quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Arqueólogos encontram palácio que teria sido de Nero. Assista

Sala de jantar tinha uma mesa giratória, criada para impressionar os hóspedes.

Na Itália, arqueólogos encontraram a vestígios de um palácio que eles acreditam ter pertencido ao imperador Nero, que governou Roma no século I depois de Cristo (DC).

Os arqueólogos dizem que tudo indica que o local encontrado era a sala de jantar, que tinha uma mesa giratória, criada para impressionar os hóspedes.

O palácio teria sido destruído por um grande incêndio que destruiu Roma no ano 64 DC.

História

Nero, Glyptothek, MuniqueNero Cláudio César Augusto Germânico, governou o império romano de 13 de outubro de 54 até a sua morte, a 9 de junho de 68. Ascendeu ao trono após a morte do seu tio Cláudio, que o nomeara o seu sucessor.

O reinado de Nero é associado habitualmente à tirania e a extravagância. É recordado por uma série de execuções sistemáticas, incluindo a da sua própria mãe e o seu meio-irmão Britânico, e sobretudo pela crença generalizada de que, enquanto Roma ardia, ele estava compondo com a sua lira.

Nero foi um implacável perseguidor dos cristãos. Tácito relata que, depois do incêndio em Roma, a população buscou um bode expiatório e começaram a circular rumores de que Nero era o responsável. Para afastar as culpas, Nero acusou os cristãos e ordenou que alguns fossem jogados aos cães, enquanto outros fossem queimados vivos e crucificados.

Em 68 ocorreu um golpe de estado de vários governadores, após o qual, aparentemente, foi forçado a suicidar-se.

Assista a reportagem da Record News sobre o achado arqueológico:



Fonte: R7 / Wikipedia / O Verbo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.