sábado, 4 de julho de 2009

Marilyn Manson: prostestos e jejum contra show na Hungria


O que alho e água benta fez aos vampiros, jejum e reza pode fazer ao roqueiro americano na Hungria.
Pelo menos é o que alguns húngaros católicos devotos esperam ao postar placas ao redor das Igrejas de Spron, uma cidade próxima a fronteira austríaca na parte ocidental da Hungria, onde será realizado o quarto dia do festival musical que terá como uma das atrações principais o cantor Marilyn Manson.
As placas dos protestantes dizem em letras vermelhas e pretas: “Protesto contra o show da banda satânica Marilyn Manson em Sopron”.
Manson, o extravagante roqueiro cujos hits incluem “Irresponsible Hate Anthem” e “Antichrist Superstar”, irá se apresentar no sábado.
Membros da Igreja tomaram a medida após os repetidos apelos que pediam que o show fosse cancelado terem sido ignorados. Eles dizem que o show pode incitar o ódio contra cristãos e também fornece temas contra a Igreja e seus sacramentos. “Portanto, nos voltamos a todos os nossos irmãos cristãos benevolentes que apelam contra esses que incitam ódio, e a todos os nossos irmãos desorientados, com orações e oferecendo o jejum”, dizem as placas.

FONTE: Whiplash/NC

Senado aprova criação de 230 varas federais para o judiciário

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), do Senado Federal, aprovou, nesta quarta-feira (1/7), o projeto de lei 126/2009, que cria 230 varas federais para a interiorização da Justiça. Serão 8.510 oportunidades para o Judiciário. As varas devem ser implantadas, gradualmente, entre 2010 e 2014. A previsão é de 46 vagas preenchidas por ano.

O projeto foi elaborado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e aprovado em caráter terminativo. Isso significa que a matéria só precisará ir a Plenário se, no prazo de cinco sessões, um décimo dos senadores apresentarem recurso pedindo a votação pelo Senado. Se durante este período nenhum senador se manifestar, o projeto será encaminhado diretamente à Presidência da República, que deve sancionar a nova lei.

Distribuição e número de vagas
A distribuição dos cargos, entre efetivos e comissionados, acontecerá da seguinte forma: cerca de 230 oportunidades serão destinadas ao cargo de juiz federal; outras 230 serão reservadas para juiz substituto; aproximadamente 2.070 vagas serão para analistas judiciários e 2.530, para técnicos judiciários. Cargos comissionados terão 230 chances e as 3.220 vagas restantes serão para funções comissionadas.

A localização das varas ainda será decidida pelo Conselho da Justiça Federal. O procedimento levará em conta critérios técnicos objetivos para identificar a necessidade da presença da Justiça Federal em determinadas áreas. Os principais critérios são a demanda de processos, a densidade populacional dos municípios, o índice de crescimento demográfico, o Produto Interno Bruto (PIB), a distância entre cidades nas quais já existam varas federais e as regiões de fronteiras consideradas estratégicas.

CORREIO BRAZILIENSE

Promotoria de SP investiga compra e venda de dados sigilosos




Site cobrava R$ 25 e taxa de consulta por informações.
Proprietário disse que não sabia que procedimento era ilegal.

Uma investigação do Ministério Público de São Paulo pôs em xeque a divulgação de dados pessoais sigilosos, uma prática ilegal que tem se multiplicado no Brasil. O alvo é uma empresa que funciona em um prédio no Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, e que mantém uma página na internet.

Veja o site do Jornal Nacional

Para ter acesso ao site, bastava pagar R$ 25 por mês, mais uma taxa por consulta. O próprio site dá um exemplo, com dados fictícios. Digitando apenas o CPF de alguém, é possível descobrir o endereço, os telefones, inclusive os celulares, e os contatos de pessoas próximas. Também é possível saber que carro a pessoa tem, a placa, o Renavam, o chassi e o ano de fabricação.

Na manhã desta sexta-feira (3), um funcionário da empresa disse, por telefone, de onde vêm as informações. “A origem dos dados são fontes do Detran, dos emplacamentos. Uma empresa que é conveniada a eles, entendeu?”, disse o entrevistado.

A empresa oferece ainda dados sobre cheques sem fundos, pendências, protestos. Ao ser perguntado sobre como eles conseguem informações sobre cheques, o funcionário diz que “vêm do Banco Central”, por meio de uma empresa terceirizada que passa as informações.

Segundo a empresa, os principais clientes são empresas de cobrança, instituições financeiras, advogados e comerciantes que fazem 2 milhões de consultas por mês. Por telefone, o funcionário acrescentou policiais civis de São Paulo e do Rio de Janeiro.

“Nós temos grandes clientes, o Deic [Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado], a Polinter, são empresas de segurança, né?”, diz o funcionário. “Segurança Pública, que utilizam o nosso sistema. Delegados e diversas delegacias são clientes nossos”, complementa.

Autoridades e famosos

Durante a investigação, os promotores se tornaram clientes da empresa. Eles constataram que era mesmo possível acessar dados sigilosos de qualquer um, inclusive de pessoas famosas como jogadores de futebol e de autoridades do Executivo, do Legislativo e do Judiciário.

Os promotores imprimiram os dados sobre eles mesmos e enviaram ao juiz que, diante da força da prova, autorizou a busca e apreensão de material. Nos arquivos de computador apreendidos, os promotores esperam encontrar o nome de quem forneceu e de quem comprou os dados da empresa.

“São dados protegidos e somente disponibilizados mediante autorização judicial. Atinge não só a intimidade, como também viola as restrições do sistema financeiro, chegando inclusive à segurança de autoridades dos Três Poderes, que gozam de proteção oficial e se encontram absolutamente vulneráveis”, disse o promotor Luiz Henrique Dal Poz.

Outro lado

Desde a operação da promotoria, o site da empresa não aceita novos clientes. Em depoimento, o dono da empresa disse que não sabia que exercia uma atividade considerada ilegal.

O Banco Central informou que não faz levantamentos sobre cheque sem fundos. No Rio de Janeiro, a Polinter declarou que não precisa do serviço de empresas particulares porque os policiais têm senhas que dão acesso a informações oficiais sobre qualquer cidadão.

O Deic, que combate o crime organizado em São Paulo, também afirmou que trabalha dentro da legalidade, e o Detran de São Paulo declarou que todos os dados são mantidos em ambiente seguro e que espera que a investigação diga de onde partiam as informações.

G1

Guia do G1 mostra como fiscalizar os parlamentares pela internet


É possível consultar faltas, votações, processos e pedidos de reembolso. Segundo especialista, atualmente há mais ferramentas para fiscalizar.


Após denúncias de nomeações e exonerações no Senado por meio de atos secretos, o G1 preparou um guia com os meios que o eleitor dispõe, pela internet, para fiscalizar os parlamentares.

O guia dá dicas de como pesquisar informações referentes aos senadores e aos deputados. Além disso, há dicas sobre como consultar processos contra parlamentares e ainda como entrar em contato com os gabinetes - confira abaixo.

Mais transparência

Na avaliação do professor de ciências políticas do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Sérgio Braga, atualmente existem mais ferramentas para fiscalizar os parlamentares do que há dois anos, quando ele realizou uma pesquisa sobre transparência no Legislativo brasileiro.

Naquela época, segundo o professor, o Senado ainda não dispunha de dados sobre pedidos de reembolso feitos pelos senadores, por exemplo.

"O Senado é uma espécie de museu dos dinossauros e funciona mais lentamente do que a Câmara. Melhorou bastante, é inegável, mas ainda falta muita coisa, como fornecer cópias de notas fiscais, por exemplo", diz Sérgio Braga.

O professor destaca ainda que o site da Câmara continua melhor no que diz respeito à transparência.

"(No Senado) tem que dar muitos cliques para chegar. A informação geralmente não é fácil de ser encontrada."

Para ele, a transparência implantada no Legislativo deveria ser aplicada também em outros órgãos do governo federal, como o Banco Central, e o Judiciário. "O antídoto contra a corrupção é a transparência", avalia Braga.

"Mesmo que todas as informações não estejam disponíveis, é importante que a população acompanhe o que os parlamentares fazem. E a internet é uma das principais armas da sociedade", completa o cientista político.

Participação popular

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou no último dia 25 de junho uma medida que, se aprovada nos plenários de Senado e Câmara, pode ampliar as possibilidades de participação popular.

É uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) - 01/2008 - que permite à população protocolar pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre qualquer assunto.

De acordo com a proposta, o pedido deve ser direcionado à Câmara ou ao Senado e precisa ter requerimento assinado por pelo menos 1% do eleitorado nacional que tenha votado na última eleição distribuído por cinco estados.

Como altera a Constituição, a proposta tem de ser votada em dois turnos nos plenários das duas Casas.

G1

LOUVOR DO DIA

Alice Maciel era vocalista de uma banda de forró aqui do RN. Hoje é evangélica e canta com uma voz grave e toca vários instrumentos, inclusive sanfona, sua marca registrada.



Religião sempre esteve presente no futebol brasileiro


Manto de Aparecida, por exemplo, inspirou cor da camisa na Copa de 58.
Camisas azuis na seleção de 58, "com a benção" da Padroeira.
Não é de hoje que os jogadores fazem o sinal da cruz antes de entrar em campo. Já nos tempos de Arthur Friendenreich, Leônidas da Silva, Bellini, Pelé e Mané Garrincha o ato simbólico fazia parte do manual de sobrevivência de qualquer craque. Era uma forma de "fechar o corpo" contra os dribles e agressões dos adversários. Também é antiga a técnica de rezar um pai-nosso e uma ave-maria em grupo como forma de reforçar o espírito de equipe. E, como todos sabem, a prática é comum no vôlei, no judô, até no truco e no . Motoristas persignam-se antes de sair para um dia de trabalho e até pilotos de fórmula 1 o fazem. Enfim, o benzer-se é uma marca cultural do brasileiro, assim como o samba, a cachaça e outros símbolos nacionais.

