sábado, 14 de fevereiro de 2009

Dieta da Bíblia

Com esta dieta, você não irá cometer o pecado da gula e ainda entrará em forma para aproveitar o verão sem neuras. Confira!

Decifre seus sonhos eróticos Desenvolvida por Edson Ramuth, supervisor médico do Emagrecentro, a Dieta da Bíblia é baseada na alimentação do Antigo e do Novo Testamento. Ela promete eliminar 5 quilos em 11 dias, mas não pode ser feita além desse período ou repetida no mesmo mês. Se resolver adotá-la, terá que respeitar alguns mandamentos: o mel deve ser usado no lugar do açúcar e de adoçantes e você precisa tomar água antes, durante e após as refeições (e também quando sentir fome).


1º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de iogurte
ALMOÇO
1 filé de peixe
1 prato de salada de pepino com cebola
LANCHE DA TARDE
1 fatia de melão
JANTAR
1 prato de lentilha cozida
2º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de leite
ALMOÇO
1 bife médio de carne
1 pepino grande cru
LANCHE DA TARDE
1 maçã
JANTAR
1 prato de vagem cozida
1 ovo cozido
3º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 copo de suco de melão
2 fatias de queijo
ALMOÇO
1 filé de peito de ave
1 prato de salada de pepino com cebola
LANCHE DA TARDE
5 ameixas pretas
JANTAR
1 ovo cozido
1 prato de lentilha cozida
4º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de leite
ALMOÇO
1 bife médio de carne
1 prato de vagem cozida
LANCHE DA TARDE
1 cacho de uvas
JANTAR
1 prato de lentilha cozida
5º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de iogurte
ALMOÇO
1 filé de peito de ave
1 prato de salada de pepino com cebola
LANCHE DA TARDE
1 maçã
10 amêndoas
10 azeitonas
JANTAR
Jejum (só ingerir água)
6º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
Jejum (só ingerir água)
ALMOÇO
Jejum (só ingerir água)
LANCHE DA TARDE
Jejum (só ingerir água)
JANTAR
1 prato de lentilha cozida
1 prato de salada de pepino com cebola
1 bife médio de carne
7º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 copo de suco de melão
2 fatias de queijo
ALMOÇO
1 filé de peixe grelhado
1 prato de lentilha cozida
LANCHE DA TARDE
5 ameixas pretas
JANTAR
1 ovo cozido
1 prato de vagem cozida
8º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de iogurte
ALMOÇO
1 filé de peixe
1 prato de salada de pepino com cebola
LANCHE DA TARDE
1 fatia de melão
JANTAR
1 prato de lentilha cozida
9º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de leite
ALMOÇO
1 bife médio de carne
1 pepino grande cru
LANCHE DA TARDE
1 maçã
JANTAR
1 prato de vagem cozida
1 ovo cozido
10º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 copo de suco de melão
2 fatias de queijo
ALMOÇO
1 filé de peito de ave
1 prato de salada de pepino com cebola
LANCHE DA TARDE
5 ameixas pretas
JANTAR
1 ovo cozido
1 prato de lentilha cozida
11º dia
CAFÉ-
DA-
MANHÃ
1 fatia de pão de centeio
1 xícara de leite
ALMOÇO
1 bife médio de carne
1 prato de vagem cozida
LANCHE DA TARDE
1 cacho de uvas
JANTAR
1 prato de lentilha cozida

Mandamentos extras:

1. Só estão liberadas carnes de animais ruminantes com casco dividido em dois e unha fendida, tipo boi, ovelha, carneiro, cabra. Elas não podem ser consumidas cruas ou mal passadas - devem ser bem cozidas, assadas ou grelhadas. Aves também estão na lista, bem como seus ovos.
2. Leite e derivados (queijo, coalhada, creme de leite) são permitidos, mas nunca podem ser ingeridos junto com carne. Ou seja, nada de filé a parmegiana ou estrogonofe.
3. Peixes com escamas são admitidos - pescada, sardinha, tainha. Frutos do mar, como camarão, marisco, lagosta e ostra, são proibidos, assim como peixes sem escamas (cação, pintado).

