sábado, 1 de novembro de 2008

Católicos questionam legitimidade de seita

Paróquia das Santas Missões é comanda por padre casado e causa polêmica entre os católicos.

Esta notícia possui fotoA autodenominação de católica por parte de uma seita religiosa na área central, a Paróquia das Santas Missões vem causando desconfiança e dúvidas na população. Para maior confusão, as missas utilizam rituais, imagens e símbolos idênticos aos consagrados pelo Vaticano.
Por conta disso, a Paróquia das Santas Missões tem sido um incômodo para a tradicional comunidade católica do município e atraiu o repúdio da administração diocesana de Piracicaba. "Essa igreja não é católica romana, não tem qualquer vínculo com a diocese. É uma seita que engana os fiéis, utilizando nomes e imagens iguais às nossas para se aproveitar da boa- do povo. Somos a favor da liberdade de culto, respeitamos as diversas igrejas cristãs, mas é lamentável que existam pessoas que se utilizem da religião para enganar o povo", declara o bispo diocesano dom Fernando Mason, através de sua assessoria de imprensa.
De acordo com a Constituição Federal de 1988, nenhum cidadão pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, perseguido, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever por causa das suas convicções ou práticas religiosas. Contudo, não existe matéria jurídica que defina a constituição, atribuições e propriedades intelectuais da religião católica.
"Historicamente, desde que a Igreja foi separada do Estado, em 1890, não houve avanços nesse sentido. Com isso, a apropriação da doutrina e ensinamentos do catolicismo oficial não é regulamentada. Caberia ao Estado definir no âmbito civil e jurídico o papel da Igreja e seus representantes na sociedade", comenta monsenhor Jamil Nassif Abib, vigário-geral e moderador da Cúria de Piracicaba. "Esse assunto é um verdadeiro campo minado. Toda vez que se tenta uma aproximação com o governo, por parte da Igreja Católica, acabamos sendo acusados erroneamente de proselitistas", acrescenta.
Enquanto isso, as missas do autodenominado padre Daniel Grigoletto, que dirige a Paróquia das Santas Missões, prosseguem três vezes por semana sem maiores atribulações. Entre uma pregação e outra, o padre oferece objetos abençoados de uso pessoal para que os copiosos fiéis possam ao menos amenizar suas dores e sofrimentos do corpo e da alma. Depois da comunhão eucarística e os cânticos finais, alguns ainda ficam para ouvir os conselhos e palavras de conforto do padre Grigoletto.
Ligada à Igreja Católica Apostólica Carismática, comandada pelo bispo dom Euclides Nunes e com templos em Leme, Araras, Santa Bárbara D Oeste, Sumaré, Limeira, Lins, Araraquara, Campinas, Ribeirão Preto e outras tantas cidades paulistas, a Paróquia das Santas Missões está em Rio Claro desde março do ano passado.
Outro fato ultrajante para muitos é que o padre Daniel Grigoletto é casado e mora com esposa e filhos em Limeira. O padre diz que já esperava ataques desse tipo.
"Nós incomodamos os sacerdotes católicos romanos porque, ao contrário deles, nos importamos realmente em dar amparo espiritual àqueles que nos procuram. A nossa igreja é feita para os sofredores, pecadores e que vivem atormentados pelo demônio. Temos milhares de testemunhos de pessoas que conseguiram a redenção em nome de Jesus", afirma Grigoletto.
O padre diz que não foi ordenado pelo papa e tampouco segue as diretrizes do Vaticano. "Nossa proposta espiritual é totalmente baseada na palavra de Deus, na Bíblia. Nós somos a verdadeira igreja, cuja doutrina existe há 2 mil anos. Para exercer meu sacerdócio, que se tornou minha missão de vida desde 2002, passei por um batismo de fogo. Sou qualificado para fazer o que faço. Ao contrário de muitos que vestem batina e são verdadeiros sepulcros caiados."
Questionado sobre a legitimidade de sua atividade religiosa, Grigoletto se defende amparado na lei de liberdade de culto. O sacerdote afirma ainda que sua igreja é regularizada perante a lei, é registrada no CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e está quite com o fisco.
O padre conta que seu templo vive do dízimo dos fiéis. Como toda organização religiosa, existe uma rede administrativa para suporte financeiro das atividades da Igreja Católica Apostólica Carismática. Quando um novo templo é fundado, a sede da igreja em Campinas disponibiliza um capital inicial e ajuda financeira para manutenção da mesma, até que a nova comunidade possa se sustentar por meios próprios.
O rebanho do padre Grigoletto tem aumentado consideravelmente. O novo templo, inaugurado há pouco na Rua 1 com Avenidas 9 e 11, tem capacidade para cerca de 400 pessoas e fica lotado aos domingos. A pregação de Grigoletto também está presente na rádio, com programas na Clube AM (segunda-feira a sábado, às 6h) e na Cultura AM (segunda-feira e sábado, às 7h55).

JC

FONTE: noticiascristas.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.