quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Ministério Público da Bahia denuncia padre italiano por pedofilia

O ex-presidente da Organização de Auxílio Fraterno (OAF), padre Clodoveo Piazza, e o ex diretor-executivo da entidade, Marcos de Paiva Silva, foram denunciados pelo Ministério Público da Bahia por 'submeter crianças e adolescentes à exploração sexual'.
A denúncia foi oferecida à Vara Especializada Criminal da Infância e Juventude pela pela promotora Sandra Patrícia Oliveira, titular da Promotoria Especializada em Crimes Contra a Criança e o Adolescente.
Segundo o Ministério Público, entre os anos de 2000 e 2008, Clodoveo Piazza e Marcos de Paiva submeteram diversos internos da OAF, menores de 18 anos, à exploração sexual. De acordo com o MP, um dos internos relatou que o padre italiano lhe colocava para dormir nu, tinha os órgãos genitais apalpados e a boca beijada durante o . No depoimento, o menor falou ainda que foi submetido à prática de oral pelo ex-diretor da OAF, que prometia-lhe recompensas.
Marcos Paiva foi denunciado também por praticar sexo oral e anal com outro ex-interno em troca de dinheiro. Já o padre é acusado também de ter despido e acariciado um ex-interno, sob o pretexto de que examinaria o seu corpo. Segundo o MP, Clodoveo Piazza introduziu o dedo no ânus da criança e lhe masturbou.
O Ministério Público pede que os denunciados sejam interrogados e condenados às penas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente. A OAF é uma entidade não-governamental com sede em Salvador que teria por finalidade oferecer abrigo e promover a educação de crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social.

da Bahia/NC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.