NOVA

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

«Definitivamente Deus existe»


A guerra de palavras entre cristãos e ateus teve mais um episódio nas ruas de Londres nesta quinta-feira, com três campanhas pró-Deus a surgirem em simultâneo na capital britânica.
Autocarros com o lema «Definitivamente Deus existe» pertencem ao Partido Cristão, enquanto a Sociedade Bíblica Trinitária optou por um versículo da Bíblia. A Igreja Ortodoxa Russa também está a preparar uma campanha de publicidade nos autocarros.
Estas iniciativas, que não estão relacionadas, surgem um mês depois da Sociedade Humanista Britânica ter colocado slogans a dizer que não havia Deus em autocarros de toda a Inglaterra. «Provavelmente não existe Deus: agora pára de te preocupares e goza a vida», diziam, o que motivou críticas ferozes por parte de muitas associações de cristãos.

IOL

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

Ratzinger é um "Papa politicamente desastrado" - Leonardo Boff

O teólogo brasileiro Leonardo Boff, ex-colega de Joseph Ratzinger, classifica Bento XVI como um Papa "politicamente desastrado" e um "pastor medíocre" pela forma como geriu as declarações de bispos católicos sobre o Holocausto.
"Este Papa é politicamente desastrado. Irritou todas as Igrejas saídas da Reforma negando-lhes o título de Igrejas. Entrou em conflito com os muçulmanos, e agora com os judeus e todo o povo alemão, a ponto de a primeira ministra Merkel ter que intervir junto ao Vaticano. Na verdade, ele pode ser um bom professor, mas é um pastor medíocre que não sabe suscitar direcção à Igreja e ânimo nos fiéis", refere Leonord Boff em entrevista escrita à Agência Lusa.
O fundador da Teologia da Libertação no Brasil, corrente de pensamento que envolve teologias cristãs de países do Terceiro Mundo, interpreta a suspensão da excomunhão dos quatro bispos da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, entre eles o inglês Richard Williamson, como um acto conservador de Ratzinger.
O bispo negacionista Richard Williamson integra um grupo de prelados que contesta o Concílio Vaticano II e as propostas de reconciliação entre católicos e judeus e, recentemente, em entrevista a uma televisão sueca, negou a existência do Holocausto durante a II Guerra Mundial.
Segundo Boff, "Bento XVI sempre olhou com simpatia o grupo de Lefebvre [Marcel, fundador da Irmandade em 1970], pois se move na mesma onda conservadora" e refere que "tais bispos são seus aliados naturais. Quando se apresentou a oportunidade, logo os indulgentou da excomunhão.
Leonardo Boff coloca em questão a escolha de Ratzinger para Papa: "Até hoje é um mistério, pois é uma figura de desunião, de polémica, quando a função de Papa é manter unido o corpo eclesial e animar a fé e a esperança dos cristãos. Ele faria bem a todos se aplicasse para si as leis canónicas, segundo as quais um bispo ou cardeal que ultrapassou 80 anos solicitasse afastamento voluntário de sua função".
Boff, de 71 anos, chegou a partilhar o mesmo pensamento teológico de Ratzinger, contudo, devido às suas teorias da Teologia da Libertação, em 1984, foi submetido a um processo pela Sagrada Congregação para a Defesa da Fé, ex-Santo Ofício, no Vaticano, tendo sido afastado de todas as suas funções de magistério no campo religioso.
"Houve uma época em que apreciei muito a sua teologia, mas depois que foi feito cardeal e presidente da Congregação para a Doutrina da Fé, [Ratzinger] mostrou suas raízes bávaras, de um cristianismo rústico e muito tradicional", afirma, referindo que o actual Papa foi seu inquisidor em 1984.
Nesta altura, refere Leonardo Loff, o Papa "puniu mais de 150 teólogos e cerceou a liberdade de pensamento na Igreja" e acrescenta que Ratzinger "vive cercado pelos grupos mais bajuladores que existem na Igreja, movimentos extremamente conservadores, tristes como se fossem ao próprio inteiro, mas cheios de dinheiro e de capacidade de manipulação do poder sagrado no interesse da mera manutenção institucional da Igreja e não de sua missão evangélica de serviço ao mundo, especialmente aos pobre e sofredores".
Segundo Boff, a hierarquia central da Igreja está "vastamente desmoralizada", pois sustenta teses "sem sentido de humanidade e de misericórdia" e citou posições que o Vaticano assumiu contra homossexuais, contraceptivos e relação ecuménica.
Defensor da causa dos Direitos Humanos, durante 22 anos, Boff leccionou Teologia e Espiritualidade em vários centros de estudos e universidades no Brasil e no exterior, além de professor-visitante nas universidades de Lisboa, Salamanca, Harvard, Basileia e Heidelberg.