Camisa azul, inspirada na Padroeira
Conta a lenda que na final da Copa do Mundo de 1958, contra a Suécia, a seleção brasileira entrou em profunda depressão ao saber que teria que jogar com o segundo uniforme, que na época tinha a camisa branca. O problema era que essa camisa havia sido usada pela equipe em 1950, na fatídica derrota contra os uruguaios, em pleno Maracanã. No dia anterior ao , como sempre fazia, o presidente da CBD, Paulo Machado de Carvalho meditava e rezava para Nossa Senhora Aparecida... De repente, ao concentrar-se na cor da imagem, encontrou a solução para o dilema. Reuniu seus companheiros e anunciou: "Vamos jogar com camisas azuis, a cor do manto de Nossa Senhora Aparecida e vamos vencer com a proteção da Padroeira do ". E assim foi. E o Brasil foi campeão em 1958 e em 1962.

FONTE: Copa 2014/NC

Obama diz estar ansioso para conversar com o papa

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse estar "ansioso" para conversar sobre o Oriente Médio com o papa Bento XVI, com quem se encontrará em 10 de julho, no Vaticano. O entusiasmo do chefe de Estado americano tem um motivo. "Acho que ele compartilha da minha postura", afirmou Obama numa entrevista publicada hoje pelo jornal "Avvenire", editado pela Conferência Episcopal Italiana (CEI).

No próximo dia 10, quando termina a cúpula do G8 (os sete países mais desenvolvidos e a Rússia) que será realizada na cidade italiana de L'Aquila, Obama disse que discutirá com o papa temas como "a luta contra a pobreza, a mudança climática e a imigração".

Será uma conversa íntima e reservada "entre dois chefes de Estado", na qual, "naturalmente, falaremos de muito mais coisas".

Obama disse reconhecer o papa como uma "liderança extraordinária". Afirmou ainda que "espera uma colaboração duradoura" nos temas apontados, "sobretudo na questão do Oriente Médio".

"Com os israelenses, fomos muito claros no sentido que os assentamentos devem ser paralisados. Mas sabemos que não será fácil", declarou.

"O diálogo que estamos mantendo com os israelenses é muito construtivo. Além disso, nem tudo é culpa de Israel. Os palestinos têm a responsabilidade de acabar com a violência e, se Israel tem de tomar decisões difíceis, os países árabes da região precisam entender e admitir que o Estado judeu tem necessidade de segurança", opinou.

"Este é um tema sobre o qual estou ansioso para conversar com o papa, pois acho que ele compartilha da minha postura" acrescentou o presidente.

Em outro trecho da entrevista, Obama disse que tem muita consideração pelo papa e que conhece "muito bem a influência" dele "além da Igreja Católica". O presidente americano lembrou ainda que, logo após as eleições de novembro, ambos tiveram uma "uma ótima conversa por telefone".

Quanto à relação que mantém com os bispos americanos, o democrata afirmou que sempre defenderá "com força o direito dos bispos" de criticá-lo". "Também gostaria de recebê-los na Casa Branca para falar de assuntos que nos unem e nos afastam", disse.

"Há elementos, como a contracepção, em torno dos quais há diferenças profundas", admitiu.

"Minha posição pessoal é que se deve conjugar uma sólida educação moral e sexual com a disponibilidade de contraceptivos. Reconheço que isso vai contra a doutrina da Igreja Católica. Mas ficaria surpreso se os que apóiam o direito ao aborto não concordassem com a necessidade de limitar as circunstâncias que levam uma mulher a decidir interromper uma gravidez", declarou.

Quanto à comunidade de gays e lésbicas dos EUA, Obama foi claro: "Penso que (os homossexuais) estão feridos por algumas doutrinas da Igreja Católica e do cristianismo, em geral. Como cristão, luto continuamente entre minha fé e meus deveres e minhas preocupações no debate sobre gays e lésbicas".

"E muitas vezes descubro que há muito entusiasmo em ambas as frentes do debate, mas acho que, nos dois lados, há pessoas magníficas", acrescentou.

De qualquer maneira, ponderou Obama, "como pessoas de fé, devemos avaliar nossas convicções e nos perguntar se às vezes não estamos causando sofrimento aos demais". EFE cps/sc

ULTIMO SEGUNDO

Programa tenta transformar ateus em crentes

Um canal de TV turco decidiu colocar à prova a convicção dos ateus, em uma competição cujo objetivo principal é incutir a fé nos participantes. A missão ficará a encargo de guias espirituais de quatro religiões distintas (islamismo, cristianismo, judaísmo e budismo). Eles deverão atrair para o seu rebanho pelo menos uma pessoa que, no início do programa, não acreditava em Deus. O prêmio para os convertidos será uma viagem de peregrinação ao local considerado sagrado em sua nova crença.

Penitentes Competem (Tovbekarlar Yarisiyor em turco) deverá ir ao ar em setembro pela emissora Kanal T. A cada programa, dez ateus - e consequentemente, todos os telespectadores - terão que ouvir pregações de um imã, um padre ortodoxo grego, um rabino e um monge. Segundo reportagem do jornal britânico The Guardian, uma comissão de oito teólogos deverá analisar os aspirantes ao jogo para garantir que apenas completos descrentes participem.

E para ateus que até pensam em admitir uma crença só para curtir aquelas férias em Meca (para os novos muçulmanos), Jerusalém (aos novos judeus ou cristãos) e Tibet (para os novos budistas), saibam que, após a conversão, deverão ainda ser monitorados pelos organizadores do programa. "Eles não podem ver essa viagem como férias, mas como uma experiência religiosa", disse o vice-diretor da emissora, Ahmet Ozdemir. Acredite se quiser.

VEJA

Elvis Presley, John Lennon e Michael Jackson: Os grandes nomes e o cristianismo


Com a morte de mais um mito da música mundial parece que vem a mente um “triller” (me permita o trocadilho barato), de todos os grandes nomes da música e que tiveram seu legado, em algum momento, relacionado ao Cristianismo.

O que mais impressiona é que, tanto Elvis Presley, quanto John Lennon e Michael Jackson conheciam a bíblia ou frequentaram a igreja em algum momento de suas vidas.

Não ia devagar sobre a morte de Michael Jackson e nem almejo paraquedistas do google em meu blog, mas a surpresa em saber que o “Rei do Pop” cresceu em uma igreja evangélica norte-americana, me pegou completamente desprevinida.

O que mais me surpreendeu é que a mãe de Michael, Katherine Jackson, era membro da igreja e, durante toda a minha vida, ouvi os maiores absurdos sobre essa família.

Outro grande nome que teve uma infância completamente desestruturada mas que frequentava o coral da igreja foi John Lennon.

No Gospel+ conheci mais sobre a infância dele e fiquei abismada. No artigo conta que ele era muitas vezes deixado em casa sozinho e tinha dificuldade para dormir. Mais tarde Lennon lembrou que a mãe “não estava se prostituindo por dinheiro, mas para ter vestidos caros”.

Agora imagina crescer em um lar assim?John Lennon

A matéria conta que Jonh Lennon, segundo um livro, acabou fazendo pacto com o diabo de 20 anos e que o assassinato bate exatamente com a época de um show que marcou o início dos Beatles. Se é verdade ou não eu não sei, mas que o comentário: “Os beatles são mais famosos que Jesus” levam a várias, e várias, especulações.

Nesses dois casos temos dois paralelos diferentes, um que – pelo menos pra mim – não demonstrava ser conhecedor da palavra e ter crescido em um lar evangélico, outro que sempre demonstrou a sua intolerância ao cristianismo.

A minha última referência neste post é Elvis Presley. Esse, ao contrário dos outros dois, teve uma trajetória que sempre tentava relacionar suas influências do louvor gospel.

Segundo um texto de Pablo Aluísio, o que nem sempre é dito é que Elvis Aaron Presley era também um evangélico, ao menos por formação. E crente pentecostal, para ser mais exato, já que foi criado pela família na igreja Assembléia de Deus. Ele passou toda a infância e adolescência ouvindo hinos de louvor e aprendendo as Escrituras. Aparentemente paradoxal para alguém que foi tido como ousado, transgressor, rebelde e profano, a fé protestante foi um traço que marcou a vida e a trajetória do ídolo.

Porque então trazer a tona todas estas informações? Simples, pois aprendi muito com leitura da vida dos três.

Elvis PresleyO primeiro aprendizado, e considero o maior de todos, é o quanto um lar desestruturado pode transformar um gênio em louco ou até gerar ódio no coração de alguém para o resto da vida.

Esse aprendizado pode ser melhor observado se olharmos a vida de Michael Jackson que ficou paranóico com seu nariz pois seu pai sempre fez críticas a ele em sua infância. É uma regra, o que você fala as pessoas, principalmente aos filhos podem ser bençãos ou maldições na vida deles. Qual você prefere dizer?

No caso de Lennon, talvez a infância pobre, a desestrutura familiar e a loucura pela fama e dinheiro podem ter ocasionado essa intolerância religiosa e essa falta de respeito a Deus.

O outro aprendizado é até onde nossa fama pode permitir que nos desvinculemos da nossa fé em Deus.

Todos eles conheciam as escrituras, principalmente Elvis, e nenhum deles passou a vida para testemunhar ou para colocar em prática a palavra de Deus, que em algum momento da vida conheceram. Eles estiveram sempre preocupados em manter sua própria fama e sucesso, sofrendo bastante por isso.

