quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Cura e libertação vira fenômeno em missa em Rondonópolis



Testemunho de fé
A costureira Auta Coelho Rocha relata que foi curada de um tipo de câncer na mama. Ela conta que acompanhou o Cerco de Jericó e, ao fim, foi na missa com oração por cura e libertação. “Vim e pedi: Senhor, faça a sua vontade. Se for da sua vontade que eu seja curada, cura essa enfermidade para eu não ser operada. A minha irmã até falou em língua estranha na hora e não vi. Na hora da cura, senti um calor…” - externou. Na sequência, foram realizados três exames em Cuiabá, mas nada de anormal foi detectado na mama. “Eu estou curada. Hoje não sinto nada. O peito está normal. Quem me curou foi Jesus Cristo, através da fé do João Paulo, da minha e de todo mundo rezou por mim. Não vou dizer que foi minha fé sozinha. Sou casada há 44 anos, tenho 30 afilhados e pela primeira vez recebi uma bênção”, disse Auta.


As missas campais com oração de cura e libertação são realizadas em toda última sexta-feira de cada mês. O padre João Paulo esclarece que o objetivo maior não é a cura ou libertação. “O objetivo é fazer com que as pessoas se encontrem com o Deus . A consequência é que Deus cura fisicamente, emocionalmente e espiritualmente. Digo nas pregações: ‘posso ser curado e ir para o inferno’. Mas, não, Deus me quer salvo! Mesmo que a dificuldade bata lá em , o que vai fazer a diferença é se sou cheio de Deus ou não; não se sou curado do câncer” - argumenta. Apesar do sucesso das missas com oração de cura e libertação, padre João Paulo é comedido ao falar sobre o futuro dessas missas campais. “Não tenho muita clareza sobre o que Deus tem para o futuro e, até para a santa missa. Creio que Ele ainda vai fazer muita coisa grande ainda. Mas, confesso que essa não é a minha expectativa, que isso vá durar para sempre. Chega um momento em que as necessidades são outras. E Deus suscita outras formas de chegar a seu povo” - relata. “É como se fosse uma corrente elétrica, passa, produz os seus frutos e cede lugar para uma outra inspiração do Espírito, para novas pessoas que chegam. Enquanto eu estiver aqui, vou estar fazendo isso”.
As missas com oração de cura e libertação, realizadas pelo padre João Paulo, acumulam relatos de testemunhos de pessoas que receberam bênçãos diversas. “Os testemunhos têm comprovado isso: que Deus tem se manifestado entre nós. Mas os maiores milagres não são as curas físicas. É ouvir as pessoas dizerem: padre, a minha família está restaurada, está na Igreja; meus filhos se converteram”, relata João Paulo, citando relatos de curas de cânceres, problemas na coluna, tumores incuráveis no cérebro, enxaquecas, depressão, entre outras.
O bombeiro Rogério Sousa Lisboa, 29 anos, conta que foi curado de problemas na coluna em uma missa com oração por cura e libertação do padre João Paulo. Quando era mecânico, por volta de 1996, teve mau jeito na coluna, problema que foi agravado após um touro pisar em sua costa em uma montaria de rodeio. “De lá para cá, não fui o mesmo, sempre sentindo dores”, contou, lembrando que possui mais de 10 exames de raios-x, nos quais o médico aponta dois desvios de coluna.
Rogério esteve internado no Hospital Regional, também em Cuiabá e passou inúmeras vezes no Pronto Atendimento. O sofrimento durou, segundo ele, até quando foi convidado a participar da missa por cura e libertação. “O padre disse que quem cresse e tivesse fé, seria curado dos seus problemas. Inclusive, disse que havia ali uma pessoa com problema de coluna que seria curada. Levei o meu pedido a Deus. Hoje, graças a Ele, não sinto mais nada”, argumenta. “Quem me curou foi nosso Senhor, Jesus”, acrescenta.
A apoio administrativo Josiane Ferreira Rocha, de 22 anos, informa que sofria de depressão. “Até então, só sentia vontade de morrer. Tentei me matar, estava muito mal da depressão”, lembra, acrescentando que, nesse período, acabou engravidando. “Não aceitei a . Tomei até remédio para tirar a criança, mas não consegui”, continuou. Por um período de seis meses, tomou fortes remédios controlados, até o médico lhe dizer que o feto não estava se desenvolvendo devido à medicação.
“Vim na missa e disse: Senhor, meu Deus, se for curada e minha filha nascer saudável, perfeita e sadia, nunca mais eu coloco um tipo de remédio na boca. E foi o que aconteceu: Estou curada”, repassou, explicando que prometeu ainda dar o testemunho, caso curada. “Quem me curou foi o Senhor Jesus. Tenho fé que foi o Senhor Jesus que me curou”, afirmou.

24HorasNews/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.