Lusa/Fim

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

STJ rejeita pedido do senador Crivella para discutir ação contra a Rede Globo

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou o recurso com o qual o senador Marcelo Crivella, candidato derrotado ao governo do Rio de Janeiro (RJ), tentava levar à apreciação da Corte o pedido de indenização contra a Globo devido a uma crônica de Arnaldo Jabour veiculada no Jornal da Globo, programa noticioso daquela emissora.
A discussão começou com uma ação do parlamentar querendo ver reconhecida a responsabilidade civil da empresa devido à veiculação de crônica de alto teor ofensivo a sua honra. A matéria, segundo Crivella, comete calúnia ao imputar-lhe o “estelionato religioso”, ou seja, acusa-o de usar indevidamente o dinheiro das contribuições da Igreja Universal, entidade da qual é bispo, em beneficio próprio e de outros bispos. A crônica foi ao ar em 12 de julho de 2005.
A Justiça fluminense considerou a ação improcedente, conclusão mantida também na apelação. Por essa razão, o parlamentar recorreu ao STJ.
Ao apreciar o agravo de instrumento – tipo de recurso que tenta reverter decisão que não admitiu o recurso especial ao STJ –, o relator, ministro Luís Felipe Salomão, negou seguimento ao recurso. Para o ministro, se o tribunal estadual entendeu que não há provas suficientes sobre a questão, caberia ao senador, como autor da ação, ter instruído de forma mais conclusiva o conjunto de provas dos autos.
O ministro destaca parte do acórdão do tribunal fluminense que afirma, literalmente, que não se poderia, em nenhum momento, retirar do texto em questão que teria sido imputada a ele qualquer conduta criminosa. O Tribunal de Justiça também afirma que a empresa não teria extrapolado os direitos que lhe são assegurados.
O relator entendeu ser evidente que o tribunal estadual formou sua convicção com os elementos existentes nos autos. Rever a decisão importaria, necessariamente, reexaminar as provas, o que não é permitido ao STJ fazer em recurso especial, conforme dispõe a sua súmula 7.


Âmbito Jurídico

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

Semana Evangélica entra para o calendário festivo de Cachoeira Dourada


Foi realizado na última quinta-feira, 05, na Câmara Municipal de Cachoeira Dourada pela manhã, uma reunião que contou com a presença de pastores e representantes de todas as igrejas evangélicas do município.
O encontro teve como objetivo a discussão sobre o novo projeto da Prefeitura Municipal e Câmara do incremento da Semana Evangélica como evento tradicional da cidade. O novo projeto teve iniciativa do secretário do Turismo Getúlio Santana juntamente com o prefeito Robson Lima e vice Rodrigo Rodrigues através de uma solicitação do calendário festivo de Cachoeira Dourada por Barbosa Neto, presidente da Agetur, visto que o município atualmente se encontra no hall nacional das cidades turísticas.
Como a cidade possui algumas festas tradicionais como o aniversário da cidade, rodeio, carnaval, São João da praça, entre outros, foi decidido que as igrejas evangélicas por não participarem da maioria destes eventos tinham a necessidade de terem o seu espaço respeitado através de um evento totalmente voltado para eles.
Foi criada então a Semana Evangélica para atender às programações de todas as igrejas em seus respectivos dias. A divulgação desse evento será notória visto que o mês para tal realizações deverá ser concretizado em julho a fim de receber os turistas e visitantes para serem abrigados nas escolas onde por uma semana estarão cultuando a Deus em todas as programações subseqüentes. Os pastores e representantes se mostraram felizes e empolgados com a idéia visto que nunca haviam recebido apoio de tal forma do órgão público em suas programações anuais. As entidades religiosas estavam assim representadas: Pr. Anísio (Igreja ICEA), Pr. Antônio (Igreja Coluna de Deus), Pr. Valdomiro (Igreja deus é Amor), Pr. Porcidônio (Igreja Presbiteriana Renovada), Pr. Eliéder (Igreja Presbiteriana do Brasil), e demais representantes das igrejas Assembléia de Deus Missão e Igreja Batista.
O prefeito Robson Lima ressaltou que o turismo não é apenas investir em clubes e praias, mas sim um complexo geral como asfalto, praças, jardins e eventos. “Cachoeira Dourada tem maiores necessidades para o momento do que o carnaval”, disse, “pois quando a igreja é forte, a sociedade também é forte”. Disse também: “A igreja tem o poder delegado por Deus de libertar os viciados em drogas e transformar vidas”. Ao final do discurso foi muito aplaudido pelos presentes. O poder Legislativo se fez presente através dos vereadores, Mário Evangelista “Mineirinho”, João Batista Souza (João Sapateiro), Marcina Rosa, Ademir Teófilo, Izoldino Salvador e o presidente da Câmara Municipal, Saulo Rodrigues, para mostrar ainda mais união do Legislativo como o Executivo nesse início de administração. Em uma das maiores crises mundiais já sofridas no planeta, os municípios já começam a sentir os resultados afetados por ela, algo preocupante que exige ainda mais a participação da igreja na administração.
Prefeito Robson LIma recebe os pastores em seu gabinete
Pastores orando pelo sucesso da administração do Poder Legislativo
Getúlio (secretário de Turismo), Lalá e prefeito Robson LimaMomento de oração na Câmara Municipal de
Cachoeira Dourada