Pergunta do dia: Como foi a sua infância e o que você aprendeu com ela?

Deus nos abençõe e aumente nossa fé a cada dia!

FONTE: aevangelista

Pais não revelam sexo de sua criança de dois anos e meio


Alguns pais decidem não querer saber o sexo da criança durante a gestação. Esperam pela hora do parto para descobrirem se é um menino ou uma menina. Um casal de 24 anos na Suécia levou esta prática além dessa realidade. Eles se recusam a dizer o sexo de sua criança (na foto), que já tem dois anos e meio de idade. “Queremos que Pop cresça com maior liberdade e que não seja forçado a um gênero que o/a moldará”, disse a mãe. Pop (um nome fictício para proteção da criança) usa vestidos e também calças masculinas e seu cabelo muda do estilo feminino para o masculino a cada manhã. Apesar de Pop saber as diferenças entre um menino e uma menina, os pais se recusam a adotar pronomes para chamar a criança. A controversa atitude do casal gerou um intenso debate no país.

O jornal sueco que entrevistou os pais, The Local, conversou com a pediatra sueca Anna Nodenström do Instituto Karolinska sobre os efeitos a longo prazo no comportamento da criança. “Afetará a criança, mas é difícil de dizer se fará mal a ela”, diz a pediatra. “Não sei o que os pais querem com isso, mas certamente ela será diferente”, completou. Anna ainda afirmou que quando Pop entrar na escola, se seu gênero ainda for desconhecido, ela chamará muito a atenção dos coleguinhas.

A psicóloga canadense Susan Pinker autora do livro The Sexual Paradox, também entrevistada pelo jornal sueco, disse que será difícil manter incógnito o sexo da criança por muito mais tempo. “As crianças são curiosas sobre suas identidades e tendem a gravitar em torno das de mesmo sexo no começo da infância”.

Pop logo ganhará um irmãozinho ou irmãzinha, porque a mãe está grávida. Ela afirmou que irão revelar o gênero ”quando Pop quiser”.

Fonte: Época

OVERBO

Da pornografia para a pureza: casal evangélico dá testemunho de sua luta contra o pecado em novo ministério


(Por Patrick B. Craine) - RALEIGH, Carolina do Norte — Dois anos atrás, o mundo de Jeff e Marsha Fisher desabou depois que seus líderes denominacionais descobriram que Jeff estava viciado em pornografia. Jeff, que era pastor de uma igreja plantada na cidade de Buffalo, teve de deixar seu cargo, e eles se mudaram com seus dois filhos novos de Buffalo para Raleigh

Agora, eles estão usando sua experiência para a glória de Deus por meio de um ministério online chamado Porn to Purity, onde eles dão testemunho de suas contínuas lutas por meio de um blog e podcasts.

Cerca de um ano depois de plantar uma igreja, Jeff foi confrontado pelo diretor do escritório denominacional local e o pastor da igreja que estava ajudando a patrocinar o plantio, disse ele aos ouvintes num podcast. “Eles tinham uma pasta cheia de sites questionáveis que eu havia pesquisado enquanto estava só no escritório”, recorda ele. “Foi uma intervenção”.

Marsha sabia das lutas de Jeff com a pornografia, e já lhe tinha dado uma segunda chance, mas depois dessa descoberta, Jeff disse para LifeSiteNews.com (LSN), ela “ficou compreensivelmente muito irada comigo”.

Mas, em vez de fazê-lo dormir no sofá ou abandoná-lo, Marsha acabou escolhendo acolher Jeff. “Deus realmente tocou minha esposa e depois de algumas semanas”, disse ele para LSN, “ela viu quanto eu estava sofrendo, e viu como estávamos sendo tratados por nossos mentores e líderes e sentiu compaixão de mim… Eu diria, em algum ponto… cerca de dois meses, ela veio até mim e disse que percebia que esse não era apenas problema meu. Esse era nosso problema”.

“Pense nisso como problema de ‘uma só carne’”, Marsha diz aos ouvintes num podcast. “O Senhor em seu amor me deu a capacidade de ver o problema de pornografia de Jeff como NOSSO problema de casamento”.

“Marsha me acolheu em seus braços”, Jeff disse para LSN. “Sei que uma das coisas que a motivaram foi que ela não queria que nós fôssemos um desses fracassos. Ela não queria que fôssemos uma dessas estatísticas de um casamento que não funcionou. Assim nós dois tivemos de procurar aconselhamos e tivemos de lidar com o choque disso”.

Os Fishers postaram uma lista de estatísticas sobre pornografia em seu site, que revela que a pornografia é um problema geral na Igreja. De acordo com ChristiaNet, por exemplo, 50% de todos os homens cristãos e 20% de todas as mulheres cristãs são viciados em pornografia. E de acordo com Pastors.com, 54% dos pastores entrevistados tinham visto pornografia na internet no ano passado, e 30% nos últimos 30 dias.

Depois da intervenção de seus líderes, Jeff percebeu que tinha de lidar com seu vício de um jeito mais profundo. “Eu tinha de começar a reconhecer a profundidade do problema”, ele disse para LSN. “Precisamos ir além da mera atitude de fazer algo diferente ao usar o computador ou fazer algo diferente com as mãos… Tínhamos de lidar com o vício pornográfico de um jeito mais profundo”.

“Tive de começar a praticar a verdade”, ele disse. “Eu vinha encobrindo o vício… Eu precisava começar a ter uma rede de pessoas com as quais eu poderia conversar sobre isso. Tudo começou quando eu estava conversando com os conselheiros e então liguei para meu melhor amigo, que não sabia de nada, e lhe confessei tudo, e o que aconteceu. E ele é um desses amigos… que disse, sabe, ‘Jeff, sou um bom amigo, e vamos lidar com isso’. Por pelo menos no primeiro mês, ele e eu conversávamos diariamente… Já se passaram quase dois anos, e ainda conversamos pelo menos duas vezes por semana”.

Jeff crê que as igrejas não estão lidando com o vício de pornografia o suficiente. “Nos círculos cristãos, não é algo sobre o qual se converse. Todos fazem silêncio”, disse ele. “A maioria das pregações que ouvi relacionadas à pornografia são muito condenadoras, no sentido de: ‘Se você está envolvido nisso, então envergonhe-se. Um cristão não faria isso’. Eu simplesmente acho que essa é a abordagem errada”.

“Uma das coisas que Marsha e eu tínhamos a intenção de fazer quando começamos nosso site era, queremos conversar sobre isso”, disse ele. “Toda vez que damos nosso testemunho, as pessoas respondem, e as pessoas sentem que não estão sozinhas. Penso que as pessoas que estão no vício pornográfico sentem que estão sozinhas… Uma mensagem que as igrejas precisam transmitir é que esse é um problema real na sociedade. Não é o que Deus quer para nós, e eis o jeito de lidar com isso”.

Além disso, “os pais têm de criar um ambiente seguro em que seus filhos sintam que… podem se aproximar para conversar com eles”, disse Jeff. “Havia uma ausência em minha família e na família de Marsha sobre conversar acerca de coisas sexuais”.

Os Fishers já começaram a abrir diálogo com seus filhos. Jeff disse que eles começaram a falar sobre os riscos do uso da internet com sua filha de nove anos. “Penso que temos de dizer que… há coisas ruins lá fora”, disse ele, “e coisas como fotos com nudez, e… provavelmente você as verá. Venha conversar com a mamãe e com o papai e avise-nos imediatamente. E não vamos culpar você. Você não será castigada por isso”. Jeff disse para LSN que ele até modelou sua conduta dizendo para sua esposa e filhos quando ele acidentalmente vê imagens pornográficas online.

Jeff e Marsha querem que as pessoas que estão lutando para sair da pornografia tenham acesso aos recursos de que precisam para conquistar seu vício. Além do blog e dos podcasts deles, eles têm uma lista com vários recursos no seu site.

Fonte: LifeSiteNews.com / Julio Severo

OVERBO

Manobra abortista e homossexualista do Presidente Lula

Presidente Lula demorou em nomear o novo Procurador-Geral da República para permitir que a procuradora-geral interina Deborah Duprat desse parecer favorável para a legalização do aborto de bebês anencefálicos e para a legalização de uniões homossexuais

Julio Severo

Segundo noticiou a Folha de São Paulo de 30 de junho de 2009, o Presidente Lula nomeou somente em 29 de junho próximo passado Roberto Monteiro Gurgel Santos como o novo Procurador-Geral da República. Roberto Gurgel era, até então, Vice-Procurador-Geral da República e o candidato mais votado pela Associação Nacional dos Procuradores da República, candidato favorito do Procurador-Geral da República Antonio Fernando de Souza e um dos integrantes do grupo que foi formado pelo ex-procurador-geral da República Cláudio Fontelles. Uma das características desse grupo é o de ser grande defensor pró-vida, tanto que Cláudio Fontelles foi o autor da ação que tentou impedir a pesquisa com células-tronco embrionárias no Brasil, ação que acabou sendo rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal em 2008.

Apesar de ter recebido a lista tríplice do Ministério Público bem antes do término do mandato do atual Procurador-Geral, o Presidente Lula adiou propositadamente a nomeação, que ainda tem de ser ratificada pelo Senado Federal. Com essa demora, assumiu a Procuradoria-Geral da República a procuradora Deborah Duprat, de 50 anos, que aproveitou esse período para tomar algumas providências que dificilmente seriam tomadas pelo novo procurador-geral. Por exemplo, ela deu parecer favorável ao aborto de fetos anencefálicos na argüição de descumprimento de preceito fundamental que está em curso no Supremo Tribunal Federal, como também ajuizou argüição de descumprimento de preceito fundamental para a legalização de uniões homossexuais, o que, aliás, já fez. Duprat trabalhou com “minorias”, o que revela certa ligação dela com os homossexuais.

