terça-feira, 22 de setembro de 2009

Britânico 'Jedi' acusa desrespeito à religião por ter que tirar capuz

Um jovem britânico que se declara seguidor da religião Jedi disse que um supermercado do país discriminou sua religião ao pedir que ele deixasse a loja por estar vestindo um capuz.
O britânico Daniel Jones, do País de Gales, diz ter fundado sua própria versão da religião Jedi, inspirada na série de Guerra nas Estrelas. Segundo sua crença, ele teria que se vestir como um cavaleiro Jedi.
Nos filmes, os Jedis são cavaleiros que usam roupas parecidas com as de monges. A indumentária inclui o uso do capuz.
Daniel Jones estava fazendo compras em uma loja da cadeia de supermercados Tesco na cidade de Bangor, no norte do País de Gales, com seu traje inspirado nos Jedis.
No entanto, ele foi alertado que a loja não permite o uso de capuz, alegando questões de segurança. Jones, que se diz fundador da Igreja do "Jedi-ismo", recusou-se a remover seu capuz e foi convidado a se retirar do estabelecimento. Ele comparou o uso de capuz de seus correligionários ao uso da burqa por muçulmanos.
O jovem diz que o Tesco desrespeitou seu direito à crença e insiste que sua fé o obriga a se vestir como um cavaleiro Jedi.
"Nós usamos capuzes em lugares com muitas pessoas quando nos sentimos intimidados, ou quando nos sentimos desconfortáveis. É um ato simbólico da nossa religião, da nossa crença, para mostrar quem somos e no que acreditamos", disse Jones à BBC.

'Bem-vindos'
O jovem de 23 anos afirma que sua escolha religiosa merece o mesmo respeito que a de outras pessoas. Ele reclamou que os funcionários da loja foram grosseiros e caçoaram da sua crença.
O supermercado preferiu reagir com humor à reclamação do jovem. Um -voz do Tesco disse que os três cavaleiros Jedis mais famosos - Yoda, Obi-Wan Kenobi e Luke Skywalker - nem sempre usam capuz e que Jedis sem capuz são bem-vindos em suas .
"Se eles caminharem usando seus capuzes, eles perderão muitas das nossas ofertas", disse o porta-voz.
Daniel Jones diz que apesar de sua crença ser baseada nos filmes, a Igreja não segue necessariamente os mesmos princípios e condutas dos cavaleiros fictícios.
"Eles não são reais. Eu sou real e esta é a minha religião, isso é algo completamente separado do filme", disse Jones.
Daniel Jones diz ter criado sua versão da Igreja do "Jedi-ismo" no ano passado, mas no começo desta década muitas pessoas já se declaravam Jedis ou "cavaleiro Jedi" em questionários de censos em países como Grã-Bretanha e Estados Unidos.
O censo de 2001 na Inglaterra e no País de Gales afirma que mais de 390 mil pessoas se declararam da religião Jedi naquele ano.
Segundo o jornal britânico The Guardian, Daniel Jones está considerando a possibilidade de processar a cadeia de supermercados.

BBC /Notícias Cristãs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.