domingo, 28 de fevereiro de 2010

Pastor tem prisão decretada em 12 estados

O pastor evangélico Sabino Saldanha (51), presidente da igreja Ministério Nova Aliança, que também se apresenta como presidente da Ordem dos Pastores Evangélicos e Ministros Pentecostais do Brasil, continua sendo um dos homens mais procurados do país. Sabino, que usa também os nomes João Batista da Silva, Sidney Saldanha e Abílio Knebet, fugiu do Acre no ano passado depois de ser beneficiado por uma licença especial e ter aplicado dezenas de golpes, principalmente, em evangélicos da capital.
O pastor foi preso do dia 30 de maio de 2007 pelo delegado Walmir Ribeiro, da Delegacia Geral de Polícia de Senador Guiomard, acusado aplicar golpes contra a população e de tentar acumular fortuna de forma irregular. Usando o nome de Deus, ele fundou duas igrejas evangélicas no município para tomar dinheiro dos fiéis. Em pouco tempo, conseguiu uma enorme área de terra na AC-40 onde construiria um
centro de recuperação de drogados.
No lançamento da pedra fundamental com a presença de autoridades, ele disse que abrigaria 50 dependentes químicos. O delegado Messias Ribeiro, que vinha investigando o pastor, intimou-o para se apresentar na delegacia.
Dois dias depois, Saldanha procurou a polícia e acabou sendo preso por estelionato, por falsificação de documentos públicos e por uma série de crimes. No dia de seguinte, foi encaminhado à unidade de recuperação social Francisco dOliveira Conde.
Menos de dois anos depois, estava em liberdade para voltar a enganar a boa fé de religiosos. Primeiro, fez um bingo para construir um templo na estrada do Sobral, vendendo mais de 10 mil cartelas. Os prêmios, entre os quais motos e um automóvel, nunca foram entregues aos ganhadores.
Depois, promoveu um mega-evento quando, no seminário evangélico, reuniu mais de três mil pessoas que foram alimentadas por um restaurante especialmente contratado para a ocasião. Sabino nunca pagou a conta. Em maio do ano passado, depois de não pagar ao restaurante - ele e seis assessores se alimentaram durante meses - e de não pagar o aluguel de uma igreja, locou um automóvel e fugiu para o Mato Grosso.
O veículo foi vendido em Rondonópolis.
Somente em Rio Branco existem quatro mandados de prisão em aberto contra Sabino Saldanha. O último deles na 3ª Regional, por prática de estelionato. Ele é ainda procurado em Rondônia, em Goiás, em Mato Grosso, em Rio de Janeiro, em São Paulo, em Paraná, em Minas Gerais, em Pernambuco, em Ceará, em Tocantins e em Paraíba.

A Tribuna/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.