Como a decisão de nomeação, segundo a Folha de São Paulo, foi feita em conjunto com o Advogado-Geral da União José Antonio Toffoli, que defendeu recentemente o aborto em entrevista à revista Veja (além de ter sido um dos principais defensores da pesquisa com células-tronco embrionárias), dá para se ver claramente que a demora para a nomeação do Procurador-Geral da República foi propositada, a fim de que Deborah Duprat pudesse tomar essas iniciativas, que estão perfeitamente de acordo com o programa do Partido dos Trabalhadores.

Fonte: www.juliosevero.com

Obama assegura para líderes homossexuais que ele é “campeão” de sua causa em recepção privada na Casa Branca

WASHINGTON, D.C., 29 de junho de 2009 (Notícias Pró-Família) — O Presidente Barack Obama reassegurou para líderes homossexuais na Casa Branca ontem que ele não está demorando em implementar a agenda deles, mas está simplesmente sendo paciente e aguardando o tempo certo a fim de garantir sucesso a longo prazo.

Obama hospedou centenas de ativistas homossexuais na Casa Branca na segunda-feira no Salão Leste, a fim de celebrarem o Mês do Orgulho LGBT bem como o aniversário de 40 anos dos Tumultos de Stonewall que são considerados como o início do movimento de direitos homossexuais.

O presidente especificamente reconheceu vários convidados especiais, inclusive Gene Robinson, o bispo episcopal de New Hampshire, e Frank Kameny, a quem o presidente deu atenção especial, saudando-o como um “pioneiro dos direitos civis”.

Creditam-se a Kameny as bem-sucedidas pressões políticas sobre a Associação Psiquiátrica Americana, levando-a a desclassificar a homossexualidade como desordem mental. Kameny, que está com oitenta anos, recentemente se dedicou a promover pornografia explícita e a aceitação de sexo com animais como parte do que ele chama de “americanismo em ação”.

Obama declarou que Kameny havia sido despedido como astrônomo no governo federal por causa de sua homossexualidade, e declarou que seu protesto público em 1965 foi “um ato de consciência e também um ato de coragem extraordinária”. O presidente acrescentou: “E assim estamos orgulhosos de você, Frank, e estamos gratos a você por sua liderança”.

A celebração na Casa Branca foi amplamente entendida como uma tentativa de suavizar a ira dos grupos homossexuais que estão acusando Obama de não cumprir suas promessas de campanha de revogar o Decreto de Defesa do Casamento (DOMA) e a política militar que proíbe homossexuais assumidos de servirem nas Forças Armadas.

O presidente reconheceu que muitos dos líderes homossexuais no salão estavam infelizes com o atual ritmo de avanço de seu governo, mas estimulou-os em vez disso a suspender seu presente descontentamento pela promessa das transformações sociais que estão para vir.

“Sei que muitos neste salão não crêem que o progresso está vindo rápido o suficiente, e entendo isso”, disse Obama. “Não era certo para outros presidentes aconselharem paciência aos afro-descendentes que estavam reivindicando direitos iguais meio século atrás. Da mesma foram, não me cabe mais lhes dizer que sejam pacientes”.

“Mas lhes digo isto: Estamos progredindo”, continuou o presidente. “E faremos mais. Estamos progredindo e faremos mais. E quero que vocês saibam que espero não ser julgado por palavras, não por promessas que fiz, mas pelas promessas que meu governo cumpre”.

“Estou na presidência há seis meses agora. Suspeito que quando chegar o término do meu governo, penso que vocês vão ter ótimas lembranças do governo de Obama”.

O presidente então renovou seu compromisso de derrubar o Decreto de Defesa do Casamento, a proibição militar de homossexuais assumidos servindo nas Forças Armadas, de aprovar a lei de não-discriminação no ambiente de trabalho (ENDA), novas leis federais contra crimes de ódio [leis anti-“homofobia”] e a revogação da lei que proíbe indivíduos infectados com o HIV de viajarem aos Estados Unidos. Obama chamou essa lei de “discriminatória”.

O presidente também declarou que o HIV/AIDS sexualmente transmissível, que continua a devastar e se espalhar na população homossexual por meio da prática de múltiplos parceiros sexuais, “continua a ser uma ameaça de saúde pública em muitas comunidades”, inclusive no Distrito de Columbia.

“É por isso que neste sábado passado, no Dia Nacional de Testagem do HIV, senti orgulho de mais uma vez incentivar todos os americanos a conhecerem sua condição e se testarem do jeito que Michelle e eu sabemos nossa condição e nos testamos”, declarou Obama.

Contudo, Obama deixou claro que a vitória máxima para o movimento homossexual não viria meramente por meio de decretos vindos de Washington, mas por meio de persistente persuasão em todos os níveis.

“Somos todos testemunhas das mudanças monumentais neste país. Isso deveria nos dar esperança, mas não podemos descansar. Temos de continuar a fazer a nossa parte para que haja progresso — passo a passo, lei após lei, mentes mudando mentes”, declarou Obama.

“E quero que vocês saibam que nesta tarefa não serei somente amigo de vocês, mas continuarei a ser um aliado e um campeão e um presidente que luta com vocês e a favor de vocês”.

Veja a cobertura relacionada de LifeSiteNews.com:

54% das infecções do HIV provocadas por atividade homossexual entre homens de 13 a 29 anos
http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2009/06/54-das-infeccoes-do-hiv-provocadas-por.html

Obama celebrará “aniversário” do movimento homossexual — os Tumultos de Stonewall
http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2009/06/obama-celebrara-aniversario-do.html

Obama to Give Benefits to Homosexual Partners of Federal Employees
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/jun/09061704.html

President Obama Declares June 2009 ‘LGBT Pride Month’
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/jun/09060208.html

Foul-Mouthed Homosexual Activist and Anti-Christian Bigot Appointed to Obama Administration
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/jun/09060212.html

White House Drops Obama Opposition to Defense of Marriage Act from Website
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/may/09051505.html

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2009/07/obama-assegura-para-lideres.html

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/jun/09063007.html

JULIO SEVERO

Oficina G3


No próximo dia 9 de julho, a partir das 17h30, o Expressão Gospel reunirá grandes nomes da música evangélica num megaevento que contará com as participações do Oficina G3, Apocalipse 16, Paulo Cézar Baruk, Quarteto FLG e Fábio Brasiliano.

A expectativa dos organizadores é que o evento concentre cerca de 10 mil pessoas. Além de proporcionar uma noite de muito louvor e adoração, o Expressão Gospel vai incentivar a prática social. Os organizadores estarão recebendo um agasalho ou 1 kg de alimento não perecível doados pelo público na entrada.

Atrações em destaque

Reconhecida como principal banda de black music gospel, o quarteto FLG apresenta uma forma diferente de adorar a Deus, ao unir a forte batida das músicas atrelada a letras que levam as pessoas a reconhecerem sua dependência de Deus e sua posição de vencedor no mundo.

Já o som produzido pela Oficina G3 não deixa nada a desejar ao das grandes bandas de rock fora do mercado gospel, a única diferença está na mensagem e não na qualidade.

Quando o assunto é poesia e interpretações mergulhadas em sentimento, sejam elas em ritmos de soul, funk, rock ou RB, as baladas inspiradoras ficam por conta dos trabalhos musicais apresentados pelos solistas Paulo César Baruk e Fábio Brasiliano.

Para aqueles que se identificam com o som do rap gospel, o evento terá a presença do Pregador Luo (Apocalipse 16), que se destaca com uma carreira sólida em virtude de suas músicas com letras fortes e batidas vibrantes. Seus versos falam da realidade, mas apontam Jesus Cristo como único meio pelo qual o ser humano pode ter salvação.

Para mais informações sobre o Expressão Gospel, acesse o site www.expressaogospel.com ou ligue para (11) 3426-1136 / (11) 2153-2769.

TROFEU TALENTO

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Planejamento autoriza a abertura de 3.263 vagas para MS e MEC

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou, nesta sexta-feira (3/7), a realização de concurso que prevê 194 oportunidades para o Ministério da Saúde (MS) e de outra seleção que destinará 3.069 para o Ministério da Educação (MEC).

Ministério da Saúde (MS):
As 194 chances de níveis médio e superior previstas são para os cargos de analista em Ciência e Tecnologia (2), pesquisador (3), tecnologista (29), assistente em ciência e tecnologia (74) e técnico (86). Os novos servidores serão lotados no Instituto Nacional do Câncer (INCA).

A realização do concurso visa substituir os trabalhadores terceirizados que executam funções não previstas na legislação vigente. A autorização consta na Portaria nº 174, publicada na página 96 da primeira seção do Diário Oficial da União. O edital de abertura da seleção deverá ser divulgado no prazo de seis meses a partir da publicação da portaria.

Ministério da Educação (MEC):
Ao todo, são 3.069 oportunidades destinadas a instituições federais de Ensino Superior. Do número total de vagas, 1.740 são oferecidas para a carreira de magistério superior e as outras 1.329 para a função de técnico-administrativo em educação, de níveis médio e superior.

De acordo com a Portaria nº 175, o preenchimento das vagas para o cargo de professor deverá ser realizado a partir deste mês e, em setembro, para as funções de técnico-administrativo.

