quarta-feira, 22 de julho de 2009

Juiz libera circulação de guia que chama cariocas de 'máquinas de sexo'



Embratur entrou na Justiça para recolher a publicação 'Rio for Partiers'.
Sentença final ainda é aguardada.


O juiz José Luis Castro Rodriguez, da 21ª Vara Federal, negou o pedido da Embratur para retirar de circulação o guia “Rio for Partiers” (Rio para festeiros), que divide mulheres em quatro tipos - dentre eles, estão as "popuzudas".

O mérito da ação ainda não foi julgado. Mas, de acordo com a assessoria da Embratur, o órgão havia sugerido a retirada imediata de circulação da publicação, que é de responsabilidade da Editora Solcat Ltda, enquanto é aguardada a sentença final do caso.

Em janeiro de 2009, a Advogacia-Geral da União (AGU) encaminhou à Justiça Federal, a pedido da Embratur, ação para retirar de circulação o guia “Rio for Partiers”, sob o argumento de que ele estimula o turismo sexual, “viola a dignidade humana e expõe o povo brasileiro a situação vexatória".

O guia divide o estilo das cariocas em quatro tipos. Um deles seria o das “popozudas”, que, de acordo com o texto, são “máquinas de sexo" com "grande bunda”. E sugere: “Bom investimento, já que o motel é sempre uma possibilidade com estas gatas... se você também é sarado”.

Para o juiz, “a simples classificação da mulher – ou do homem – brasileiro em 'tipos', segundo critérios ligados, em tese, ao seu comportamento sexual, não implica, por si só, afronta aos princípios norteadores da Política Nacional de Turismo ou violação à dignidade da pessoa humana”. O juiz alegou ainda que o pedido da Embratur poderia ser classificado como uma pretensão de censura, o que, ainda segundo a sentena, contraria a Constituição do país.

Utilização indevida da marca

Com base no artigo 12 da Lei da Imprensa, o procurador federal Marco Di Lulio sustentou que o guia, além de estimular a prática de exploração sexual, usa na capa, sem autorização, o selo Brasil Sensational, do Ministério do Turismo, criado para divulgar a imagem do turismo no país.

A assessoria da Embratur afirmou, em nota, que “em nenhum momento houve qualquer pedido (...) de utilização da Marca Brasil”. A nota dizia ainda: “O Ministério do Turismo, por meio da Embratur, condena qualquer utilização de imagens, expressões ou apelos que remetam à exploração do turismo com conotação sexual e, por este motivo, não faz cessão de uso da Marca Brasil para publicações que vão de encontro a este conceito”.

O juiz da 21ª Vara Federal afirmou, em sentença, que a documentação apresentada pela Embratur não demonstrou a titularidade da marca. Além disso, o juiz alegou que a última edição do guia não contém o símbolo em questão.

Os estilos das cariocas, segundo o guia

O texto recomenda que o turista não “tente pegar sua brasileira na praia", principalmente no fim de semana, bem como ele não deve tentar a abordagem na rua. Recomenda: “Tente derretê-la com uma aproximação suave”. E ainda: “Tente começar a beijar o mais rápido possível”.

Outra recomendação: o turista não deve insistir para ir à casa dela, e sim sugerir um passeio por onde estão os melhores motéis.

“Rio for Partiers” descreve os quatro tipos de cariocas: a “Britney Spears” é “linda” e “filhinha de papai”, “normalmente são metidas. Esqueça elas”, recomenda o guia.

Para a publicação, as “hippie/raver” são “mais divertidas, fáceis de se chegar, boas de papo, difícil de beijar, fácil de beber e se divertir com elas”;

De acordo com o texto, “as com mais de 30 anos” gostam “de se divertir, dançar, beber e beijar. Trate ela com uma dama e elas o tratarão como um rei, talvez não esta noite, mas amanhã com certeza”.

As “popozudas”, o guia descreve, “malham, vestem calças apertadas que entram no bumbum, pintam o cabelo de louro e fazem de tudo para ficarem lindas”.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.