Igreja Luterana da Suécia aprova casamentos gays

"O arcebispo da Suécia anuncia decisão da Igreja Luterana"

A Igreja Luterana da Suécia - a maior do país - deve começar a realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo a partir do mês que vem.

Cerca de 70% dos 250 membros do sínodo da igreja votaram a favor da medida, tornando-a uma das primeiras grandes igrejas do mundo a permitir o casamento gay.

O governo da Suécia aprovou uma nova lei em maio garantindo a casais homossexuais os mesmos direitos concedidos a casais heterossexuais.

Cerca de três quartos dos suecos são membros da Igreja Luterana, apesar de o número de praticantes ser relativamente baixo.

A Igreja Luterana diz que a partir de novembro qualquer um de seus pastores poderá celebrar casamentos entre homossexuais.

Pastores individuais não serão "forçados" a celebrar os casamentos gays, mas poderão ser substituídos para as cerimônias caso se recusem.

Apoio

A igreja, que até 2000 estava sob o controle do Estado, apoiou a decisão do governo de legalizar os casamentos gays em maio.

Mas alguns líderes religiosos defenderam que as cerimônias da igreja e o termo matrimônio sejam reservados às uniões heterossexuais.

Outros se opuseram à nova lei argumentando que ela seria contrária às escrituras religiosas.

"De minha parte, acho que a decisão correta foi tomada, mas tenho empatia com os muitos que acreditam que isso foi longe demais", afirmou o arcebispo da Suécia, Anders Wejryd.

O principal grupo gay do país, a Federação Sueca dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros, elogiou a decisão da Igreja Luterana.

"Nós congratulamos a Igreja da Suécia por sua decisão. Os membros homossexuais e bissexuais da Igreja finalmente poderão se sentir um pouco mais acolhidos pela sociedade", afirmou o grupo num comunicado.

A Suécia foi um dos primeiros países a dar aos casais homossexuais direitos para "parcerias civis", em meados dos anos 1990, e a permitir que casais homossexuais adotassem crianças, a partir de 2002.

Com a lei aprovada em maio, a Suécia se tornou o quinto país europeu a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo, depois da Holanda, da Bélgica, da Espanha e da Noruega.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.