sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Iris Abravanel fala sobre novelas, família e Silvio Santos


Iris Abravanel, antes conhecida por ser “a esposa de Silvio Santos“, hoje já vem galgando espaço no hall da fama do mundo das telenovelas: sua segunda obra (Vende-se um Véu de Noiva) está no ar. Doce, discreta e bem-humorada, Iris, de 60 anos, concordou em dar essa entrevista, em que fala sobre novelas, família e, lógico, Silvio Santos, ao Virgula. Confira!

Virgula – De onde veio a sua inspiração para escrever a sua primeira novela, Revelação?
Iris Abravanel - Observando pessoas que chegaram ao poder sem terem domínio sobre seu próprio ego, e sendo controladas pela vaidade excessiva, pude perceber o quanto o poder pode ser destrutivo. O ser humano de um modo geral ainda não aprendeu a lidar com situações em que é colocado acima de seus semelhantes. Confunde liderança com ditadura. Com o poder nas mãos, o homem perde o senso da realidade e muitos chegam até a insanidade destruindo a própria família, como aconteceu com George Castelli, em Revelação.

Virgula – O que achou do resultado de Revelação no ar? Quais foram as principais surpresas?
Iris Abravanel – Fiquei bastante satisfeita. O alvo foi atingido e todos que trabalharam em Revelação colaboraram para darmos o primeiro passo de muitos. Hoje, a teledramaturgia no SBT já está solidificada. Foram muitas as surpresas no decorrer da novela, mas recentemente, o Felipe Cardoso recebeu o prêmio de “ator revelação” por sua atuação como o personagem Maçarico.

Virgula – Em que horário escreve a novela Vende-se um Véu de Noiva? Passa muito dedicada a isso todos os dias?
Iris Abravanel – Tenho uma equipe super afinada que trabalha em minha . Vou duas vezes por semana ao SBT para acompanhar as gravações. Nesta segunda novela, já está sendo bem mais fácil. Gosto de trabalhar à noite, mas nem sempre é possível. Me dedico ao trabalho todos os dias, sem deixar de reservar tempo para minha família.

Virgula – Digamos que suas próximas novelas atinjam um índice de popularidade capaz de atiçar a cobiça de outros canais. A senhora se sentiria independente a ponto de trabalhar para outra emissora?
Iris Abravanel – Considero esta uma “pergunta indecente”, do mesmo jeito que consideraria a proposta que me fizessem. Não trabalho por dinheiro. Trabalho para estimular as mulheres a iniciarem uma carreira seja em que idade estiverem, para ajudar a fortalecer a empresa SBT, para gerar mais neste ramo difícil da dramaturgia, para me sentir útil, ativa e mais parceira de meu marido. Não há proposta no mundo que possa comprar a alegria de construirmos juntos um futuro para as próximas gerações de profissionais capacitados em televisão e comunicações.

Virgula – Seu marido, o Silvio Santos, dá palpites nos rumos das tramas?
Iris Abravanel - Foi ele quem deu o nome da novela Revelação. Seus palpites são sempre bem vindos.

Virgula – E a senhora? Também dá palpites na grade de programação do SBT?
Iris Abravanel – Se eu não desse palpite, não seria mulher. Já viu mulher resistir a um palpitezinho? Mas isto não quer dizer que ele aceite.

Virgula – Quando o Silvio falava que “a minha mulher viu esse filme”, era verdade?
Iris Abravanel - Pode me chamar de “você”. Somos colegas. Eu gosto quase tanto quanto ele de assistir a , e quando ele diz que eu já assisti, realmente é verdade. Eu costumo “entrar” no filme. Grito, me assusto, choro, dou risada… Ele se diverte com isso.

Virgula – Como sua família vivencia a religião em casa? Porque sua filha é protestante, o Silvio não…
Iris Abravanel – Religião é um cativeiro para as pessoas. Tudo que se faz “religiosamente” é escravidão. Nós lemos a Bíblia e procuramos aprender valores e condutas para uma vida saudável e com mais esperança. Não faz a mínima diferença meu marido ser ou não evangélico. Cremos num só Deus e acreditamos na palavra D’Ele.

Virgula – Como a senhora vê o escândalo envolvendo a Rede ?
Iris Abravanel - Uma das coisas que aprendi é não julgar.

Virgula – A senhora acabou de sair na Caras, mas não está sempre na mídia… Como consegue se safar dos paparazzi? Como vê a privacidade dos artistas ultimamente?
Iris Abravanel - Procuro ter uma vida o mais normal possível. Talvez, por priorizar minha condição de esposa e mãe, não me considere nenhuma celebridade. Por isso, não sou eu quem me safo dos paparazzi, são eles que não se incomodam comigo. Quanto à privacidade dos artistas, considero triste perder a liberdade. Mas deve ter quem goste. Afinal, a mídia é importante para divulgá-los.

Virgula/Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.