sábado, 8 de agosto de 2009

Secretarias divergem sobre passageira monitorada após voo para Disney



Adolescente moradora de São Paulo esteve com grupo de Jacqueline.
Estado diz que ela está em lista de monitorados; prefeitura nega.

Passageira do mesmo voo em que Jacqueline Ruas morreu no domingo (2), uma garota de 14 anos, moradora na Zona Norte de São Paulo, teve o nome inscrito no grupo de 18 pessoas que ficariam sob monitoramento da Vigilância Sanitária, mas até as 21h de sexta-feira (7) não havia recebido contato das autoridades de saúde federais, estaduais ou municipais.


A família da menina que esteve no mesmo voo que Jacqueline pediu para não ser identificada, mas informou o nome da passageira à reportagem do G1. A Secretaria Estadual de Saúde confirmou que o nome da garota está na lista dos monitorados e informou que o dado foi repassado à Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

As autoridades de saúde informaram que 29 passageiros que viajaram junto com Jacqueline seriam monitorados. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Paulo disse que oito desses passageiros moram no em São Paulo. Entretanto, a SMS informou neste sábado (8) que, "entre os nomes contidos na relação de passageiros a serem monitorados pela Coordenação de Vigilância em Saúde de São Paulo (COVISA), não consta o nome fornecido pela reportagem". Apesar da divergência de informações, a SMS garante que todos os passageiros da relação estão sendo monitorados pela Vigilância municipal.

Família preocupada

O pai da menina disse que sua filha teve febre durante a viagem aos Estados Unidos e desembarcou em Guarulhos ainda com alguns sintomas de gripe. Ele criticou a falta de interesse das autoridades de saúde no monitoramento dos casos remanescentes.

A família de classe média procurou um infectologista particular e pagou pelos exames. "O médico não gostou do chiado no peito da menina, mas me disse que se ela teve febre, não haveria perigo de transmissão. Na quinta-feira, o mesmo médico verificou que o chiado diminuiu", afirmou. A passageira de 14 anos contou que preencheu um formulário ainda no avião para informar se teve sintomas de gripe. De acordo com ela, respondeu que sim, para febre e tosse.

São Caetano

A Vigilância Sanitária de São Caetano do Sul, cidade onde Jacqueline morava, informou que não recebeu a lista dos passageiros da cidade que estavam no mesmo voo. "A informação não foi descentralizada para o município. A análise do grupo de risco, neste caso, possivelmente está sendo feita pela Secretaria de Saúde do Estado, notificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que emite o protocolo de Notificação e Investigação dos Casos".

Em sua resposta ao G1, a Vigilância de São Caetano ressaltou que não foi confirmada a contaminação pelo influenza A (H1N1) de Jaqueline. "Durante o período de contágio que é de 7 a 10 dias, a garota estava fora do país. Mesmo assim, a Vigilância está monitorando a família da menina."

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.