sábado, 22 de agosto de 2009

Escritora lésbica pede retratação a autor de blog evangélico "


"Tomam o papel de vítimas oprimidas por um totalitarismo imaginário quando, na verdade, eles é que são os ditadores da imoralidade". É assim que Matheus Viana define os homossexuais em seu blog Profecia.
No mesmo post, Viana comenta o recém-lançado "Era uma Vez um Casal Diferente" (296p.; R$ 59,70, Edições GLS), da escritora carioca Lúcia Facco, chamando a iniciativa de "perniciosa" e dizendo que a autora tenta "difundir o comportamento [homossexual] entre o público infanto-juvenil". Escreve o blogueiro: "O intento de Facco, uma mera -voz do movimento homossexual no , não é apenas a disseminação do comportamento às crianças. Mas a manutenção de seus princípios por educadores e pais. Cuja medida será consequência de que tal difusão não poderá sofrer oposição, nem tampouco qualquer interrupção por parte dos pais e educadores por correrem o risco de se tornarem criminosos homofóbicos."
Nesta quarta-feira (19/08), Facco procurou a reportagem do site A Capa e enviou uma carta de desagravo, na qual pede a retratação ou a retirada imediata do texto do ar. No documento, a autora faz questão de ressaltar que o livro é, na verdade, sua tese de doutorado em Literatura Comparada, defendida e aprovada na Universidade Estadual do (UERJ), em 2008, e que a obra não pretende fazer "apologia e uma tentativa de conversão", como afirma o blogueiro.
Para Facco, Matheus Viana ofende não apenas os pesquisadores da temática no Brasil, mas também todo o movimento LGBT. "Quando li o texto desse senhor, experimentei várias emoções. Primeiro fiquei revoltada. Depois refleti e percebi que textos assim não devem ser levados a sério, pois demonstram um grau de intolerância incomensurável, achando que seria melhor ignorar a questão. No entanto, agora estou em um novo momento e acho que não quero aceitar meu nome sendo denegrido, mesmo que por uma pessoa com um blog tão pouco visitado", escreve a escritora e pesquisadora na carta.
Em seu post, Viana segue dizendo que "o desejo de que seu filho cresça em um ambiente familiar saudável está solapado por uma experiência traumática que a conduziu a seu atual estado homossexual". Para Facco, ao insinuar que seu filho não cresce em um ambiente saudável, Viana faz uma "agressão moral".
"Embora para esse senhor, os homossexuais devam ser pessoas sem formação moral e religiosa alguma, digo que tive uma formação moral e religiosa baseada em respeito, amor e solidariedade. Portanto, não penso, na verdade, em processar o blog, ou o responsável por ele. Apenas desejo que ele retire o texto do ar e, se possível, faça uma retratação, para que os seus raros (imagino) leitores percebam que o de caça às bruxas já vai longe e que não aceitaremos que eles voltem, lançando às fogueiras da maledicência pessoas sérias e respeitadas, apenas por terem opiniões diferentes das suas", conclui a autora em sua carta.
A reportagem enviou duas para o endereço eletrônico informado no blog, mas não obteve retorno.

ACapa/NC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.