Prefeito Robson Lima fecha compromisso com
pastores
Folha de Notícias

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

Cientista propõe fim do "culto a Darwin"

"Você só quer saber de atirar, brincar com os cachorros e apanhar ratos", disse Robert Darwin ao seu filho, "e será uma desgraça para você mesmo e para toda sua família". Mas o menino irresponsável parece estar por toda parte. Charles Darwin recebe tanto crédito que não conseguimos distinguir entre ele e a evolução.
Equiparar a evolução a Charles Darwin significa ignorar 150 anos de descobertas, entre as quais a maior parte daquilo que os cientistas compreendem sobre a evolução.
Por exemplo: os padrões de hereditariedade de Gregor Mendel (que deram à idéia de seleção natural de Darwin um mecanismo - a genética - pelo qual ela poderia funcionar); a descoberta do ADN (que propiciou um mecanismo à genética e permitiu que víssemos as linhagens evolutivas); a biologia do desenvolvimento (que propicia um mecanismo ao ADN); estudos documentando a evolução na natureza (que converteram hipóteses em fatos observáveis); o papel da evolução na medicina e na doença (que propicia relevância imediata ao tópico); e muito mais.
Ao propor o 'darwinismo', até mesmo os cientistas e os autores de textos científicos perpetuam a impressão de que a evolução gira em torno de um homem, um livro, uma teoria. Lin Chi, um mestre budista do século 9, disse que "se você encontrar o Buda na estrada, deve matá-lo".
O ponto é que fazer de um grande professor um fetiche sagrado ignora a essência de seus ensinamentos. Assim, chegou a hora de matar Darwin, para nós.
Que toda a vida está relacionada por ancestrais comuns e que as populações mudam de forma ao longo do tempo são a base pictórica e as pinceladas finas da evolução.
Mas Darwin chegou tarde à festa. Seu avô e outros acreditavam que novas espécies evoluíssem. Fazendeiros e criadores de animais desenvolviam novas variedades de animais e plantas determinando quais espécimes sobreviveriam para procriar, o que ofereceu uma idéia já estabelecida a Charles Darwin. Tudo que Darwin percebeu foi que a seleção deveria funcionar também na natureza.
Em 1859, as percepções e a experiência de Darwin se transformaram em "Sobre a Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural, ou A Preservação das Raças Favorecidas na Luta pela Sobrevivência". Ele escreveu livros fundamentais sobre orquídeas, insetos, cracas e corais. Descobriu como se formam os atóis, e porque eles se localizam nos trópicos.
imenso gênio de Darwin merece crédito. Nenhuma outra mente se movimentou com tamanha liberdade, de forma tão ampla ou com tanto frescor por sobre as colinas e vales da existência. Mas existe um limite para o crédito que se pode atribuir a ele. Atribuir a evolução a Darwin ignora os limites que existiam em sua era e todos os progressos realizados subsequentemente.
A ciência era primitiva, na era de Darwin. Os navios não tinham motores. Só em 1842, seis anos da viagem de Darwin no Beagle, Richard Owen cunhou o termo 'dinossauro'.
Darwin já era adulto antes de os cientistas começarem a debater se os germes causavam doenças e se os médicos deveriam limpar seus instrumentos.
Na Londres da década de 1850, John Snow combatia a cólera sem saber que era uma bactéria que a causava. Apenas em 1857 Johann Carl Fuhlrott e Hermann Schaaffhausen anunciaram que uma ossada incomum encontrada no vale de Neander, Alemanha, talvez representasse os restos de uma raça humanóide muito antiga. Em 1860, Louis Pasteur executou experiências que negavam a 'geração espontânea', a idéia de que a vida emergia continuamente de coisas não vivas.
A ciência avançou. Mas a evolução ocasionalmente parece amarrada demais ao seu fundador. Não definimos a astronomia como 'copernicismo', e nem chamamos a gravidade de 'newtonismo'.
"Darwinismo" implica uma ideologia que adere aos ditames de um único homem, como o marxismo. E "ismos" (capitalismo, catolicismo, racismo) não são ciência.
"Darwinismo" implica em que os cientistas biológicos "acreditem" na teoria de Darwin. É como se, desde 1860, os cientistas tivessem apenas acenado com a cabeça em concordância com as teorias de Darwin, em lugar de desafiar e testar suas idéias ou de acrescentar imensos conhecimentos ao trabalho que ele desenvolveu.
