sexta-feira, 10 de julho de 2009

Obama conversou 40 minutos com o Papa

CIDADE DO VATICANO, Santa Sé, 10 Jul 2009 (AFP) - O presidente americano Barack Obama encontrou-se na tarde desta sexta-feira, no Vaticano, com o Papa Bento XVI pela primeira vez, dizendo desejar "uma relação forte" entre os Estados Unidos e a Santa Sé.


A conversa a portas fechadas no gabinete privado de Bento XVI no Vaticano durou 40 minutos, constatou a AFP. Ao final do encontro, o Papa disse que reza sempre por Obama que o agradeceu


"É uma grande honra. Muito obrigado", disse ao Papa ao cumprimentá-lo com um aperto de mãos.


O presidente dos Estados Unidos esteve, antes, em L'Aquila, perto de Roma, onde participou da cúpula do G8, dizendo ao Papa que a reunião dos oito países mais industrializados do planeta havia sido "produtiva".


Instalados frente a frente na biblioteca pontifícia, os dois posaram para uma sessão de fotos. "Estou certo de que o senhor está acostumado com os fotógrafos. Eu também", afirmou o presidente.


Obama vestia um terno escuro e mostrava-se muito sorridente. Bento XVI, também sorridente, usava uma sotaina branca, com a capa pontifical vermelha.


Ao final do encontro, Obama apresentou a família e outras pessoas que o acompahavam. Michelle Obama estava vestida com um tailleur preto e usava mantilha para cobrir a cabeça.


As duas filhas de Obama, Malia e Sasha, e a sogra de Obama, também cumprimentaram o Papa, mas as imagens não foram transmitidas ao vivo pela televisão do Vaticano.


Durante a tradicional troca de presentes, Obama recebeu uma cópia em couro branco da primeira encíclica social do pontífice, lançada na terça-feira passada, na qual insta os dirigentes do mundo a promover uma "nova ética" para administrar a globlalização.


"Nossas expectativas são as de fortalecer nossas relações", disse Obama ao despedir-se do Papa.


O Papa também deu de presente a Obama um documento da Congregação para a Doutrina da Fé, 'Dignitas personae', sobre os problemas da bioética, que reitera a rejeição da Igreja ao aborto e à pesquisa com células-tronco.


Obama, um cristão protestante, só havia conversado com o Papa pelo telefone, após a eleição de 4 de novembro.


Ele deixou o Vaticano às 15H10 GMT para viajar a Gana, na primeira visita enquanto presidente, à África, o continente de origem de sua família paterna.


G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.