CORREIO BRAZILIENSE

Renascer tem pedido negado em ação contra Mendroni


O Tribunal de Justiça de São Paulo rejeitou queixa-crime apresentada pela Igreja Evangélica Renascer em Cristo contra o promotor de Justiça Marcelo Mendroni. Por unanimidade, ainda condenou a igreja a pagar R$ 20 mil de honorários para o advogado que defendi Mendroni no processo. O motivo da Ação Penal privada foi a entrevista de Mendroni a uma emissora de TV. A igreja acusa o promotor pelos crimes de injúria e difamação. Ainda cabe recurso.

O Órgão Especial do TJ paulista entendeu que o processo violou o princípio da indivisibilidade da ação privada, uma vez que não incluiu no pólo passivo da ação o repórter e o apresentador do jornal, que seriam também responsáveis pelas afirmações do promotor. O colegiado concluiu, ainda, que a ação não observou o disposto no artigo 44 do Código de Processo de Penal, que exige que da procuração conste o nome do querelante e a menção do fato criminoso.

De acordo com a denúncia, em entrevista ao Jornal da Band, o promotor de Justiça afirmou que a igreja descobriu uma nova forma de aumentar a arrecadação de dinheiro. O método consistiria em contar aos fiéis que o dízimo dos dias anteriores havia sido roubado, o que estimularia novas doações.

A igreja diz que a afirmação do promotor é mentirosa, uma vez que a instituição foi vítima de furto. Para a igreja, a manifestação de Marcelo Mendroni na televisão se configuraria crime de difamação e injúria.

A defesa do promotor, a cargo do advogado Edson Edmir Velho, sustentou vício de procuração. Isso porque, no lugar de ter sido outorgada por pessoa jurídica, foi pelo seu representante legal. Alegou, ainda, que a queixa-crime ofendia o princípio da indivisibilidade da ação penal privada.

Os desembargadores entenderam que o promotor se limitou a revelar o objeto de uma investigação em torno dos métodos usados pela instituição religiosa para arrecadar dízimo. De acordo com o colegiado, não houve na ação nenhum insulto pessoal destituído de interesse público. Para eles, o cidadão tem direito de saber que o Ministério Público investiga o patrimônio da igreja e não há nada que impeça a divulgação desse trabalho.

“No caso dos autos, o que a autora [igreja] entendeu como difamatórias e infames afirmações são publicações veiculadas na mídia que possuem apenas o objetivo de assegurar ao cidadão o direito à informação, o que não caracteriza a intenção de ofender a honra da querelante”, afirmou o relator do processo.

O desembargador Debatin Cardoso destacou como louvável o comportamento do promotor de Justiça diante das câmaras de TV. Segundo o relator, Marcelo Mendroni procurou, apenas, chamar a atenção dos espectadores para que não fossem enganados e explorados, alertando os tolos e os simplórios.

Fonte: Conjur

OVERBO

Mensagens do Smilingüido e sua Turma viram obra de arte


Em uma parceria com a Recriar, empresa especializada na reprodução de obras autorizadas, a Editora Luz e Vida lança uma linha de quadros do Smilingüido e a sua Turma. Os quadros são comercializados em três tamanhos, que variam entre 20 cm x 20 cm e 60 cm x 60 cm, em 106 modelos diferentes.

Segundo o empresário diretor da Recriar, João Rezende, o objetivo é atingir todas as classes. “Se a pessoa não tem condições financeiras de comprar o quadro grande, pode optar pelo pequeno. A idéia é que todos possam ter uma obra de arte em casa, com uma qualidade diferenciada. Todos os produtos são pintados em tela e isso dá um efeito visual especial”, explica.

Rezende destaca ainda que o Smilingüido atende uma das principais metas da Recriar. “Queremos distribuir arte para os brasileiros com esta mensagem positiva. As peças foram lançadas no último mês e já estão recebendo uma aceitação muito positiva. Cerca de 90% dos nossos revendedores pegaram o produto”, comenta.

Os quadros são impressos em 2.400 dpi, mesma técnica utilizada nos quadros de Candido Portinari e Mauricio de Souza, também produzidos pela Recriar. Os preços finais para o consumidor estão entre R$ 25,00 a cerca de R$ 90,00. Para conhecer toda a linha de quadros da Recriar, acesse www.recriararte.com.br ou ligue (41) 3116-7001.

Editora Luz e Vida

A Editora Luz e Vida comercializa seus produtos em mais de 20 países. Só a formiguinha Smilinguido está presente em mais de 700 produtos, que são exportados para países como Nova Zelândia, Japão, Estados Unidos, Costa Rica, México, Chile, Porto Rico, Argentina, Uruguai, Holanda e dezenas de outros. No Brasil, são cinco mil pontos de venda.

OVERBO

Dany Grace ministra na Escola de Adoração


Neste último sábado, dia 27 de junho, a cantora Dany Grace ministrou na Escola de Adoração em SP.

Mais do que cantar, Dany Grace trouxe aos alunos da Escola um estudo edificante sobre adoração.

Baseada em II Cr. 16.9, a cantora ministrou sobre o tema “Aptos para a obra do ministério”.
Através de exemplos práticos e de um testemunho de vida marcante Dany Grace foi objetiva em suas
palavras e convocou músicos e cantores à uma vida de dedicação e compromisso com o Reino de Deus.

Sua simplicidade e simpatia cativaram todos no evento que puderam ainda conversar, tirar fotos e
receber o carinho da cantora. Assista aos vídeos do evento no site da Escola: www.escoladeadoracao.com.br

Dany Grace faz parte atualmente do casting da gravadora Graça Music, pela qual acaba de gravar o CD
“Na hora certa”, um trabalho marcante da vida da cantora, pois consagra-a definitivamente como líder
de louvor e adoração.

Fonte: Escola de Adoração


Regis Danese participa de programa na Rede TV


Os que admiram uma boa música não podem perder a participação de Regis Danese, intérprete do hit “Faz Um Milagre em Mim”, no programa Rota Sertaneja, que vai ao ar neste sábado, dia 4/7, a partir das 14h, na Rede TV.

A produção do programa, apresentado por Juliano César, acompanhou a visita do cantor ao Hospital Regional do Câncer, em Passos (MG), sua terra natal. Na ocasião, Regis levou esperança aos enfermos através da oração e do louvor a Deus.

Não perca! Neste sábado, dia 4/7, na Rede TV.

Fonte: Line Records

OVERBO

Equipe de pesquisadoras culpa filmes infantis por perpetuarem a “heteronormatividade”


(Por Kathleen Gilbert) - ANN ARBOR, Michigan, EUA — Pesquisadoras da Universidade de Michigan concluíram que as estórias de amor dos clássicos da Disney e outros filmes infantis — tais como a Pequena Sereia — são parcialmente culpados pela expansão do que elas rotulam “heteronormatividade”.

“Apesar da suposição de que os meios de comunicação infantis são livres de conteúdo sexual, nossos estudos indicam que esses meios de comunicação retratam um rico e predominante panorama heterossexual” escreveram as pesquisadoras Emily Kazyak e Karin Martin, num relatório publicado na edição mais recente da publicação Gênero & Sociedade, da Sociedade de Mulheres Profissionais de Sociologia (MPS).

Kazyak e Martin disseram que estudaram o papel de relacionamentos heterossexuais em vários dos mais importantes filmes infantis produzidos entre 1990 e 2005.

Os resultados, dizem as pesquisadoras, ilustram dois modos como os filmes infantis “constroem a heterossexualidade”: por meio de “representações de amor romântico hetero como excepcionais, poderosos, transformativos e mágicos”, e “representações de interações entre corpos sexuais em que os personagens do sexo feminino são sujeitos ao olhar atento dos personagens masculinos”.

“Os personagens apaixonados são cercados por música, flores, velas, magia, fogo, balões, roupas, luzes diminuídas, danças e banquetes cuidadosamente feitos”, observaram as pesquisadoras. “Vagalumes, borboletas, pôr-do-sol, vento e a beleza e o poder da natureza muitas vezes fornecem o ambiente — e uma conexão para a naturalidade — do amor romântico hetero”.

O comunicado à imprensa de MPS sobre a pesquisa culpou o que chamaram das “velhas idéias” de relacionamentos românticos, especificamente aqueles que se acham nos contos de fadas dos Irmãos Grimm. Esses contos em muitos exemplos inspiraram o enredo dos filmes para “tais representações pesadamente heterossexuais e glorificaram representações de relacionamentos heterossexuais”.

A equipe diz que os resultados apontam para a questão de que a heterossexualidade alcançou uma “condição que ninguém questiona” “porque o romance hetero é mostrado como poderoso”.

“As construções comuns e excepcionais de filmes heterossexuais trabalham para normalizar sua condição porque fica difícil imaginar qualquer coisa diferente dessa forma de relacionamento social ou qualquer um fora desses compromissos”, concluíram elas.

“Esses filmes fornecem representações poderosas de uma heterossexualidade complexa e predominante que provavelmente facilita a reprodução da heteronormalidade”.

O comunicado à imprensa de MPS concluiu: “O Presidente Obama declarou que junho é o Mês do Orgulho Gay, mas os filmes e desenhos para crianças continuam a perpetuar uma mensagem menos inclusiva, deixando os que estão de fora de seus limites com pouco com que construir seus próprios sonhos de um final feliz”.

A especialidade em sexualidade Dra. Judith Reisman disse para LifeSiteNews ontem que o estudo “politicamente correto” revela “a dominação crescente da heterofobia nos meios acadêmicos e a propagação de heterófobos entre os profissionais do sexo feminino”.

“Agora, se as Damas da Sociedade de Sociologia acharem que a pornografia está se tornando a heteronorma e que a Disney está contribuindo para essa forma do que é realmente heterofobia, elas poderiam ter algo mais a defender”, comentou Reisman.