Usar frases como "seleção darwinista" ou "evolução darwinista" implica que deva existir outra espécie de evolução em operação, um processo que poderia ser descrito com outro adjetivo.
Por exemplo, física newtoniana distingue a física mecânica que Newton explorou da física quântica subatômica. Assim, evolução darwinista suscita uma questão: qual é a outra evolução?
E eis que esse vazio é ocupado pelo design inteligente. Não chego a afirmar que o darwinismo deu origem ao "criacionismo", ainda que os "ismos" impliquem equivalência.
Mas o termo darwinista montou o palco no qual o design inteligente agora pode aproveitar os holofotes.
Charles Darwin não inventou um sistema de crença. Ele tinha uma idéia, não uma ideologia. A idéia gerou uma disciplina, e não discípulos. Ele passou mais de 20 anos recolhendo e avaliando provas e implicações de criaturas similares mais diferentes separadas no tempo (fósseis) e no espaço (ilhas). Isso é ciência.
E é por isso que precisamos nos livrar de Darwin
Quase tudo que compreendemos sobre a evolução surgiu não de Darwin mas depois dele. Ele nada sabia de hereditariedade ou genética, dois componentes fundamentais no estudo da evolução. E esta não era nem mesmo idéia original dele.
O avô de Darwin, Erasmus, acreditava que a vida houvesse se desenvolvido de um ancestral único. "Será que podemos conjeturar que uma e uma só espécie de filamentos vivos foi a causa de toda vida orgânica?", ele questionava em "Zoonomia", de 1794. Mas não foi capaz de descobrir de que forma isso poderia ter decorrido.
Charles Darwin saiu em busca da explicação. Refletindo sobre os métodos de plantio seletivo dos agricultores, e considerando a elevada mortalidade das sementes e dos animais selvagens, ele determinou que as condições naturais agiam como filtro para determinar que indivíduos sobreviviam para criar mais indivíduos como eles. Darwin definiu esse filtro como seleção natural.
O que Darwin tinha a dizer sobre a evolução basicamente começa e acaba logo ali. Darwin deu um passo minúsculo para além do que era de conhecimento comum. Mas porque ele percebeu - corretamente - um mecanismo pelo qual a vida se diversifica, sua percepção desenvolveu um imenso poder.
No entanto, ele não foi o único. Darwin vinha incubando sua tese há duas décadas quando Alfred Russell Wallace escreveu para ele do Sudeste Asiático, delineando a mesma idéia, que ele desenvolvera de forma independente. Temendo que ele perdesse a primazia, os colegas de Darwin organizaram uma apresentação pública na qual ambos os cientistas receberam crédito por uma idéia cuja hora havia chegado, com ou sem Darwin.
Darwin pode ter escrito a obra-prima. Mas havia pontos fracos. Variações individuais ofereciam a base da idéia, mas o que criava essas variações? Pior, as pessoas imaginavam que traços de ambos os pais se combinassem nos descendentes - isso não significaria que um determinado traço viesse a desaparecer por diluição depois de algumas gerações? Porque Darwin e seus colegas eram ignorantes da genética e dos mecanismos da hereditariedade, não conseguiam compreender plenamente a evolução.
Gregor Mendel, um monge austríaco, descobriu que, em pés de ervilha, a herança de traços individuais seguia padrões determinados. Apenas depois que a genética redescoberta por Mendel encontrou a seleção natural de Darwin, na síntese moderna dos anos 20, a ciência deu um gigantesco passo à frente quanto à compreensão da mecânica da evolução. Rosalind Franklin, James Watson e Francis Crick propiciaram o próximo salto: o ADN, a estrutura e mecanismo da variação e da hereditariedade.
O intelecto e presciência de Darwin, bem como sua humildade (é sempre aconselhável perceber claramente a nossa ignorância), espantam ainda mais à medida que os cientistas esclarecem, em detalhes que ele jamais imaginou, o quanto suas idéias estavam certas.
Mas nossa compreensão de como a vida funciona, depois de Darwin, não poderá mergulhar na piscina comum das idéias até que ponhamos fim ao darwinismo como culto. Só quando reconhecermos plenamente o século e meio de contribuições valiosas acrescentadas poderemos apreciar plenamente tanto o gênio de Darwin quanto o fato de que a evolução é a força propulsora da vida, com ou sem Darwin.

