domingo, 15 de novembro de 2009

Ao contrário de católicos, pastor diz que evangélicos procuram entender o homossexualismo


Em entrevista ao portal PB Agora o vereador pastor Edimílson (PRB) comentou a polêmica Proposta de Emenda Constitucional 122, que prevê pena de até cinco anos de reclusão por qualquer ato de censura, preconceito ou agressão contra os homossexuais. Edimílson disse que a igreja evangélica não é contra o homossexualismo, pelo contrário, procura compreender.
“Não somos contra a nenhum cidadão que escolha seu estilo de vida, a igreja não é contra, pelo contrário, procura compreender o porquê de a pessoa ter escolhido aquele modo de vida homossexual”, revelou.
Segundo Edimílson o direito de escolha é algo que todos possuem. “A lei diz que todos têm livre arbítrio para tomar decisões, agora lógico, como cidadão ele também possui seus direitos fundamentais”, afirmou.
Pastor Edimílson disse que não pode criminalizar o ato homossexual, mas também não aceita que uma lei o criminalize por traçar opiniões ou críticas à prática.
“Sou contra o estilo de vida gay, mas defendo os homossexuais por seus direitos como cidadãos, afinal, nenhum estilo de vida é perfeito ou igual a outro na sua prática. Na essência talvez seja, inclusive nas igrejas”, disse Edimílson.
“De vez enquanto assistimos escândalos envolvendo nomes de padres e pastores, quer dizer, na essência é perfeita, mas na prática não é”, disparou.
Questionado sobre as declarações de Dom Aldo Pagotto, pastor Edimíson disse apenas que o arcebispo mostrou sua posição.
“Nós não discriminamos o homossexual, somos sim contra a lei que nos amordaça de forma que não possamos mostrar às pessoas que somos contra aquele estilo de vida”, concluiu.

PB Agora/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.