“Contudo, as Damas da Sociedade de Sociologia parecem favorecer a propaganda homoerótica infantil, conforme dita a atua linha partidária dos meios acadêmicos”.

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: Julio Severo

OVERBO

STJ mantém prisão de padre acusado de pedofilia no RS

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou habeas-corpus ao padre preso em fevereiro de 2008, em Rio Grande (RS), suspeito de pedofilia. Ele foi acusado de abusar sexualmente de uma menina de 12 anos e outras duas adolescentes. O padre, que era diretor do Colégio Salesiano Leão XIII, pretendia responder ao processo em liberdade.

O religioso foi denunciado pelo Ministério Público estadual por cometer atentado violento ao pudor contra duas jovens e tentativa de estupro contra uma terceira. Os crimes teriam se repetido até ele ser preso em flagrante pela polícia local.

De acordo com a denúncia, após cometer os abusos, o padre “comprava” o silêncio das vítimas e de alguns de seus familiares, todos de origem humilde, por meio de promessas de emprego e doação de dinheiro. Ele teria admitido que praticava “atos libidinosos” com as meninas e, em troca, repassava dinheiro à mãe de uma das vítimas.

Fonte: Terra

OVERBO

Professor americano é assassinado por extremistas

MAURITÂNIA - No dia 1 de julho foi realizado o funeral de um professor americano morto na semana passada por propagar o cristianismo.

Cristopher Legget, 39, foi morto na terça-feira, 23 de junho, na frente da escola de idiomas e computação em que trabalhava.

Em sua rede de notícias operante no norte da África, a Islamic Maghreb, a al-Qaeda assumiu a responsabilidade pelo assassinato, acusando Legget de “atividades missionárias”. Um porta-voz da al-Qaeda na região emitiu uma declaração dizendo que o grupo matou Legged porque ele tentava converter muçulmanos ao cristianismo.

Grupos de ajuda humanitária no Oriente Médio disseram que Legget “resistiu ao que parecia ser uma tentativa de sequestro, e então foi baleado diversas vezes na cabeça pelos assaltantes”.

Os familiares do professor disseram que perdoam os assassinos, mas pediram que eles sejam presos e condenados.

“Com amor, nós liberamos perdão para aqueles que tiraram a vida de nosso querido filho. Chris tinha um profundo amor pela Mauritânia e seu povo, um amor que nós também sentimos. Apesar desse acontecimento terrível, não desejamos mal para o povo mauritano. Nós perdoamos os responsáveis, mas pedimos justiça contra aqueles que mataram o nosso filho.”

O Ministro da Justiça mauritano afirmou que a morte de Legget foi “uma grande perda para a Mauritânia”. Legget, sua esposa e filhos moraram no país por sete anos, onde ele comandava uma agência de ajuda humanitária, que oferecia treinamentos em informática, costura e alfabetização.

A Fundação Nacional pela Defesa da Democracia na Mauritânia (FNDD em inglês) pede que os assassinos sejam julgados.

“Esse crime terrível, cometido em plena luz do dia, perto de um mercado em El Ksar, um dos mais movimentados em Nouakchott, levanta a questão da instabilidade e terrorismo, usada frequentemente pelas autoridades militares para justificar todo tipo de situações incomuns.”

Ontem, em seu funeral na Primeira Igreja Batista, o pai de Cristopher, Jay Legget disse: “A grande esperança de nossa família é a de Chris não tenha morrido em vão, mas que através dessa morte física, milhares continuem a ser desafiados a se juntar a ele para demonstrar o amor de Deus.”

“Sentimos as orações de muitas pessoas ao redor do mundo. É maravilhoso viver o fato de que, pela graça e poder de Deus, um homem tocou a vida de milhares de pessoas.”

O pai de Legget terminou seu discurso com lágrimas nos olhos, recitando um hino: “A Deus seja a glória, a Deus seja a glória, grandes coisas Ele tem feito e grandes coisas Ele fará”.

Fonte: Portas Abertas

OVERBO

Enfim, começa o júri do caso aline

Ouro Preto - Julgamento de acusados de matar estudante deve terminar amanhã.
Após duas tentativas frustradas, começou ontem, no Fórum de Ouro Preto, na região Central do Estado, o julgamento dos quatro suspeitos de assassinarem a estudante Aline Silveira Soares, em um ritual macabro, há oito anos. A sessão, que iniciou às 12h45, não havia terminado até às 23h30. Até esse horário, dez testemunhas foram ouvidas. A expectativa é de que o júri seja concluído até amanhã.
O corpo desnudo de Aline foi encontrado na madrugada do dia 14 de outubro de 2001 sobre um túmulo do cemitério da Igreja Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia. Os braços dela estavam abertos e os pés sobrepostos, em alusão à crucificação. Dezessete facadas foram desferidas contra a vítima. O Ministério Público acredita que ela tenha sido assassinada em um ritual de magia negra, influenciado pelo Role Playing Game (RPG).
O policiamento empenhado ontem estava orientado a coibir qualquer tipo de hostilidade contra os acusados Edson Poloni Lobo Aguiar, Cassiano Inácio Garcia, Maicon Fernandes Lopes,todos de 27 anos, e a prima da vítima, Camila Dolabella Silveira, de 26.
Nas primeiras duas horas, os advogados reclamaram do concedido à defesa - que, ao todo, soma duas horas e meia - e da quantidade de testemunhas arroladas no processo (25, sendo que 22 compareceram ao julgamento). A juíza Lúcia Albuquerque começou às 17h30 a oitiva das testemunhas.

Falta de provas
Os advogados de defesa criticaram a condução do caso e a falta de provas que incriminem os quatro suspeitos. "Todos eles são inocentes. Jogaram esse negócio de RPG, mas não conseguiram provar nada", afirmou Luiz Carlos Bento, representante de Maicon Lopes.
Segundo o advogado, não houve o esclarecimento da dinâmica do crime, que deveria apontar, por exemplo, quem matou Aline. "Viemos mais para ouvir do que falar. Não se atribuiu nenhuma conduta aos rapazes", afirmou Bento.
Cerca de 30 pessoas ligadas à Aline saíram de Manhumirim, para acompanhar o julgamento de ontem.

FONTE: SuperNotícias/NC

Religião no esporte é gol contra


Se nada for feito, a religião invadirá os campos e quadras e o virará uma cruzada entre os jogadores e seus deuses.
tricampeão da Copa das Confederações, Kaká o melhor jogador, Luís Fabiano o artilheiro, troféu Fair Play de equipe mais disciplinada... Festa bonita mesmo. Dunga, a Canarinho, a CBF e a torcida estão de parabéns!
Mas agora vou dar uma de estraga-prazer, é o jeito, pois tem algo que me preocupa muito mais que os gols que o Brasil faz ou deixa de fazer: tô falando do proselitismo religioso no esporte. Putz, esse negócio de jogador exibir religiosas já passou dos limites. A Fifa precisa fazer algo, assim como fez em relação às mensagens políticas, senão em breve o será um grande púlpito de devotos a fazer propaganda de seus deuses e suas religiões pro mundo inteiro.
Lúcio foi o herói do mas não deveria ter posado com aquela camisa onde se lia "I Jesus". Isso não é um comportamento digno de capitão do time, afinal ele representa o grupo e nele há jogadores com outras crenças. Kaká também usou uma ("I belong to Jesus") após a partida mas não a exibiu durante a premiação. E se outros jogadores fizerem o mesmo? Teremos um palanque religioso cheio de mensagens, com Deus, Alá, Jeová, Jesus, Shiva, Yemanjá e outras entidades disputando a atenção das câmeras. E os ateus, eles também não terão direito a uma camisa?
Se nada for feito, a religião invadirá os campos e quadras e o esporte virará uma cruzada entre os jogadores e seus deuses. Como um jogador evangélico se sentiria ao lado de outro que exibisse na camisa "Reencarnarei com Jesus" ou "Eu pertenço ao Demo"? Ué, se uma religião pode, todas podem. E as torcidas, como se comportarão? Será que esses jogadores não calculam o risco do que fazem num mundo onde as diferenças religiosas patrocinam atentados, guerras e genocídios?
Que Lúcio ame Jesus, tudo bem, ele ama quem quiser. Que Kaká pertença a Jesus, ótimo, o passe espiritual é dele. Mas o esporte nada tem a ver com as crenças pessoais dos jogadores - isso é misturar o público com o privado. É o mesmo que um deputado usar o plenário pra fazer propaganda de sua religião. Deputado tá no plenário pra legislar e jogador tá no campo pra jogar. Misturar política ou esporte com fervor religioso não dá certo. Por favor, senhores jogadores e senhoras jogadoras, respeitem o espectador que nada tem a ver com isso e divulguem sua fé em outra ocasião. O esporte, assim como o Estado, deve ser laico e não-político, pra que ele não se desvie de sua essência mais legítima, que é a confraternização entre os povos.
Sei que toco num tema delicado e não duvido que algum religioso raivoso me xingue e me acuse de ser contra a liberdade de expressão e coizital... Nada disso. Quem conhece meu trabalho sabe bem do quanto prezo e luto pela liberdade. Não tenho religião nem tenho deuses ou deusas a honrar (a Luana Piovani não conta) mas sempre lutarei pela liberdade individual de qualquer um de tê-los. Esporte, porém, não é igreja - pelo bem do esporte e pela paz no mundo, sigamos esse primeiro mandamento.