Tradução: Paulo Migliacci ME

Terra

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

Casamento Homossexual: Associações LGBT criticam posição “medieval” da Igreja


Porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa deu a entender que a Igreja pode apelar aos católicos que não votem em partidos que apoiem o casamento entre homossexuais. Uma posição "chocante", mas que "não surpreende" as associações LGBT.
Várias associações LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros) revelaram ao JPN não estar surpreendidas com a posição da Igreja Portuguesa que, ontem, admitiu apelar ao voto contra partidos que defendam a legalização do casamento homossexual.
Na terça-feira, após reunião do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), em Fátima, o porta -voz da instituição, padre Manuel Morujão, marcou o tom, em jeito de aviso: “Os cristãos, seguramente, tomarão as suas conclusões, porque não é fiável quem se mete por estas aventuras, em que a sociedade fica exposta a feridas, que são profundas”.
António Serzedelo, presidente da Opus Gay, confessa-se "pouco espantado", pois as afirmações "vêm na linha de tradição da Igreja Portuguesa e do Vaticano". Sérgio Vitorino, da associação Panteras Rosa, acentua: "Nós conhecemos as opiniões medievais da Igreja sobre a sociedade".
"Não surpreendem, mas não deixam de ser chocantes", diz Rita Paulos, porta-voz da Rede Ex Aequo, para quem é "incoerente" que uma instituição que defende o " amor pelo próximo" não reconheça a diversidade familiar. "A família ideal, a ideológica, é uma coisa que já não existe", salienta Sérgio Vitorino.
Confunde-se "sacramento" com "negócio jurídico"
Para o presidente da associação ILGA Portugal, Paulo Côrte-Real, o "fundamental" é separar dois conceitos: o de casamento civil e o de casamento religioso. "E o casamento civil é, por definição, inclusivo, logo tem de ser respeitado".
"A Igreja faz essa grande confusão. Confunde o sacramento com o casamento negócio jurídico", sublinha Serzedelo, que, olhando para o passado, desvaloriza um possível apelo ao voto contra os partidos que apoiem o casamento entre homossexuais. "Na altura do referendo ao aborto afectou em sentido contrário", diz, recordando o envolvimento da Igreja Católica na questão.
"Não é correcto estar a dizer às pessoas para mudar o voto simplesmente por causa disto", afirma Rita Paulos, sublinhando que "os crentes têm discernimento próprio".
"É uma ameaça que, eventualmente, pode até ser contraproducente porque é difícil defender, de forma racional, a exclusão, e a hierarquia da Igreja não significa a posição de todos os católicos", salienta Paulo Côrte-Real. Até porque, diz Sérgio Vitorino, "há muitos católicos homossexuais e, por isso, a Igreja tem de aprender a reconhecer a diversidade no seu próprio meio".

Igreja marca posição
Ainda sobre o casamento homossexual, a CEP prometeu divulgar, dentro de duas semanas, uma nota pastoral sobre a matéria, mas Manuel Morujão avançou que existem "outras prioridades", como a "crise", com que os políticos se deveriam ocupar "dando os apoios de que as famílias precisam para responder aos desafios actuais".
"As organizações da Igreja movimentar-se-ão, não contra alguém, mas em favor de uma causa", concluiu.

JPN

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Mesa Redonda com Senador Magno Malta em PVH


O presidente da CPI da Pedofilia, Senador Magno Malta, estará esse final de semana (14 e 15.02) em Porto Velho para divulgar e esclarecer os males da Pedofilia e da violência sexual contra crianças e adolescentes.

O parlamentar vem a Rondônia a convite do deputado estadual Valter Araújo que também é vice presidente do Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política – Fenasp. O movimento atua no cenário nacional desenvolvendo atividades e iniciativas na defesa de princípios na sociedade brasileira.

Presente também no evento o Pastor Silas Malafaia, reconhecidamente o que mais vende vídeos, CDs, DVDs e livros que explicam a Palavra de Deus para os evangélicos e não-evangélicos. Ele tem como principal objetivo defender a fé cristã, os princípios e os valores éticos e morais da sociedade.

