quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Pastor alagoano volta do Hati comovido

O pastor Roberto Amorim de Menezes, da Igreja Batista do Farol, retornou do Haiti, onde esteve integrando um grupo de cinco pastores enviados pela Junta de Missões Mundiais (JMM), comovido com “a dor que se pode ver” de um povo cujo país foi devastado por um terremoto que causou até agora mais de 200 mil mortes e deixou um lastro de miséria jamais visto no país mais pobre do continente americano.
Pastor Roberto em visita aos escombros.
Pastor Roberto chegou ao Haiti no início deste mês. O grupo de pastores do qual ele fez parte foi levar uma palavra de conforto e a ajuda recebida pela JMM até o final de janeiro para socorrer obreiros e famílias de igrejas evangélicas do País que tiveram seus templos e casas destruídos pelo poder devastador da natureza do vodu, como os haitianos chamam os furacões, tempestades tropicais e ditaduras cruéis.
“Percorrer as ruas de Porto Príncipe (capital do país), observar o vaivém das pessoas e dos carros foi como folhear um álbum de fotografias da dor – a dor que se pode ver. As imagens algumas vezes pareciam falar, outras vezes gritar clamando por socorro. Milhares de flagelados abrigavam-se em um acampamento em condições precárias”, descreve o pastor Roberto, clamando à sua igreja e a todos os alagoanos por ajuda e orações por um novo Haiti.
Acampamento em condições precárias, milhares de flagelados.
“As ruínas de uma casa em construção anunciavam o fim de um sonho, os escombros de uma antiga residência pareciam perguntar – “e agora?” Escolas, hotéis, lojas, hospitais tudo em ruínas. Famílias sem o direito de sepultar os seus filhos e um cheiro de morte se espalhando silenciosamente por toda a parte”. Estas foram algumas cenas do triste retrato que o pastor da IB do Farol presenciou em favelas e bairros haitianos.
No relato que fez à JMM, o pastor Mayrinkellison Wanderley, que coordenou a viagem, ao Haiti, revela que, talvez, nunca na história de um país se tenha registrado um cataclismo tão intenso e de proporções inimagináveis. E completa: “Não se fala em outra coisa que não seja: E agora? Será que esse povo tão acostumado a tragédias vai se reerguer dessa desgraça? O que está sendo feito? O que podemos fazer? O que Deus quer que façamos?”
Os membros de Igrejas Batistas e qualquer outra pessoa que desejar ajudar aos haitianos podem fazer suas doações através da Central do Adotante: (21) 2122-1901 de Missões Mundiais. Maiores informações no site www.jmm.org.br.

Alagoas 24 Horas/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.