, já que a metade dos presos não foi a julgamento”, argumentou.
A procuradora Ana Matilde Gómez também recusou a pena de morte como fórmula para enfrentar a crescente delinquência no país. O arcebispo José Domingo Ulloa sustentou que “a pena de morte é sinônimo de violência, o que não é bom para o país”.

ALC/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.