Na oportunidade será realizada uma mesa redonda com os parlamentares, juízes, promotores, advogados, assistentes sociais, sociedade em geral e principalmente com os órgãos, entidades, conselhos, institutos e ONG’s que lutam pela proteção dos direitos das crianças e adolescentes.

Magno Malta pretende conhecer a realidade dos trabalhos desenvolvidos em Rondônia, saber das carências e ouvir sugestões para enfrentar e combater a pedofilia e a violência.

A mesa redonda será realizada neste domingo 15.02 às 8:30 horas da manhã na Avenida Dom Pedro II ao lado da Fox Pneus. A imprensa terá meia hora antes do evento começar para entrevistar os participantes da mesa.

FONTE: www.overbo.com.br

Regininha Poltergeist fala sobre sua conversão


Depois de “incontáveis” ensaios em revistas masculinas e três filmes pornôs, Regininha Poltergeist mudou de vida. Há dois meses, a atriz se converteu à igreja evangélica Bola de Neve. Em entrevista à coluna, ela fala sobre sua nova postura, diz que não se arrepende dos trabalhos mais picantes que fez na carreira e revela que não descarta a possibilidade de virar cantora gospel e pastora!

Quem te apresentou à religião?

Foi o Zé Reinaldo (coreógrafo). Fui criada na Igreja Católica, depois comecei a frequentar o espiritismo.

Mas qual vertente do espiritismo?

Conheci um pouco de umbanda e candomblé. Nunca para fazer mal a ninguém. Falavam que eu tinha mediunidade e que precisava cuidar dos meus orixás, dos meus guias, para eu poder caminhar profissionalmente. Mas eu não via resultado. Pelo contrário.

Sua vida mudou muito depois que você se converteu?

Muito. Eu estava na Praça Saens Peña, na Tijuca, há dois meses, quando encontrei com o Zé. Ele olhou para mim e perguntou o que estava havendo. Eu respondi que ninguém sabia o que eu tinha e ele me levou para a igreja.

Qual é a sua igreja?

Primeiro fui à igreja que é perto da minha casa, no Grajaú, na casa do pastor. Começou a sair um monte de coisa de cima de mim. E agora estou na Bola de Neve, com a Marinara (ex-modelo e ex-policial). Ela foi madrinha do meu batismo.

Mas e o fato de você ter feito alguns filmes pornôs?

Não me arrependo, não. Só que eu eu não posso e não quero mais cantar aquela música “Kátia Flávia” porque fala da Louraça Belzebu.

Você pretende chegar a um posição importante dentro da sua igreja?

Por que não? Mas eu gostaria mesmo é de cantar músicas para Jesus. Ele mudou minha vida.

Fonte: Extraonline

FONTE: www.overbo.com.br

Senador vai apurar denúncias de abuso sexual

O senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI da Pedofilia no Senado Federal, informou ontem ao presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Adamor Aires (PR), que vem a Belém apurar denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes.

Aires foi recebido por Magno Malta em uma audiência, ontem pela manhã, no seu gabinete, em Brasília. A conversa, a portas fechadas, durou aproximadamente uma hora. Segundo Aires, os dois parlamentares trocaram experiências e informações sobre a condução dos trabalhos das respectivas comissões.

O deputado destacou que uma CPI dessa natureza é inédita no Pará, o que faz com que seja essencial a troca de informações com parlamentares que têm experiência nesse tipo de trabalho. A ideia é que as duas comissões mantenham um intercâmbio que favoreça ao trabalho de ambas.

O deputado paraense elogiou a “determinação e a coragem” de Magno Malta, que faz da luta contra a pedofilia um dos principais focos de seu mandato. O senador garantiu que o Pará será visitado pela CPI da Pedofilia, a fim de apurar as denúncias desse crime.

A agenda de audiências dos parlamentares que integram a CPI prossegue durante toda a sexta-feira (13). Aires, o relator, deputado Arnaldo Jordy (PPS), e a deputada Regina Barata (PT) participam de uma reunião com a senadora Patrícia Saboya (PDT-CE), que presidiu a CPI da Exploração Sexual no Congresso Nacional.