FONTE: Kelmericas/NC

Concurso PRF 2009 - Edital em julho - 750 vagas EM BREVE

Finalmente novas datas já foram definidas para o novo Concurso da Polícia Rodoviária Federal PRF 2009. O secretário do Ministério da Justiça e o coordenador de Recursos Humanos (RH) da PRF deram novos prazos para o certame que contará com 750 vagas somente para o nível superior.

Eles informaram que o edital para o concurso da PRF será publicado ainda este mês (julho de 2009) porém não há como definir uma data precisa por causa de alguns detalhes ainda não resolvidos no edital.

A autorização para o concurso havia sido publicada pela portaria 79 no Diário oficial da União de 13 de abril de 2009.

O concurso será para ambos os sexos e exigirá nível superior ( faculdade completa) e carteira de habilitação categoria B (no mínimo). O valor do salário inicial para o policial rodoviário federal em início de carreira é de R$5.440,00.

As vagas serão regionalizadas, ou seja, distribuídas por cada estado de acordo com sua malha viária. Provavelmente as regiões sul e sudeste devem ser contempladas com maior quantidade de vagas.

A próxima etapa é a definição da organizadora do concurso, com grandes chances para grandes organizadoras como Cespe, Fundação Carlos Chagas, Cesgranrio ou Esaf.

A exigência de nível superior é devido a lei sancionada pelo presidente Lula. Na mesma lei foi mudada a denominação do cargo – o policial rodoviário federal passou a ser chamado de agente.

O Concurso anterior da PRF foi realizado em 2008 pela organizadora CESPE, após denúncia de fraude envolvendo a organizadora anterior NCE.

A prova anterior foi aplicada dia 14 de setembro de 2008 pelo CESPE e contou com questões de português , raciocínio lógico , matemática , atualidades , informática , legislação de trânsito , conhecimentos de direito , conhecimentos gerais e prova de redação.

Clique aqui para ler a prova anterior e o gabarito.

Inicie seus estudos o quanto antes com apostilas recomendadas abaixo para o Concurso da PRF 2009.

RESULTADO CONCURSO

Católicos são 73%, mas apenas um terço vai à missa


Pesquisa divugada nesta quinta-feira pela Arquidiocese de Maringá mostra que, nos 27 municípios sob sua jurisdição, católicos são 73% e evangélicos, 21%.

Maringá - Católicos e evangélica em oração (da esq. para a dir.): índices se mantêm estáveis, com ligeiro crescimento do número de evangélicos (: Ricardo Lopes) Católicos e evangélica em oração (da esq. para a dir.): índices se mantêm estáveis, com ligeiro crescimento do número de evangélicos
Um terço dos católicos da região de Maringá vai às missas com frequência. A informação consta de uma pesquisa feita pela Arquidiocese de Maringá, divulgada nesta quinta-feira (2). Das 9.808 pessoas entrevistadas nos 27 municípios de abrangência da arquidiocese, 7.230 afirmaram ser católicas. Outras 2.074 disseram ser evangélicas.
O padre Sidney Fabril, coordenador arquidiocesano da Ação Evangelizadora, diz que a intenção da igreja não é atrair fiéis de outras religiões, e sim fazer com que os católicos participem mais da igreja, já que a pesquisa revelou que a maioria deles sequer vai à missa. O padre considera que a partir do momento que as paróquias se tornarem comunidades acolhedoras e fizerem atendimento personalizado aos fiéis, as pessoas terão vontade de frequentar a igreja.
“Temos um campo muito grande de trabalho para fazer com que as pessoas participem mais.” Segundo o levantamento, 4,33% dos entrevistados disseram que a forma de acolhida da paróquia que frequenta deveria melhorar. O campo de trabalho a que se refere Fabril é o Plano de Ação Evangelizadora. A arquidiocese já traçou as quatro diretrizes que serão prioridade até 2012. A primeira delas é a família.
O padre considera que a igreja Católica precisa organizar grupos para atingir as famílias, já que muitas estão em situação de sofrimento, separação e pobreza. São três projetos em vista: encontro de preparação para o matrimônio, acompanhamento de recém-casados e acolhida dos casais em nova união.
A segunda meta é organizar as paróquias em pequenas comunidades. “Elas têm de passar a ser vistas como um conjunto de comunidades”, diz o padre. A terceira prioridade é a promoção da vida e ação social. A arquidiocese planeja instalar a Pastoral da Saúde e trabalhar com prevenção de doenças. “Nós atendemos os enfermos, mas não trabalhamos para que as pessoas não fiquem doentes”, aponta.
Outro projeto refere-se à recuperação de nascentes, rios e matas ciliares. “Queremos salvar o maior número possível de nascentes porque a água é um patrimônio que está se perdendo.” A quarta e última diretriz é a juventude. A igreja Católica quer acolher os jovens e valorizar sua participação. “Vamos formar líderes jovens que falem a linguagem deles para que possamos evangelizá-los.”
O arcebispo dom Anuar Battisti diz que mudanças na forma de acolhida dos fiéis, celebrações mais participativas e tratamento personalizado podem levar mais católicos às missas e “tocar o coração das pessoas”.

Evangélicos
Na região, o número de evangélicos segue em crescimento, enquanto o número de católicos está estável. A pesquisa feita pela Arquidiocese de Maringá mostra que os católicos são 73,72% na região, enquanto os evangélicos são 21,15%.
Comparados aos dados do IBGE, de 2000, os números apresentados pela igreja mostram crescimento de 2,41 pontos porcentuais de evangélicos e ainda a queda em 2,03 pontos porcentuais de pessoas que se declararam sem religião. Dom Anuar Batistti diz que o êxodo não é um fenômeno exclusivo da igreja Católica. “As pessoas migram de uma religião para outra em busca do milagre, seja ele da cura ou de problemas financeiros.”
O padre Sidney Fabril diz que a acolhida das igrejas evangélicas é um aspecto forte frente à igreja Católica, mas ele deixa que não há disputa de fiéis. “Não queremos saber disso porque isso não é nem cristão e nem humano.”
O presidente da Ordem dos Pastores Evangélicos de Maringá, Valdinei Pereira, atribui o crescimento à nova forma de organização das igrejas evangélicas. “Antes, elas eram espalhadas e cada uma se preocupava em expor sua doutrina; hoje, existe união”, conta o pastor. “A unidade levou as pessoas a verem que o Evangelho é muito mais que uma placa com nome de igreja.”

FONTE: Diário do Norte do Paraná/NC

Exposição mostra cristo com imagens pornôs


Começou ontem na Galeria Café, no , a exposição PornoPoética, de Anderson Thieves. A mostra promete causar polêmica. Nela, há de figuras históricas feitas a partir de recortes de revistas pornográficas, incluindo um Jesus Cristo. A galeria fica no bairro de Ipanema.

FONTE: Destak/NC

“Há abusos em nome de Deus”

Jornalista relata os danos do assédio espiritual cometido por líderes evangélicos.

A igreja evangélica está doente e precisa de uma reforma. Os pastores se tornaram intermediários entre Deus e os homens e cometem abusos emocionais apoiados em textos bíblicos. Essas são algumas das afirmações polêmicas da jornalista Marília de Camargo César em seu de estreia, Feridos em nome de Deus (editora Mundo Cristão), que será lançado no dia 30. Marília é evangélica e resolveu escrever depois de testemunhar algumas experiências religiosas com amigos de sua antiga congregação.

ENTREVISTA - MARÍLIA DE CAMARGO CÉSAR

Anna Carocina Negri QUEM É
Marília de Camargo César, 44 anos, jornalista, casada, duas filhas

O QUE FEZ
Editora assistente do jornal O Valor, formada pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero

O QUE PUBLICOU
Seu livro de estreia é Feridos em nome de Deus (editora Mundo Cristão)

ÉPOCA – Por que você resolveu abordar esse tema?
Marília de Camargo César –
Eu parti de uma experiência pessoal, de uma igreja que frequentei durante dez anos. Eu não fui ferida por nenhum pastor, e esse livro não é nenhuma tentativa de um ato heroico, de denúncia. É um alerta, porque eu vi o estado em que ficaram meus amigos que conviviam com certa liderança. Isso me incomodou muito e eu queria entender o que tinha dado errado. Não quero que haja generalizações, porque há bons pastores e boas igrejas. Mas as pessoas que se envolvem em experiências de abusos religiosos ficam marcadas profundamente.

ÉPOCA – Qual foi a história que mais a impressionou?
Marília –
Uma das histórias que mais me tocaram foi a de uma jovem que tem uma doença degenerativa grave. Em uma igreja, ela ouviu que estava curada e que, caso se sentisse doente, era porque não tinha fé suficiente em Deus. Essa moça largou os remédios que eram importantíssimos no tratamento para retardar os efeitos da miastenia grave (doença autoimune que acarreta fraqueza muscular). O médico dela ficou muito bravo, mas ela peitou o médico e chegou a perder os movimentos das pernas. Ela só melhorou depois de fazer terapia. Entendeu que não precisava se livrar da doença para ser uma boa pessoa.

ÉPOCA – Que tipo de experiência você considera como abuso religioso e que marcas são essas?
Marília –
Meu livro é sobre abusos emocionais que acontecem na esteira do crescimento acelerado da população de evangélicos no . É a intromissão radical do pastor na vida das pessoas. Um exemplo: uma missionária que apanha do marido sistematicamente e vai parar no hospital. Quando ela procura um pastor para se aconselhar, ele fala assim para ela: “Minha filha, você deve estar fazendo alguma coisa errada, é por isso que o teu marido está se sentindo diminuído e por isso ele está te batendo. Você tem de se submeter a ele, porque biblicamente a mulher tem de se submeter ao cabeça da casa. Então, essa mulher, que está com a autoestima lá embaixo, que apanha do marido - inclusive pelo Código Civil Brasileiro ele teria de ser punido - pede um conselho pastoral e o pastor acaba pisando mais nela ainda. E ele usa a Bíblia para isso. Esse é um tipo de abuso que não está apenas na igreja pentecostal ou neopentecostal, como dizem. É um caso da Igreja Batista, em que, teoricamente, os protestantes históricos têm uma reputação melhor.

