quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Mais de ¼ dos moradores são evangélicos


Além das mudanças sócio-econômicas, uma nova Rondonópolis tem sido formada espiritualmente, ao longo das últimas décadas. Essa constatação advém das pesquisas que apontam que mais de um quarto da população local é formada por evangélicos atualmente, caminhando para chegar a 1/3 do número total de habitantes. Conforme pesquisa quantitativa presente no “Dossiê Rondonópolis 2008”, desenvolvido pela Prefeitura e pela Associação Comercial, Industrial e Empresarial (ACIR), 26,1% dos moradores se consideram evangélicos. Com uma população de 172.783 habitantes em 2007, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), isso significa dizer que 45.096 pessoas estão inseridas nessa religião.
Na verdade, esse crescimento da Igreja Evangélica é uma realidade nacional. Percorrendo todo o , o cantor e pregador nacional Júlio César, de Minas Gerais, diz que o crescimento do Evangelho no país tem chamado a sua atenção. Ele esteve nos dias 26, 27 e 28 de junho deste ano em uma cruzada na Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério de Madureira. Em novembro de 2008, o cantor chegou à marca das 500 mil cópias vendidas no país. “Viajando, a gente tem visto a potência que virou a Igreja Evangélica. Hoje tem evangélico até por moda. A Igreja Católica tem copiado a nossa forma de trabalhar. Isso mostra que a palavra está se cumprindo: Toda a Terra confessará que Jesus é o Senhor”, disse à reportagem.
Com esse crescimento, Júlio César acredita que a humanidade tem aberto os olhos e, cada vez mais, despertado para Jesus. “Quantos jornais, canais de ou emissoras de rádio evangélicas temos hoje! Há 20 anos era um sonho ouvir um hino evangélico na rádio ou TV. Há 20 anos nos chamavam de protestantes e hoje nos chamam de povo de Deus. Há 20 anos chamavam a polícia e fechavam nossas igrejas. Hoje é diferente. O crescimento do Evangelho é uma coisa fabulosa, estrondosa. O Brasil é taxado como o país mais católico do mundo, com uma taxa de 28% de evangélicos. Acredito que em 10 anos vamos chegar a 90%”, relatou Julio César.
Presente desde 1955, em Rondonópolis, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus (IEAD) é a maior denominação evangélica existente na cidade. O seu primeiro templo foi construído em 1956. O pastor-presidente da IEAD, José Genésio da Silva, informa que hoje são 36 congregações espalhadas pela cidade, incluindo a sede na Avenida Amazonas, Centro. São 7.500 membros fixos, todos cadastrados. Acompanhando essa expansão do número de membros, a IEAD está empenhada na construção do maior centro de evangelismo da região e o segundo maior do Estado, com capacidade para 10 mil pessoas sentadas. A parte de terraplanagem do centro de evangelismo está pronta e, em breve, terá início a parte de fundação.

Evangelho
Igrejas centram em Jesus Cristo

A expansão das igrejas evangélicas em Rondonópolis pode ser constatada ainda pelo número de templos espalhados pelos bairros da cidade. Em muitos pontos, o número de templos evangélicos chama a atenção. Como principal , a grande maioria tem alertado que a salvação da alma não provém de obras, mas da fé em Jesus Cristo – tido pela religião como o único salvador.
Uma das igrejas evangélicas que mais cresceu nos últimos anos foi o Ministério Sal da Terra, fundado há 13 anos pelo pastor Célio Rosa, em Rondonópolis. Atualmente, a Igreja possui 20 congregações em 10 estados do Brasil e, segundo o fundador, conta com 40 mil a 50 mil membros. Em relação à expansão das igrejas evangélicas como um todo, pastor Célio diz que os pastores da cidade têm feito um trabalho muito intensivo. “Todos os pastores têm se despertado para um novo avivamento, saindo dos templos e indo até onde o povo está, procurando acolher as pessoas”, analisou. “Ninguém quer mais religião; quer uma fonte com Deus”, acrescentou.
Com relação ao crescimento do Ministério Sal da Terra, o pastor Célio Rosa explica que a sua denominação não “tem dado apenas a , mas a demonstração do poder de Deus”. Nesse sentido, ele repassa que existem no Ministério inúmeros testemunhos de curas, restaurações de casamentos, problemas financeiros, entre outros. “Por isso temos um Novo Testamento; para que as pessoas tomem posse do que é seu. A cura, a libertação e a prosperidade são direitos nossos. É um direito constituído nosso. O testador [Jesus] morreu para que o Testamento tivesse validade para nós. O mundo perece porque não conhece o Testamento!”, externa.
Problemas no casamento, nas finanças ou na saúde, segundo o pastor Célio Rosa, têm sido os principais motivos de angústias das pessoas que têm chegado ao Ministério. O casamento, segundo o pastor, tem sido um dos grandes problemas atuais porque as pessoas estão deixando os valores de Deus e seguindo os próprios valores. Em relação às finanças, diz que as pessoas estão pensando cada vez mais em se enriquecer muito rápido, não têm autocontrole e acabam gastando mais do que ganham.
Há mais de 35 anos em Rondonópolis, a Igreja Evangélica Avivamento Bíblico está presente em nove endereços no município. O pastor-presidente do Campo Eclesiástico de Rondonópolis, pastor Almir Mariano de Souza, avalia o avanço das igrejas evangélicas na cidade sob dois ângulos. “Bom e ruim. Bom, quando se falam em mais igrejas, significa que o Evangelho está sendo propagado e que sua função vem sendo executada. O lado ruim seria que muitas igrejas estão sendo divididas por falta de submissão às autoridades constituídas por Deus”, alerta o pastor.
Para o pastor Almir Mariano, esse crescimento das igrejas evangélicas na cidade vem ocorrendo muito em função de uma consciência própria das denominações em cumprir com sua missão, assim como está na Bíblia: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”. Nessa época de expansão, o pastor ressalta que a grande mensagem que tem deixado aos seus membros é aquela que o apóstolo bíblico Felipe apregoou em Samaria: “Cristo é único que nos leva a Deus”.
Já o pastor-presidente da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, José Genésio da Silva, atesta que a grande mensagem que tem deixado aos membros é quanto à importância da pregação do Evangelho genuíno, conforme ele, com princípio na doutrina da Bíblia Sagrada, com a liberdade da ação do Santo Espírito de Deus. “A mensagem é que Jesus salva, que Jesus cura e que Jesus batiza com o Espírito Santo”, afirma.