Fonte:Diário do Pará

FONTE: www.overbo.com.br

Polícia Civil de Venâncio indicia o pai-de-santo como assassino de pastor


A Polícia Civil de Venâncio Aires concluiu ontem o inquérito sobre a morte do pastor evangélico Francisco de Paula Cunha de Miranda, esfaqueado aos 47 anos na noite de 20 de dezembro do ano passado. O delegado Paulo César Schirrmann indiciou o pai-de-santo Júlio César Bonato, 40, pelo crime. A acusação está embasada no relato de testemunhas.

O corpo do pastor foi encontrado na Rua Conde D’eu, Bairro Aviação, nas proximidades do terreiro onde Bonato comandava uma sessão de quimbanda. Segundo testemunhas, durante o ritual Miranda teria se aproximado e gritado palavras contra os frequentadores, tais como “queimem a casa de satanás”. O pai-de-santo, que segundo a crença estava incorporado pela entidade Exu Caveira, teria então saído em direção ao pastor e retornado em seguida. Os interrogados dizem não saber o que houve na rua e Bonato afirma não lembrar de nada, “devido à incorporação”.

Na última quarta-feira Schirrmann recebeu o laudo de exames feitos em três facas utilizadas no sacrifício de animais, encontradas no terreiro de Bonato. Segundo o delegado, os peritos não detectaram vestígios de sangue humano nas lâminas. “Isto não altera o teor do indiciamento, que tem por base os relatos de quase dez testemunhas. A faca utilizada no crime pode ter sido lavada antes de ser apreendida, ou foi usada outra, não localizada”, argumenta.

Já a necropsia não detectou características específicas da faca empregada no crime. O inquérito será agora analisado pelo Ministério Público. Como a lei não prevê a atribuição de crimes a entidades, quem responde pelo assassinato é o próprio pai-de-santo.

Fonte: Gazeta do Sul

FONTE: www.overbo.com.br

Indicado de Obama para o Comércio desiste do cargo

O senador republicano Judd Gregg anunciou nesta quinta-feira sua desistência da indicação para a Secretaria de Comércio dos Estados Unidos.

Gregg foi indicado para a pasta pelo presidente Barack Obama no último dia 3 de fevereiro, depois de o outro indicado, o governador do Novo México, Bill Richardson, também ter desistido do cargo após terem vindo à tona detalhes de uma investigação sobre supostas irregularidades em doações de campanha.

Em um comunicado, o senador republicano afirmou que sua desistência está relacionada a divergências políticas com o governo do democrata Obama, especialmente em relação ao pacote de estímulo à economia enviado ao Congresso pela Casa Branca.

Na nota divulgada por seu gabinete no Senado, Gregg se disse “honrado” com a indicação e disse admirar a iniciativa de Obama de apontar um republicano para a pasta, mas que o cargo “não seria para ele”.

“Ficou aparente durante este processo que isto não funcionaria para mim, já que descobri que, em temas como o pacote de estímulo à economia, há conflitos irreconciliáveis”, disse Gregg.

Segundo ele, antes de aceitar a indicação, ele e Obama teriam discutido sobre essas e outras divergências, “mas, infelizmente, não nos focamos adequadamente nestas questões”.

“Nós temos visões diferentes sobre muitos pontos críticos em política. Obviamente, o presidente precisa de um time que dê apoio total a suas iniciativas”.

Em um comunicado divulgado logo após o anúncio de Gregg, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, afirmou que foi o republicano quem se ofereceu para a Secretaria do Comércio.

“O senador Gregg ofereceu seu nome para a Secretaria de Comércio ao presidente Obama. Durante o processo de entrevistas, ele deixou claro que, apesar de desavenças do passado, ele apoiaria a agenda do presidente”, diz a nota que, no entanto, afirma que Gregg teria mudado de ideia.

“Ficou claro depois de sua indicação que do senador Gregg não iria apoiar algumas das políticas econômicas prioritárias de Obama. Nós lamentamos que ele tenha mudado de ideia”.

Com o anúncio desta quinta-feira, Gregg se torna o quarto indicado para o gabinete de Obama a desistir antes de assumir o cargo.

A lista de desistências começou com Bill Richardson, no início de janeiro, ainda antes da posse do presidente.

Já no dia 3 de fevereiro, o indicado para assumir a pasta da Saúde, Tom Daschle, desistiu da indicação após ser revelado que ele teria deixado de pagar um total de US$ 140 mil em impostos atrasados e juros.

Problemas com o fisco também foram o motivo da desistência de Nancy Killefer, que havia sido indicado por Obama para ser a supervisora do setor da Presidência responsável pela fiscalização de gastos públicos.

Estadão

FONTE: www.overbo.com.br