quinta-feira, 6 de agosto de 2009

EUA: Empresário antigay é acusado de assassinato e tráfico de armas


Erik Prince, fundador da empresa norte-americana Xe (antes conhecida como Blackwater Worldwide), foi acusado por dois ex-empregados da empresa de assassinato, tráfico de armas e destruição de evidências criminais. As acusações foram feitas durante o julgamento de um processo no estado da Virgínia, em favor de famílias iraquianas que acusam a empresa de ter matado seus parentes.

Os ex-empregados também afirmam que Prince se considera um ‘cruzado cristão com a missão de eliminar os muçulmanos, o Islã e qualquer ameaça ao Cristianismo da face da terra’.

Ex-fuzileiro e integrante da tropa de elite Navy SEALS, especializada em antiterrorismo, Prince fundou a Blackwater em 1996 com outros ex-combatentes, para oferecer serviços especiais de apoio tático e treinamento paramilitar à polícia e forças similares, além de manter seu próprio exército de mercenários. Ele também é conhecido por ser um dos principais financiadores das campanhas cristãs contra os direitos LGBT nos EUA.

A “Proposição 8”, uma proposta de emenda constitucional afirmando que ‘o casamento é entre um homem e uma mulher’ que foi aprovada recentemente nos EUA, recebeu apoio maciço de Prince e sua família, que doaram mais de meio milhão de dólares para a campanha.

O empresário é acusado de ter assassinado, mandado matar, e/ou facilitado a morte de vários indivíduos que estavam cooperando com o Departamento de Justiça numa investigação sobre a Blackwater. As testemunhas também disseram que ele enviou carregamentos de armas ao Iraque em seu avião particular, sem passar pelos serviços aduaneiros.

A companhia está sob investigação desde 2004, quando quatro de seus empregados foram mortos em Fallujah, além do envolvimento da Blackwater no tiroteio que matou 17 civis na Praça Nissor em Bagdá. Os empregados envolvidos no tiroteio acusaram os civis de terem atirado primeiro, mas não foi encontrada qualquer evidência disso.

Em novembro de 2008, o Departamento de Estado multou a empresa em milhões de dólares pelo envio não autorizado de armas automáticas ao Iraque. Algumas dessas armas podem ter ido parar no mercado paralelo iraquiano. Na ocasião, o governo do Iraque revogou a licença de operações comerciais da Blackwater.

A empresa informou que vai responder às acusações em um documento que será publicado em 17 de agosto.

Fonte: site Lezgetreal

Versão para o português: Eduardo Peret

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.