quarta-feira, 15 de julho de 2009

Faltam igrejas no Vietnã, dizem seus bispos

Informe apresentado a Ajuda à Igreja que Sofre.
ROMA - A primeira necessidade dos católicos no Vietnã são igrejas, consideram seus bispos, que se encontram na Europa após terem realizado sua visita ad limina apostolorum a Bento XVI e a seus colaboradores.
Na última quinta-feira, 6 bispos do país visitaram a sede central da associação católica internacional Ajuda à Igreja que Sofre, situada em Kögnistein, perto de Frankfurt (Alemanha).
Todos os prelados coincidiram em que o número de vocações no Vietnã continua sendo considerável.
Os bispos, procedentes de diferentes regiões do Vietnã, informaram aos representantes da Associação sobre a complexa vida e as necessidades da Igreja Católica em seu país.
Entre outros assuntos, Dom Pierre Nguyên Van Nhon, bispo de Dalat e presidente da Conferência Episcopal Vietnamita, recalcou, em sua relação a Ajuda à Igreja que Sofre, a importância dos edifícios eclesiais para a Igreja Católica.
Sem igrejas, indicou, não somente não é possível realizar um trabalho pastoral, senão que também é preciso levar em conta que toda a vida social e o compromisso das comunidades se desenvolve em torno delas. Infelizmente, acrescentou, nem todas as comunidades de católicos dispõem de um templo próprio.
Dom Paul Bui Van Doc, bispo de My Tho e presidente da Comissão para a Doutrina da Fé da Conferência Episcopal Vietnamita, disse que uma das prioridades reside na tarefa de evangelização da Igreja.
Dom Joseph Dang Duc Ngan, bispo de Lang Son, sublinhou, em relação à evangelização, a necessidade de uma boa formação básica e contínua para os sacerdotes, religiosas e leigos.
Dom Paul Marie Cao Dinh Thuyen (82 anos), bispo de Vinh, informou sobre as boas experiências que sua diocese fez com seus 6 mil catequistas voluntários, formados pelos sacerdotes e religiosas que visitam os povoados. Sua diocese conta com mais de meio milhão de crentes.
Dom Thomas Nguyen Van Tan, bispo de Vinh Long, destacou a necessidade de fortalecer as famílias e animar os pais a enviarem seus filhos à catequese e às missas, pois as crianças e jovens pertencem à geração mais afetada pela mudança social.
Segundo indicou, muitos jovens emigram às cidades em busca de trabalho e lá alguns, ao perderem suas raízes e o equilíbrio interior, acabam adotando “maus costumes”. Em sua opinião, dar-lhes uma boa base ajuda a prevenir tais situações.
Dom Cosma Hoang Van Dat, SJ, bispo de Bac Ninh, mostrou-se de acordo e comentou que em sua diocese estão tendo boas experiências com a pastoral infantil, pois muitas crianças agora falam às suas famílias e amigos sobre a vida de Jesus.
Este país, ainda governado por um regime comunista, continua sendo uma das prioridades da Ásia para Ajuda à Igreja que Sofre. A associação, que subvenciona projetos em 138 países do mundo inteiro, apoiou a Igreja Católica no Vietnã (cerca de 6 milhões de crentes) com mais de 1,6 milhão de euros em 2008.

Zenit/NC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.