Projetos Sociais
Igrejas têm ampliado os projetos sociais

Apesar de ter um foco maior na evangelização das pessoas, as igrejas evangélicas também têm procurado ampliar o número de projetos sociais em Rondonópolis nos últimos anos. São dezenas os números de projetos sociais realizados por essas igrejas no município, com o propósito de gerar a melhoria dos quadros sociais da população. Um dos projetos que chama a atenção é o realizado há 14 anos pela Igreja Evangélica Assembléia de Deus (IEAD) na penitenciária Major Eldo Sá Correa, a “Mata Grande”.
Sob a coordenação do pastor Eli Alves, o projeto na Mata Grande conta com uma ala exclusiva para o trabalho da IEAD, conhecida como “ala evangélica”, com mais de 180 reeducandos presentes. Diferente do restante da unidade prisional, a IEAD diz que nessa ala as paredes são bem pintadas, não há rabiscos ou materiais inadequados afixados nas paredes, o ambiente é bem limpo.
O pastor-presidente da IEAD, José Genésio da Silva, explica que nesse projeto é prestada assistência espiritual e social. Na assistência espiritual, os reeducandos contam com dois cultos por semana, escola bíblica dominical e acompanhamento de oração, jejum e libertação. Na assistência social, a IEAD atua no reingresso à sociedade, após a liberdade dessas pessoas, ajudando-os na regularização de matrimônios, na inserção no mercado de trabalho, fazendo acompanhamento social, entre outros.
O pastor José Genésio explica que a triagem daqueles que farão parte da ala evangélica é feita pelos próprios reeducandos. Todas as quartas-feiras, os cultos são abertos a todos os detentos da Mata Grande. Para fazer parte da ala, exige-se que haja a “conversão à palavra de Deus” e o testemunho de vida, deixando os vícios, por exemplo. Convertidos, os detentos evangélicos fazem visitas às demais celas e falam de Jesus aos demais.
A IEAD considera os resultados do projeto na Mata Grande muito positivos, pois repassa que esse trabalho se traduz em conversão de vidas. “A pessoa não volta para sociedade um bandido; volta uma pessoa transformada!”, garantiu, afirmando que pode mostrar inúmeros testemunhos de ex-detentos realmente transformados e que hoje constituem família e trabalham.

Começo

Evangélicos estão presentes desde 1924 na cidade

Ainda quando havia apenas o povoado do Rio Vermelho, em 1.924, o missionário escocês Daniel Thomas instalou a primeira igreja de Rondonópolis, justamente da ordem evangélica Neo Testamentária. Os trabalhos eram voltados principalmente aos índios, mas duraram menos de uma década. Na seqüência, em 1995, outras denominações evangélicas chegaram ao município, a saber a 1ª Batista, pelo pastor Isaías Tinoco; Adventista do 7º Dia, por Leolino Dourado; e Assembleia de Deus, pelo pastor José Francisco da Silva. As informações estão presentes no Apostila da História de Rondonópolis, do historiador Ailon do Carmo.
Em recente visita ao Jornal A TRIBUNA, o pastor Clóvis Pereira de Souza Leão disse que a 1ª Igreja Batista em Rondonópolis foi a segunda denominação evangélica a atuar e a primeira delas a construir um templo na cidade. Inicialmente, o grupo liderado pelo pastor Isaías Tinoco se reunia de forma improvisada em uma casa localizada na Avenida Amazonas, próxima onde é hoje o hotel Thaani. Em 1956, passou a atuar em templo próprio na Rua Poxoréo, 705, em frente ao Ginásio Marechal Rondon, onde está até os dias de hoje.

Tecnologia
Internet também sido ferramenta de evangelização

As igrejas evangélicas pentecostais e, principalmente, neopentecostais são as que mais têm crescido nos últimos anos em Rondonópolis. Mas não só o corpo-a-corpo tem sido utilizado pelas diferentes igrejas evangélicas, sejam elas tradicionais ou pentecostais. Na era da tecnologia, a internet não tem sido esquecida.
O Ministério Sal da Terra é uma das igrejas que tem utilizado com sucesso a internet. O pastor-fundador, Célio Rosa, diz que o avanço do Ministério nesse meio tem sido impressionante. São cerca de 800 mil visitas por mês, segundo ele. O site na internet disponibiliza até ministrações ao vivo, de quarta-feira a domingo, às 20h. Ele diz que o foco maior é atingir as pessoas que não tem religião ou que não praticam alguma.

A Tribuna/NC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.