sábado, 19 de setembro de 2009

Conhecido ativista pró-vida local morto a tiros em Michigan, EUA

(Por Kathleen Gilbert e John Jalsevac) – OWOSSO, Michigan, EUA - Um ativista pró-vida idoso foi morto com vários tiros em frente da Escola Secundária Owosso em Michigan enquanto estava pacificamente protestando contra o aborto legal com um cartaz mostrando um bebê e a palavra “Vida”, de acordo com a polícia local citada no Flint Journal.

As pessoas da localidade dizem que a vítima, James Pouillon de Owosso, era muito conhecido na região por suas atividades pró-vida. O colunista Doug Powers escreveu em seu blog que Pouillon, chamado de “o cara do cartaz de aborto” pelas pessoas da região, era conhecido por ficar nas esquinas das ruas segurando cartazes com fotos de bebês abortados.

O Pastor Matt Trehella da entidade evangélica Missionários para os Pré-Nascidos disse que Pouillon havia se unido à sua organização em algumas paradas de uma turnê pró-vida menos de um mês atrás. “Jim era um homem abnegado, de voz suave e coração bondoso. Todos os que o conheciam sabiam disso”, disse ele. “Por favor, orem pela família de Jim”.

Trehella disse que Pouillon era um homem idoso que precisava do uso constante de uma máquina de oxigênio.

Troy Newman, presidente de Operação Resgate (OR), disse que Pouillon era amigo de OR. “Estamos chocados com o assassinato de Jim”, disse ele. “Estendemos nossas condolências à família e sofremos juntamente com eles com a perda dele. A vida dele era caracterizada por seu amor e preocupação com os bebês vulneráveis, e sentiremos muita falta dele.

“Denunciamos esse ato irracional de violência nos termos mais fortes, e oramos para que este assassino seja rapidamente levado à justiça”.

Relatos indicam que um segundo indivíduo foi morto a tiros numa área diferente da cidade na manhã do mesmo dia, e crê-se que os dois assassinatos estejam ligados, de acordo com George Braidwood, xerife do município de Shiawassee. De acordo com o site M-live.com, a segunda vítima foi identificada como Mike Fuoss, de 61 anos, dono de uma cascalhadeira. Fuoss foi encontrado morto em seu escritório.

A polícia confirmou que um suspeito — um homem de 33 anos da cidade de Owosso — foi preso na casa do suspeito logo depois do assassinato às 7h30min. Depois de preso, ele confessou que é o autor também do segundo assassinato. Fuoss conhecia o assassino suspeito, de acordo com a polícia, e até o momento não se sabe se Pouillon também o conhecia. Ainda não se conhece o motivo para ambos os assassinatos.

No entanto, o delegado de polícia Michael Compeau disse que Pouillon parecia ser o alvo. “Eu especularia que foi… propositado”, disse Compeau, de acordo com a Associated Press. “Ele estava na rua protestando na calçada do outro lado da escola secundária… e havia muitas pessoas ali e ele era o alvo”.

Um carro negro estava estacionado na cena do assassinato, onde um tanque portátil de oxigênio ficou num quintal perto de um grande cartaz com a palavra “Vida” e a imagem de um bebê.

Logo depois da tragédia, o Pe. Pavone de Padres pela Vida disse para LifeSiteNews.com esperar ver “uma forte expressão de indignação dos grupos pró-aborto, exatamente como houve uma forte expressão de indignação dos grupos pró-vida com o assassinato do Dr. Tiller”.

Segundo, o Pe. Pavone pediu “uma renovação de unidade dentro do movimento pró-vida, um apoiando o outro e não permitindo de forma alguma que o medo ou a intimidação tenha algum papel em nossas vidas, mas em vez disso avançar em ações organizadas pacíficas contra o mal do aborto”.

Traduzido por Julio Severo

Fonte: Noticias pro-familia / Julio Severo / OVERBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.