ÉPOCA – Seu livro questiona a autoridade pastoral. Por quê?
Marília –
As igrejas que estão surgindo, as neopentecostais, e não as históricas, como a presbiteriana, a batista, a metodista, que pregam a teologia da prosperidade, estão retomando a do “ungido de Deus”. É a figura do profeta, do sacerdote, que existia no Antigo Testamento. No Novo Testamento, não existe mais isto. Jesus Cristo é o único mediador. Então o pastor dessas igrejas mais novas está se tornando o mediador. Para todos os detalhes da sua vida, você precisa dele. Se você recebeu uma oferta de emprego, o pastor pode dizer se deve ou não aceitá-la. Se estiver paquerando alguém, vai dizer se deve ou não namorar aquela pessoa. O pastor, em vez de ensinar a desenvolver a espiritualidade, determina se aquele homem ou aquela mulher é a pessoa da sua vida. E o pastor está gostando de mandar na vida dos outros, uma atitude que abre um terreno amplo para o abuso.

ÉPOCA – Você também fala que não é só culpa do pastor.
Marília –
Assim como existe a onipotência pastoral, existe a infantilidade emocional do rebanho, que é o que o Sérgio Franco, um dos pastores psicanalistas entrevistados no livro, fala. A grande crítica do Freud em relação à religião era essa. Ele dizia que a religião infantiliza as pessoas, porque você está sempre transferindo as suas decisões de adulto - que são difíceis - e a figura do sagrado, no caso aqui o líder religioso, para a figura do pai ou da mãe - o pastor, a pastora. É a tendência do ser humano em transferir responsabilidade. O pastor virou um oráculo. É mais fácil ter alguém, um bode expiatório, para pôr a culpa nas decisões erradas tomadas.

“O pastor está gostando de mandar na vida dos outros
e receber presentes. Isso abre espaço para os abusos”

ÉPOCA – Quais são os grandes males espirituais que você testemunhou?
Marília –
Eu vi casamentos se desfazer, porque se mantinham em bases ilusórias. Vi também pessoas dizendo que fazer terapia é coisa do Diabo. Há pastores contra a terapia que afirmam que ela fortalece a alma e a alma tem de ser fraca; o espírito é que tem que ser forte. E dizem isso supostamente apoiados em textos bíblicos. Dizem que as emoções têm de ser abafadas e apenas o espírito ser fortalecido. E o que acontece com uma teologia dessas? Psicoses potenciais na vida das pessoas que ficam abafando as emoções. As pessoas que aprenderam essa teologia e não tiveram senso crítico para combatê-la ficaram muito mal. Conheci um rapaz com muitos problemas de depressão e de autoestima que encontrou na igreja um ambiente acolhedor. Ele dizia ter ressuscitado emocionalmente. Só que com o passar dos anos, o pastor se apoderou dele. Mas ele começou a perceber que esse pastor é gente, que gosta de ganhar presentes e que usa a Bíblia para se justificar. Uma das histórias que mais me tocou foi a de uma jovem que tem uma doença degenerativa grave. Ela foi para uma dessas igrejas e ouviu que se estivesse sentindo ainda doente era porque não tinha fé suficiente em Deus. Essa moça largou os remédios que eram importantíssimos no tratamento para retardar os efeitos da miastenia grave (doença auto-imune que acarreta fraqueza muscular). O médico dela ficou muito bravo e não a autorizou. Mesmo assim, ela peitou o médico e chegou a perder os movimentos das pernas. Ela só melhorou depois de fazer terapia. Ela entendeu que não precisava se livrar da doença para ser uma boa pessoa.

ÉPOCA – Por que demora tanto para a pessoa perceber que está sendo vítima?
Marília –
Os abusos não acontecem da noite para o dia. A pessoa que está sendo discipulada, que aprende com o pastor o que a Bíblia diz, desenvolve esse relacionamento aos poucos. No primeiro momento, ela idealiza a figura do líder, como alguém maduro, bem preparado. É aquilo que fazemos quando estamos apaixonados: não vemos os defeitos. O fiel vê esse líder como um intermediário, como um representante de Deus que tem recados para a vida dele, um guru. E o pastor vai ganhando a confiança dele num crescendo, como numa amizade. Esse líder, que acredita que Deus o usa para mandar recados para sua congregação, passa a ser uma referência na vida do fiel. O fiel, pro sua vez, sente uma grande gratidão por aquele que o ajudou a mudar sua vida para melhor. Ele se sente devedor do pastor e começa, então, a dar presentes. O fiel quer abençoar o líder porque largou as drogas, ou parou de beber, ou parou de bater na mulher, ou porque arrumou um emprego e está andando na linha. E começa a dar presentes de acordo com suas posses. Se for um grande empresário, ele dá um importado para o pastor. Isso eu vi acontecer várias vezes. O pastor, por sua vez, gosta de receber esses presentes. É quando a relação se contamina, se torna promíscua. E o pastor usa a Bíblia para dizer que esse ato é bíblico. O poder está no uso da Bíblia para legitimar essas práticas.

ÉPOCA – Qual é o limite da autoridade pastoral?
Marília –
O pastor tem o direito de mostrar na Bíblia o que ela diz sobre certo tema. Como um bom amigo, ele tem o direito de dar um conselho. Mas ele tem de deixar que aquilo é apenas um conselho. Pode até falar que o resultado disso ou daquilo pode ser ruim para a vida do fiel. Mas ele não pode mandar a pessoa fazer algo em nome de Deus. O que mais fere as pessoas é ouvir uma ordem em nome de Deus. Se é Deus, então prova! Se Deus fala para o pastor, por que Ele não fala para o fiel? Eles estão sendo extremamente autoritários.

ÉPOCA – Você afirma que muitos dos pastores não agem por má-fé, mas por uma visão messiânica. Explique.
Marília –
É uma visão messiânica para com seu rebanho. Lutero (teólogo alemão responsável pela reforma protestante no século XVI) deve estar dando voltas na tumba. Porque o pastor evangélico virou um papa que é a figura mais criticada no catolicismo, o inerrante. E não existe essa figura, porque somos todos errantes, seres faltantes, como já dizia Freud. Pastor é gente. E é esse pastor messiânico que está crescendo no evangelismo. Existe uma ruptura entre o Antigo e o Novo Testamento, que é a cruz. A reforma de Lutero veio para acabar com a figura intermediária e a partir dela veio a doutrina do sacerdócio universal. Todos têm acesso a Deus. Uma das fontes do livro disse que precisamos de uma nova reforma e eu concordo com ela. Essa hierarquização da experiência religiosa, que o protestante tanto combateu no catolicismo, está se propagando. Você não pode mais ter a conversa direta com o divino. Porque tem aquela coisa da “oração forte” do pastor. Você acha que ele ora mais que você, que ele tem alguma vantagem espiritual e, se você gruda nele, pega uma lasquinha. Isso não existe. Somos todos iguais perante Deus.

ÉPOCA – Se a igreja for questionada em seus dogmas, ela não deixará de ser igreja?
Marília –
Eu não acho isso. A igreja tem mesmo de ser questionada, inclusive há pensadores cristãos contemporâneos que questionam o modelo de igreja que estamos vivendo e as teologias distorcidas, como a teologia da prosperidade, que são predominantemente neopentecostais e ensinam essa grande barganha. Se você não der o dízimo, Deus vai mandar o gafanhoto. Simbolicamente falando, Ele vai te amaldiçoar. Hoje o fiel se relaciona com o Divino para as coisas darem certo. Ele não se relaciona pelo amor. Essa é uma das grandes distorções.

ÉPOCA – Por que você diz que existe uma questão cultural no abuso religioso?
Marília –
Porque o brasileiro procura seus xamãs, e isso acontece em todas as religiões. O brasileiro é extremamente religioso. A ÉPOCA até publicou uma matéria sobre isso, dizendo que a maioria acredita em algo e se relaciona com isso, tentando desenvolver seu lado espiritual. O brasileiro gosta de ter seu oráculo. A pessoa que vem do catolicismo, onde há centenas de santos, e passa a ser evangélica transfere aquela prática e cultura do intermediário para o protestantismo, e muitas igrejas dão espaço para isso. O pastor Edir Macedo (da igreja Universal) trouxe vários elementos da umbanda, do candomblé, porque ele é convertido. Ele diz que o povo precisa desses elementos -que ele chama de pontos de contato - para ajudar a materializar a experiência religiosa. A Bíblia condena tudo isso.

ÉPOCA – No livro você dá alguns alertas para não cair no abuso religioso. Fale deles.
Marília –
Desconfie de quem leva a glória para si. Um conselho é prestar atenção nas visões megalomaníacas. Uma das características de quem abusa é querer que a igreja se encaixe em suas visões, como quere ganhar o Brasil para Cristo e colocar metas para isso. E aquele que não se encaixar é um , um feiticeiro. Tome cuidado com esse homem. Outra estratégia é perguntar a si mesmo se tem medo do pastor ou se pode discordar dele. A pessoa que tem potencial para abusar não aceita que discorde dela, porque é autoritária. Outra situação é observar se o pastor gosta de dinheiro e ver os sinais de enriquecimento ilícito. São esses geralmente os que adoram ser abençoados e ganhar presentes. Cuidado com esse cara.
FONTE: Época/NC